Quantcast
PplWare Mobile

Mineração de moedas criptográficas na China poderá comprometer objetivos climáticos

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. dajosova says:

    Outla vez alloz !!!

  2. paulo says:

    sem rpoblema ! e dez vexz que estas empresas saem da china e vao para outro lado! ou outras aoparecem e fica mais descentralizado!

  3. Carlos Fernandes says:

    ..simples, basta que todos os bancos centrais indicarem que uma criptomoeda vale zero.

    • Miguel says:

      lol dizer já eles dizem a muito mas não valeu de nada, agora tem que levar com elas!
      As criptos estao-se a marimbar para o que os bancos dizem…

      • iDroid says:

        Qualquer moeda, FIAT ou não, só valem aquilo que as pessoas acham que ela vale.

        • miguel says:

          Sim mas FIAT um Banco central / Governo / Tribunais podem te aprender, bloquear, etc…enquanto nas criptos não tem poder de fazer nada sou sempre dono da cripto.

        • JCorreia says:

          Moeda Fiat corresponde ao valor da uma determinada oconomia, com políticas económicas que garantam a sua estabilidade cambial e preços de mercado. A única coisa que vale aquilo que as pessoas acham que ela vale, são as criptomoedas, com ganhos de valor conseguido pelo vento, e perdas conseguidas pelo medo e manipulação de mercado. Mas cada um gasta o seu dinheiro verdadeiro onde bem entender. Desde que um dia mais tarde não apresentem a factura das asneiras para os governos/contribuintes pagarem, por mim está tudo bem.

    • ervilhoid says:

      P2P amigo, os bancos podem dizer que vale 0 no entanto para outros pode valer 1 milhão

    • paulo says:

      simple para quem nao sabe de nada!

    • jorgeg says:

      +1 aziado,… com inveja!
      Sabes quem e que financou e financia as guerras?!
      Sabes quais sao as instituicoes mais corruptas do mundo? nao me refiro ao PS!

  4. Nightingale says:

    Nunca pensei ler as palavras “China” e “compromissos ambientais” na mesma frase. E o pior é que não estou a ser irónico. Um país que atualmente tem campos de “reeducação forçada” ter compromissos ambientais é uma piada. Se bem que disseram reduzir até 2030, não disseram neutralizar, isso é só lá para 2060 e até lá eles esperam já “dominar o mundo” (culturalmente, economicamente e militarmente), como o próprio ditador diz à descarada.

    • RPG says:

      Campos de reeducação para extremistas aka terroristas, ou simplesmente dizimar esse povo como os EUA o fizeram.. realmente, é mto mau… mesmo mto grave lol.. talvez devesses tb saber que essa zona tem provavelmente a maior concentração de petróleo de toda a Ásia, talvez assim começasses a entender o interesse e a campanha recente dos EUA em tentar desestabilizar aquela zona.. ou achas que estão preocupados com os muçulmanos agr depois de terem eliminado centenas de milhares deles? Só lhes falta agr afirmar que tb há la armas de destruição massiva..

      • Nightingale says:

        No resto do mundo também existem prisões… Mas 1 milhão de pessoas em mais de 380 destas “prisões”…??? O que está a acontecer é tal e qual o que aconteceu com os judeus. E não, não são “só” os mulçumanos. Também há cristãos que estão a ser “reeducados”. São famílias inteiras, do neto ao avô… O que acontece lá é tortura e um genocídio, pura e simplesmente. Já para não falar que a maioria dos que lá entram ninguém sabe mais nada sequer. Na China dá para arranjar um dador de orgãos em menos de 15 dias, se tiver dinheiro, é claro. Quem percebo um pouco da área sabe que não se arranja dadores compatíveis do dia para a noite… Em uma pesquisa rápida não faltam provas do que está lá a acontecer. Eu não falei em nenhuma parte dos EUA, falei da China, o que o PRC está a fazer é crime e ponto. Agora se o que os EUA fazem ou deixam de fazer é outra discussão. Dois errados, não torna uma das partes certa. Informe-se um pouco melhor e não meta geopolítica em uma questão de direitos humanos. A história está a repetir-se e como antes ninguém está a fazer nada.

        “Primeiro, os nazistas vieram buscar os comunistas, mas, como eu não era comunista, eu me calei. Depois, vieram buscar os judeus, mas, como eu não era judeu, eu não protestei. Então, vieram buscar os sindicalistas, mas, como eu não era sindicalista, eu me calei. Então, eles vieram buscar os católicos e, como eu era protestante, eu me calei. Então, quando vieram me buscar… Já não restava ninguém para protestar.” Martin Niemoller

  5. RPG says:

    Loool mesmo que dizer que q China, o país com mais veículos elétricos no planeta, e no qual o aumento dos mesmos é exponencial, está a meter em causa os seus objetivos climáticos.. por um lado, veículos que consomem energia elétrica são parte da solução.. já uma moeda que consome a mesma energia, é parte do problema. É o típico double standard. Está certo.

    • ACS says:

      Eles estão a comprar carros elétricos que nem loucos porque o governo só te deixa entrar nas cidades de elétrico e só para a matricula de um não elétrico são 12 mil euros. Quem quiser ter um carro na cidade não tem outra hipótese. Vem aí os jogos olímpicos e a ultima coisa que eles querem é cidades que não se vê um palmo à frente por causa da poluição. A imagem passada para fora é das coisas mais importantes numa ditadura. Se for preciso eletricidade para os carros acredita que eles proíbem minar moeda de um dia para o outro. Eles cagam para os direitos dos cidadãos e empresas.

      • RPG says:

        Basta ter 2 dedos de testa para perceber que isso de só poderem entrar nas cidades de elétrico é no mínimo ficção lol. Totalmente falso, e sem sentido.. nem me vou alongar mais lol. A única coisa nesse sentido existente em algumas cidades chinesas, é a proibição de motas motorizadas. Agora carros? menos lol… São aos milhões.
        Quanto a proibirem a mineração, caso exista falta de energia para outras coisas mais importantes, é claro que o fazem, como qualquer país o faria. Aqui provavelmente o resultado seria o aumento do preço do kwh haha.. Na china ainda se mantém abaixo dos 5 centimos por kWh.

  6. Redin says:

    Não é preciso ir assim tão longe. Eu devo ser o responsável por 60 a 70% da produção de cripto no meu prédio. Deverei ser condenado por isso? Claro que não. A minha operadora de energia garante que o que gasto provem de energia verde.
    Agora não venham novamente com a falácia do consumo de mineração quando sabemos o seu impacto comparado com o que o sistema FIAT consome.
    https://danhedl.medium.com/pow-is-efficient-aa3d442754d3

  7. Bitcoiner says:

    O artigo diz que 40% da mineração é feita com carvão.

    Imaginem voces minerar bitcoins com carvão

    • Vítor M. says:

      Ora lê bem “ Conforme revela um estudo publicado na revista Nature, as minas de Bitcoin chinesas, que consomem quantidades enormes de eletricidade, alimentam quase 80% do comércio global de moedas criptográficas.

      Desses, 40% são alimentados com carvão, sendo os restantes com energias renováveis.”

  8. Sergio says:

    Pode-se ver por outra perspetiva, quanto custa energeticamente o atual sistema bancario? Se a ideia fosse substituir esse sistema pelo das cryptos, de certeza que o ambiente ficava a ganhar.

  9. Rui Valdez says:

    Tanta preocupacao com o ambiente e daqui a 40 anos ja não estamos ca, por isso toca mase a aproveitar bem a vida e os outros que pensem nas solucoes

  10. Joao says:

    “Além disso, ainda que o comércio de moedas criptográficas seja proibido desde 2019, na China, a exploração mineira ainda é permitida” o comercio de moedas criptográficas é proibido? onde?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.