Quantcast
PplWare Mobile

Tags: lixo espacial

Japão está na corrida espacial com o objetivo de limpar os detritos

A exploração espacial é uma promessa gigante que tem unido e afastado países que pretendem ver, com os seus olhos, aquilo que está para lá da Terra. Mais um exemplo disso é o Japão. Contudo, este não pretende que os humanos visitem o espaço, nem pretende criar colónias. Por sua vez, quer tratar de um problema que já conhecemos e que é preocupante: detritos.

Depois de anos e anos de exploração que não se prevê que abrande, o lixo espacial é uma questão cada vez mais relevante, e o Japão quer ser parte da solução.

Lixo espacial


Satélites deverão ser retirados de órbita até 5 anos depois das missões concluídas

A poluição da humanidade há muito que passou da Terra para o espaço. O planeta está rodeado de lixo espacial que é cada vez mais um problema, colocando em perigo os satélites em funcionamento e missões futuras.

A FCC – Federal Communications Commission – dos Estados Unidos da América, avançou agora com aquela que pode ser apelidada de “regra dos 5 anos” e que quer obrigar à retirada de satélites, foguetões e outros detritos da órbita da Terra baixa, até 5 anos depois das missões terminarem.

Satélites deverão ser retirados de órbita até 5 anos depois das missões concluídas


Satélites Starlink ameaçados pelos detritos causados na destruição de satélite russo

Há dias, uma organização criou um estudo para apurar a probabilidade de um ser humano ser morto por lixo espacial. Bom, cada vez existem mais detritos à volta da Terra e há um perigo maior de destruição de satélites operacionais. No final do ano de 2021, a Rússia usou um míssil para destruir um satélite no espaço. Esta explosão do velho equipamento russo causou uma tempestade de detritos que poderá trazer consequências graves. Os satélites da Starlink estão em risco.

Estas conclusões foram apresentadas durante um evento da Secure World Foundation na Small Satellite Conference, no passado dia 8 de agosto.

Imagem ilustração detitos de teste russo que ameaçam satélites Starlink


Qual a probabilidade de um ser humano ser morto por lixo espacial?

Cada vez o lixo espacial tem mais impacto na nossa vida e pode ser um problema de várias ordens, até de começar a cair na cabeça das pessoas, literalmente. Claro, atualmente, a hipótese de alguém ser morto por este tipo de detritos caídos do céu pode parecer ridiculamente pequena. Afinal, ninguém ainda morreu de tal acidente, embora tenha havido casos de ferimentos e danos à propriedade.

Assim, a questão que não quer calar é: com o aumento de lançamento de satélites, foguetões e sondas no espaço, temos de começar a levar a sério este risco?

Imagem de lixo espacial a cair na Terra


Lixo espacial por pouco não destrói satélite europeu

Esta situação tende a repetir-se com mais frequência. Cada vez há mais satélites na órbita baixa da Terra e o lixo acumula-se, tornando-se um perigo. Segundo a ESA, um satélite europeu, que se tem esforçado para escapar à morte prematura na atmosfera terrestre devido ao mau tempo espacial, evitou por pouco uma colisão com um pedaço de lixo espacial.

À medida que o Sol cospe mais erupções, os satélites enfrentam um duplo golpe com um maior arrasto e mais detritos.

Imagem satélite que escapou ao lixo espacial