Quantcast
PplWare Mobile

Carros clássicos poluem menos do que os elétricos, concluiu estudo

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. J. says:

    conclusão óbvia: produza-se novamente o 4l, o 2cv, etc. 😛

  2. B@rão Vermelho says:

    Tem lógia, um relógio de ponteiros mesmo avariado está certo duas vezes ao dia.
    Eu ainda ontem ia atrás de um Tesla na minha mota e tive de o ultrapassar a alta velocidade por causa do fumo de escape do Tesla, pelos menos era o que eu ia argumentar caso fosse mandado para pela policia 🙂

    • secalharya says:

      Cuidado com os Teslas.
      Se acontecer phantom braking lá ficas tu colado ao vidro de trás do carro.

      Esse problema tem afectado muitos Model 3/Y.

    • boda_Psi says:

      outra vez: “um Volkswagen Golf, com um motor térmico, representa 6,8 toneladas de dióxido de carbono. Por outro lado, a produção de um Polestar 2, elétrico, emite 26 toneladas.Portanto, um carro clássico precisa de 46 anos de utilização para poluir tanto quanto um Polestar 2 durante a sua produção.”
      Pode ser que na segunda tentativa entre …..

  3. SPr says:

    Eléctricos alta ca$?%!a…
    https ://expresso.pt/sociedade/2021-09-08-Silencio-de-carro-eletrico-condena-seguradora-a-indemnizar-familia-de-jovem-que-morreu-atropelada-f574045a (Quase me ia acontecendo com um eletrico Zowie)

    Outro (e muitos mais)
    https ://autoportal.iol.pt/acidente/insolito/video-autocarro-eletrico-arde-por-completo-apos-incendio-na-zona-das-baterias/20220613/628e05480cf26256cd25e97f

    Só me apetecia dar uns pontapés naquela sucata.

    • Bruno says:

      A UE obriga que os carros eletricos produzam um som quando estão em movimento precisamente por essas situações. Posso dizer que hoje os carros eletricos fazem mais barulho que carros a combustão quando estão a andar a baixas velocidades.
      No que toca ao seu acontecimento com o Zoe, se calhar deveria olhar para a estrada antes de passar. Qualquer dia é atropelado por um carro a combustão e vai dizer que era eletrico porque nao fazia barulho

  4. nuno a says:

    quantos mais anos tiver o veiculo menor será a sua pegada ecologia pois vai-se diluindo com o tempo de vida, um carro eletrifico vai diluindo a sua pegada até necessitar de substituir as baterias, nessa altura a pegada volta a subir para perto do máximo .

  5. Luis Henrique Santos Silva says:

    Pronto lá vamos nós outra vez…..
    Enfim…..
    Também já vi outras coisas, isto sã apenas guerrinhas, uns dizem que o processo todo até chegar à gasolina ou gasóleo polui mais que o fabrico de baterias, outros dizem o contrário enfim

  6. Carlos Santos says:

    Mas então? Um carro produzido há décadas ainda emite essas toneladas todas para ser produzido? Ficaram congeladas?
    Mais um tópico para uma grande discussão. Será que tb poluímos nos comentários do PPW? eheh

    • André says:

      Obviamente que a pegada de produção de um carro produzido há 30 anos atrás foi diluída no tempo e partindo do pressuposto que a pessoa não adquiriu mais nenhum carro entretanto e nesse ponto de vista sim, são muitissimo mais ecológicos… Agora qual é a pegada de estarmos a mudar de carro por capricho de 5 em 5 anos por exemplo (uma grande fatia dos tugas)? Já para não falar no uso de recursos finitos.
      @Carlos Santos sim… poluis ao comentar, os servidores que estão por detrás consomem energia, energia essa que atualmente também vem do Gás Natural, Nuclear, etc.

      • RC says:

        Diluída como ? ele não fez nada para a evitar, além de ficar parado.

        Sim, recursos finitos, como por exemplo o PETRÓLEO.

        • André says:

          O lítio, paládio, ouro, são recursos infinitos vamos lá ver… tudo metais necessários para produzir carripanas elétricas.
          Ainda não percebeu onde eu quero chegar… se a PRODUÇÃO do carro gastou por exemplo 2 toneladas de CO2, se a pessoa não comprou mais nenhum carro, não houve nova emissão de CO2 para a atmosfera.
          MAS parece que é mais ecológico e fancy trocar de carro de 5 em 5 anos e emitir 4 ou 5 toneladas de CO2 para produzir um novo elétrico

          • RC says:

            Coisas que os a combustão também usam, e pode ser reutilizados, porque acha que andam a roubar catalisadores ?

            Eu percebi, que você não pesca nada do assunto, e está a deturbar a informação. O carro não produziu 2 toneladas de CO2.

            Trocar a cada 5 anos para quê ? eu tenho um electrico com 23 anos.

            Sim parece e é mesmo, são o que os dados que temos indicam, podem produzir mais na produção, mas compensam e baixam as emissões totais na utilização.

            O que aconteceu com esses é que emitiram e não foram usados, logo as emissões da produção + utilização são baixas, PORQUÊ: porque não foram usados, 1900 kms num ano não é um carro que seja usado.

  7. André says:

    Se contarmos com a percentagem de materiais recicláveis que estes veículos têm, que a sua vida útil é deveras superior aos atuais, e que o CO2 emitido na sua fabricação já está mais que compensado porque quem comprou uma unidade, certamente não comprou outra durante 20 anos pelo menos… Sim são deveras mais ecológicos.
    Hoje em dia é só plásticos e fibras que mal dão para reciclar

    • RC says:

      Compensada como ? cada vez que usou juntou mais alguns kilos, cada litro de gasolina emitiu mais 2.3 kilos pelo escape, fora todo os outros kilos para a fazer chegar ao carro.

  8. Abílio Portas says:

    Acredito mesmo nesta teoria e sei que isto é verdade.
    Excelente artigo!

  9. Castro says:

    cada conclusão mais estúpida! Agora diz-se que um meio de locomoção é menos poluente porque basicamente nunca é usado como meio de locomoção… Excelente comparação para manter a clientela rica a pensar que são muito ecológicos, e como se muitos desses clássicos não tivessem tido restauros com peças novas, etc, etc.

  10. Carlinhos says:

    “A Alemanha não vai concordar com a proibição dos motores a combustão”, frisou o responsável, ecoando as reações do setor no país. A associação automóvel alemã VDA considerou que a decisão vai “contra os cidadãos, contra o mercado, contra a inovação e contra as novas tecnologias”.

    O diretor-geral da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) subscreve a posição, afirmando ser contra uma proibição total da venda destes automóveis e defendendo que a discussão deve ser retomada só em 2028. Nessa altura, deve ser feito, também um ponto de situação “sobre o estado da rede de carregamento assim como das diversas soluções tecnológicas”.

  11. Hugo says:

    Um avião polui menos que uma mota. Se o avião estiver desligado, e a mota não.

    • B@rão Vermelho says:

      @Hugo, e provas dizer isso só porque sim ñ vale nada 🙂
      No mínimo 3 links do redtube e 4 publicações do FB

    • André says:

      Já agora só falta dizeres que os cruzeiros são amigos do ambiente.
      Um navio de cruzeiro se calhar polui tanto num dia, como um carro a diesel em 10 anos de vida util.
      Estamos só a apostar no cavalo errado… andamos a taxar os carros, e temos os problemas em cima da nossa cabeça (aviões) e na água (barcos).

      • RC says:

        Então e um navio tanque de combustivel e petróleo, polui quanto ?

        Já que a navegação por mar contribui com apenas 10% daquilo que todo o transporte terreste conta.

        • André says:

          E a mineração de metais raros e preciosos?
          Porque é que não mineramos litio em portugal? se afinal é tão bom para o ambiente?

          • RC says:

            O mesmo acontece para os a combustão, pode começar pelos mais famosos, lítio, paládio, ouro, platina, ródio, entre muitos outros.

            Não sabia que por exemplo o lítio é usado no fabrico de alumínio primário ? ouro nos circuitos eletrónicos, platina, paládio ródio nos catalisadores, entre muitos outros.

            O que está a dizer é como se fossem produzidos em árvores.

            https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADtio

  12. caneiro says:

    pois eu também suspeitava disso. Tenho um classico e noto isso perfeitamente.

  13. Pedro Ventura says:

    Mas alguém leu a notícia??? Poluem menos porquê percorrem em média 1900km por ano.

  14. Miguel Porto says:

    Isto faz lembrar alguns estudos da apple vs android:
    Fazendo-se as perguntas corretas obtem-se as respostas esperadas.

    • Joao says:

      Mal por mal prefiro manter as coisas como estão pois o meu veículo de 83 trabalha a gasóleo,óleos usados de restaurantes e a hidrogênio se o transformar para esse efeito…carros a pilhas ..aprendi desde que recebi o meu primeiro carro telecomandado no natal que se quisermos andar temos de comprar mais pilhas… agora alimentar uma indústria que se mostra como verde e inovadora no entanto produz 26 toneladas por cada veículo não tem qualquer sentido de ecologia…

      • RC says:

        Se percebesse alguma coisa do que está a falar sabia que a pilhas são os a hidrogénio, já agora, sao eléctricos na mesma, e não, não podem ser convertidos, mesmo que fosse duvido que você tivesse disposto a gastar 80 a 100 euros de hidrogenio a casa 100 kms feitos.

  15. secalharya says:

    Mas os carros antigos gastam mais em smiles per gallon.
    Um eléctrico nunca irá igualar o prazer de trocar de caixa ou ouvir o motor a subir de regime.

    • freakonaleash says:

      É mais trocar a caixa e ouvir o motor a subir por um guindaste:)…é o que aguarda a maior parte dos carros a combustão, um desprazer que sai da carteira!

      • André says:

        Ahahaha. Então porque é que não há aviões elétricos e navios elétricos? É que são estes que poluem mais.
        Além disso, estamos a queimar gás natural para suprir 45% das necessidades energéticas do país… É só um greenwashing.
        Entao concordas a emitir-se milhares de toneladas de co2 de 5 em 5 anos para o povo trocar de elétrico só porque sim, porque simplesmente as baterias não dão mais.

        • RC says:

          Errado, os aviões e navios contam com apenas 10% (cada um) daquilo que contribui todo o transporte terrestre.

          Não invente só porque lhe convém.

        • scor says:

          Navios e avioes eléctricos ja existem

        • Mr. Y says:

          Não há aviões nem cargueiros eléctricos? Ora pesquisa lá.
          Isso da necessidade da troca da bateria de 5 em 5 anos é uma treta pegada. Quanto mais não seja havendo garantia de 8 anos nas baterias e já estudos em várias marcas que indicam com 160k km e tens a bateria, no mínimo, a 70%. Na Tesla poderá chegar aos 400k km com 90%!

        • Bruno says:

          Embora já hajam aeronaves e navios eléctricos a diferença reside na aplicabilidade e condicionalismos de cada tecnologia. Caso tenha interesse sugiro que veja os eVTOL, e como a realidade dos Jetsons já é uma realidade.
          Ora vejamos a questão das aeronaves: O peso importa muito mais nas aeronaves do que nos carros pelo que até à 10 anos não haviam baterias que permitissem uma densidade energética que torna-se viável a sua implementação na aviação. Contudo desde o aparecimento do F-35B (caça VTOL) e dos drones que houve um enorme desenvolvimento, sendo disso exemplo a RollRoyce , a Airbus, múltiplas empresas especializadas em EVOTL. O facto de não assistir a mais desenvolvimento têm a ver com a demorada certificação e aprovação de novas tecnologias na aviação bem como às patentes e secretismo envolvido na aplicação de EV na aviação militar e na aviação comercial.
          Quanto aos navios, o peso não é problema mas a maior fragilidade das baterias aos meios salinos é critica, pois as baterias tradicionais são muito vulneráveis à água do mar e dada as condições no mar alto, o medo de depender de locomoção elétrica no meio da água ainda assusta muita gente, além de que o reabastecimento de navios ainda é mais práctico com combustível fóssil do que com eletricidade. Contudo não esqueçamos que isto são só aparencias… os multimilionários e afins já tenham os seus super iates movidos a electricidade e os melhores submarinos do mundo são movidos a electricidade com prestações muito melhores do que qualquer outro tipo de navio.
          Basta relembrar que a eficiência energética de um motor elétrico é superior a 90% e que um motor a combustão conseguirá na melhor das versões uma eficiência de 46%…

  16. Grunho says:

    A condição para os clássicos não poluírem é não andarem, porque mal o motor comece a trabalhar é simplesmente pestilencial. Pior que qualquer outro carro a combustão, que por sua vez são N vezes piores que os eléctricos. A quem foi encomendado este estudo para branquear os clássicos?

    • André says:

      Então e se uma bateria de um elétrico se abrir… nem quero ver. E como um célebre caso de um bmw que colide a 30kmh e foi dado como perda total… valor do carro 55 000€, valor de substituição das baterias porque ah e tal podem ter ficado danificadas… 40 000€. É isto que é ecologia? Deitar fora um carro com 2 anos. A geraçao do descartável a funcionar.

      • RC says:

        Mais uma invenção, o carro não colidiu a 30 kmh, não foi dado como perda total, e curiosamente anda por ai a andar. E também não custa 55 mil euros. e a bateria não custa 40 mil euros.

        Não acertou uma, tem alguma bomba de combustível ? já que passa o tempo a espalhar desinformação.

        • André says:

          Se quiser dou-lhe o contacto da pessoa.
          E o Sr. também… posso abrir uma mina de lítio ao lado da sua casa e contaminar todos os lençois freaticos? Se calhar não ia gostar.

          • RC says:

            Existe uma mina de lítio no meu concelho, e até existem outras de materiais que você usa em sua casa.

            Devo meter me contra isso e desejar que você é outros vão morar para as cavernas?

            Raio mais ao egoísmo.

        • André says:

          Mas se o Sr. tem dinheiro para andar a gastar em baterias daqui a uns anos.
          Ou será daqueles que vai chorar para a tv a dizer que foi enganado pelas marcas dos automoveis?

        • André says:

          Vou abrir uma loja de baterias e geradores… porque os dos eletricozinhos quando estão com eles apertados, ligam ao gerador…

          • RC says:

            Ligam onde ! Nunca vi nenhum, além de uma foto que andou a correr o mundo e as pessoas ignorantes comentam todas contentes quando não sabem o que aconteceu e onde foi.

            Fica uma pista, aconteceu na Holanda .

  17. Nadi says:

    A maior parte das pessoas só se vai aperceber dos PROBLEMAS dos carros elétricos quando for tarde demais. Depois da compra.

  18. JS says:

    E respirar gases na cidade?

  19. António Sousa says:

    Lembro-me de há uns anos ter havido uma comparação, sobre esta matéria, entre um Tesla e o Mitsubishi com motor a gasolina e 1300 CC. Agora comparam um Golf com um Polestar… ainda se fosse comum VW ID3. Falta a esta gente um mínimo de rigor naquilo que faz e a quem lhe dá crédito uma grande falta de conhecimento e de bom senso.

    • Mr. Y says:

      Tu leste o artigo ao menos?
      Eu poupo-te o trabalho. O artigo indica que o custo dos eléctricos está a subir por causa do aumento do preço das matérias primas. O que é que isso tem a ver com a poluição dos eléctricos?

      Que digas que os eléctricos, neste momento, não sejam acessíveis a toda a gente e que não haja estrutura para os alimentar até acredito. Agora não mistures os assuntos…

  20. ruimvp says:

    Só vendi o meu Ibiza comercial 1.9 TDI de 1998 porque fui pai e um carro de 2 lugares não dá. Senão ainda andava por aí a acelerar. É uma conversa muito nobre a da UE sobre poluição e carros, mas esquecem que a Europa é uma muito pequena parte do mundo, e o resultado prático da proibição de combustão de combustíveis fósseis por cá vai ser o resto do mundo tornar-se mais competitivo em relação à Europa. Para a Europa se eletrificar e atingir os objetivos a que se propõe é obrigada a usar centrais nucleares, o que não é melhor que os combustíveis fósseis.

    • RC says:

      Por acaso a Europa é uma das ultimas a ter estas medidas, um pouco por todo o mundo já as têm.

      Não é melhor porquê ?

      • ruimvp says:

        Não é melhor nem é pior. Enquanto os combustíveis fósseis geram emissões poluentes, as centrais nucleares geram resíduos radioativos que têm de ser contidos por muitas centenas de anos ou mais, e originam mais riscos para a população (Chernobyl, Fukushima e o ataque das tropas russas à maior central da Europa na Ucrânia são exemplos).

        • RC says:

          O que centrais nucleares têm a ver com o assunto ?

          • ruimvp says:

            Lol. Você responde ao meu comentário inicial, em que refiro a energia nuclear, com uma pergunta “Não é melhor porquê?”. Eu respondo. Agora vem perguntar o que as centrais nucleares têm a ver com o assunto. Lol. Você é o tipo que não sabe a quantas anda. Patético. Lol

          • RC says:

            Eu sei, você é que não sabe,

            Onde é que se anda a impor a proibição de consumo de combustíveis ?

            O seu texto está tão confuso que até eu me confundi.

  21. António Eduardo Marques says:

    A Footman James é uma seguradora britânica especializada em seguros de (adivinharam) automóveis clássicos. Porque é que isto é notícia mesmo?!
    Vou repetir: É UMA SEGURADORA. Mas fez um “estudo” que vai ao encontro do que muita gente gosta de pensar, por isso está tudo bem…

  22. José says:

    Pelo que eu pude perceber, a produção dos carros elétricos só veio piorar ainda mais a situação do planeta. Na tentativa de solucionar um problema, estamos a contribuir ainda mais para agravar o problema. Bem, a bem da verdade, isto parece solução apenas para alguns, não para todos.

  23. Bruno says:

    Este é o estudo mais estapafúrdio que já li!
    Então vamos comparar o consumo de clássico a fazer 1920km/ano com um outro qualquer carro a 15000km/ano ou mais?! Até podiam comparar o mesmo carro… um carro que faz mais 10X de km/ano e não consuma ou polua 10X é mais eficiente.

    Isto para além de não contabilizar a vida útil em km… sem sequer falar no nível de segurança passiva e ativa (atualmente obrigatória) será que um clássico consegue ter (com as prestações/desempenho equivalente) a mesma longevidade que um carro atual? Quantos carros antigos faziam um milhão de quilómetros?

    Outro ponto é a produção de co2 aquando do fabrico… vw golf que emitiu no seu fabrico 6,8 co2 vs polestar com 26… ora 26 a dividir por 6,8 dá 3,82x mais co2 o que nem de longe nem de perto dá os tais 46 anos…

    Concluindo, estes sr. Afirmam que um carro clássico que faz emite aquando do seu fabrico 3,82x menos co2 do que um ev é mais amigo do ambiente apesar de depois fazer somente na melhor das hipóteses um décimo do km/ano e com um nivel de segurança passiva e ativa bem como desempenhos inferiores ao EV… portanto vamos todos comprar clássicos, passar a fazer somente 10% dos km que temos de fazer atualmente (o resto façam a pé , bicicleta ou comboio) e depois rezem para que a sinistralidade não aumente, e aproveitem para começar a travar 50 metros antes do habitual.

    • António Sousa says:

      Concordo consigo. Um estudo de há uns 5 anos, que referi um pouco antes (em 23 de junho), contabilizava as emissões necessárias para produzir um Tesla e um Mitsubishi. Li num artigo, em inglês, na net (e tenho pena de não ter ficado com a referência) sobre esse estudo e que punha em causa a solução dos veículos eléctricos, que um Tesla só “amortizaria” a poluição resultante da construção das suas baterias depois de mais de 200 mil Km. Isto é, só passaria ser verde nessa altura (excepto os cerca de 50% de energia estimada resultante de fontes não renováveis).
      Por comparação das capacidades das baterias, o meu Leaf, amortizou a pegada poluente aos 80 mil KM e já vai com 130 mil. E como o meu fornecedor de energia diz que a que me fornece é 100% verde… para além de alguma que obtenho nos painéis cá em casa.
      O tal estudo que contabilizava o CO2 e poluição resultante da produção das baterias do Tesla e do consumo de 50% de eletricidade não renovável, não contabilizava o CO2 e poluição resultantes da extracção e produção do petróleo e do seu transporte até ao consumidor!

  24. Dani Silva says:

    Qualquer carro parado (clássico ou não) polui menos do que um eléctrico em andamento…

  25. José says:

    A secção de comentários do Pplware é um antro de maldizentes e velhos do Restelo. Sempre que é publicada alguma notícia sobre veículos elétricos, a maior parte dos utilizadores que comentam apenas sabe denegrir as entidades ou produtos mencionados na mesma. Ainda têm muito para aprender…

  26. Reis says:

    Estes estudos carecem de seriedade. Sim, toda a gente sabe que o carro que polui menos é o que não precisa ser produzido – o ideal era ninguém trocar de carro!!! Mas o que não se percebe nunca ao certo é quanto um litro de gasolina polui desde o momento da extração , transporte, refinação , novamente transporte e por fim combustão … esses valores ou não aparecem ou são muito omissos . Depois há a questão de quanto um elétrico e emite por km , dependendo da forma como a energia que usa é produzida . Há muitas contas, muitas questões sobre a própria troca de baterias , se as mesmas são ou não recicladas ou simplesmente reaproveitadas, etc… Não são contas fáceis mas pelo que leio , se os elétricos forem bem aproveitados e forem evoluindo , serão sem dúvida os menos poluentes por uma boa margem

  27. José Nunes says:

    Lá vai o meu chasso do século passado voltar ao ativo!

  28. Helder says:

    E treta do costume os elétricos poluem mais por causa da produção bla bla bla…. Até parece parece que o combustível nasce no posto de abastecimento, esquecem se dos super petroleiros, das refinarias, das plataformas de extração etc etc

  29. Two Socks says:

    Comprovado, o futuro tal como o passado é do petroleo.

  30. JL says:

    Tudo com carrinhos elétricos só porque alguns engenhosos da nota vieram dizer que carros elétricos é que é…e vão-se multiplicando os estudos que vão indicando o contrário.
    Assim vai a humanidade, caminhando alegremente para a auto-extinção.

    • RC says:

      Consigo foi assim quando comprou o a combustão que tem agora ?

      No meu caso experimentei, muito antes até de andar a anunciar, gostei, comprei e olhe, tenho até agora, já com 23 anos.

    • RC says:

      Já agora deixe ai os estudos que indicam o contrário. Para sabermos se recorreu à Maya, ao achismo, ou se tem razão.

  31. Helder says:

    Pois mexer com os senhores do petróleo nunca foi fácil… Há sempre estudos em contrário é assim a um século e o planeta agora está como está!

  32. Francisco Ferreira says:

    Tipica noticia encomendada pelos interesses petroliferos. Enganam-nos ha 1 seculo a esta parte, nao enganam mais.

  33. Pedro Leitão says:

    Atenção!
    Bastante informação enviesada neste estudo. Vou dizer algumas:
    – Comparam um carro de gama baixa da Volkswagen com um carro desportivo e mais caro que um Tesla elétrico, claro que os custos ecológicos dos motores vão ser diferentes.
    – Basear o estudo no consumo médio de um veículo por ano tbm não faz sentido, tem de se ver quanto emite por kilometro ou a cada 100km. Refazendo as contas a emissoes de CO2e/100 km fica o seguinte:
    NISSAN LEAF: 0.043 CO2e/km em Portugal
    VW Golf: 13.8 CO2e/100km
    VW Carocha 1970 (1300cc): 21.16 CO2e/100km

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.