Quantcast
PplWare Mobile

Em 2027, não existirão mecânicos suficientes prontos para a manutenção de carros elétricos

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. rodrigo says:

    Os carros electrics são o futuro. Aqueles que se recusam aceitar isto farão parte do passado. Os mecânicos que se poem fino e que se adaptm a esta nova realidade.

    • Pedro says:

      Muito fácil dizer para os mecânicos se porem finos quando não se tem noção dos custos dos cursos em questão e das ferramentas necessárias para efetuar manutenções no mesmo , deixo te um exemplo sabias que todos Renault novos só consegues fazer diagnostico na marca? e com ligação aos servidores da própria Renault, que se nem tiveres net nem diagnostico consegues fazer .
      de 18 mecânicos só 3 estão creditados a trabalhar em veículos Z.E . porque as marcas nem investem nos funcionários que têm , e mais outra questão os ordenados , quando agora querem mecânicos a ganhar o ordenado mínimo e até haver recepcionistas a ganhar mais por exemplo .
      E em relação aos elétricos serem o futuro, sim serão . mas serão a hidrogênio . visto que a aposta das marcas vai nesse sentido para 2025.

      • says:

        Confirmo, cada vez mais é necessário ligação ao servidor da marca.

      • rodrigo says:

        O meu Lexus tb so se consegue fazer diagnostico na oficina oficial e nao deixa de ser um carro a combustível. Ainda nao encontrei oficina que conseguisse fazer diagnostico mas de certeza que existe for da marca. Nisso nao ha nada de novo.
        E esta mudança para elétrico nao ira acontecer de um dia para o outro. Portanto os mecanicos terão tempo para se formarem e comprarem os equipamentos necessários.

        O futuro tambem ira ser complicado para aqueles sem quaisquer estudos. Mas isso ‘e conversa para outro dia!

      • RC says:

        Marcas ? ou estão a falar de concessionários ? são coisas diferentes.

        Tenho uma máquina de diagnostico sem ser da renault que faz diagnóstico em todos os eléctricos da renault, e não precisa de estar ligada à internet, apenas se quiser fazer atualizações.

        • Pedro says:

          No novo megane e kangoo não entras de certeza .

        • Lopes says:

          mais uma vez a falar sem saber depois dá nisto, tiros nos pés, maquinas dessas até eu tenho, o que se está a falar garanto-lhe que muitos dos atuais modelos e muitos futuros estas maquinas não trabalham sem estarem ligados ao servidor da marca em tempo real…

          Isto está feito para ir sempre há marca e acabar com a concorrência há muito que se caminha nesse sentido…

          • RC says:

            Garante como ? é produtor delas ?

            A que tenho há uns meses atrás nem suportava os teslas e agora já suporta.

            Não sabe que isso é lei ? até já foi apresentada aqui, os fabricantes têm de fornecer ferramentas a terceiros de diagnostico e não só.

            Se tem de estar ligado a um servidor é secundário, não tem internet ?

          • Pedro says:

            Exatamente , os veículos pelo menos da marca que trabalho renault e que são 100% eléctricos e que tão a sair agora ( novos modelos ) para fazer diagnóstico só ligado aos servidores renault , e porque ? Muito simples , toda a informação de DTC etc fica logo registado no sistema Alliance.
            E depois tens 3 níveis de pontes de segurança, para fazer programação etc só com token dos coteck.

            Cada vez mais as marcas vão obrigar as pessoas a fazer a manutenção na marca .
            E até nos na marca basta ter os servidores em baixo que nem conseguimos ver uma simples avaria .

          • RC says:

            Ahh fazer programação !! isso é diferente, você falou em diagnostico, e não programação.

            Para fazer diagnostico não podem, é lei terem de fornecer esses dados.

            E sim, há várias maquinas a fazer ligação a esses servidores, apenas para se manterem atualizadas com os devidos firmware’s.

            Não, não podem obrigar, porque isso é lei na europa.

      • Américo Mendes says:

        Verdade…de cada 5 carros eletricos que passam por mim. 3 já são com hdrogénio…é uma questão de mais 5 anos e são todos a hidrogénio.
        (nao resisti)

        • Pedro says:

          Não percebi se era a ser sarcástico ou não.
          Mas em relação a hidrogénio o que quis dizer é que a Renault a partir de 2025 quer lançar só modelos (novos) a hidrogénio.

          • RC says:

            Onde é que isso está escrito ?

            Hidrogénio não faz qualquer sentido em carros, mesmo em pesados dificilmente é viável.

      • RC says:

        Mas porque quer um carro a hidrogénio ? a gasolina e gasóleo não estão caros o suficiente ?

        Este problema só aumenta com esses carros, já que depois têm de ter formação em mecânica, eletricidade em alta tensão, e formação em sistemas de hidrogénio, tanto em baixa como em alta pressão, que são muito mais perigosos. Já tive a oportunidade de ter um durante umas semanas e em 2001 participei num projeto de criação de um veiculo com pilhas de combustível, cá em Portugal.

      • Lelo says:

        Nesse caso a directiva Europeia 461/2010 traz vantagens.
        As marcas não precisam de gastar fortunas em formação e podem fornecer acesso a esses serviços de diagnóstico fora da marca.

      • Lelo says:

        Hidrogénio em automóveis ligeiros é um desperdício.
        Uma opinião de quem sabe melhor que esta fraca classe politica

        “In Feb. 2021, Herbert Diess, the CEO of Germany’s Volkswagen Group, weighed in on the subject. “It’s time for politicians to accept science,” he tweeted.

        “Green hydrogen is needed for steel, chemical, aero … and should not end up in cars. Far too expensive, inefficient, slow and difficult to roll out and transport. After all: no #hydrogen cars in sight.” “

        • darksantacruz says:

          Há uns anos atrás os carros elétricos também não serviam, que tal deixarem a tecnologia dos carros a hidrogenio evoluir? Se evoluir corretamente o potencial é tremendo.

          • RC says:

            Sim, têm um enorme potencial para consumir e desperdiçar energia, e também recursos.

            Por mim podem evoluir à vontade, já testei e para mim não quero.

          • RC says:

            Sim, têm um enorme potencial para consumir e desperdiçar energia, e também recursos.

            Por mim podem evoluir à vontade, já testei e para mim não quero.

          • Rodrigo says:

            Sim certamente iremos ter veículos electricos e veiculos a hidrogenio. Ambos podem coexistir. Não tem de ser um ou o outro.
            Aliás cada tecnologia tem as suas vantagens e desvantagens. Carros eléctricos para os veículos pessoais e os de hidrogénio para os camiões por exemplo

          • Rodrigo says:

            Sim certamente iremos ter veículos electricos e veiculos a hidrogenio. Ambos podem coexistir. Não tem de ser um ou o outro.
            Aliás cada tecnologia tem as suas vantagens e desvantagens. Carros eléctricos para os veículos pessoais e os de hidrogénio para os camiões por exemplo

    • 1984 says:

      ahahahahahah
      mexe tu

    • RC says:

      É como aqueles que não se adaptaram às novas tecnologias a combustão, que dependem muito de eletrónica.

    • L.Sousa says:

      Não acho! Não pode ser a rede não suporta. PAra mim hidrogénio!

    • TiGaSPT says:

      Deve ser verdade, deves ser mecânico para afirmar-se uma coisa dessas, há muitos mecânicos incluindo eu que se recusam a mexer me eléctricos por não prestarem, se achas que fazes melhor força

      • RC says:

        Se não mexe como sabe que não prestam ?

        Você parece daqueles mecânicos que quando não sabem reparar certos veículos , culpam o carro em vez de assumirem que não pescam nada do assunto.

        Normal, acontece muito isso com quem tenha mexer em por exemplo Peugeots mais recentes.

      • rodrigo says:

        lol. Se vocês os mecanicos se recusarem mexer em elétricos os vossos dias estão contados infelizmente. Quem nao se adaptar acaba por nao sobreviver.

  2. TugAzeiteiro says:

    Portanto a profissão de mecânico num futuro próximo será totalmente diferente da atual… Tal e qual como muitas outras profissões foram sendo atualizadas, ou até surgiram novas, ao longo do último século de evolução é isso? E novidades? Também já é mais do que sabido que há muitos mecânicos que atualmente não querem mexer nos carros a combustão atuais, por terem muita electrónica… é uma opção, mas é a tal coisa, haverá mercado para eles a médio prazo, talvez até dê para ganharem até se reformarem, agora a malta nova que quer seguir ou já está na profissão, é bom que se mantenha atualizado e que tenha formação o quanto antes, pois ou muito me engane ou irá ser uma profissão que irá ter um bom retorno financeiro!

    • AlexX says:

      Bom retorno financeiro é só para o proprietário da oficina, e mesmo esse terá provavelmente que ser representante oficial duma marca para ter acesso ao software de diagnóstico e programação e cada marca deve ter o seu software caso não surja uma lei que obrigue todas a usar o mesmo. O engenheiro mecânico poderá ganhar um pouco mais que os restantes mecânicos mas não é nada por aí além. Na área da mecânica, por enquanto e para quem prefere ser trabalhador por conta de outrem, bom retorno tem quem investe na formação de mecânica aeronáutica.

  3. Dani Silva says:

    Então ainda bem que os carros eléctricos praticamente não necessitam de manutenção…

  4. Dinis says:

    Qual manutenção? Para mudar pastilhas é preciso ser mecânico? E se uma bateria avaria tira-se fora e mete-se outra, não dá para abrir… E os motores? Já abriram um carrinho de pista? O motor que está lá dentro é a base de todos os motores elétricos… Um íman fixo e um eletroíman que roda… que dificuldade… Quanto a software o problema não é trabalhar com ele é arranjá-lo porque qualquer pessoa que saiba inglês mexe num carro elétrico…

    • Pedro says:

      Sabes que os veículos não gastam só pastilhas correto? e achas que os elétricos não avariam estas bem enganado .
      Neste momento temos mais elétricos a levar motores e módulos etc do que veículos a combustão .
      E as baterias são reparadas e dão para abrir.
      Sim claro basta saber inglês para mexer num carro elétrico , só não sei porque tive 2 semanas de formação só para mexer neles, também o máximo que te acontece ao mexer neles é puderes levar uma descarga de 400v coisa pouca , visto que os novos modelos vão começar a vir com 650v.

      • RC says:

        Teve formação e não aprendeu que é quase impossível apanhar choque de 400 volts num carro ?

        • Pedro says:

          Quase impossível, mas não impossível. Em algum momento falei em ser possível ou impossível?
          E simplesmente se torna quase impossível, devido aos altos sistemas de segurança de bloqueio da rede de alta tensão .

        • Pedro says:

          Mas mete pessoal sem formação a mexer neles e vê se não acontece uma desgraça.
          Também era impossível baterias incendiarem, e tens já alguns casos .

          • RC says:

            Onde viu que era impossível baterias incendiarem ?

            Mesmo sem formação dificilmente apanham, já que a materia dos sistemas só permite abrir a bateria com a ficha de segurança fora, logo apanham no máximo com metade da tensão da bateria, que ainda é perigoso, mas nada que se compare a 400volts dc ou perto disso.

            A formação para essa parte é dada em 2 a 4 horas.

          • Pedro says:

            Será que não percebeu que tava a ser sarcástico em relação a ser impossível incendiar …
            E qual da parte não percebeu que simplesmente falei no sentido de haver riscos ( que não é so saber inglês como o colega disse no primeiro comentário ).
            E mesmo ainda hoje vejo muitas pessoas a correr riscos desnecessários, e o problema é quando acontece um acidente .
            Ainda este ano morreu um estágio em França.
            Agora vieram ainda com mais regras etc , mas o rapaz já morreu ….

          • RC says:

            E qual foi a causa da morte ?

          • RC says:

            Riscos há em todo o lado meu caro, tenho um amigo que ficou sem uma perna apenas por estar a baixar um motor de um carro.

        • Lopes says:

          Diz o roto ao nu – que roupas vestes tu… é aqui o mesmo caso. Acenta que nem uma luva, um pode não saber o outro é igual ou pior…

          Quase impossivel, HHAHAHA, mais uma vez a falar sem saber, existem protocolos a tomar nestes casos, um descuido e a ver se não apanha choque…

          Isto só mesmo visto, calado eras um poeta.

          • RC says:

            Pois existem, e sei quais são, até porque tenho essa formação, por isso digo que é quase impossível, a não ser que o façam de propósito.

          • Pedro says:

            Não sei se o comentário é pra mim ou não.
            Mas no meu caso sei bem os riscos e virem dizer que é quase impossível apanhar choque nos eléctricos, que facilitem e depois não se queixem .

            Para algumas pessoas as marcas têm protocolos super exigentes a nível dos eléctricos só porque lhes apetece ta visto .

          • RC says:

            Onde é que isso foi dito ?

      • Dinis says:

        Eu não estou a dizer que não tem que se aprender alguma coisa mas é muito pouco comparado com a mecânica a combustão.
        Os motores são muito mais simples, as marcas não vão conseguir controlar quem repara, agora a eletrónica e o software é que já é mais difícil, mas não impossível… Já vi muito vídeos de teslas com o software alterado, não deve ser assim tão difícil (para mim é impossível, não percebo nada).
        Quanto aos 400v: se vais mexer em 400 V e não tens calçado e luvas adequadas mereces tudo o que te acontecer, não interessa se é a bateria de um tesla ou a catenária dos comboios… Acho que isto é senso comum…
        Volto a repetir: não digo que não tenha os seus quês mas o carros elétricos são muito mais simples que os a combustão.
        Quanto aos hidrogénio também têm os seus quês mas também são mais fáceis que um a combustão. Um carro a hidrogénio só acrescenta o depósito, a bomba injectora de hidrogénio e o “conversor” de hidrogénio em água e electricidade que não é nada mais que uma chapa metálica de alumínio preparado… O resto é como um elétrico sem baterias ou talvez com uma bateria mais pequena não sei…

        • RC says:

          Carros a hidrogénio são eléctricos, além de terem os componentes normais como qualquer eléctrico, têm 3 sistemas a mais, o de armazenamento e alimentação da pilha de combustível, o da pilha de combustível , e no caso da toyota(não sei se vai ser usado por outros, mas é bem provável) o dc booster, para elevar a tensão da pilha de combustível.

    • Unknown says:

      Bateria de lítio é só abrir e trocar

    • Grunho says:

      E para trocar os filtros do EV? E mudar óleo? E as velas? E fazer a distribuição com bomba de água? Ainda não há ninguém que saiba fazer isso no EV, penso eu de que.

    • L. Teixeira says:

      Sim, vai ser como os frigoríficos. Queimou a placa? Troca-se. A diferença é que no carro elétrico cada peça vai custar metade do carro!

    • RC says:

      Nem por isso, as baterias dão para reparar, tem modulos que podem ser substituidos, têm electrónica que também pode ser reparada, além disso, fora dela também tem outros componentes que podem igualmente ser reparados.

      Coisa que os mecânicos atuais raramente fazem, trocam peças, é isso que é ser mecânico atualmente.

    • RC says:

      Já agora, nem todos, têm imans. A maioria são motores AC.

  5. secalharya says:

    O Musk resolve! Basta uma atualização over the air.

  6. Blackbit says:

    Chamar-lhes “mecânicos” não faz muito sentido, “electricistas” é sim o termo mais apropriado, pois lidam com componentes electricos, baterias, módulos electronicos, etc..

  7. RC says:

    Se não há, toca a formar, existem já bastantes opções de formação em Portugal para eles.

  8. SANDOKAN 1513 says:

    “Tendo em conta que a manutenção dos veículos elétricos implica o trabalho com eletricidade de alta tensão, esta abordagem pode ser inadequada e, em muitos casos, perigosa.” Muita atenção a isto !! Muita atenção !!

  9. Ram says:

    Em 2027 vai haver mais mecânicos que gente com dinheiro para carros.. Kiss

  10. 1984 says:

    Compre não perca a nossa oferta de ter a sua central electrica com rodas .

  11. Infinity says:

    Nao tenho ideias de trocar de carro, logo não vou ter esse problema

  12. Mapril says:

    As marcas irão formar os seus mecânicos. Dado que a indústria ainda está na sua infância, e cada construtor tem a sua própria tecnologia proprietária, durante uns anos bons, só se encontrará técnicos bem formados nas oficinas das marcas – e eles vão carrega bem no preço (não havendo concorrência…). Por outro lado, não me parece que os mecânicos convencionais irão ter falta de trabalho tão depressa – pelo contrário, muito automobilistas, principalmente nos grandes centros, irão tentar manter os seus carros a combustão até ao limite, por falta de locais adequados/convenientes para o carregamento elétrico)

  13. Emanuel says:

    Os “mecânicos” hoje em dia são troca-peças.
    Exceção feita a algumas oficinas de bairro que efetivamente ainda reparam componentes dos carros.

  14. fabio costa says:

    Se não aliarem a ganancia de só vender e participar os reparadores independentes as tecnologias colocadas nas ruas certamente vai demorar um pouco mais esse crescimento da frota eleltrica. Foi assim quando os flex chegaram. Já se fazia conversão flex nas “boquetas” enquanto as fabricas falavam que levaria ainda uns 10 anos . SE naõ ajudarem os reparadores a famam do eletrico irá de mal a pior .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.