Quantcast
PplWare Mobile

Categoria: Ciência

WFIRST – O sucessor do telescópio espacial Hubble

A NASA lançou o telescópio espacial Hubble para o espaço em 1990 com o objetivo de explorar o universo profundo.

Mais de 25 anos depois e ainda com muito universo para explorar, a NASA está a preparar já a sua linha de sucessão com o WFIRST.

WFIRST - O sucessor do telescópio espacial Hubble


Sabe a razão da rotação da Terra ser mais lenta neste século?

Segundo os cientistas o aquecimento global, a poluição, o degelo, entre outros, são fatores que poderão estar a afetar a rotação da Terra. O nosso planeta está mais lento e isso fará com que os dias sejam maiores.

Se quer prever um futuro para as suas próximas gerações, saiba que elas podem enfrentar uma vida diferente neste planeta onde hoje vivemos… tudo porque o planeta está a ficar mais lento.

pplware_terra_lenta02


O CPU da PlayStation One foi quem guiou a sonda até Plutão

Todos sabemos que actualmente os processadores que temos nos smartphones são poderosíssimos, são hoje mais rápidos no processamento que os computadores de há 10 anos atrás, por exemplo. Então, facilmente percebe que o seu smartphone tem um processador mais poderosos que a nave que levou o homem à Lua!

O que não imagina é que o processador usado na PlayStation Original da Sony, que já tem uns anos largos, foi “o que levou” a sonda New Horizons, da NASA, até Plutão.

pplware_new_horizons


Philae pousou com sucesso no cometa 67P

Esta missão histórica poderá ajudar a perceber a origem da vida na Terra.

Dez anos depois da sonda Rosetta ter sido lançada e de ter chegado junto do Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, a 6 de Agosto de 2014, o módulo robô Philae foi separado da Rosetta esta manhã e efectuou uma viagem de 7 horas até “aterrar” com sucesso no cometa.

Philae_1


Curiosidade: Bioimpressão de órgãos a 3D… é possível

Uma empresa Americana ligada a biologia, chamada “Organovo”, de San Diego, prepara-se para a primeira do mundo a realizar uma impressão de órgãos a 3D, já este ano. A impressão vai ocorrer da mesma maneira que qualquer outra impressão em 3D : a bioimpressao estabelece camada após camada de material, neste caso células vivas, de forma a criar uma entidade física sólida, sendo esta o tecido humano.

O maior desafio deste projecto é a criação dos sistemas vasculares que garantem a oxigenação e nutrientes necessários para sustentar vida. Caso contrario, as células morreriam antes do tecido sair da mesa da impressora.

Impressão 3D de orgãos