Quantcast
PplWare Mobile

Tags: safari

Google ainda paga milhões à Apple para ser o mecanismo de pesquisa predefinido no Safari

A Apple tem no seu ecossistema uma grande valia, tendo em conta que nenhuma outra empresa conseguiu criar um conjunto de ofertas desta magnitude. Como tal, muitas empresas pagam para estar dentro da vasta oferta Apple. Por exemplo, a Google pagou à Apple cerca de 1,5 mil milhões de dólares, ano passado, pela posição predefinida no Safari em utilização no Reino Unido.

Os reguladores britânicos estão a analisar um acordo de longa data entre Apple e Google. Em causa está o mecanismo de pesquisa predefinido no navegador da empresa de Cupertino.

Imagem motor de pesquisa Google no Safari da Apple


Zerodium tem tantas falhas do iOS e Safari que deixou de receber novas submissões

Dada a segurança que a Apple coloca nos seus produtos, todas as empresas de segurança procuram ter acesso às falhas que surgem e que são descobertas. Estas valem muito dinheiro e são a porta para explorar novos serviços que oferecem.

A Zerodium é uma das mais conhecidas empresas deste ramo e agora veio anunciar que parou de aceitar novas submissões de falhas. São tantas as falhas do iOS e do Safari que tem em mãos que terá de parar por alguns meses.

iOS Safari Zerodium falhas submissões


Apple pagou 69 mil euros a hacker que descobriu bugs no Safari

A Apple, tal como outras grandes empresas, valoriza e preserva a segurança e o bom funcionamento dos seus produtos. Recentemente um hacker identificou vulnerabilidades no browser Safari, que permitiam um acesso às câmaras dos iPhones e MacBooks.

Como recompensa pelo feito, a empresa de Cupertino pagou cerca de 69 mil euros ao ‘pirata’ informático.


Google encontrou falhas de segurança no navegador da Apple, o Safari

A Google tem feito um excelente trabalho de inspeção ao software que gravita na web. Principalmente, tem apostado em descobrir falhas no software da Apple, dando agora a conhecer que os seus investigadores descobriram várias falhas de segurança no navegador Safari. Segundo eles, estas falhas permitiam rastrear o comportamento de navegação dos utilizadores.

Estas informações foram veiculadas esta semana, contudo, tais vulnerabilidades não existem desde ano passado.


Apple promete tratamento hostil a sites que violem a privacidade do Safari

A tecnológica norte-americana está a endurecer a sua postura face a sites que tentem contornar as imposições de privacidade do seu browser, o Safari. De acordo com a própria Apple, há novas regras de conduta que, na eventualidade de serem violadas, classificarão os transgressores como ameaças de malware.

Por outras palavras, há uma nova política de tolerância zero para os sites que tentem “enganar” o Safari.

Apple Safari privacidade sites tratamento hostil definições browser