Quantcast
PplWare Mobile

Tesla enfrenta multa elevada na Noruega por reduzir velocidades de carregamento da bateria

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Test User says:

    Tesla= Apple dos carros
    Noruega faz bem neste caso, isto é Obsolescência programada.

    Carros sem garantia não é dada assistência. Dificuldade arranjar peças e manuais.
    Ver o canal youtube “Rich Rebuilds” :
    https://www.youtube.com/watch?v=1PWlkAZCojg

    Talvez seja um sinal que já foi ultrapassada pela Volkswagen na Noruega.

  2. Blox says:

    É bem feito para os que foram a correr a comprar estes carros. Se não tinham percebido antes que era tudo só conversa para vender carros a preços altos, e que ao que parece, com problemas escondidos nas baterias, bem vindos à realidade. Os grandes construtores podem ter demorado a fazer a transição, mas muito rapidamente vão ultrapassar a tesla.

    • Pedro V says:

      “É bem feito (…)”
      Faltou o nhanhanha, toma toma.

      Empresas como a vw, Audi ou BMW nunca nos enganaram! São empresas sérias.

      • Vitolas says:

        Claro que enganam e que cometem erros, ninguém poderá dizer o contrario.
        Agora, também se tem de ver que essas e outras marcas são quase todas centenárias e, se compararmos as aldrabices e erros de marcas com mais de 100 anos e de outra com meia dúzia deles o rácio é completamente desfavorável a Tesla.

    • rui says:

      Também não percebi… o mercado trabalha todo com baterias semelhantes, basicamente estás numa segunda versão da segunda gerração de baterias (a primeira do final dos anos 90), que começou +/- em 2010 e em 2013/2014 estão agora a surgir pequenas alterações que pode ser que apareça uma 3a versão. todos os fabricantes usam praticamente a mesma treta e nenhum dos construtores grandes ou pequenos faz as baterias.

  3. FreakOnALeash says:

    Computadores sobre rodas dá nisto!
    O que não significa estar a falar dos eléctricos em geral, mas os Tesla encaixam na perfeição nesta descrição.
    Pode ser que surjam sistemas abertos tipo Linux e só instalamos a actualizações que achamos corretas ou que já foram verificadas pela comunidade como seguras, mas isto é um sonho parvo pois na indústria automóvel a obsolescência programada faz parte do negócio e se conseguirem despoletá-la via atualizações, para eles melhor!
    Resta saber se será a Tesla a única a prevaricar desta forma, é que os construtores legacy de ICE também fazem bastante porcaria basta lembrar o DieselGate, fala-se muito da VW mas não foi a única apanhada!

    • rui says:

      exatamente o que se passa com os restantes carros com as centralinas e programação das mesmas, erros etc. tudo fechado.
      Tanta regulaçaõ e o Right to Repair fica sempre fechado, mas com o que exigem a nível de responsabilidade, recalls, seguros, etc. terem que garantir o que cada um fazia seria impossível.
      É o mesmo com os telemóveis que “não dá para trocar a bateria” se querem que as marcas se responsabilizem e investiguem se há alguns que explodem e começam a arder.

  4. Joao Ptt says:

    Carros a baterias, quem diria que seria uma má ideia… enfim, qualquer um que tenha utilizado pilhas ou baterias recarregáveis… está visto que vai dar problemas, a tecnologia não evoluiu assim tanto para se colocar baterias que duram décadas e sem problemas e com imensa capacidade e disponibilidade.
    Se seria possível? Claro, mas não dá é (aparentemente) para fazer em larga escala (devido ao custo dos materiais), pelo menos até agora esse tipo de baterias só vai para os satélites e para os militares… que é quem está disposto a desembolsar o dinheiro que custam a fazer.

  5. Paulo says:

    É a primeira vez que uma actualização de software reduz o tamanho do depósito!

  6. Pedro Abranstes says:

    O artigo está incompleto e demonstra (muita) falta de conhecimento.
    1.º – O tribunal (descrito na noticia) corresponde ao nível civil + baixo que existe (estilo centro de arbitragem ).
    2.º- O caso foi decidido desta maneira, porque o acusado(a Tesla) não compareceu, pelo que automaticamente atribuem o montante máximo que estes tribunais podem dar.
    3-º-A Tesla tem que pagar este valor se não levar o processo para o nível seguinte.

    A nível de relações públicas, foi uma falha a Tesla nem ter comparecido.
    A nível dos factores que os utilizadores se queixam, existem muitas comparações com outros fabricantes (leafgate) ou até mesmo de combustão(o dieselgate – este caso a alterar a performance do motor).

    Uma empresa como a Tesla podia e deveria ter dado a devida atenção a este caso.

    • Vítor M. says:

      É interessante que, o que o caro Pedro trouxe, não é mais que uma mão-cheia de nada. Meu caro, ora vejamos:

      1.º – No texto diz claramente que o tal tribunal é o “conselho de conciliação do país”. Ora, com um pouco de pesquisa, se quisesse, veria que estamos a falar numa espécie de Centros de Arbitragem. Portanto, está correto o texto.

      2.º – Também está descrito que o acusado não compareceu e o conselho de conciliação do país fixou a coima no valor de 13 mil euro por cada um dos queixosos. Diz no texto, basta ler.

      3.º – Também diz no texto que “No entanto, a empresa pode ainda entrar com um recurso no conselho de Oslo.” Ora o conselho de Oslo é o tal nível seguinte. O texto está certíssimo.

      No que toca ao resto que diz, é a sua opinião, não se sabe qual será a estratégia da Tesla. Esta pode nesta altura não fazer nada, apresentar recursos no conselho de Oslo e até fixar uma forma de indemnizar ou compensar os seus clientes. Assim, no texto não tem de ter esta especulação, logo, o que diz no texto é o que se sabe e está correto.

      Sobre outros fabricantes, mais uma vez é a sua opinião e que nada vem acrescentar à notícia em si. A tesla não é outro construtor, tem uma forma de lidar com estes casos, umas vezes bem, outras nem por isso, e na Noruega é um dos locais onde nem sempre lida bem, conforme notícias já publicadas no passado. Além disso, o texto refere outro casos que aconteceu nos EUA, dentro do mesmo problema.

      Em resumo, a sua afirmação ao dizer que o texto está incompleto é falsa. O texto está fidedigno ao que se passou perante a fonte do país e perante os factos conexos ao problema.

  7. wtvlol says:

    Afinal a Tesla não estava “10 anos avançada” como muitos fieis apregoavam.

    Ao passar os anos os carros vão apresentando problemas e depois não se tem um sítio físico onde se dirigir.
    Fica-se meses e meses à espera caso exista uma falha de hardware.

    Bem, sempre se pode andar a pé. Fica mais barato e faz bem à saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.