Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Ciberataque

Reino Unido acusa grupo chinês apoiado pelo Estado de ciberataques à Microsoft

Apesar da positiva evolução tecnológica, os ciberataques têm sido prática comum e, na grande maioria dos casos, põem em risco os dados envolvidos. Nesse sentido, o Reino Unido e os Estados Unidos da América juntaram-se e formalizaram uma acusação contra um grupo chinês apoiado pelo Estado.

Na base da acusação está a sabotagem sistemática da Microsoft.

Ciberataques


Ciberataque: Centenas de empresas americanas vítimas de ransomware

Recentemente, muitas têm sido as empresas vítimas de ciberataques, desde redes sociais, a grandes companhias, supostamente protegidas. Desta vez, o ataque foi ligeiramente diferente e atingiu várias empresas dos Estados Unidos da América, através de ransomware.

Segundo os especialistas, o ciberataque foi “devastador”.

Ciberataque


McDonald’s é a mais recente empresa a ser alvo de ciberataque

Tem sido comum saber-se que, tanto redes sociais, como grandes empresas, incluindo multinacionais, por exemplo, são alvo de ciberataques. Afinal, sabe-se que a internet é um espaço muito amplo e heterogéneo, além de nem sempre seguro. Agora, foi a vez da McDonald’s.

A cadeia de restaurantes de fast-food, embora seja a maior do mundo, não escapou a um ciberataque.

McDonald's Taiwan


China e Rússia acusadas de ciberespionagem a Portugal

Não são só as populações que armazenam os seus dados online. Na realidade, os governos informatizam também informações, ainda que atrás de uma forte barreira de segurança. No entanto, uma vez na internet, essa barreira pode ser quebrada e, quando há interesse, pode até ser ultrapassada para espiar as informações.

Nesse sentido, uma investigação identifica a China e a Rússia como responsáveis de ações de ciberespionagem a Portugal.


Estará Portugal preparado para responder a um ciberataque?

A segurança digital de um país deve ser hoje uma das prioridades no que diz respeito à segurança. Se antes se usavam carros e aviões de combate, armas e soldados para atacar o próximo, hoje um ataque poderoso pode ser simplesmente realizado através das infra-estruturas de comunicações ou até mesmo das centrais de energia.

Será que Portugal está preparado para responder a um ciberataque?