PplWare Mobile

Audi também reforça compromisso com o hidrogénio


Imagem: Audi

Fonte: Autocar

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. R says:

    Ainda não é viável. Muito desperdício de energia => mais caro.

    • Flavius says:

      E elétrico e viável e sustentável ?
      Até prefiro que investem no hidrogênio do que no modelo atual elétrico.

      • Tadeu Ferreira says:

        Produção Industrial de H2 é feita a partir de Gás natural, existe toda uma perda de energia desde a produção, transport, armazenamento e consumo do hidrogeno, deixando o comparável a eficiência energética de um carro a gasolina. Enquanto isso, um carro a bateria tem um eficiência acima de 70% desde a produção da eletricidade até o seu consumo. Não se esquecer que um veiculo a hidrogenio tem uma bateria de Litio e a Fuel cell tem metais raros.

  2. BlackFerdyPT says:

    Se os problemas que existiam a meio da década passada, relativos ao uso do hidrogénio, foram aparentemente resolvidos (compressão do mesmo, para que se possam usar depósitos mais pequenos/viáveis e depósitos que não vazem muito do seu conteúdo ou que não expludam com um forte impacto) então, só mesmo por uma questão de conveniência urbana e também por falta de material para baterias é que percebo que seja o hidrogénio considerado uma opção.

    Pois, estar a converter electricidade em hidrogénio, para depois converter o hidrogénio de volta em electricidade, implica um desperdício de energia – que não ocorre quando se “mantém” tal energia sob a forma de electricidade, transferindo-a para uma bateria.

    E, se as células de combustível (de hidrogénio) são descritas como caras, só posso deduzir que sejam mais caras do que as (muitíssimo) mais usadas baterias eléctricas – e, como tal, que requeiram mais energia para serem produzidas.

    (E, ainda que se conseguisse baixar o custo de produção das células de combustível para valores mais baixos do que as baterias eléctricas, quase certamente que o desperdício de energia causado pelo uso do hidrogénio, ao longo do tempo de vida das células de combustível, acabaria por resultar num maior desperdício de energia total, comparativamente ao uso de baterias eléctricas.)

    • Tadeu Ferreira says:

      existe toda uma questão de infraestrutura de distribuição e também de produção de H2. a produção industrial atual do h2 é toda feita a partir de gas natural, hidrolise da água não é economicamente fiável em larga escala.

    • Tadeu Ferreira says:

      Um carro a hidrogenio é basicamente um carro elétrico com um range extender que oxida hidrogenio para produzir eletricidade. Alem do custo do sistema eletrico é preciso depósitos e a fuel cell para produzir eletricidade.

  3. MarioM says:

    A nanoFlowcell atingiu um novo marco para a sua tecnologia para automóveis, completando 350 mil quilómetros com o carro Quantino 48 Volt, sem que o sistema tenha qualquer problema
    Movido a agua salgada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.