Quantcast
PplWare Mobile

Cientistas preocupados com ‘zona morta’ no oceano

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. jorge santos says:

    Começou!
    Agora não há nada a fazer.

    • Vasco says:

      Ainda podemos tentar fazer algo para diminuir o ritmo de destruição do planeta, porque parar será muito difícil, e reparar os danos só estará ao alcance de futuras gerações, caso a nossa civilização sobreviva. Mas, mesmo para diminuir o ritmo de destruição actual, será necessária uma massa crítica de pessoas muito maior do que a actualmente existente. Normalmente a mente humana funciona através de dois estímulos: o prazer e a dor. Talvez comecemos a mudar, não por de facto resolvermos alterar o nosso estilo de vida (algo que esmagadoramente não queremos), mas quando apenas as evidências forem demasiado fortes e a realidade se impuser por si própria. Se nada fizermos, nos próximos anos veremos certamente o preço de bens essenciais como a alimentação e a água aumentar bastante, e a respectiva qualidade a diminuir na mesma proporção. Depois tornar-se-ão mais difíceis de obter, à medida que os rendimentos das pessoas deixarem de ser suficientes para adquirir bens básicos essenciais para a sobrevivência, dado que se tornarão mais escassos. Entretanto o padrão civilizacional que caracteriza a modernidade entrará ele também em colapso, sendo substituído por regimes cada vez mais autoritários (em épocas de desespero as pessoas tendem a seguir líderes autoritários). Pode ser que subsistam pequenos nichos de tecnologia e liberdade que consigam sobreviver a uma época global de obscurantismo, brutalidade e de pura satisfação de instintos básicos. Adeus arte, adeus sistemas de saúde universais, adeus logística, ciência e tecnologia para a maior parte da população da Terra: Estamos a destruir a um ritmo tão acelerado o nosso próprio mundo que será difícil criar à velocidade suficiente inovações que permitam inverter o descalabro em tempo útil. (numa abordagem mais “filosófica”: somos apenas mais uma espécie que acabará por desaparecer se não mudarmos. A natureza é implacável em relação a isso.)

    • Miguel says:

      Nunca houve.

  2. Samuel MG says:

    Próxima paragem!! Era glaciar

  3. Godlike says:

    As alterações climáticas são naturais devido aos ciclos do sol, não é causa humana, mas como tudo é distorcido para extorquir dinheiro ao povo e facilitar os branqueamentos de capital, para alguns.

    • Godlike says:

      E os escravos brigam entre si para continuar escravos, como esta pandemia bem veio demonstrar.
      Oh santa ironia! Seria cómico senão fosse tão trágico!

    • Estradiol says:

      De “God” só mesmo no Nick… é preocupante ver entre jovens a quantidade de negacionistas que existem, para vocês o importante é jogar, consumir, festanças e viver bem. “Alguém” há-de resolver o problema, “se sempre se resolveu…”.

      “Sempre houve vulcões”: pois, então vamos ajudar a mãe natureza a poluir mais e ver se voltamos a ter uma catástrofe planetária mais rápido, talvez uns extraterrestres vejam que uma vez desapareceram os dinossauros, de outra os humanos;

      “Ah vendem o CO2, continuam a poluir e até há uma centena de anos também se poluía”: ah sr. proprietário, o antigo inquilino sujava o apartamento todo? Então vou fazer o mesmo e sujar também, ajudar a ver se o apartamento se estraga ainda mais rápido… bonita lógica sim sr.

      “Ah a terra é quadrada e os ciclos de sol faziam milhares de barcos a diesel rasca e milhões de carros lançarem CO2 e NOx? A culpa é óbvio é de quem fez o sistema solar, portanto vou continuar os meus jogos nas 2 consolas e campeonato online, isso é que é melhor. O meu YouTuber favorito disse que a culpa é do sol, e ele é que sabe”: gente sabia……………….

  4. says:

    Basta um ou dois dos grandes vulcões que estão submersos no chamado circulo de Fogo do Pacífico e toda esta treta das alterações climáticas acontece mas pela mão da natureza a uma escala que nem se atrevem agora a dizer que pode acontecer… é como a taxa do Carbono… pagando já se pode , se os Grandes Países não cumprirem … ok avisamos de novo para cumprirem … Ai o gelo do Artico está a derreter vai ficar tudo inundado… vejam fotos da altura da 2ª guerra mundial , em PLENO Verão submarinos alemães fotografados e em Pose a passar nos locais SEM GELO onde no inverno é so gelo… Tretas Tretas e mais Tretas em que estamos Mergulhados

    • Estradiol says:

      Anda muito bem informado sim sr., no seu caso (negacionista da mudança climática) no caso dos negacionistas do covid, só posso aconselhar-vos uma viagem aos campos de “fraking” de petróleo e enquanto estiverem por lá, dêem uns abraços e beijinhos, e comprem um cérebro na loja de recordações. Saem de lá muito melhor….

      • Zé Fonseca A. says:

        Já tive em algumas plataformas e tirando o pessoal operario que anda coberto de nojo (tal como um mecanico ou um operario em heavy industry) fazes uma vida completamente normal, dormes, comes, vais ao ginasio, vais ao cinema (algumas têm salas de cinema proprias), o dia a dia normal, apenas no meio do oceano.

      • Miguel says:

        Não há negacionistas das alterações climáticas, há sim da sua origem e causas.
        Alterações climáticas são normais á milhões de anos, e para quem nem sequer sabe a origem de uma pandemia andam muito confiantes nas origens do “tempo”.

  5. Aturdido says:

    É só especialistas! Ele é no covid, nas alterações climáticas e sei lá mais o quê!
    Não sei onde este pessoal vai tirar os cursos mas fico aturdido com tanta sabedoria!…

  6. DOMINGOS RIBEIRO VELOSO says:

    Problema 1 – Excesso de população;
    Problema 2 – Alimentação da mesma população;
    Problema 3 – Criação de infraestruturas (cidades, construção, ….) para a população;
    Problema 4 – Destruição do ambiente (florestas, cursos de água, campos de cultivo …;
    Problema 5 – Economia, lógica do crescimento, lucro, mais valias, mais vendas …;
    Problema 6 – Limite do planeta.
    Ainda há mais…

    • Estradiol says:

      O problema não é excesso de população no geral, é haver excesso exactamente nos países menos conscientes e mais poluentes;

      outro problema não é o da alimentação de excesso de população, é haver uma parte da população que come e consome 10x mais do que devia (norte-americanos por exemplo) e outros em extrema pobreza (África);

      Outro problema é que para 0,00001% da população serem hiper ricos, fazem que os restantes usem meios Ultra poluentes, em vez de cortarem os lucros para apenas milhões e usarem energias ou transportes limpos. Entre estas muitas mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.