Quantcast
PplWare Mobile

Apple para já não fala em despedimentos, mas pode haver 3 razões para isso

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. B@rão Vermelho says:

    Nunca passei por tal coisa, nunca perdi o meu emprego, mas tenho familiares e amigos que perderam é uma coisa terrível, pelo menos para aqueles que gostão de trabalhar e depois há os oportunistas e o típico tuga que se aproveita e faz vida de esquemas, foi educado pelos meus pais a tentar ser o melhor na profissão que escolhe-se, o meu pai dizia-me se fores varredor de ruas a tua rua vai-se poder lamber, e tenho pautado a minha vida por este principio, não sou o mais inteligente mas sou um dos mais aplicados, digo constantemente ao meu chefe, compenso a minha falta de conhecimentos com empenho.
    Quero deixar um forte abraço a quem neste momento esteja no desemprego e desejar que melhores dias viram .

    • José Bacalhau says:

      Amigo, um comentário honesto. É isso. Não é o trabalho que nos define; somos nós que definimos o nosso trabalho. A varrer a rua ou a calcular trajetórias de naves espaciais, se pusermos dedicação e vontade no nosso trabalho, ele vai ser nosso testemunho perante os outros.

    • Reforma says:

      Em Portugal há pleno emprego (taxa de desemprego de 6%).
      Quem quiser procurar trabalho encontra (a salários baixos).

      • Zé Fonseca A. says:

        os salários variam conforme a cidade, a empresa e a área.
        juntas lisboa + multinacional + IT, Finance, RH e os salários não são nada baixos e já se aproximam de outros países europeus.

    • Tretas says:

      **gostam
      **fui
      **escolhesse
      **princípio
      **virão

    • Zé Fonseca A. says:

      Portugal está com 6% de desemprego.
      Não me lembro de uma taxa tão baixa nem conheço ninguém no desemprego neste momento, acho que ao dia de hoje só não está a trabalhar quem não quer.

    • Mike says:

      Eu tive 2 anos desempregado (comecei a trabalhar há bem pouco tempo) e todas as semanas andava a bater às portas para trabalhar. Fiz muitas entrevistas (perdi-lhes a conta) e contam-se pelos dedos das mãos as que responderam.

      Pedi os subsidios a que tinha direito, mas não me foi cedido (apenas o de desemprego e trabalhei mais de 10 anos antes do desemprego). Nem sei como sobrevivi…

    • Rui says:

      Embora o seu comentário me tenha tocado e tenha sentido que realmente foi do coração, não se nasce com conhecimento seja ele qual for, tudo é uma aprendizagem… Compreendo que a partir de uma certa idade comece a ser difícil adquirir mais conhecimento, mas tal como me esforcei e parti a cabeça nas aulas, e mesmo pós escola estou sempre a aprender novas áreas e novas coisas em geral, qualquer pessoa também o pode fazer a internet é quase grátis e hoje em dia tudo se aprende com esforço e dedicação! tenho a certeza que se aplicasse essa dedicação a um curso iria ver a sua vida melhorar bastante!

  2. Rui says:

    Eu aponto 2 outras razões para a Apple para já não despedir:
    – A enorme liquidez que tem, motiva pelos novos valores premium que cobra;
    – A outra, como empresa global e ao contrário do mercado americano, uma empresa que despeça em massa, tem logo um estigma negativo em cima de si. E a Apple ganha ao evitar seguir o rebanho!

    • Paulo Martins says:

      Tirando os 3 pontos no artigo as tuas duas razões não corresponde à realidade porque tanto Google como a Microsoft não têm problemas de liquidez, aliás apenas um dia após a Microsoft anunciar os despedimentos anunciou investimento na empresa responsável pelo Chat GPT por isso dinheiro é coisa que não lhes falta, e quanto ao teu segundo ponto nenhuma destas empresas perde com o possível “estigma” de despedir em massa porque honestamente o consumidor final não quer saber…

      Achas realmente que algum consumidor deixará de comprar o seu iPhone só porque a Apple despediu 30% dos seus funcionários? Isto é notícia hoje, daqui a um mês quantas pessoas se vão lembrar que a Amazon despediu 28 mil funcionários, e mesmo das que se lembram quantas é que vão deixar de usar os seus serviços por causa disso.

      • Reforma says:

        A Amazon: tem 1.554.000 de trabalhadores, vai despedir 18.000 pessoas (1,16%). Diz o post que contratou 50% do pessoal no período da pandemia.
        Os despedimentos são muito limitados.

  3. João says:

    Com tantos milhares de programadores e engenheiros disponíveis, será de prever uma nova onda de inovação?

    • Zé Fonseca A. says:

      o que te diz que estão disponiveis? com desemprego zero na area e com falta de pessoas para as posições em aberto são imediatamente absorvidos no mercado de trabalho.

      • Profeta says:

        Penso que programadores nao vao ter dificuldade em arranjar trabalho, ou isso ou criarem eles proprios projectos. Ou entao ajudar o pessoal do linux nos tempos livres. Se meia duzia deles acertassem as agulhas na mesma direccao posso dizer que saia uma coisa boa tal como o kernel do linux. Uma das melhores invencoes do sec.

  4. Vitolas says:

    Eles só estão a espera que todas as outras empresas da área despeçam pessoal para depois começarem eles a despedir e anunciarem como mais uma inovação apple, o habitual portanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.