Quantcast
PplWare Mobile

UE quer criar uma aliança de fabricantes de chips para reduzir a dependência externa

                                    
                                

Fonte: Reuters

Autor: Marisa Pinto


  1. Joao Ptt says:

    A ideia faz sentido, ter produção própria de chips na União Europeia para marcar a carneirada.

    Mas era falar com as universidades na UE e largar o bom e o bonito do dinheiro, para saírem das Universidades da União Europeia os engenheiros e técnicos necessários a criarem a dita empresa financiada a 100% pela União Europeia, de forma a tornar tal uma realidade a longo prazo.

    Portugal pode enviar a senhora da limpeza, se alguma coisa correr mal, já sabem quem responsabilizar.

  2. JJ_ says:

    Então quer ser independente, mas depois a fabrica é financiada/montada por uma(s) empresa(s) externa(s)? Que grande independência.

    A UE já vai tarde de mais para isto.

    E alias, para conseguir ser reduzir essa dependência externa, não basta fabricantes, é preciso produtores de matéria prima, dentro da UE. Mas, quem é que quer investir em minas na UE, tendo em conta que os matérias extraídos na UE são 10x mais caros dos que são extraídos na Asia?

    • cr says:

      “Em primeiro lugar, o silício é fácil de achar. Depois do oxigênio, ele é considerado o segundo elemento mais abundante na crosta da Terra e quase sempre aparece em um composto com outros elementos. É comumente encontrado como um silicato (SiO4, ou um átomo de silício ligado a quatro átomos de oxigênio) e de sílica (SiO2, ou um átomo de silício ligado a dois átomos de oxigênio). O composto químico dióxido de silício, também conhecido como sílica, de uma forma grosseira e altamente contaminada, é o componente primário da areia. Feldspato, granito, quartzo, entre outros materiais, são baseados em compostos de silício-oxigênio.”

  3. Sardinha Enlatada says:

    E a visao empresarial que muitas destas instituicoes, patroes, empresas tem. E pena ja vir tarde.

  4. Softman says:

    Estou admirado da ATEP Amkor de Vila do Conde não estar na corrida para chorar algum dinheiro para manter os escravos a baixo custo mais alguns anos.

  5. SC says:

    Andamos a anos atrás do prejuizo, porque sempre foi mais facil obter lucro explorando os outros.
    A hipocrisia é muita, principalmente na europa, ainda à pouco tempo foram compradas 2 empresas alemãs do ramo dos semicondutores por empresas asiaticas e tinham recebido apoios da comunidade europeia.
    Recordam-se da antiga Qimonda que fechou em Portugal e no resto do mundo incluindo na Alemanha? Neste caso foi o ultimo fabricante de memorias na Europa não vai há muitos anos.

  6. António Paula says:

    Já crordaram tarde.

  7. António Paula says:

    Acordaram quis dizer

  8. PML says:

    Por um lado isto, por outro muitos dos fabricantes Europeus de carros e motas a deslocalizarem o fabrico de novos modelos para a Asia. Nunca mais aprendemos…

  9. FreakOnALeash says:

    Já vão tarde…mas pode ser que surta algum efeito!

  10. iFernando says:

    Parabéns! É para isto que a UE deve servir, para criar grandes projetos, unir esforços e colocar a UE em par com os EUA e China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.