PplWare Mobile

Apple Watch foi o número um no 2.º trimestre de 2019 com 5,7 milhões de unidades


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Fixo says:

    N.º 1 nos wearables, tablets e serviços e 3º ou 4º nos smartphones (em número, em lucro nos manteve-se ter mantido em primeiro) – no melhor trimestre de sempre dos terminados em Junho.

    Os que vêm anunciando o fim da Apple vão ter que esperar 😉

    • V.T. says:

      É do mais ridiculo ficar feliz com os lucros monstruosos que a Nokia… ups a Apple tem!

      • Vítor M. says:

        É verdade, mas tu ficas feliz com as perdas. Aqui há alguma coisa que não está bem ligada no quadro elétrico 😉

      • Fixo says:

        A Nokia caiu porque não percebeu a revolução que os smartphones com ecrã touch e sistema operativo iOS e Android representavam. Fui incapaz de acompanhar. Como o negócio assentava todo nos telefones ruiu.

        Olha para o gráfico. Na Apple os smartphones já representam menos de 50% das receitas líquidas:
        https://www.macrumors.com/2019/07/30/earnings-q3-2019/

        • Joao says:

          O curioso é que os títulos desvalorizaram bastante depois do anúncio dos resultados.

          • Fixo says:

            Estás enganado. Com a divulgação dos resultados, durante o dia seguinte, a Apple passou de novo 1 bilião de dólares (os resultados foram apresentados a 30 de Julho).

            A queda da cotação da Apple acompanha a do Nasdaq, a partir de 2 de de Agosto. Ouviste falar da guerra comercial EUA-China e dos impostos sobre novos impostos sobre produtos tecnológicos importados da China, incluindo os da Apple, anunciados por Trump nesse dia?
            A cotação das tecnológicas e da Apple é volátil mas o anúncio dos resultados fê.la subir, não descer.
            Experimenta várias data e períodos no Google Finance. Não há crise 😉

          • Joao says:

            Não estou enganado. Os títulos valem menos hoje do que valiam no dia da apresentação dos resultados e no dia seguinte. É um facto e não é susceptível de (da tua) interpretação. Deverias rever o conceito de Stock Market e índice de mercado..não é a Apple que acompanha o Nasdaq, é o NASDAQ que acompanha os títulos aí negociados. O Nasdaq desvalorizou porque as companhias ai cotadas desvalorizaram, não o contrário, e uma das empresas que mais desvalorizou foi precisamente a Apple e por consequência arrastou o NASDAQ. Isto aconteceu porque o CNY sofreu uma desvalorização relativamente alta que entretanto já está a ser corrigida. Os mercados ainda não estão a acompanhar esse movimento.
            Quando eu disse que era curioso, referia-me ao facto de que o maior impacto negativo nos mercados coincidiu precisamente com a revelação dos resultados da Apple do ultimo Q. Eu não ataco nem defendo nada nem ninguém, não percebo essa mania da perseguição dos fanboys nem porque respondes com um comentário defensivo-agressivo. Apenas constacto factos.
            P.S – Não uso google finance, tenho conta bloomberg, meio que te aconselho a seguir para aprenderes umas coisinhas.

  2. V.T. says:

    Ui, há que elevar o moral das tropas depois da arromba nos smartphones, esses que realmente interessam.

    • Vítor M. says:

      A Apple seguramente não está com moral em baixo com a queda de vendas do iPhone, as empresas vivem de receita. No passado, que tu não te lembras, pela tua tenra idade, a Apple tinha uma enorme preponderância na venda de música no itunes. Depois o mercado mudou, como já tinha mudado no passado quando a Apple tinha imensa preponderância na venda de computadores. Se conseguires ver, o mercado dos smartphones ainda é um mercado poderoso, mas está a dar mostras de estar saturado, por isso as empresas estão a virar-se para os serviços, outros gadgets. Seguramente lembras-te da festa que foi quando a Apple começou a perder terreno na venda do iPad, hoje, porque existe a tal evolução do mercado, a Apple voltou a ser líder e a bater os números do passado na venda dos iPads. Não quer dizer que vá conseguir manter no futuro, porque o mercado mexe-se.

      Empresas como a Apple, Samsung, Google, Microsoft e afins, têm muitos produtos no mercado e em vários segmentos e com isso podem gerir as vendas as respetivas receitas. Atualmente, como se calhar não tiveste oportunidade de ver, mesmo perdendo a preponderância no iPhone, que continua a ser o smartphone que mais vende de marca unitária, a Apple arrecadou mais receita que no mesmo trimestre de 2018. Achas que tem a moral baixa? Pode sim servir de alerta para fazerem mais e melhor.

      O que está a crescer é a área da saúde e bem-estar, assim como a área financeira. Repara nas movimentações da Apple, não tarda está com tanto poder como as mais fortes empresas bancárias. Já tem dispositivos próprios, já tem serviços próprios, já tem canal de pagamento próprios, já tem até cartões de pagamento próprios 😉

      Cump.

      • emac says:

        Tudo dito.
        Não sei qual é a satisfação de algumas pessoas com as supostas quebras da Apple. Alguém é obrigado a comprar? O sucesso e concorrência não beneficiam o mercado em geral, até dos dispositivos Android?
        Cada “tiro” notícia sobre a Apple, cada melro “hater”
        Sejam felizes…

      • Cristiano Lopes says:

        Aqui está um excelente exemplo de uma visão “fora da caixa” do negocio. Parabéns Vitor.

      • Bruno Coimbra says:

        Próprios calma la Vitor…da Golman
        De resto totalmente de acordo com o que dizes, grandes empresas balançam as receitas nos vários segmentos e se algum dia um segmento deixa de dar lucro… fecha e a vida continua no próximo…the next big thing

        • Vítor M. says:

          Claro, mas tu sabes ao que me refiro. A Apple não sendo um banco nem uma instituição de crédito, tem de ter parceiros nessa área, não invalida, contudo, que não tenha o principal: clientes.

          Aliás, como deves saber, a IBM é um exemplo caríssimo deste estado da arte bancária nas empresas de tecnologia.

          • Ivo Oliveira says:

            Não só em tecnologia. A IBM em termos de saúde tem uma ferramenta poderosíssima, o Watson, que aliás, é uma pena não ser mais utilizada, mas os custos devem ser astronómicos.

          • Vítor M. says:

            Sem dúvida. Vai ao encontro com o que falei, medicina (ciência no caso da IBM), bem-estar e finanças.

        • Joao says:

          Exacto…curiosamente esta a seguir uma estratégia bem diferente da Google relativamente a penetração no mercado de serviços financeiros. Enquanto a Apple opera por via de 3os, a Google, ao que tudo indica, está a dar passos na direção de se tornar uma instituição financeira independente.

  3. Rodrigo says:

    Apple Watch é um dos motivos que me faz usar iphone, é caro e a bateria podia ser melhor mas é um aparelho que quem usa facilmente entende que se torna indispensável ao nosso dia a dia

    • Miguel says:

      Tenho um, e não, não é indispensável. É útil.

      • Miguel Silva says:

        Então não estás a usá-lo da melhor forma!

        • Miguel says:

          Mania dos rótulos! Como é que sabes?
          Já agora, como é que milhões de pessoas sobrevivem sem um?
          Admito que não o explorei muito por falta de tempo, mas daí até ser indispensável ao dia a dia vai uma distancia considerável.
          Curiosidade, diz aí algo que seja indispensável ao dia a dia e que graças ao Apple Watch conseguimos sobreviver?

          • Renato Silva says:

            Ele referiu “que se torna indispensavel”. é importante interpretar, para além de ler

          • Miguel Silva says:

            Calma lá, também disse que era imprescindível para viver Ahahah
            É indispensável para manter a agenda a rodar de uma forma prática e funcional. Qualquer alteração é rápida com a Siri. Não preciso de andar com o telemóvel atrás o que me permite facilmente fazer chamadas e mandar mensagens. L

          • Miguel Silva says:

            Calma lá, também disse que era imprescindível para viver Ahahah
            É indispensável para manter a agenda a rodar de uma forma prática e funcional. Qualquer alteração é rápida com a Siri. Não preciso de andar com o telemóvel atrás o que me permite facilmente fazer chamadas e mandar mensagens. L

          • Miguel says:

            Não inventem, é útil, não é indispensável. Desde quando se torna indispensável gerir uma agenda ou enviar mensagens num Watch??? Até parece que é a última batata frita do pacote.
            Tenho o Watch 4, é bom sem dúvida, simplifica coisas, sim, mas indispensável???? Tirem-no do pulso durante uma semana ou duas e depois digam se não continuam a fazer o mesmo

    • Joao says:

      Eu ando a ponderar comprar um mas sendo analítico não lhe vejo qualquer utilidade. Podes dar um exemplos de funções que se tornaram indispensável para ti, no teu dia a dia?

  4. Godfather says:

    Se comprarem um oferecem outro?…é que eu preciso de andar com um smartwatch de dia no trabalaho e se sair à noite quero continuar a usar o mesmo smartwatch… 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.