Quantcast
PplWare Mobile

Energia nuclear é “apropriada e segura”, diz relatório da UE

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Aj says:

    E quem é que financiou esse estudo?

    • wq says:

      provavelmente a França que é basicamente o único país europeu com empresas neste momento capazes de construir as centrais nucleares, e que sempre fomentou essas suas empresas noutros países!

    • João says:

      Isso isso!!!
      ISSO foi a pergunta mais importante de todas… Cheira-me que alguém tem os bolsos já bem “untados” graças a este estudo.
      É fantástica? querem usar? Então façam lá bem longe, noutro país qualquer!!!

      Nos por cá ainda andamos a ver se nos livramos a ********** de Almaraz (sim, porque aquilo é tão bom e os espanhóis são tão nossos amigos que, por mera preocupação, vieram por aquilo aqui, pertinho da fronteira)

      • José Fonseca Amadeu says:

        Tens em França em Dinamarca com fartura, basta um bom desastre e uns ventos favoraveis, vai dar ao mesmo do que estar no teu quintal.

  2. Cláudio Andrade says:

    a energia nuclear não dá para meter milhões no bolso.. por isso vamos ás barragens que rendem mais

  3. boa memoria says:

    A energia nuclear cria resíduos que são guardados em minas a centenas de metros de profundidade e que são reactivos durante centenas ou milhares de anos. É o oposto de sustentabilidade,

    • André S. L. says:

      Isso acontece porque infelizmente existe muita gente a gritar “Nuclear não!” sem entender que o nuclear faz sentido, após evoluir a tecnologia.
      Continuamos a usar a mesma tecnologia que existia nos anos 60 com pouquissimas melhorias.

      Resumindo “Nuclear Sim!”, mas é necessário desenvolver esta tecnologia.

    • Carlos Fernandes says:

      Concordo plenamente, a energia nuclear é “verde” na emissão de CO₂. No entanto, os resíduos radioativos ainda não têm uma solução sustentável (tal e qual as baterias dos novos carros elétricos).
      Isto causa dois problemas: 1 o ambiental, pois ainda não existe forma de eliminar a radioatividade e em 2 o perigo do uso dos resíduos para a criação de “bombas sujas” por parte de grupos terroristas.

  4. Miguel Bastos says:

    Nuclear não! Obrigado!

  5. Sardinha Enlatada says:

    Era o que ia dizer nuclear nao me parece ser uma energia amiga do ambiente e das pessoas, principalmente das pessoas. Mas hoje em dia eles conseguem tudo. Basta repetir varias vezes a mesma coisa que ja e vista como verdade. Isso funcionou para o caso do virus e vai funcionar para muitas outras coisas. Nao ha como parar estes terroristas.

  6. Luis Henrique Silva says:

    Nahh Eu não confio nisso nem um pouco, tudo é muito bonito, mas lixo radioativo, problemas que possam de vir de fugas de reator explosões….não…..

    • José Fonseca Amadeu says:

      O teu comentário diz tudo o que é preciso dizer sobre quem é contra o nuclear.
      Chama-se ignorância de ponta.
      Então as explosões… lol

      • wq says:

        ? Não há lixo radioativo? Não houve fugas de centrais? Nunca houve explosões de reactores? Isso é negação ou memória curta?
        Os problemas ocorreram, muitas pessoas morreram, milhões de pessoas tiveram que sair de suas casas e ir viver para outro lado, e ninguém sabe o que fazer com o lixo nuclear pois ninguém sabe como armazenamento-lo de forma segura para não se transformar num pesadelo no futuro… Já hoje se está a tentar resolver os problemas criados pela forma como o lixo de décadas anteriores foi armazenado!

        • José Fonseca Amadeu says:

          Tanta asneira junta.

          Lixo? Há sim, e existem procedimentos para o mesmo ter 0 impacto, com o investimento certo e até daria para ser reutilizado.
          Fugas? Claro, existiram, contam-se pelos dedos e basta ver o ano de construção dos reactores..
          Explosões? Nucleares nunca houve nenhuma, existiu uma explosão em chernobyl causada por pressão acumulada, foi só vapor.

          Se fores somar quantas pessoas tiveram que ser realocadas em todos os acidentes nucleares, não chega sequer a 200.000 pessoas, mortes, dficilmente passou das 3.000.
          Sabem bem o que fazer com os acidentes, chama-se sarcofago e já bem demonstrado em fukushima, que só assim por acaso era de 1967.
          Problemas do nuclear são unica e exclusivamente terem sido começados a ser utilizados antes de se dominar.

          • wq says:

            deves ter inventado uma nova física porque não há como ter impacto 0 em reacções de fissão… lixo será sempre radioactivo por muitos e muitos anos! De modo que vamos assumir que te “enganaste”!
            fugas, contam-se pelos dedos!? Memória selectiva, ou será que estás apenas a falar de Almaraz?
            Nunca houve explosões de reactores? Claramente alguém decidiu não chamar explosão a uma explosão. Vamos nos esquecer da libertação de material radioactivo por causa das explosões e fogos que se seguiram??? Enfimmmm… alguém que acha que vida é poder vir ter uma zona inabitável!

      • Backonline says:

        Nop, as pessoas pessam em explosões tipo bombas atómicas, isso é impossível o que acontece é o reator derreter por falta de arrefecimento e acaba por libertar radioactividade para o ambiente até uma distância de x km. Como aconteceu na Rússia e no Japão.

        • wq says:

          obviamente continuam a ser explosões!
          ” arrebentação súbita, violenta e ruidosa provocada pela libertação de um gás ou pela expansão repentina de um corpo sólido, que, no processo, se faz em pedaços”

          • José Fonseca Amadeu says:

            Muito pior é uma explosão numa fabrica de pirotecnia e todos anos acontece por cá.
            A explosão não é do reactor, como tal não é uma explosão significativa, são explosõs por acumulação de pressão, não passa de vapor.

          • José Fonseca Amadeu says:

            E só aconteceu uma vez na historia.

          • wq says:

            José Fonseca Amadeu, melhor investigares o que é que constitui um reactor, em que parte dele se deu a explosão, assim como investigar o material radioactivo que foi libertado na explosão e com os fogos que se seguiram.
            E não, não aconteceu apenas uma vez na história!

  7. Don Lae says:

    As estatísticas demonstram claramente que a energia nuclear é uma das energias mais seguras para a vida humana, e é a que emite menos gás de efeito de estufa (basta visitar o OurWorldInData). Apenas a ridícula sobre-exposição dos seus riscos (e a praticamente inexistente exposição do muito maior número de mortes vindo do carvão, petróleo, gás natural, madeira, etc) do bem-intencionado, mas errado nesta questão “lóbbi verde” tem impedido a disseminação dessa informação.

    Precisamos de energia nuclear para um futuro sustentável e verde! A energia nuclear tem salvo vidas ao substituir outros combustíveis fósseis, e o facto de poder produzir tanta energia sem poluir torna-a a ainda a maior mais valia nestas próximas décadas. O seu maior preço hoje é também devido ao completamente injustificado medo gerado por incidentes altamente mediatizados. Quanto aos resíduos nucleares, basta reciclá-los.

    Enquanto na Alemanha morrem muitas pessoas com carvão e gás a preços ridículos, na França há muitas pessoas salvas, e que têm contas de eletricidade muito menores.

    • André S. L. says:

      Apesar de concordar com uma parte do que dizes saliento dois aspetos:
      – é preciso evoluir a tecnologia nuclear, a atual é demasiado antiga e sofreu décadas de desinvestimento.

      – “Enquanto na Alemanha morrem muitas pessoas com carvão e gás a preços ridículos” isto é simplesmente uma mentira descarada.

      • Don Lae says:

        “isto é simplesmente uma mentira descarada.”

        É sim verdade: https://www.nber.org/papers/w26598

        Desde o incidente do Fukushima em 2011, que aconteceu devido a uma combinação de má gestão e os efeitos do tsunami, a Alemanha fechou centrais nucleares, e na sua tentativa de tornar o fornecimento de energia mais seguro com principalmente CARVÃO provocou 1.100 mortes adicionais todos os anos por poluição do ar, ou mais 3 mortes desnecessárias todos os dias.

    • Don Lae says:

      E atenção que isso não significa que devemos prescindir de energia solar, hídrica, do vento, hidrogénio, etc, claro que não! Eles têm caído muito em preço, e só graças a isso têm se tornado cada vez mais viáveis para uso maciço. A energia solar, hídrica e do vento, em particular, além disso, têm tido taxas de mortalidade algo inferiores à nuclear, e obviamente também são bem limpas, mas um pouco menos que a nuclear.

      Mas um futuro sustentável, abundante E barato É SIM possível, e isso apenas atinge-se JUNTANDO as energias renováveis atualmente presentes com muito maior investimento em energia nuclear. Deixem-se de medos e olhem para os dados, em vez das manchetes!

    • Carlos Fernandes says:

      ok, então como reciclas os resíduos?

  8. Sardinha Enlatada says:

    Comecou a festa, primeiro falam de criptomoedas e toca toda a genter a minerar. Agora falam de energia nuclear e de relatorios disto e daquilo beneficos, eles sao uns autenticos vendedores. Mas eu e que nao compro nada. Energia nuclear, estou fora. Daqui por uns tempos vamos comecar a ver mais noticias sobre a energia nuclear. Nao ha paciencia para estes truques sujos so para imporem a vontade deles.

    • André S. L. says:

      Hora de meter o chapéu…

    • FAR says:

      Mais depressa atribuiria esta mudança de atitude em resposta (antevisão?) à realidade da mobilidade elétrica a que estamos a assistir – veículos eléctricos.

      As pessoas, por norma, são a favor do que é “verde” e começam a surgir preocupações com o tipo de energia que se usa em casa – passar do gás para a eletricidade, por questões de saúde.

      Esta transição, a existir, irá causar um aumento significativo do consumo de eletricidade, à medida que outras energias se tornam obsoletas e a energia nuclear é, até ao momento, uma das fontes capaz de dar resposta a este aumento.

      Também gostava que já estivéssemos na erada extração de energia de matéria negra, ou criação de partículas exóticas (ou algo similar, não sou especialista) que supostamente são “verdes”, mas ainda não chegámos lá.

  9. Pedro V says:

    Nem com o exemplo de Fukushima desistimos destas loucuras.
    O ser humano não consegue controlar a natureza. Imprevistos podem suceder-se a qualquer momento em qualquer lugar. Neste caso, não adianta mesmo chorar depois do leite derramado.

    • José Fonseca Amadeu says:

      Claro, vamos preocuparmo-nos com uma central construída em 1967. O único problema do nuclear é o desinvestimento.
      Não fosse por isso já não existia carvão e até os carros já tinham mini reactores praticamente inesgotáveis.

      • Pedro V says:

        Qual foi a causa do desastre de Fukushima?

        • Don Lae says:

          Utilização de reactor na área errada, tornando-o vulnerável ao vazamento radioactivo.

          Mais importantemente, tens empatia com o muito maior número de mortes por carvão, gás natural, petróleo e madeira pelo mundo fora e ao longo das décadas? Ou eles são menos importantes ou não existem por não serem tão mediatizados? Sabes que o nuclear é quase tão seguro para a vida humana como a energia éolica, solar e hídrica, um pouco menos poluente, IMENSAMENTE mais escalável, e usa muito menos espaço? E isto apesar de décadas de desinvestimento, contrário a essas energias renováveis?

          • Pedro V says:

            A melhor energia por nós produzida é a energia poupada, consumo não desperdiçado. Os moldes em que vivemos obriga a um consumo excessivo e escusado de energia. A simples máxima de produzir local e consumir local faz uma diferença tremenda.
            Criámos um monstro e agora não sabemos bem como manter-lhe o alimento necessário.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Tsunami.

        • BC says:

          Não foi o tsunami, ao contrário do que pensas, mas sim a enorme má gestão de controlo da central devido ao que aconteceu. O tal desinvestimento que o José falou.
          Devias ler mais e espreitar uns documentários sobre isto.

  10. Carlos Santos says:

    A energia nuclar é a mais eficiente, estavel, limpa e segura.
    De longe para todas as outras.

    Finalmente isto é reconhecido.

  11. LF says:

    Estima-se que as operações de limpeza e descomissionamento da central de Fukushima demorem entre 300 a 40 anos, com um custo total para as operações de limpeza entre 400 mil milhões de euros a 550 mil milhões de euros.
    Níveis de radiação acima dos limites detetados a mais de 60 km e 155 mil pessoas evacuadas.
    Em 2016 a União Europeia estimou que os fundos europeus para o descomissionamento do fim de vida destas centrais estejam 118 mil milhões de euros abaixo do necessário. Quem vai pagar isto? Os contribuintes.

    • wq says:

      o nuclear sai caro, e a regra tem sido gastar ainda mais do que as previsões.
      E ainda há quem diga que seria boa ideia Portugal ter um reactor, um país sem qualquer empresa com experiência para construir e manter reactores, levando a pagar “biliões” ao estrangeiro.

      • Miguel says:

        Pois, mais vale continuar a fazer o que sempre fizemos. Está visto que resulta e não é preciso inovar ou fazer diferente.
        Hummm… E o petróleo, gás natural,…? Vem de onde?

        • wq says:

          Tanto quanto eu sei o país tem investido em fontes de energia renováveis em alternativa ao petróleo e até gás natural… uma das razões é reduzir o défice comercial – pagar menos ao estrangeiro!!!!!!

  12. Flavio Ribeiro says:

    O residos nucleares seram enviados para Marte, assim ja passa a ser verde na terra, eu consigo vejo as vantagens do nuclear o problema sao os SE’s que ainda nao tem resposta!

  13. Atento says:

    Concordo.
    Nuclear (centrais de última geração) e hidrogénio complementam-se e são amigas do ambiente.
    O problema dos resíduos pode ser colmatado com o armazenamento profundidades.

    • wq says:

      lol!!!!! Sempre a mesma ideia mas ainda ninguém o fez, continuam com soluções provisórias… A razão é simples, ninguém faz ideia como assegurar que durante os milhares de anos de armazenamento esse lixo não acaba por se infiltrar no ciclo da água… é um problema de tentar armazenar grandes quantidades num único local… e isto sem falar nos custos gigantescos para tentar construir algo minimamente seguro.

  14. robin says:

    Mudam-se os tempos … mudam-se as vontades antigamente era a má da fita agora é boa. como alguem tem de fazer o mau papel, passaram a ser os carros movidos a combustiveis fosseis.

  15. Samuel MG says:

    Nuclear só de Fusão é sustentavel enquanto o de Fissão não o é 🙁

    • Redin says:

      Se não estou errado, a técnica que o Bill Gates está a querer desenvolver e que foi parada pela administração Trump, usa os resíduos já existentes para a produção de energia.

    • Luis M says:

      a fusão nuclear será provavelmente o futuro, quando conseguirem dominar toda a ciência envolvida, e não há o ploblema do lixo radioativo. Mas isso ainda está longe de ser conseguido, pelo menos em larga escala. Os Chineses já fizeram grandes avanços nesse campo.

  16. Redin says:

    Embora eu tenha as minhas reservas, estão em processo técnicas de armazenamento que poderão ser aqui explicadas.
    https://www.facebook.com/watch/?v=794248581491651

  17. Hélder Lemos says:

    Para quem pensa que as energias renováveis são um mar de rosas, procurem: “wind turbines blades recycling”.
    Se querem entender um pouco sobre energia nuclear e tirarem as vossas conclusões, em vez de se basearem no que ouvem dizer, este professor tem uma serie de vídeos interessantes : https://www.youtube.com/channel/UCKH_iLhhkTyt8Dk4dmeCQ9w

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.