Quantcast
PplWare Mobile

Neutralidade Carbónica: China prevê investir 17,7 biliões de euros

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Fo says:

    Mais ou menos 442 milhões por ano até 2060…
    É um bom princípio.

    • RNF says:

      Acho que essas contas não estão certas…
      17,7 biliões = 17.700.000.000.000 euros (bilião =milhão de milhão)
      Até 2060 são 38 anos (contanto a partir de 2022), logo são +/- 466 mil milhões por ano.

  2. André says:

    A China não é, em parte, responsável por grande parte da poluição que produz, até porque é o ocidente que fabrica lá os seus produtos sem impor qualquer tipo de atenuações para o ambiente. Se não houvesse tanta empresa do ocidente a produzir lá, as coisas poderiam ser diferentes… digo eu…

  3. Rui says:

    Estou comovido pelo aposta chinesa numa meta patética que os europeus impõem às suas próprias empresas agora mesmo, quando os maiores poluidores são a China e os EUA!

    Entretanto a indústria europeia é dizimada com taxas e taxinhas da treta e os chineses só agora vão começar a investir uns trocos na melhoria ambiental!!!! Parabéns aos europeus papalvos.

    Para os passarinhos europeus fica uma notícia brilhante, a China vai construir só 43 mega-centrais a carvão para produzir energia eléctrica + 18 altos-fornos. Notícia fresquinha: https://time.com/6090732/china-coal-power-plants-emissions/
    A Europa não vai impor sanções à China por ir ainda poluir mais?

    • RPG says:

      A índia lançou um argumento deveras forte para cima da mesa recentemente. A Europa por exemplo, durante mais de 200 anos foi o maior emissor, desde a revolução industrial, e desenvolveu toda a sua economia e indústria à volta do carvão, e de elevadas emissões de carbono, que nos levaram ao ponto que estamos hoje. Temos o direito de agora impor a países em desenvolvimento que cortem as emissões “de um dia para o outro”, ou temos nós de dar o exemplo? Não têm outros países o mesmo direito de se desenvolver com energia barata da mesma forma que nós o fizemos?

      É muito bonito apontar dedos à China, mas tens por ex os EUA a investir muito menos em energias renováveis nos últimos 10 anos que a China, e no entanto têm mais do dobro das emissões per capita que a China tem. Só o exército dos EUA, emite mais CO2 que Portugal inteiro, enquanto andam a fazer turismo durante 20 anos em terras afegãs.

      Claramente nunca meteste os pés na China nos últimos 10 anos, para poderes ver a quantidade de veículos eléctricos que lá circulam. Bastante superior aos números europeus, e comparado com os EUA, é de rir. Tens cidades com frotas inteiras de autocarros elétricos.. cidades com mais população que Portugal.. e mais autocarros que Portugal inteiro naturalmente.

      Um pequeno exemplo do investimento que tem havido por lá, e que por aqui não passa de conversa: https://www.youtube.com/watch?v=dZzaTs_q72k

    • miguelreal says:

      Sou de cá defendo o que é nosso quando faz sentido, mas a China começou a poluir 100 anos depois do ocidente, não te diz nada?,.
      Se não concordas com a evolução do seculo XX! vai pra China ou pra mata!!! papalvos são o Europeus que acreditam na VW e outros que mentem anos a fio e o pessoal nem se lembra e assobia rola, apenas um exemplo!!! u mundo não se mede elos EUA nem ela Europa (colonialistas e escravizadores), mas com o dialogo tudo pode e deve melhor especialmente os direitos das mulheres e dos trabalhadores.
      Os mortos não levam o dinheiro pra campa

  4. manuel says:

    Só acredita quem quer…

  5. David Guerreiro says:

    A China não utiliza só o carvão parar gerar eletricidade, também o usam em fábricas como meio para aquecer fornalhas, etc. Compram até carvão à Coreia do Norte.

  6. Outro José says:

    Alguém acradita no que a China (PCC) diz? Só se for um “anjinho” ou anda a desmoralizar por aqui. Tanta preocupação e tretas afins, mas – a pior palavra em português-, porque razão continuam a apostar em força nas centrais a carvão? Por que as regiões, fora do “postal ilustrado” do partido continuam a viver miseravelmente e envolvidas em poluição e veneno? Por que este país aposta tanto, hoje, nas suas forças militares ao ponto de já possuir mais navios qye os EUA? Que ameacas tem hoje, que não tinha antes? Continuem a acreditar no conto da sereia enquanto vão “libertando” tibetanos, uigures e mongois da sua pátria e cultura bem como os seguidites do Falung Gong e por fim, o próprio povo chinês! Muitis de nós europeus, agora, adoramos fingir que somos impolutos e ingénuos, pois com a qualidade dos políticos a actuais, fazemis é figura de estúpidos ou incapazes sequer de avaliar um contexto sem que alguém lhes dê o mote, perdendo assim, sem dar conta, a liberdade, a cultura milenar e fantástica, bem como a maior dádiva ao mundo: s democracia e tudo que fez deste continente o mais brilhante na História da Humanidade a diversos níveis. É triste.

    • Outro José says:

      Desculpem lá alguma troca se letras, mas nunca me sei bem com o teclado de telemóveis.

    • miguelreal says:

      tudo o que dizes esta muito bem mas lembra-te da historia ocidental …. lembra-te bem.
      A China é o ais com mais população do mundo então é tudo fácil ??? soma a população ocidental e ainda sobra !!!

  7. AlexS says:

    A fraude do cientismo continua.

  8. miguelreal says:

    Sem ser anjinho !!!

  9. Pedro V says:

    Biliões, em métrica europeia, certamente. Não é muito dinheiro, é algo que não cabe nas nossas cabeças. Ninguém lida com números tão monstruosos no quotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.