Quantcast
PplWare Mobile

China ‘resolveu’ o vício dos jogos entre os mais novos através das medidas restritivas

                                    
                                

Fonte: China Daily

Autor: Marisa Pinto


  1. Jota says:

    Lá não há mas nem meio mas!

  2. Áquila Freitas says:

    Um estudo chinês, feito por um orgão estatal(?) chinês, para justificar uma medida totalitária do governo chinês… Dever ser tão fidedigno quanto o PIB.

    • Monica says:

      Vai ver o mesmo problema que já está em Portugal.
      Até para se ver um programa gravado, a operadora Vodafone, a minha, injeta publicidade a sites de jogo. Uma até mete um cão pelo meio, ridiculo.
      Simplesmente desligo a televisao durante os 30 segundos e volto a ligar.
      Nao percebem que a publicidade intrusiva é adversa às marcas. Agora há também um BCP numa prancha de surf. Fiquei farta do BCP.

  3. Filipe Cardoso says:

    O que é triste nisto, é que se tiveres alguém com este problema de vicio de jogos, apostas etc etc não podes fazer nada, não consegues bloquear se for maior de idade…é vergonhoso como este problema é gravíssimo e não existe uma única medida…nenhuma…verdadeiramente útil..

    • Maverick says:

      Videojogos, apostas desportivas ou casinos não tem nada a ver uma coisa com a outra são coisas completamente diferentes (é um bocado vergonhoso ter de explicar isto em pleno 2022, mas enfim).

  4. Luis says:

    Mas como é que o estado controla o que cada um joga em casa?
    E se o pai quiser jogar a seguir?
    E se o jogo for offline?

    • Ram says:

      Porque insistimos em pensar.. O estado nosso deus salvador cuida de nos.. Acredita e jamais duvidaras..

    • t says:

      a questão é, os jogos offlines e nao aprovados pelo governo com vpn, são, aposto eu, para onde a maioria dos chineses se refugiaram, jogos de software livre são alguns exemplos de jogos que mesmo não tendo algoritmos, sáo viciantes

  5. cigarros de chocolate says:

    Já no mundo ocidental o viciar desde crianças faz parte do negocio!

  6. SANDOKAN 1513 says:

    Muito bem,excelente medida.Havia de ser assim por todo o mundo.

  7. supersilva says:

    Tem de controlar o online, e isso é possível, pois ir contra a restrição resulta em LAG. Antes era mais complicado, tinha de reunir uma galera. Agora com ranking e competitividade 24h / dia no mundo, pois vc pode jogar com qualquer fuso horário, resulta nos absurdos e vícios.

  8. Maverick says:

    De 8 comentários só o comentário do Áquila é que se aproveita. Restringir seja o que for só num estado como a china é que acontece e não podemos aplaudir este tipo de leis que só serve para controlar a vida das pessoas, e mais vicio em videojogos NÃO existe, videojogos servem para desenvolver o cérebro e para o manter activo e ainda existe os videojogos que exercita o corpo.

  9. Profeta says:

    E qual e o problema de ter esses vicios ? A vida e das pessoas, a liberdade e das pessoas, mas esperem na China e um mundo a parte. Ha sempre palermas que concordam com tudo e ainda criam polemica em relacao ao assunto. Que direito tem este ou aquele de dizer o que eu devo fazer ou nao fazer nos tempos livres ou nao ? Se eu estivesse na China com estas medidas toscas emigrava.

    • Pedro says:

      Desde que faças sozinho e as consequências sejam só para ti, estou a borrifar-me.
      O problema é que depois o Estado tem de te ajudar, quando te deveria deixar aos caidos a lidar com as tuas consequências.

  10. JP says:

    É a necessidade da Dopamina, que leva a adição dos utilizadores.
    São distúrbios cerebrais, que podem ser controlados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.