PplWare Mobile

Governo dos EUA quer acesso às conversas privadas do Messenger do Facebook


Pedro Simões

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. DrFrankenDerpen says:

    No que toca a terrorismo e gangues e outros similares… não deveria haver direito à privacidade. Esse direito é perdido a partir do momento que cometem o crime.

    • BRUNO COIMBRA says:

      Agora falta definir onde isso termina, quem é o terrorista gangue…sem antes ser julgado…igual que o patrioct act, podias ser interrogado sem advogado por horas interminaveis…enfim o diluir das fronteiras do ”inocente ate provado o contrario”…

    • Spoky says:

      Para isso acontecer, eles vão ter que abdicar da tua privacidade em prol de quem cometeu o crime. Se tu achas justo parabens.

    • Daniel says:

      “Those who would give up essential Liberty, to purchase a little temporary Safety, deserve neither Liberty nor Safety.”

      Benjamin Franklin, Reply to the Governor (11 Nov. 1755)

      • Carlos Silva says:

        Em 1755 havia pombos correios com mensagens encriptadas pelos maçons, para que alguns pudessem manipular a informação e a população … Ben Frank era um deles. Tudo anjinhos

        • Nuno says:

          A maçonaria não é o que tu pensas. Deixa de obter a tua informação de sites de chapéu de latão.

          E mesmo que fosse uma organização maléfica com o intuito de controlar o mundo, não tornaria o argumento menos válido. Deixa-me usar uma analogia para ver se percebes. Se um médico argumentar com um doente que fumar faz mal à saúde, esse argumento não passa a ser milagrosamente inválido porque o médico fuma.

        • Daniel says:

          Bem, ao menos o que escreveste foi formulado coerentemente, tanto semântica como sintáticamente… já é mais do que outros como tu conseguem fazer.

  2. PPortasCoelho says:

    Não considero um ataque , mas sim uma defesa , uma boa estrategia americana primeiro monopoliza-se ” windows etc..” a seguir cede-se a segurança interna .

  3. Wave says:

    “Quer um acesso” legal só se for, porque acesso já têm…

  4. Nuno says:

    O problema e’ que nao se pode escolher para quem acaba a privacidade. Se acaba para um bandido, acaba para toda a gente. Paga o justo pelo pecador. E se os governos acabarem com a privacidade dos cidadaos a possibilidade de abuso e’ inegavel. Infelizmente liberdade plena e seguranca plena nao sao compativeis. Ha’ que fazer escolhas e aceitar que qualquer uma delas tem consequencias potencialmente graves.

  5. Carlos Silva says:

    Para além de já lerem e ouvirem as mensagens de qualquer aplicação, agora só o querem tornar legal para casos como o referido, e estou perfeitamente de acordo.
    Quem não deve não teme. Ou acreditam mesmo que existe privacidade online? Só se forem parvos (sem querer ofender ninguém)

  6. Rui Magalhães says:

    China 2.0

  7. Fak says:

    E pá para mim autorizava desde que dê acordo com alguns parâmetros..
    por exemplo so a polícia, mediante prova da investigação, é que teria acesso a essa informação. Mais ninguém.
    para mim isso seria uma medida aceitável, desde que só a polícia tenha acesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.