PplWare Mobile

Portugal: já se vendem mais carros elétricos do que a gasóleo

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Rui says:

    Simplesmente logico. Se a pessoa faz km para justificar um diesel. Significa que justifica ainda mais um elétrico.

    • Mf3rRo says:

      Sim, todos temos 30.000€ para comprar um electrico para justificar os kms feitos… zzzzzz

      • RC says:

        E 30 mil para diesel, já têm?

        • jão says:

          tens diesel que não chegam a 30 mil 🙂

          • RC says:

            E também tem eléctricos, nem só teslas sao carros eléctricos.

          • Pedro says:

            Dacia Spring
            300km de autonomia
            20.400€

          • Mf3rRo says:

            o mais barato é da citroen 8.500€ sem extras com autonomia de 75km… RC, nao digas baboseiras sff…e electricos em segunda mão, talvez daqui a um ano ou dois…

          • PeterJust says:

            300km com uma bateria de 26KW!!! Facilmente um carro elétrico a 130 gasta 26kw aos 100, portanto em AE terá 100km de autonomia. Em cidade/nacional pode fazer 15kw a andar devagarinho… para fazer 300, tem de fazer 8,5kw aos 100!!! Boa sorte… é como dizer que um carro a gasóleo pode fazer consumos de 2 litros/100… Se for sempre a descer até faz menos…

          • RC says:

            Um ano ou 2 porquê, não tenho nenhum que tenha comprado, já deu por isso que eles andam por aí há 12 anos , até tenho um com 24 anos.

          • RC says:

            Facilmente gasta 26 kw ? Sim se for um prosche, um tesla model s plaid.

            Estamos a falar de um dacia, que bem gerido faz 8 kWh por 100 kms, 300 kms também é otimista o real anda entre os 200 e 250 .

          • Yamahia says:

            Só o Taycan e o Plaid? Era bom era. Então e os outros? os SUV’s então não há nenhum que escape a essas médias nas AE. Muitos até as ultrapassam vergonhosamente e não é preciso ir a puxar. Basta o zonzoar dos 120.

          • PeterJust says:

            A 130 kmh nenhum elétrico faz menos de 20kw, até te digo que os Tesla são dos mais eficazes porque usam motores mais avançados, de resto podes correr e saltar, a Dacia usa a mesma tecnologia dos outros Renault e de quase todos os EV atualmente, e simplesmente não faz milagres, e a 130 irá fazer 25kw ou mais. Em relação aos 8 “bem geridos” é como disse, a descer até faz menos, aliás a descer nem gasta, carrega, faz consumos negativos! Mas vamos passar à análise técnica, os dados oficiais da Dacia no ciclo WLTP nas melhores condições possíveis a 30km/h são 11,7Kw e tu achas que bem gerido consegues menos um terço! Piada só pode. Já agora a 110kmh(não tem mais) os consumos oficiais WLTP nas melhores condições possíveis é 17.6Kwh, a 130 é garantido que não fica a menos de 22-24kw, estão no site da Dacia os valores de autonomia e é só fazer as continhas, mas o consumo é semelhante em todos os elétricos, variam apenas no peso e baterias maiores e carros maiores gastam ligeiramente mais, no resto não há milagres, nem da Dacia nem da Tesla nem de ninguém, é o que é.

          • RC says:

            Os suv’s ? ou o suv’s convertido ?

            Não é preciso ir puxar, basta ir para a A4. LOL

          • RC says:

            A 130 kmh não faz porque não chega lá.

            O spring não é carro para andar em AE, e se andar tem de andar à velocidades dos camiões.

      • Nuno says:

        Sim porque carros a gasoleo são baratíssimos ahahah

      • Joao miguel says:

        Ainda se vendem carros a gasoleo em portugal? Sinceramente tenham do! Ja praticamente so se vendem eletricos, quem não os compra não devia circular nos centros urbanos

      • António says:

        Acho que ninguém é obrigado a comprar um eletrico, por enquanto ainda não temos zonas de emissões 0.ou seja o que vemos é que há mais pessoas a acharque um carro eletrico é uma melhor opção d que um carro a diesel, sendo que essa é uma tendência que se irá acentuar, com o tempo provavelmente entre finalde 2024e o anode 2025, os veiculos eletricos irão dominar as vendas automovei
        Já falta pouco para verv

        • Yamahia says:

          Enquanto existirem verbas astronómicas do ISP a poderem ser transferidas para o sector eleKtro podes contar com isso. . Qd os carros a combustão deixarem de ter um peso significativo essa prática deixaá de ser viável e acredita que se acaba a mama. Então então essas pessoas irão perceber que afinal mais valia terem ficado quietas.

          • JL says:

            Para onde iam antes de 2012 essas verbas ?

            Curioso, porque este ano ainda nem sequer existe confirmação das ajudas, ainda nem sequer foram anunciadas, como explica que como assim se venderam muito mais que no ano passado ?

          • Antonio says:

            Resumindo quem está a comprar eletricos são uns idiotas, ou seja estão todos enganados. Não importa que os eletricos sejam caros estarem apenas ao alcance de alguns previligiados e qualificados, pense bem, pois se calhar não estao todos erradose quem compra eletricos, é capaz de ter motivo racionais para o fazer e para deixar os diesel de lado

          • Yamahia says:

            Os principais motivos racionais, é não pagar IVA, não pagar ISV, não pagar AE 2CLASS, não pagar estacionamento, deduzir à colecta, afiambrar-se ao subsídio sobre aquisição, afiambrar-se aos subsídios que permitem a o kWh a preços contidos (por enquanto).
            Vender passado um ano por um valor superior no mercado de usados e voltar ao ciclo iicial.
            (Por acaso alguns desses chico espertos que compraram até DEZ de 2022 ferraram-se um pouco agora com a baixa de preços da Tesla em novo eheh)

            Vamos lá a ver o que diz o Timmermans. Pode ser que se ferrem todos lool

          • Yamahia says:

            @JL, cruzeiros elétricos? Vc deve pensar que aqueles navios são tipo as faluas do Tejo, não? lool

          • JL says:

            Errado:

            Paga iva sim, apenas as empresas conseguem deduzir.

            Não pagar isv é normal, compre um carro com baixas emissões, seja ele qual for e não paga, compre um a hidrogénio, está incluído. LOL

            Não pagar A2 Class ? mais uma invenção sua, paga portagem tal e qual, o suposto desconto de 70 ou 75% não existe.

            Não pagar estacionamento ? mais outra mentira, pagam sim, menos mas pagam. No caso de Lisboa têm de ter o selo da emel que custa 12 euros.

            Não existe nenhuma dedução à coleta especial para estes, mais uma invenção sua.

            Coisa que você também usufrui, e mais ainda nos descontos nos combustíveis, curioso porque ainda mantêm nos combustíveis e no caso da eletricidade já começaram a pagar as taxas mibel.

            Pois, vamos ver o que diz o Timmermans, depois até os combustíveis sintéticos e hidrogénio vão de vela, mas o que é suposto é acontecer o contrário, tal como já está a acontecer na Noruega, carregarem mais nos impostos dos a combustão.

          • JL says:

            Cruzeiros ? quem falou em cruzeiros ?

          • Yamahia says:

            @JL
            Parecem-lhe barcos elétricos?
            https://1drv.ms/i/s!AvwLJVpLF7bcq9ZbTI3UEpzDZ1NvfQ?e=6CcyZX
            Só se aquelas chaminés forem para expelir os gases de uma qq central termoelétrica a carvão lool.
            São cruzeiros ro-ro que levam carros, excepto carros eléctricos, eheh

          • Yamahia says:

            Ahh há pouco esqueci-me. Há mais um motivo racional para comprar um eléctrico; O não pagar IUC eheh

            E são principalmente as empresas que os compram novos por isso deduzem tudo o que disse.
            Bom negócio à conta dos otários que depois os compram usados mais caros do que custaram novos eheh

          • JL says:

            Esses podem não ser, mas essa empresa tem ferrys eléctricos.

            Porque havia de pagar iuc ? Como calcula iuc para um carro sem emissões.

            Enfim.

            Errado, a distribuição anda à volta dos 50 % / 50%; ja por aí tivemos uma notícia com isso.

            Nao compre, alguém o obriga.

            Compre antes a hidrogénio, ah espere, afinal têm os mesmos problemas. Loool

          • JL says:

            Afinal sempre são eléctricos, se fizer zoom vê que não são as tradicionais chaminés. São navios híbridos com motores a gás. A bateria é de 6.1 MWh, equivalente a 600 teslas.

            https://www.ship-technology.com/features/havila-capella-profiling-the-new-hybrid-ship/

          • Yamahia says:

            O IUC devia ser à Tonelada. Os eleKtros deviam pagar o dobro do IUC pq dão cabo das estradas.
            Em Lisboa deviam ser proibidos de circular nos locais com o sinal de “transito proibido a pesados”

          • Yamahia says:

            Esses navios não são eléctricos.
            Segundo a empresa usam uma bateria auxiliar e o seu principal combustível de propulsão é o gás. Com isso permite reduzir 15% as emissões comparativamente a um navio a Diesel.
            No mínimo será então um navio hibrido a gás ligeramente menos poluente que um tradicional.

          • JL says:

            Devia ? então são mais pesados que os camiões ? LOOOOOOL

            Esses navios são hibridos, não leu o artigo que mandei ?

            Permitem ter 4 horas de autonomia quando circulam junto à costa.

  2. Francisco Teixeira says:

    Grande novidade.
    Há marcas que já nem vendem carros a gasóleo.

    • David Guerreiro says:

      Aí está. É cada vez mais difícil conseguir um carro ligeiro de passageiros a gasóleo novo. E mesmo carros a gasolina também, a maioria agora são híbridos.

    • Grunho says:

      Mesmo assim os que ainda circulam continuam a usufruir de combustível fiscalmente subsidiado, logo, à pala dos consumidores de gasolina. Alguns, como o 730d matriculado antes de julho/2006 até beneficia de IUC mais baixo que o de um megane a gasolina matriculado mesmo dia. Sem filtro de partículas! Este país não existe.

      • Yamahia says:

        O 730d já pagou 10x + em forma de ISV que esse Megane em toda a sua vida útil.
        Antes de Jun de 2007, os carros eram taxados no ISV de forma ainda mais absurda. O q mudou dai para a frente foi q o ISV baixou uns milhares por unidade vendida e a receita esperada pelo Estado passou a ser debitada todos os anos sob a forma de IUC. Convém lembrar.

        Qt a ao gasóleo subsidiar a gasolina. Isso não é vdd. O que se verifica é que ambos os combustiveis são altamente penalizados com impostos, contribuindo todos os anos com ~ 11 mil milhões de € para a fazenda. Permitindo inúmeros devaneios entre os quais entregar apenas este ano 3 mil milhões de mão beijada ao sector eléctrico para conter o custo do kWh.

        Podemos afirmar isso sim e com toda a certeza q ambos os combustíveis financiam, e de que maneira, a ME.

        • RC says:

          Pois não, quem subsidia o gasóleo é a gasolina, e por isso é que temos os combustíveis caros.

          Ainda bem que houve, senão ainda pagava o combustível mais caro.

          • Yamahia says:

            De acordo com dados da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) em Fevereiro de 2023, o preço médio de referência do gasóleo para as refinarias em Portugal foi de cerca de 0,32 euros por litro, antes da inclusão de impostos e outros encargos. No entanto chega ao consumidor a ~1,50€

            Por curiosidade e comparação o da gasolina foi tb em Fevereiro de 2023 de cerca de 0,43 euros por litro, antes da inclusão de impostos e outros encargos e chega ao consumidor a ~1,70€

            Voltando a quem subsidia quem… A electricidade é muitas x’s vendida ao consumidor final abaixo do custo na MIBEL.
            Creio não ser difícil perceber q o q subsidia esta brincadeira são os combustíveis. Tanto o gasóleo como a gasolina.

          • RC says:

            Que e isso do preço médio de referência ?

          • RC says:

            De acordo com a aperto o preço dos combustíveis sem impostos em Portugal no dia 6 de Marco de 2013 é de :

            Gasóleo: 0.903
            Gasolina:0.854
            Gpl: 0.557

            Afinal quem está a mentir ? Ou o governo anda a meter subsídios ? Lol

            https://www.apetro.pt/estatisticas-e-estudos/precos/1636

          • Yamahia says:

            A culpa é das margens e eventualmente dos transportes!!! loolool

          • RC says:

            Então ? queria que trabalhassem para aquecer ?

            Não, a percentagem para essa parte é ridícula.

        • Grunho says:

          Não interessa se ambos os combustíveis são penalizados com impostos altos ou baixos, interessa é que não são iguais. Não é o mesmo imposto. Uns pagam mais para outros pagarem menos. E os que pagam menos são os que poluem mais. Portanto, para quem tem carro a gasolina o inimigo é aquele que tem carro a gasóleo.

  3. Mário says:

    Não acredito. Por um lado é impossivel acabar com todos.
    Vão dizer ás forças de segurança, bombeiros por exemplo se andarem com camiões a bateria para apagar incendios, ou ambulancias que antes de uma emergencia vão ter de carregar… Não faz qualquer tipo de sentido.
    Que me digam que um elétrico para mobilidade urbana é o melhor, aceito.
    Para fazer longos quilómetros de autoestrada, não acredito. Conheço vendedores de uma sobeja marca de produtos lacteos a nivel nacional que se queixam de passarem mais tempo a carregar os carros do que a visitar clientes…

    • Realista says:

      Como tudo na vida, nenhuma opção é solução 100% perfeita e cada caso é um caso.

      • Antonio says:

        Sim, cada um deverá escolher o que melhor se adapta as suas necssidade e aspirções,pessoalmente, acho que o eletrico vai dominar as vendas em breve, mas conheço muitas pessoasque teriam dificuldades em viver com um eletrico, mas parao final de 2024 ou em 2025, os carros a gasolina e diesel, quase que vão deixar de se vender já falta pouco para perceber se a minha previsão é corretaou errada

    • RC says:

      Quando tiverem mais autonomia, além disso podem usar outros recursos para produzir energia a bordo, e sem usar combustão.

    • Álvaro Campos says:

      No ano passado fui à Corsega de carro (já agora, é uma viagem bonita para quem gostar de rolar e andar de ferry) e na volta da Corsega para Toulon, havia um Tesla Model 3 PORTUGUÊS no ferry!
      A ideia que não se conseguem fazer grande viagens de elétrico não é verdadeira
      Aquele casal português, com uma criança de meses, estava a fazê-lo.
      Se planearmos muito bem a viagem consegue-se.
      Eu tive de o fazer e foi num carro com motor a combustão

      • Yamahia says:

        Qd o tempo n é obstáculo qq veiculo serve. Até a bicicleta a pedais. Provavelmente seguiam mais bici’s nesse ferry q Teslas. Pense lá bem …

    • Nuno says:

      obvio que nunca vao acabar e obvio que uma solução não dá para todos os cenários possíveis e imaginarios, uma pessoes que faça 2000 km por dia sem parar um eletrico nunca vai dar

      • Hugo says:

        2000 por dia? Looool

        • Yamahia says:

          Há malta que vem de Paris numa direta. É quase isso. Se vier da Suiça…ultrapassa.
          Qual é a duvida?

          • RC says:

            E fazem isso tos os dias, foi o que rapaz disse.

            Num eléctrico bom leva 20 a 22 horas,‘quanto a tempo a mais levará num a combustão ?

          • Yamahia says:

            A mais? lool
            Um elétrico “bom” se houver (que ainda não vi nenhum) leva ~10 horas a fazer 500 kms . Significa que para fazer Paris Lisboa iria levar ~35 horas.
            A combustão médio faz a festa em ~11 horas sem ser preciso entrar em conflito com a polícia.

          • RC says:

            Não viu ? Eu já vi muitos, em boas redes de carga ou na tesla fazem 1000 kms em menos de 10 horas. Procure nos vídeos do bjorn

            Portugal Paris, nao faz em menos de 18 horas, tenho um familiar que faz isso muitas vezes.

          • Yamahia says:

            Não faz?
            Não faz pq não quer. Eu para/de Almeria raramente faço mais de 6 horas e é mais de metade do caminho.
            Vá, se for para Paris, ponha lá 1 horita para uma refeição e + 5 minutos para 1 reabastecimento que não são precisos no trajecto de Almeria.

            Logo já me entretenho a ver os vídeos desse tal Bjorn 🙂

          • RC says:

            Fora as outras paragens para esticar pernas e ir ao wc.

            Além disso fora da pt duvido que tenha coragem de manter velocidade acima da máxima, lá não têm multas de brincar como cá.

          • Yamahia says:

            Esticar as pernas é qd abastecer e qd parar para almoçar. Já é mais que suficiente.
            Para Almeria não há necessidade de parar. Por x’s paro não para esticar as pernas mas sim pq em algum lugar do caminho há um motivo que me desperta interesse.

          • RC says:

            Almeria é já ali meu caro, só preciso de parar 2 vezes e no máximo 20 minutos de cada, ou então 40 minutos numa e 10 minutos noutra.

            Mas agora a sério, quando vai para lá, vai com pressa ? 1 hora da sua vida deve valer muito. LOL

          • Hugo says:

            Claro que ultrapassa, o que não falta por aí é malta a fazer mais de 2k km por dia Lol
            Assumindo que dormes 8h, são 16 horas a 125kmh. Tendo em conta que apanharás algumas curvas pelo caminho terás de te mandar pros 200 sempre que possível.

          • Hugo says:

            Paris a Lisboa em 11 horas? A brincar lol

    • David Guerreiro says:

      Há transportadoras com frotas de viaturas elétricas a fazerem muitos km todos os dias. Há padeiros a distribuir pão em viaturas elétricas. E muitos deles fazem muitos mais km do que uma viatura dos bombeiros. As viaturas de bombeiros e outros veículos vão ter de estar em prontidão, carregados, tal como agora sucede, têm sempre combustível no depósito, e não vão à bomba colocar gasóleo a caminho do incêndio…

      • blablaefactos says:

        Tps de carregamento em alturas de stress (assim como os particulares se nao tiverem condiçoes para carregamentos praticos) ! Nem td é tao facil na pratica, como numa sec a frt de um pc. É como as decisoes no terreno, na hora e em stress, nao tem nada a ver com “especialistas” a posteriori, com os dados todos, sentadinhos a beber um cafezinho, sem as agruras do tempo e com horas e horas de estudos e mais estudos, pa analisar e mesmo assim nunca chegam a um consenso. La chegaremos? Possivelmente, ate com outras opçoes, para certos nichos, mas atualmente nao ha condiçoes para massificaçao, calma la.

      • Yamahia says:

        Não há nada. O último express courrier que me parou há porta numa tipo transit disse que lhe dava para 140 kms…

    • VP says:

      Já vi um carro do INEM ligado à tomada no hospital de Santiago do Cacém.

  4. ze says:

    por mim, podem todos andar em elétricos, assim baixam os combustíveis

  5. Driver says:

    Qual a quota vendida a particulares? Seria interessante saber.
    É que o português médio, não tem poder de compra para os híbridos plug in ou elétricos.
    Claro que vamos ser forçados a comer os elétricos, é o peixe que nos vão colocar no prato; vai ter muitas espinhas e mesmo assim só alguns o vão comer.

    • RC says:

      O português médio não tem ? Que dados tem para afirmar isso ?

      Forçados ? Porquê? Também foi forçado a comprar um carro a gasolina com motor de injeção, ou um diesel com filtro de partículas ? O que se passa é exatamente o mesmo.

      • Barta says:

        Este tipo de comparação é de uma falácia total. Não se pode comoarar os preços de eletricos e combustão, nem no momento nem a longo prazo. Ainda porque os elétricos não são a solução para terminar com os motores a combustão, há outras opções mas não há é interesse.

        • RC says:

          Pois, não há interesse porque são ainda mais caras e a viabilidade é ainda menor.

        • David Guerreiro says:

          Há por aí muitos carros a combustão bem mais caros do que outros elétricos. Nem todos compram carrinhos de combustão de 15 mil.

          • Yamahia says:

            Pode ir buscar uma bela máquina quase nova lá fora. O Estado de PT foi obrigado a meter o rabo entre as pernas e a baixar o ISV e consequente IVA sobre a cilindrada e taxa deemissões dos carros importados usados.
            Com uma idade de 5 ou 6 aninhos já tem um desconto considerável nestas parcelas.
            Provavelmente é o que está a acontecer com os carros de maior cilindrada.
            Motores 1000cc a gasolina não vale a pena pq o ISV não ofende

      • jão says:

        RC, tu és fanatico do EV? qual é o teu problema com quem não têm EV?

        • RC says:

          Não, não sou fanático, sou um simples utilizador de ev.

          Não tenho problema nenhum, os outros é que devem ter problemas para andarem a inventar tanto.

          Eu quando não sei, pergunto.

          E você é fanático ?

      • freakonaleash says:

        Desculpe RC, até aprecio ler os seus comentários sobre este mundo dos BEV até quando bate nos malucos pelas chaminés com rodas, mas acho que por vezes exagera.
        Um Dacia Sandero não chega a 12000€ versão base, o Spring custa mais de 20000€. Aliás se puser mais 2000€ até trás um Sandero a GPL e note que em termos de volume de carro o Spring não se compara ao Sandero. Ninguém é forçado a nada, mas atualmente os BEV são para classe média alta ou para quem não se importe de pôr a corda ao pescoço com um empréstimo por causa de um carro desses. Um empréstimo por uma casa ainda vá, agora para me deslocar de A a B, nem pensar! Também leio bastante sobre mobilidade elétrica mas esta não é de todo para todas as carteiras!

        • RC says:

          Nem eu disse o contrário. Nem ninguém é forçado a comprar.

          Mas note que os dacia não são os carros mais vendidos em Portugal, isto a combustão, porque eléctricos até são.

    • Vagueante says:

      A maior parte das vendas é a empresas, quando acabarem as benesses fiscais e vão acabar (alguns países já acabaram), e as vendas dos eléctricos cai a pique.

      • RC says:

        Ah sim, então mostre lá números disso.

        Não, em nenhum acabou ainda, apenas reduziram, e vai acabar quando os preços se equipararem aos a combustão, já que o objetivo sempre foi esse.

        • Vagueante says:

          Por acaso tinha a ideia que ou a Noruega ou Dinamarca já tnham acabado com as benesses. Relativamente à percentagem de particulares vs empresas, na Europa (dados do ano passado), era superior as empresas, em Portugal gostava de saber os numeros, não encontrei, mas quase conheço algumas empresas que compram pelas benesses fiscais e o Tuga para essas coisas não perdoa…

          • RC says:

            Tal como compraram durante muitos anos a diesel, porque era o único combustível que era dedutível em sede de iva.

  6. xpto says:

    já nem falo num híbrido mas um híbrido plugin é considerado um carro eléctrico??!….quer um quer outro na maior parte do tempo andam com o motor a gasolina a trabalhar.

    O meu irmão trocou um diesel por um plugin a gasolina e está super arrependido, aumentou os custos mensais em cerca de 20 % e as revisões ainda está para ver como vai ser.

    • RC says:

      Não, é considerado um electrificado.

      É como ele o usa, se não o carregar provavelmente gasta mais gasolina.

    • Gonçalo says:

      Desculpa lá mas essa foi exatamente a troca que eu fiz e se o teu irmão aumentou os custos mensais ou é porque não sabe usar o carro ou porque não tem onde o carregar. Eu diminui os custos mensais em cerca de 100€ tinha um velhote a gasóleo gastava todos os meses 120€ em gasóleo a ir para o trabalho agora gasto 20 em eletricidade, faço 50km por dia (ir e vir do trabalho) que é a autonomia do carro vou e venho e chega praticamente vazia carrego em casa numa tomada normal não instalei nada porque é uma bateria pequena carrega durante a noite de manha esta pronto para outro dia (não tenho tarifa bi-horaria) fiz as contas com um contador só para o carro e bate sempre entre os 18€ e os 20€ depende das voltas ao fim de semana. Viagens grandes vou em hibrido ou a gasolina que também precisa de andar de vez em quando, e sinceramente duvido que alguém faça um investimentos destes para andar sempre a gasolina não faz sentido

      • xpto says:

        deve ser porque vives numa cidade (?) plana e com pouco transito….a autonomia das baterias de 12-15 kw num hibrido plug in é uma falácia, se numa cidade como Beja não duram nem 30 km nas voltas dentro da cidade, imagino numa grande cidade com colinas e no pára arranca.

        Quando quer passear e aqui isso significa sempre mais de 100 km, se passar dos 120 km/h nem esses 30km faz, portanto, gasta gasolina, mais e mais cara do que gastava antes com gasóleo pois tem de andar com o lastro das baterias descarregadas atrás.

      • blablaefactos says:

        Pois, mas nem tds o podem carregar em casa, com facilidade e tranquilidade!!! La esta o lado pratico. Cada um, sabera o que é melhor para si no momento. Nada de seitas, com fieis prosélitos.

  7. Driver says:

    Quanto custa um suv segmento C a gasolina? E mhev? E elétrico? É fazer o mesmo exercício para outros segmentos.
    É público o ordenado médio em Portugal. Tudo dito. Encerro.

  8. Flavius says:

    Hehe…se praticamente não há a venda carros a gasóleo, e normal se venderem mais os elétricos …

  9. Lucas says:

    As revisões e manutenção vão ser lindas nos eletricos.
    Já não há carros a gasóleo novos á venda é lógico q vendam menos.

    • RC says:

      Nao há ? Tem a certeza ?

      Realmente são lindas, daquelas bem mais baratas, a última que fiz no meu na marca foram 42 euros, as seguintes fiz eu e gastei 8 euros num filtro do ac.

      • Ban says:

        Posso saber que carro tem? Pois o meu foram 128 euros e uns cêntimos na marca e não levou nada.

      • Filipe says:

        Já agora, 42€ na marca em…?

        • RC says:

          No concessionário da marca.

        • Filipe says:

          Mas o filtro de AC deu a entender que foi você mesmo que o mudou, e não na concessionária. Um filtro de AC na origem pode custar 3/4x vez mais do que adquirido numa loja de peças.

          Apesar de não saber como cobram as concessionárias/mecânicos relativamente a updates, porque há updates que demoram horas (8,9…) – duvido que cobrem essas horas em mão de obra na sua totalidade – , quanto tempo foi a sua atualização?

          • RC says:

            Leia la outra vez, eu disse que a última que fiz paguei isso, na seguinte é que mudei eu.

            Atualizações de 9 horas ? Só se não sabem fazer, nenhuma atualizado leva mais de uma hora, e na fatura nem aparecem, pelo menos nunca paguei por isso, já que é do interesse da marca, também nunca vi nenhum a pagar.

            O tempo cobrado foi de 30 minutos, nem sei se esteve lá tanto tempo.

          • Filipe says:

            Não demora só se for nos EV, porque para já ainda não uma opinião. Já vi BMW a demorarem esse tempo, sem ser EV.

            Portanto, você pagou 42€ por meia hora para updates e apertos, correcto? Vamos assumir que apertos é coisa rápida, porque efetivamente o é, ainda para mais numa concessionária.

            Ou seja, pagou 42€ por meia hora em updates e apertos e com isso já vem dizer que as reparações/manutenções “realmente são lindas, daquelas bem mais baratas”. É uma falácia. A não ser que tenha uma carteira recheada. Mas também se tivesse não fazia as seguintes em casa. A mão-de-obra por hora nos EV são caríssimas. Podem ir +/- desde 90€ a 150€, pelo menos nas concessionárias. E isto são factos. Deixe vir manutenções ou reparações/trocas mais a sério e o preço dispara. E atenção, eu não sou fanboy nem de combustão nem de EV, até porque nem tenho €€ para comprar um.

          • Filipe says:

            *ainda não tenho uma opinião formada*

          • RC says:

            Errado, eu disse também filtro do ac.

            A mão de obra é cara quando mexem em alta tensão, que numa revisão nunca se aplica.

            Mesmo que seja mais cara, são operações bem mais rápidas e simples, é mais cara porque tiveram de ter formação para isso, só espero que a cobrem por terem profissionais formados, senão não valia a pena pagar mais.

            Sim, bem mais baratas, isso normalmente nem chega para o óleo que leva todos os anos e no meu caso se tivesse a combustão eram quase 3 vezes por ano.

          • RC says:

            Eu também não sou fanboy, sou um simples utilizador.

  10. Altertu says:

    A maior parte dos elétricos são comprados por Empresas por causa da redução de custos e mais valias

    • RC says:

      A sério ? Então mostre lá dados a comprovar isso.

      E os em segunda mão, também são ?

      • B@rão Vermelho says:

        @RC, então mostra lá onde ele esta a dizer alguma mentira?
        Os carros elétricos ainda não são para todos, lamento dizer mas é a realidade que temos.
        Depois há sempre pessoas que gastavam milhares de euros em combustíveis e agora apenas com 1€, fazem a vida igual.
        Eu também sou assim em relação ao Benfica, uma falta a meio do campo é penalti, sem sobra de duvida.
        Eu não sou contas os veículos elétricos bem pelo contrário, assim que tiver a casa pronta vais ser das primeiras compras. isto porque vou poder carregar em casa, mas vou continuar a ter carro a diesel.

        • RC says:

          Eu disse que era mentira?

          Por não ter como mostrar é que perguntei.

          Eu disse que era para todos ?

          Cada um escolhe o que entender, eu durante os primeiros anos também tive, depois vi que não usava, e se fosse preciso, alugava. Por isso vendi enquanto ainda valia dinheiro.

        • Mr. Y says:

          Encontrei este artigo:
          https ://www.razaoautomovel.com/noticias/vendas-particulares-empresas-eletricos-hibridos-europa-primeiro-trimestre-2022/

          São dados de 2022, portanto não sei se ainda reflete o momento actual.

          «No caso dos 100% elétricos, as vendas são (praticamente) equitativamente distribuídas por particulares e empresas — 49,8% e 50,2%, respetivamente —, apesar de estes serem o tipo de veículo eletrificado mais caro.»

          «O factor “incentivos” também pode ajudar a explicar o desequilíbrio visível entre particulares e empresas nos híbridos plug-in onde 69% das vendas são para empresas e apenas 31% são para particulares.»

          «Como comparação, basta constatar que na venda de veículos híbridos convencionais — que não precisam de ser ligados a um posto de carregamento — são os particulares que os compram em maior quantidade, absorvendo 58% do total das vendas. »

          «Por fim, entre os veículos equipados só com motor de combustão, as quotas entre empresas e particulares estão perfeitamente alinhadas com o mercado automóvel em geral, sendo de 54% para as empresas e 46% para particulares.»

  11. João Silva says:

    Não venham dizer que há crise… Á quantidade de carros que se vendem… Nunca vi tanto carro novo a circular na estrada e topo de gama… Inflação? Onde?

    • David Guerreiro says:

      Concordo. E só não se vendem mais porque não há disponíveis. Os stands de usados também vendem bem. Isto não está mal para todos, e ainda bem, felizmente não somos todos pobres e remediados.

  12. Infinity says:

    Pois, mas deve ter sido tudo para empresas, qual a percentagem de vendas a particulares?

  13. Só eu sei, porque não fico em casa! says:

    Isso tem uma explicação, os pobres estão a comprar menos carros, é normal devido à conjuntura actual.

  14. NoName says:

    Que seja essa malta as cobaias, eu estou feliz com dois carros a Gasóleo, não tenho que me preocupar em procurar carregadores ou andar a perder uma hora para “abastecer”. Além disso, o meu carro faz os mesmos kms com o depósito cheio do que fazia há 5 anos.

  15. Luís says:

    Esta brincadeira vai sobrecarregar a rede elétrica e o preço da energia vai ir para valores incrivelmente altos.
    A rede elétrica não tem capacidade para suportar tantos carros eléctricos como aqueles que são esperados. Já para não falar, como é que milhares de pessoas que vivem em apartamentos podem carregar os veículos em simultâneo? E numa estação de serviço, vão fazer fila pela autoestrada? Tudo isto é muito bonito enquanto os carros são a minoria.

  16. Luís says:

    Para aqueles iluminados que estão a criticar a meu comentário, só pergunto… sabem qual é o consumo em kW de um carregamento rápido de um carro elétrico? Pesquisem a realidade e depois comentem.

    • RC says:

      Eu sei, se você me disser qual é o carro.

      Mas você não sabe, já que refere consumo em KW, coisa que não existe, portanto nem tem a mínima noção do que está a dizer.

  17. Luís says:

    kW/h… Já vi que é entendido, então diga, a nossa rede suporta que 50% da população Portuguesa tenha carro elétrico?

    • RC says:

      Segundo os entendidos é preciso ter cuidado e fazer alterações quando se chegar aos 50%, coisa que duvido que aconteça antes de 2050.

      https://expresso.pt/economia/2022-02-08-com-130-milhoes-de-carros-eletricos-na-europa-em-2035-sera-que-a-rede-aguenta-

      • RC says:

        Não esquecer que os sistemas inteligentes, que já se usam em Portugal, podem minimizar os problemas, em minha casa já tenho um sistema desses, porque tenho contratados apenas 3.45kva, e assim mesmo que tenha o veiculo a carregar, a instalação nunca vai abaixo, mesmo ligando os aparelhos mais potentes.

    • PeterJust says:

      Neste momento não, porque simplesmente não precisa, quando precisar aumenta-se, esse argumento anti-EV é dos mais ridículos, nós já deitamos energia das eólicas “fora” porque não se consome a certas horas e ainda queria aumentar mais o suporte da rede porquê? Para desperdiçar mais ainda?

      • Yamahia says:

        Se deita fora aposte na geração de H2

        • RC says:

          Força, continuo a dizer, tal como já acontece, que essas 2 vertentes só ajudam a mobilidade BEV, já que é normal ver quem comprou FCEV’s a trocar rapidamente para bev’s.

          Além disso investir milhões para usar energia excedente não é viável em aplicações ineficientes.

        • PeterJust says:

          Outro argumento falacioso. Primeiro nem há carros a hidrogénio à venda e mesmo que os houvesse não existem postos de carregamento que são extremamente caros de implementar, a rede energética está montada e teoricamente pode colocar um posto de carregamento em cada poste de iluminação sem qualquer alteração na rede já implementada, segundo, um carro com célula de combustível é muito menos eficaz a transformar hidrogénio em relação a uma central, que lógica tem, ter uma central de transformação pouco eficaz, cara e complexa em cada carro quando podemos transformar o hidrogénio em centrais dedicadas e distribuir pela rede elétrica? terceiro, uma das grandes vantagens do hidrogénio era carregar o carro em minutos como os de combustível, mas esse era um problema dos primeiros elétricos (baratuchos), os novos já carregam a 200kw/h e até mais, em pouco tempo vamos ter carros a carregar em 5m autonomias de 200-300km portanto, quem é que vai apostar nos carros a hidrogénio? Quem quiser perder muito dinheiro, pergunte à Toyota como ficou a brincadeira. Conclusão: ou a tecnologia do hidrogénio auto tem alguma revolução completamente disruptiva ou já morreu ainda antes de nascer.

          • RC says:

            Muito bem, penso o mesmo.

            Aliás, a toyota em vendas tem sido uma lástima, já que depende da boa vontade dos governos e privados para lhes pagarem os postos ultra-caros depois abastecem meia dúzia de carros por dia e avariam ou ficam secos, já que a capacidade destes postos é ridícula, basta analisar algumas que existem já com quase 2 décadas onde a maioria dos postos ou estão avariados ou secos.

          • Ban says:

            A rede energética está montada e teoricamente pode por um posto de carregamento em cada poste? No interior do País já era bom se a rede fosse fiável, e não fosse abaixo a cada vez que puxam por ela.

          • RC says:

            Vai abaixo cada vez que puxam por ela ?

          • PeterJust says:

            Teoricamente podemos ter um posto de carga em cada poste, claro que vão existir casos excecionais que irão obrigar a alguma implementação mais aprofundada como é óbvio, mas isso são outras conversas.

  18. Yamahia says:

    Em relação aos carros a gasóleo. Seria interessante contabilizar os matriculados e não apenas as vendas em PT.
    Suspeito que grd parte da frota esteja a ser “renovada” com recurso à importaçao de semi-novos desde que o estado português foi obrigado a rever em baixa a sua política de cobrança de ISV+IVA sobre estas aquisições.

    • RC says:

      O que é um semi novo ?

      • Yamahia says:

        Até 5, 6 anos
        Só em 2021 foram importados 220 000 carros usados o que dá uma média de 18000/mês o que pulveriza os nrs dos BEV’s novos vendidos por mês. É preciso cuidado com as conclusões precipitadas sobretudo afirmar que o BEV já está a vender mais que o Diesel em PT.

        • RC says:

          E quantos bev foram importados ?

          • Yamahia says:

            Não há dados para BEV’s mas para ter uma ideia, usados BEV à venda rondam os 3% da oferta de usados em PT. Pelo que os importados deverão ter muito pouca expressão arrisco 1% de importados ~2200 unidades num ano.

            Carros a gasolina tb não devem ter grande expressão pq os 1000cc que devem ser a maioria pagam pouco imposto e portanto é preferível compra novo em PT.

          • RC says:

            Há poucos à venda porque a malta não os vende. 1% ??? Lol

            Há aí poucos em segunda mão há !!

        • RC says:

          Tem a certeza que as empresas compram carros com 5 e 6 anos .

  19. pdsermqq says:

    Muito patinho a cair na farsa do carro elétrico. Este mundo está perdido…

  20. Dani Silva says:

    A tecnologia a fazer o seu percurso natural.

    Inevitavelmente, o número de automóveis com motor de combustão será vestigial. É uma questão de tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.