Quantcast
PplWare Mobile

Qualcomm quer autorização dos EUA para poder vender processadores à Huawei

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Euéquesei says:

    Não sou nenhum Doutor Engenheiro encartado, mas se quiser basta tirar um curso à noite e sem lá meter os pés, que fico com carta de Engenheiro da Tanga, por isso, cá vai a minha opinião sobre este assunto.
    Se eu fosse o decisor da Huawei tratava, imediatamente e por todos os meios possíveis e impossíveis, descartar toda e qualquer empresa americana ou outras que possam ser atingidas por sanções, tipo Arm e assim.
    Huawei tem que arranjar maneira de ser independente e fazer os seus próprios componentes ou arranjar empresas que os façam e não aceitem receber ordens dos EUA.
    Mais, após isso estar feito, se é que é possível de ser feito, colocar todas as energias no HarmonyOS e fazer um sistema realmente com qualidade e alternativo à Google.
    Após isso, obrigar todas as marcas Chinesas a deixar o Android e passar a usar o Harmony nos seus aparelhos.
    Huawei, Xiaomi, Oppo, Vivo e sei lá quantas mais, tudo com Harmony.

    O que está a acontecer agora com estas sanções, podem repetir-se daqui a uns poucos anos e volta tudo ao mesmo.
    Têm mesmo que fazer os próprios componentes ou arranjar empresas livres de ordens dos Eua.
    Caso contrário vão sempre andar com o coração nas mãos à espera das próximas…

    Mas lá está, eu não sou Senhor Engenheiro dos 5%… posso ter dito apenas barbaridades mas estou convicto que o que eu disse é o que a Huawei anda a fazer.

    • Tadeu says:

      O mesmo deveremos dizer cá na Europa relativamente à China. Já por diversas vezes a China usou a sua posição para obrigar empresas e países europeus a seguir a sua vontade!

      • Euéquesei says:

        Europa verga-se a tudo e todos. Sabe porquê?
        Olhe para os líderes europeus de hoje.
        Só vejo mulheres e homens mais femininos que as mulheres.
        Quer o quê com esta gente?
        Não há-de tardar muito estaremos todos de rabo virado para Meca.
        Alguém nos salve, mas Homens desse género aparece um de 300 em 300 anos.
        Estamos tramados…

        • Tadeu says:

          Mesmo? Não fazia ideia que a explicação para o problema da Europa era feminidade… E eu a pensar que o problema da Europa vem da fragmentação, de cada um querer olhar para o seu umbigo no seu país vendendo-se aos interesses exteriores por falta de dinheiro, em vez de se ter uma frente unida e uma estratégia comum!
          Mas é estranho que agora que se vê uma voz da Europa mais assertiva é quando temos mulheres em lugares chave e a bater o pé.
          Mas certamente que ninguém aqui vai pensar nestas questões geoestratégicas, quando fizerem compras numa loja na China, de preferência uma em que evitam pagar impostos… isto porque nestas coisas de poupar tem que se ser homem e bater o pé contra os impostos e o comércio nacional.

          • Euéquesei says:

            A bater o pé a quem? Só se for ao som da música dos outros.
            O único que manda pontapés neles todos é o Trump, o resto vai por arrasto.

            Esses problemas que referiu advêm do facto que não temos Estadistas, temos polítiqueiros e politiqueiras.

          • Tadeu says:

            Já cá faltava o Trump, a definição da incompetência quando há fogo!
            Amuar como o Trump é fácil quando se controla a maior economia do mundo e um grande exército. Coitados dos futuros presidentes que vão ter que lidar com as consequências dos amuos com os aliados e os problemas sociais que criou no país pela sua incompetência, narcisismo e tendências ditatoriais.
            A Europa tem batido o pé aos Estados Unidos nas suas exigências em termos de comércio, tem batido o pé às práticas das multinacionais americanas, tem começado a tomar posições para evitar a penetração de empresas chinesas, etc!
            Os problemas que referi vêm da cultura do compadrio, mesquinhice, incompetência e divisões entre países, divisões que são aproveitadas (e alimentadas) por países como a Russia e a China [até os Estados Unidos tentam meter a colher para semear a discórdia na Europa]!
            Acreditar em Estadistas é acreditar no Sebastianismo, achar que só um iluminado é que pode resolver as coisas quando a solução parte de todos nós…

    • David Guerreiro says:

      A questão é que a verdadeira inovação faz-se nos EUA, as máquinas que permitem fabricar os semicondutores de última geração são criadas e desenvolvidas por empresas norte-americanas. A China gosta muito mais de roubar propriedade intelectual do que criar o que quer que seja. Enquanto a China mantiver essa postura de “copianço” estará sempre dependente dos EUA, para tecnologias de ponta.

      • Tadeu says:

        Na verdade essas máquinas são criadas e desenvolvidas por uma empresa Europeia, mas envolve muita propriedade intelectual americana

      • Alex says:

        Acredito que esteja equivocado.
        Tanto isso é verdade que a taiwanwsa TSMC e a Samsung já fabricam chips semicondutores em nós mais sofisticados a algum tempo. Detalhe, utilizam-se de equipamentos holandeses fabricados pela ASML (https://www.asml.com/en). O próprio design ARM, chip adotado pela Apple e licenciada para a Qualcomm, é britânica.
        Nâo há como negar a relevância dos EUA em termos científicos, mas isso não pressupõe que toda inovação tecnológica parta deles.
        Quanto ao copiaço chinês, a Huawei criou mais de 87.800 patentes, destas 11.552 foram concedidas nos EUA. Muito embora a SAMSUNG tenha sido a primeira indústria a produzir um equipamento 5G, a Huawei foi a única capaz de criá-la, de ponta a ponta, em escala comercial, a partir de projetos, pesquisas e financiamento próprio.
        Obs.: pergunto, os principais cientistas cooptados pelos americanos após a segunda grande guerra eram provenientes de onde mesmo?

  2. Ana Samsung says:

    Isso cá por mim é tudo mentira porque os estados unidos não querem trabalhar com a huawei

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.