Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft resolveu acabar com o Windows 10 e até já tem uma data para isso

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Vitor Tavares says:

    O Windows 10 foi melhorando ao longo da sua existência e é agora um SO “maduro” ,superior a todas as versões que ficaram para “trás” e instalado em mais de mil milhões de “aparelhos”! Por isso a Microsoft nunca tomaria uma decisão destas se não tivesse algo de MUITO melhor para apresentar…certamente algo de “revolucionário” no mundo dos SOs. Esperemos para ver o que vai ser apresentado…já falta pouco!

  2. Tetu says:

    Espero que rebente como sempre com as teorias de Windows do macos.

  3. Knight Fusion says:

    Pelo visto a Sra. Melinda limpou a conta do Sr. Gates, lol.
    Sobrou para nós meros mortais pagar pelo w11, e com esse dinheiro, rsrs, o Sr. Gates vai tentar tapar o sol.
    Se o que eu vi for de fato o W11, o S.0. esta lindo e com memoria ddr5, o céu será o limite.

    • David Cordeiro says:

      Ninguém nos obriga a pagar pelo Win 11. Ninguém nos obriga a usar o Windows.
      Claro que, se queremos usar um software desenvolvido por uma empresa teremos de paga-lo.
      Acho que ninguém trabalha de graça. E se achamos caro, então temos uma opção. Procurar outra coisa mais barata. Se não encontramos nada mais barato que nos satisfaça, então possivelmente o que achávamos caro inicialmente, pode não ser assim tão caro.
      O que as empresas fazem com os lucros, não é da nossa conta.
      Na minha empresa, só vendo a quem quer comprar. O que eu ganho com a minha atividade, é apenas um problema meu!
      Os meus clientes só podem achar caro os meus serviço, se o compararem com a oferta da concorrência. Usando a equação Custo/Beneficio chegamos á conclusão se é caro ou barato!

  4. Joao Ptt says:

    Continuo a desconfiar que vão obrigar a ter conta Microsoft para conseguir utilizar o Windows e que tudo passará a ter de ser instalado pela loja de aplicações da Microsoft, e deixará de ser possível instalar fora dessa loja, excepto talvez nas edições Enterprise ou parecido… tudo para vossa segurança claro, não é para obterem as chorudas comissões como a Google e a Apple recebem sem terem até ao momento sido proibidas de o fazer, nem sequer umas multinhas… e ao contrário do Android e do iOS nos smartphones, existem provavelmente dezenas de outros sistemas operativos para computadores logo não podem vir com o argumento que as pessoas não têm verdadeira escolha para os computadores… duvido que a Microsoft não se arrisque ao processo anti-trust tendo em vista os milhares de milhões extra que virão da loja virtual de utilização obrigatória… e depois logo se vê, na pior das hipóteses pode ter de parar ou mudar… e entretanto já entraram milhares de milhões extra.

    • Blox says:

      Tás a fazer confusão com a Apple… Esses é que precisam de apresentar lucros sempre aos accionistas para não perderem o controlo da empresa.

      • Vítor M. says:

        Hehehe para não perder o controlo da empresa HAHAHAH. A Apple hoje é uma polvo gigante jovem, se o mercado dos smartphones baixar, ela vende serviços streaming e acessórios. De o mercado dos computadores baixar, ela vende tablets e auscultadores. Se o mercado dos serviços baixar, ela vende computadores e colunas de música. Depois tem desenvolvimento, fabrico, distribuição, venda, pós venda… tem praticamente controlo de tudo. Por isso é que com engenharia financeira, a empresa apresenta sempre números incríveis porque pode jogar com a sua oferta ao mercado e nos mercados que entender. Nunca perde o controlo.

        • FAR says:

          Está tudo montado num ecossistema. Montado e preso. Se a popularidade dos (ou um dos) produtos centrais que levam à adesão ao ecossistema falhar a coisa descamba. E neste momento (leia-se: há muito tempo) existem 3 produtos principais – um móvel, outro portátil e um desktop.

          Mas alguém que não tenha a Apple TV/Music oferecida pela compra de um iPhone usa aquilo? Certamente que sim, mas nunca o suficiente para manter o serviço ou a Apple “à tona”.

          • Vítor M. says:

            Falhar pode falhar, mas não descamba. Aliás, ao longo desta última década, projetos como o Apple Music e outros serviços, entre eles os mais recentes Apple TV+, foram em busca do seu quinhão. Agora até fora do ecossistema Apple. Outro sucesso foi e é o projeto Apple Silicon.

      • sayWhat says:

        Cuidado, Blox.
        Apple fans are very sensitive 😉

  5. in corruptus says:

    Same Old micro$hit……
    desta é que é a versão final das janelas……e afinal são 11…..

  6. Algo says:

    Não foram eles mesmos que disseram que não iam criar mais versões do Windows e passariam apenas a lançar atualizações (de segurança)? Mudaram de ideia bem rápido.

    • Some_IT_Guy says:

      O que muda é o nome. por de baixo do motor é atualização do 10. Marketing a funcionar… Windows 11 ou Windows 10 v.21H2 o que comercialmente é mais eficaz?

      • Pedro says:

        não me parece, o win10 é o SO mais maduro que a microsoft já fez se eles se deram ao trabalho de criar uma versao completamente nova é porque tem algo grande a apresentar

  7. falcaobranco says:

    Continuo a dizer o mesmo que já tinha dito noutro artigo… de certeza absoluta que verificaram que o windows 10 tinha falhas graves de “construção” e que por mais actualizações que colocassem ao dispor, nunca iria chegar ao ponto que eles desejavam… e então mais vale fazer um novo de raiz… se vai trazer problemas não sabemos mas que certamente será melhor do que estar a meter actualizações atrás de actualizações e que dão problemas…mais vale começar de novo.

    E a data já anunciada é mesmo para os restantes fabricantes, NVIDIA e afins, se prepararem para isso… a meu ver estão a ser inteligentes.

    • ervilhoid says:

      o 11 nunca será de raíz

    • :-) says:

      Nunca na vida o Windows será refeito de raiz. Esquece isso, até porque não é preciso ir muito longe, a Microsoft tentou isso com o Windows 10X e cancelou-o há meses. O Windows 11 vai ser um “major” update do Windows 10, basicamente, um daqueles updates que recebíamos há uns anos atrás 2 vezes por ano. Simplesmente este Windows 11 vem com alguns elementos de design Fluent que vêm substituir o design anterior do Windows 10.

      • falcaobranco says:

        Eu quando falei de raiz, não foi literalmente de raiz…é ver o que este tem de mal e fazer um bem melhor do que estar a meter actualizações atrás de actualizações e darem problemas atrás de problemas…

  8. dfs says:

    se o novo windows for gratuito para quem tenha j]a windows, como aconteceu com o 10, para mim ]e igual que se chame wndows 10 ou 11, ]e mais uma quest\ao de marketing.

  9. Luis Henrique Silva says:

    Se realmente vier nova versão vai ser mais uma epopeia para fazer as pessoas mudar para a nova versão. E quantos pc’s estarão preparados, se a nova versão exigir mais do que o 10 estamos feitos.
    Agora se for como já aqui foi dito em comentários ser uma atuqlização do 10 e apenas mudando nome ai vai ser mais simples. Vamos ver o que prai vem.

  10. traumatologiaeortopedia.com.br says:

    Ninguém lembra do milenium e vista com foram ruins? Espero que não aconteça de novo, pois o 10 é muito bom.

  11. vasco says:

    venha o windows 11,o melhor sistema operacional de todos os tempos, e usado por 90% por cento da população mundial

  12. Manuel Soares says:

    Não estraguem o que de bom fizeram. Isso é importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.