Quantcast
PplWare Mobile

Reino Unido retira o acesso da Rússia à arquitetura de chips ARM

                                    
                                

Fonte: Bleeping Computer

Autor: Marisa Pinto


  1. secadegas says:

    Ainda no sabado a China assinou mais um contracto de billiões para venda de chips e hardware á Russia. Estas sanções até hoje tiveram ZERO impacto, e algumas empresas que tinham saido já começaram a voltar.

  2. Pedro says:

    O fundador da Huawei disse, em entrevista: Se se fecha uma porta no ocidente abre-se outro no oriente.

    Essas sanções minam a sociedade russa e não apenas o Putin, isolando ainda mais o país e provavelmente com um efeito contrário ao esperado, fortalecendo Putin.

    • Vítor M. says:

      A ideia não é minar só Putin. Mas como alguém disse, as sanções ao consumo são eficazes quando o povo tem liberdade de expressão. Porque no caso da Rússia, não im porta o povo estar já com muitas dificuldades no dia a dia, não se pode revoltar. Tem de haver sanções sim mas ao poder, à fonte do dinheiro.

      • José Orlando says:

        Vítor desculpe dizer isto mas como sabe que o povo russo não tem liberdade de expressão? Os militares russos fazem parte da sociedade russa e estão a lutar na Ucrânia. O gol pede Estado em 25 de Abril de 1974, após a primeira crise do petróleo, foi efetuada contra o poder político. E como podemos nós saber mais sobre a Rússia se todos os seus canais de comunicação com o Ocidente foram cortados. Ao meu ver não percebo como podemos dizer que os Russos estão impedidos de se expressar por causa do seu governo quando nós, Ocidentais fazemo-lhes o mesmo. E fazemo-lo porque os nossos dirigentes têm medo que os russos , magicamente, nos corrompam com a sua ideologia. Faz lhe sentido?

        • Vítor M. says:

          Meu caro, o amigo esteve estes anos todo isolado?

          “Vítor desculpe dizer isto mas como sabe que o povo russo não tem liberdade de expressão?”

          Claro que não, bastou ver algumas manifestações públicas com mais de 2 mil pessoas detidas. Não viu?

          “Os militares russos fazem parte da sociedade russa e estão a lutar na Ucrânia.”

          São obrigados e muitos danificaram deliberadamente os carros, choraram a pedir ajuda às mães, são pessoas que até o desespero levaram a atropelar os seus comandantes. Não viu?

          “O gol pede Estado em 25 de Abril de 1974, após a primeira crise do petróleo, foi efetuada contra o poder político. E como podemos nós saber mais sobre a Rússia se todos os seus canais de comunicação com o Ocidente foram cortados.”

          Não misture as coisas. Os canais foram cortados há meia dúzia de semanas. O resto sabemos bem o que eles diziam e ainda dizem. Aliás, se disserem algo contra, Putin fecha-lhes o canal. Como aconteceu. Não viu?

          “Ao meu ver não percebo como podemos dizer que os Russos estão impedidos de se expressar por causa do seu governo quando nós, Ocidentais fazemo-lhes o mesmo.”

          fazemos o mesmo? Mas o amigo tem estado mesmo isolado. Nós podemos fazer o que quisermos, até criar jornais, como temos hoje vários, o Diabo é um desses jornais, que falam o que querem, quando querem e sobre quem quiserem. Em Portugal temos, em Espanha existe, em França existe, no RU existe, em todo o ocidente existem cabais livres de expressão. E estamos aqui a falar disso abertamente.

          Portanto, o amigo está apenas a dizer disparates. A tentar comparar o incomparável. Porque será, qual o interesse?

          “E fazemo-lo porque os nossos dirigentes têm medo que os russos , magicamente, nos corrompam com a sua ideologia. Faz lhe sentido?”

          Não faz qualquer sentido. É uma confusão de facto que faz sem sentido lógico, histórico ou factual. Nada justifica a morte de milhares de civis ucranianos, a destruição de um pais democrata, a ameaça ao mundo com armas nucleares, não faz sentido.

        • Mauricio says:

          José Orlando,
          concordo perfeitamente.

      • Pedro says:

        Quando se cria uma pressão sobre o poder político ao nivel do consumidor, o poder político pode usar como arma defensiva, delegando a responsabilidade para os agentes externos. Fortalecendo o nacionalismo, ou seja, na sua personificação, Putin.

        As pessoas até podem perceber a limitação de venda de componentes para fins militares, mas não percebem porque lhe estão a limitar o acesso a refrigerantes.

        Nunca concordei com o isolamento da Rússia a esse nível. Quando se cortam todos os laços e interações com esse mercado tb se acaba a capacidade de negociar com ele. E com um país tão grande como a Rússia, é uma grande parte do mundo que fica de lado, juntando assim China, Irão, etc corremos o risco a ter de lado uma maior parte do que aquela que está incluída.

        É preciso diferenciar muito bem Poder politico e população.

        • Vítor M. says:

          Como referi e vi isso numa observação do alto representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell (que de facto faz sentido), as sanções ao consumo fazem efeito sobretudo em países em que o povo, quando fica afetado, pode reclamar, revoltar-se. Na Rússia isso não acontece. Por isso, há sanções que de facto não funcionaram.

          Agora, a Rússia sempre quis ser uma espécie de “bug” dentro dos valores democráticos, ocidentais. Sempre tentou interferir nas democracias, como aconteceu na Alemanha, na própria França, na Hungria, e até mesmo em Portugal, com o colo que deu ao PCP.

          Claro que a população russa tem boas pessoas, os russos são trabalhadores, pessoas sérias, mas muito martirizadas com governos ditatoriais. Assim como a China (mas noutro nível), a Venezuela, a Coreia do Norte, alguns países da América do Sul, alguns países centro-africanos, e alguns asiáticos.

          • mlopes says:

            ó @Vítor M. a rússia sempre tentou ser um “bug” dentro dos valores democráticos e de facto isso é verdade mas também é verdade que os eua o têm sido sistemáticamente e ninguém disse ou diz nada e muito menos faz seja o que for.
            double standard?
            ou as 81 intervenções em eleições em países estrangeiros entre 1946 e 2000 (e só chego a 2000 porque são os dados que tenho neste momento citáveis: dov levin, canegie mellon university 2016) são ficção?
            ou não me digas que vais dizer, ai isso agora é whataboutismo? 😉 😀 seria para rir às gargalhadas

          • Vítor M. says:

            Não deixas de ter razão. Aliás, eu por várias vezes já referi que os EUA têm uma cultura de infiltração no poder político que minam os interesses dos países em favorecimento deles próprios. Se procurares nos vários artigos que já se comentou sobre esse facto, verás que refiro até uma cultura já institucionalizada, os chamados Chicago Boys. Procura e vê do que falo 😉 vais perceber melhor essa realidade.

            Um exemplo dessa influência aconteceu com o Brexit, por exemplo. Mas há muitas, até em Portugal, como a ameada feita pelo Embaixador americano em Lisboa. Mas a questão aqui é o problema da guerra, dos ataques sistemáticos, como a Rússia fez em muitos países após a queda da União Soviética, minando claramente a paz da Europa. Sim, a Europa tem muita culpa, porque se deixou muitas vezes sodomizar, basta ver a Alemanha, a Hungria, a Itália, entre outros, comprados com o barato gás russo. A Rússia tem sido um problema para a Europa, desde as invasões no tempo da idade médias. E hoje continua. Lê um pouco sobre o assunto, vais gostar de perceber o que são os Chicago Boys e como funciona essa doutrina. 😉 E vê as diferenças para a destruição e um país na Europa, e a ameaça de armas nucleares.

          • Pedro says:

            O que me refiro não está relacionado com as sanções, está mais relacionada com a percepção das populações às sanções. E é essa percepção que pode fazer a diferença.

            Se disserem que o pão vai ficar mais caro porque os paises baixos estão-te a cobrar mais 20% pela farinha por sermos um pais de “p*tas e vinho verde”, isso está a fortalecer a narrativa interna. E aí sim a expressão fará a diferença como uma forma de metanalise.

            Em termos geopolíticos, a Rússia não é muito diferente dos ocidentais. Aliás em termos históricos e contemporâneos, os países da aliança são de longe mais responsáveis por conflitos.

            Não posso concordar que façamos economicamente o que os russos fazem militarmente. Basicamente estamos a lançar um bombardeamento de tapete económico que tenta aniquilar todos na área, com a esperança que também atinja os responsáveis, sendo que estes têm muitos mais recursos para defesa.

            Mas tb é verdade que nao tenho solução para o problema. Será melhor ter atuado preventivamente.

          • Vítor M. says:

            Achas que as populações não deram conta das sanções e qual a razão? Olha que se calhar uma boa parte sabe. Aliás, enquanto as redes sociais estiveram ativas, muita coisa passou. Agora, também poderá haver muita gente que se deixa levar pelas propaganda, isso sim, tens razão.

            Sobre a responsabilidade dos conflitos, não tenho essa perceção. A Rússia depois do que fez na Geórgia, Tchetchénia, Bielorrússia, Síria, entre outros, e com as ameaças como ainda há pouco fez à Finlândia, Polónia, Suécia, Moldávia e afins… é um vizinho muito complicado. E estas milhares de mortes de ucranianos, sem qualquer temor, são um alerta para a Europa.

            Não podemos esquecer que antes da Segunda Guerra Mundial, a União Soviética assinou um pacto de não agressão com a Alemanha nazista a 23 de agosto de 1939. Além das estipulações de não agressão, o tratado incluía cláusulas secretas, que previam a divisão dos territórios da Roménia, Polónia, Lituânia, Letónia, Estónia e Finlândia entre as “esferas de influência” alemã e soviética.

            Agora, solução? Também não estou a ver como se irá solucionar este problema.

      • José Orlando says:

        Quando o meu próprio governo fecha todos os canais de comunicação russos é altura de pensar porque razão o fazem. Será que com acesso a esses canais teríamos outra opiniao sobre o assunto?

        • Vítor M. says:

          São canais que, perante a mortes de milhares de ucranianos civis, vangloriavam a invasão da Rússia. Sem respeito pela vida humana, sem respeito pela liberdade das pessoas (morreram desfeitas centenas de crianças, pessoas que tinham uma vida livre e foram mortas por um invasor criminoso). Canais pagos com dinheiros de sangue. Não, agradeço até que não passem no serviço que pago. Não quero esse tipo de propaganda doentia, e nem de pessoas doentes que ainda dão valor ao que o invasor está a fazer.

          Milhões de pessoas estão a ser obrigadas a fugir das suas casas, sem qualquer culpa, porque vivem num país libre, uma democracia.

        • Mauricio says:

          José Orlando,
          Com certeza que o povo tinha outra opinião do que se esta a passar.
          Os canais Russos foram bloqueados para depois começarem a lançar propaganda nos nossos meios de comunicação contra a Rússia.
          Mas essa parte é óbvia desde o inicio.

          No entanto há muita gente que não se deixa enganar e percebeu o que estava a chegar.. tenho falado com muitas pessoas que sabem que o que aparece na nossa media é propaganda.

        • Luís Costa says:

          O que dizer então da parte da Rússia que fez exatamente o mesmo?

      • RUY ACQUAVIVA says:

        Mentira! O povo russo apoia a ação militar na Ucrânia. O ocidente tenta vender uma mentira de que o povo russo estaria sob um governo tirânico e o ocidente seria um paraíso de liberdade democrática. Enquanto isso Julisn Assange continua preso pelo simples fato de ter denunciado as mentiras das potências ocidentais e Edward Snowdem só não teve o mesmo detono porque recebeu asilo político na Rússia.

        • Vítor M. says:

          Apoia a mentira. O povo que se manifesta é preso, o povo que faz ações de solidariedade, é preso e rotulado de Nazi. O povo que apoia vê imagens dos gangsters Bonnie e Clyde e fica solidário com a mensagem do reencontro entre um casal apaixonado (ele russo, ela ucraniana). O povo da Rússia é bom povo, mas sabe que é enganado e está cada vez mais isolado do ocidente.

          O resto que dizes, é apenas misturar factos truncados para sustentar a tua retórica sem fundamentos reais. Foca-te neste conflito, não uses outros assuntos para justificar uma invasão sangrenta. Fica-te mal.

  3. PorcoDoPunjab says:

    Oh Secadegas, vossemecê está equivocado.
    As sanções têm tido impacto.
    Olhe, eu pagava a bilha do gás a 23 euros e agora 30 não chegam.
    Vou às compras e o preço dos produtos sobem de dia para dia.
    Os combustíveis então nem vale a pena falar

    Mas calma, vamos todos sorrir para ficar bem na fotografia.
    Os otários pagam tudo.
    Para os políticos que decidem as sanções, o gás estar a 20 euros ou a 200 é igual.
    Com o que ganham mais o que roubam, nem vêm diferenças…

    Vá, vamos todos alinhar pela narrativa oficial.
    Sanções, sanções, o povo é quem mais ordena.

    Atenciosamente, PorcoDoPunjab

    • Mauricio says:

      Pois o problema é que ao criares sanções contra um produtor de energia, crias indirectamente sanções contra ti.

      Tenho falado com alguma malta em Inglaterra, e eles estão passados com a Rússia , porque antes pagavam 70, e agora pagam 220£ 😀
      A parte estranha, é que a Rússia é a única que não tem culpa por causa das sanções.
      As sanções foram aplicadas por nós, se agora temos problemas devemos apontar o dedo a quem as criou.

  4. José Orlando says:

    Sra. Marisa Pinto, ao meu ver, está errada em pelo menos dois pontos. O ocidente quer esta guerra. A Rússia não queria esta guerra. Lamento informar mas é a ignorância e falta de discernimento da nossa sociedade que está a piorar as coisas. Como forma de ver este conflito devíamos fazer a seguinte questão: quem ganha com esta guerra na Ucrânia? Ao meu ver apenas o Ocidente, principalmente os EUA. Os EUA não é uma democracia. Os EUA é um colonizador/ditadura e como tal quer impor a todos os povos a sua forma de ser. E passo a explicar. Sanções a qualquer país deve ser feito ao mesmo nível, ou seja, de país para país, de instituição pública para instituição pública. Qualquer governo ocidental democraticamente eleito não pode interferir na esfera privada da sua população a não ser em termos gerais, ou seja, que afete toda a população ou todas as empresas, e para isso tem de criar leis. O Reino unido, como país, politicamente não deveria interferir em negócios privados como nesta situação da ARM. É ilegal, tal como todas as outras sanções, sejam Europeias ou norte-americanas , se forem do foro privado. Alguns paises europeus como os EUA têm uma dívida pública enorme e uma das formas de a diminuir perante os credores é monopolizar certos setores da economia mundial para obter financiamento e cimentar a sua posição de poder. A guerra na Ucrânia serve vários propósitos. Mas o mais óbvio é definida por esta palavra do léxico inglês inventada por Nubar Gulbenkian: pantaraxia. E quem serão as vítimas desta pantaraxia? De imediato a Alemanha ( país que está contra as sanções)depois a Rússia e por fim o objetivo final a China, um dos maiores credores da dívida norte americana e provavelmente europeia.

    • :-) says:

      Este José vive num mundo à parte com certeza. Já percebemos que os EUA lucram com a situação, mas dizer que são os culpados é ser completamente ignorante. A Rússia não precisava de invadir a Ucrânia, e fê-lo sabendo do que o Ocidente é capaz, demonstrando ser um país atrasado a todos os níveis. Já para não falar de que esta guerra dá imenso jeito à Rússia, sendo que já precisava de um reset económico mesmo antes da guerra.

      Desde que há globalização, essa treta da “esfera privada” de cada país termina nos confins do seu território. Assim que certo país ameaça a paz no mundo ou doutro país livre, a comunidade internacional tem a obrigação de intervir.

      Sim, os EUA não são uma democracia perfeita, mas nós também não, e muito menos a sua querida Rússia.

      Acerca da ARM, a empresa é de origem Inglesa, por isso, faça o favor de pesquisar antes de dizer disparates.

    • PorcoDoPunjab says:

      Oh José Orlando, epá, vc não diga essas coisas.
      Está a por em causa a narrativa oficial dos acontecimentos?
      Onde já se viu todas essas desconfianças sobre quem ganha com a guerra e os EUA serem ditadores a quererem mandar nos outros?
      Fique vc a saber que o mundo ocidental é moralmente muito superior aos outros, mas desde que vc diga e aja como os lordes mandam.
      Se começa com dúvidas e questões complicadas, é classificado de maluco e censurado.
      Isso de censura é nos Russos maus, aqui não há censura desde que diga o que nós queremos que vc diga.
      Percebeu?
      Portantos, resumindo, os Russos cortam as nossas tvs, é censura.
      Nós cortamos as tvs deles, não queremos a propaganda deles.
      Não é censura, são os programas que não prestam…
      Como vê, somos muito diferentes…

      Atenciosamente, PorcoDoPunjab

    • Mauricio says:

      Concordo com o Orlando.
      Tocou em varios pontos que são verdades!

  5. José Orlando says:

    Para terminar a invasão da Rússia a Ucrânia foi possível devido ao facto de outras invasões terem sido efetuadas (ilegalmente) pelos países ocidentais no passado, onde Portugal foi até um dos pais, através de vários governos de esquerda e direita, que o fizeram em nosso nome e onde a nossa sociedade civil, ou por ignorância ou por conhecimento, não agiu para evitar estas faltas de respeito por povos que têm um modo de vida diferente do nosso ou por serem povos com uma coloração de pele mais escura, mais apropriada para sobreviver num planeta exposto a um sol abrasivo e que sem esses povos a vida humana, principalmente de coloração mais clara, não existiria.

  6. Samuel MGor says:

    Ficam sem a arquitetura ARM mas têm acesso à RISC-V.

  7. jimmypt says:

    Os Russos identificam se mais com o nível de vida ocidental do que com com o nível de vida oriental.
    Muita gente na Rússia está possuída por não pode passear e fazer compras na Europa e nos EUA.
    Essa é que é a verdade..

    • Mauricio says:

      Eles costumavam vir passar ferias para a Europa,
      Agora muito provavelmente irão mais para o medio oriente, norte de Africa, Africa do Sul, Ásia, etc.

      Eu não acho que eles estejam particularmente “possuidos”
      Quando uma porta se fecha, há outra que se abre 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.