PplWare Mobile

Corrida à Tesla Gigafactory 2 aquece com “ataque” francês


Autor: Vítor M.


  1. Luís says:

    Ter essa fabrica em portugal seria um grande mais valia com impacto muito forte na economia. Se formos inteligentes devemos oferecer a Tesla todas as condições possíveis e imaginarias de forma a ficar com essa fabrica. Andamos sempre a lamber as botas aos chineses e angolanos com investimentos e fundos duvidosos em que pouco ou nada temos beneficiado. É altura de mudar de estratégia.

    • Ricardo Santos says:

      Para isso era preciso termos governantes inteligentes

    • carlos says:

      nem mais, e sendo que portugal tem uma localização excelente perto do atlantico, seria uma mais valia para a tesla em termos de envios maritimos.

      • PeterSnows says:

        Para isso, tens de ter portos bem feitos, ligações boas entre portos e ferrovias, ligação de comboio de cargas ao resto da europa, ….
        Eles vão contabilizar tudo e decidir.

      • PeterSnows says:

        Carlos isso é 1 mito.
        Eu importava produtos de outros paises, e escolhia barcos a descarregar em Espanha / Holanda, pois ficava mais barato ir ate Barcelona e vir de camião ate arredores de Lisboa.
        Pois os portos em Portugal tinham custos caros (despesas portuárias, ….)
        Já para não falar de quando havia greves dos estivadores …

      • Freitas says:

        Temos sol, já que querem ser independentes da rede elétrica, mão de obra barata, boas vias para transporte para o resto da Europa, só a bitola ibérica é um problema mas menor, por isso só dois países tem maior vantagem, Portugal e Espanha. Apesar que o factor central de França conta.

        • Miguel Nóbrega says:

          O factor central já foi coberto pela empresa em Tilburg, penso que para atenuar taxas alfandegárias, e ter uma sede mais central para distribuição…

        • Darksantacruz says:

          Estradas? Sim. Rede de transportes incluindo por exemplo comboios( para não mencionar o tgv) ? Nem pensar. Estamos atrás de países como Espanha e França.

          O governo pode e deve fazer um esforço por dar todas as condições para que a fábrica venha para Portugal mas com os sucessivos incompetentes políticos ( para não chamar outros nomes) duvido.

          • Fil says:

            O tgv não transporta mercadorias 😉

          • Freitas says:

            Mais tarde ou mais cedo vai chegar cá o tgv, mas tgv transportar mercadoria vesse logo que escreves sem saber bem o que falas. Atrás de países como Espanha e França depende do ponto de vistas, também posso atirar a culpa a muitos patrões, mas isso já fica extenso.

          • Darksantacruz says:

            Em lado algum mencionei que o tgv transporta mercadorias… apenas e só me referi ao tipo de transportes que temos que na sua maioria são fracos.

    • RF says:

      Somos a porta na Europa.. com os portos marítimos para navios import/export, temos reservas de littium para as baterias.. somos um dos países com maior % de energia renovável.. vá tragam lá a fábrica para cá!

    • Miguel Sousa says:

      O problema é que benefícios podem ter. A Auto-Europa ficou cá porque fica mais barato enviar os carros para o Brasil. Agora uma empresa destas, quer que sejam os governos a pagar todo o investimento na unidade industrial e pagarem todos os direitos que eles precisem de construir. Em Portugal não há dinheiro disponível para isso. Mesmo em benefícios fiscais, ficaria curto para o objectivo deles. A zona de Barcelona e Toulose estão com muito larga vantagem nessas coisas todas. 🙁

    • Luís Eduardo Rodrigues says:

      Espero que Portugal consiga sediar a fábrica. Não é apenas a fábrica em si, mas o valor agregado (escolas especializadas, faculdades, aumento do número de engenheiros, pesquisa % desenvolvimento etc.). Boa sorte!!!

  2. João Santos says:

    A economia melhora de forma drástica e o desemprego também logo as pessoas desempregadas ficam com dinheiro nos bolsos para se poder gastar. Estamos a falar de cerca de 6000 a 10000 pessoas a trabalhar diretamente.

  3. Rui says:

    Seguramente que Portugal ofereceu boas condições, mas como diz a reportagem, há mais países interessados, claro!!!!

    Mas o estado português podia comprometer-se em alguns aspectos, por exemplo, toda a frota automóvel do estado, representam dezenas de milhares de veículos e grande parte podia ser substituída por veículos Tesla, em vez de BMW, Mercedes, Audi……..

    Outra que já devem ter oferecido é os terrenos de borla (e reversão ao estado se a empresa falir ou fechar as portas), incentivos fiscais (basta ver o caso da Apple na Irlanda)……

    • Micas says:

      Íamos por a indústria americana à frente da Europeia e depois dizíamos que não pagamos adívida ao BCE. Bem jogado!

      • Rui says:

        Mas quem é que está a falar na dívida?
        Como? Só podemos aceitar investimento europeu? Onde está isso escrito? A Autoeuropa começou com um investimento partilhado entre a Ford e a VW (agora a fábrica é totalmente da VW). Quem são os donos da Tranquilidade? Fidelidade? Cimpor? OGMA/Embraer? EDP?

  4. Vítor M. says:

    Eu acho que temos tudo (se calhar até estabilidade política necessária) para receber a fábrica cá. Mas falta haver políticos estrategas, políticos audazes… digo eu 😉

    • Miguel Sousa says:

      Não temos dinheiro para lhes pagar a construção. Na América, 90% dos custos foram pagos pelo governador e toda a estrutura envolvente é paga pelo estado. Por isso é que a construção tem demorado mais tempo que o previsto…
      Na Europa vão pedir a mesma coisa… e sem termos 2000 milhões para investir imediatamente, não temos hipótese. E era preciso ter um sítio próximo das linhas férrea para o centro da Europa.

    • Darth says:

      No final o que interessa a tesla são incentivos fiscais e o que ganham em vir para cá. Ou há grande investimento por parte dos Estados, ou não vem. Audácia nada tem a haver com isso. Muito menos mérito

      • Vítor M. says:

        Isso e tudo o resto. A Tesla traz investimento estrangeiro, traz postos de trabalho directos, traz muitos serviços indirectos, traz também uma obrigatoriedade de prática do conceito, traz acordos entre entidades privadas nacionais e internacionais importantes, traz desenvolvimento das vias de comunicação (pelo prática do conceito), traz turismo… enfim, numa altura em que está para ser dado o clique no conceito automóvel, ter esta unidade cá seria muito muito proveitoso. Aí falta a audácia dos nossos políticos em equilibrar a oferta tendo em conta uma série de vantagens que temos… até nas horas de sol 😉

        • darksantacruz says:

          Vitor certamente saberá que não é só audácia que falta é muito mais para além de uma rede boa de transportes em que claramente perdemos para outros paises o nosso sistema judicial é francamente mau e certamente o Vitor sabe o que isso implica 😉

    • Rui says:

      Vítor? A estabilidade política não conta nada, se um governo diz que os impostos são 10% e vem outro que diz que os capitalistas (empresas) têem de ser fortemente taxados!!!!!!

      Por cá tivemos a Infineon e todos sabemos o que lhe aconteceu, a Autoeuropa é a outra megafábrica que ainda está por cá, mas que esteve quase quase a ir para a Alemanha. A Tia Merkl avisou o Sócrates, se não aceitarmos os submarinos que encomendamos, ela tirava-nos a Autoeuropa!!!!! Apesar de tudo acho que foi um óptimo negócio para Portugal, excepto a parte das luvas……

  5. João Santos says:

    O dinheiro mesmo que seja para o estado pagar é um investimento grande com um retorno gigante

  6. transcendez says:

    temos a maior exposição solar da Europa. deveria ser um factor preponderante. Acredito mais depressa que instalem na Sibéria do que em Portugal, apesar de sermos de longe a melhor opção.

  7. Carlos Mambo says:

    Pelo contrário eu acho que estamos em forte desvantagem relativamente aos grandes países na captação de investimentos deste tipo. Para uma fábrica que quer ser fortemente robotizada o preço da mão de obra vai ser pouco relevante. Na mais valia painéis solares a diferença será pouco relevante e ainda menos decisiva. Os grandes entraves, na minha opinião, serão: distância ao centro da Europa, porque vai ser muito mais caro o transporte dos carros eléctricos até aos compradores e principalmente (a questão mais importante de todas) falta de capacidade de influenciar as políticas europeias, no que aos carros eléctricos e condução autónoma diz respeito. Na minha opinião, o país que vier a receber a fabrica vai ser aquele que tiver a maior capacidade de forçar a Europa a adoptar um novo imposto que penalize os carros a combustão pelo prejuízo que provocam no ambiente(já defendida pelo seu CEO). Para mim: 1º Alemanha, 2º França 3º Espanha…. Infelizmente

    • Rui says:

      Esquece a distãncia. Em termos de custos por Km, só talvez a Polónia bate Portugal nos custos baixíssimos dos transportes rodoviários internacionais. Por esse motivo temos as maiores empresas de transportes da Europa aqui em Portugal (Patinter, Luís Simões, etc, etc……

      A fábrica da Tesla perto de Palmela e podes crer que tem o problema resolvido (ferroviário, rodoviário e marítimo), para além da exposição solar.

      Mas como não sou de Palmela, não sei que condições oferecem por lá!!!!!!

      Mas já referiram por aqui, o estado teria de dar quase tudo de borla para se instalarem cá e darmos benefícios fiscais tremendos.

    • Alvega says:

      Carlos, parece que alguém usa a cabeça, uma MUITO BOA e realista analise, eu diria a fazer fé na tua analise e da qual eu concordo a 100%, tomara que nao venha para cá nada disso.
      Emprego, pouco (muitos robots), especulação imobiliária, impostos elevados, para influenciar consumo e para SUBSIDIAR a produção quase ou mesmo integralmente, incorporação nacional reduzida, transferência de tecnologia baixa ou inexistente (segredo é a alma do negocio).

      • Filipe says:

        Gostava que me explicasse alguns pontos no seu raciocínio, por favor.

        1. Como é que uma fábrica gera especulação imobiliária?
        2. Como é que um investimento privado irá fazer aumentar impostos e influenciar assim tão directamente o consumo?
        3. Como é que uma empresa que se endivida sucessivamente e na qual, pasmesse, há fila de investidores para entrar na sua equity, será subsidiada, quando uma grande parte dos gastos de 2016 foi exactamente para pagar parte dos empréstimos/investimentos dos investidores?
        4. Como é que a Tesla tem assim tantos segreados se inclusivé libertou a maior parte das suas patentes para o domínio público por forma a permitir aos restantes construtores automóveis de acelerarem o seu processo de transição para a produção de VEs?
        3.

        • Pedro Alexandre Costa Arantes says:

          1 se nao existir emprego nao vem ninguem de fora procurar trabalho, logo os proprietários nao rentabilizam as casas e os preços descem. Em Lisboa os escritorios sao mais caros do que em Bragança nao pela distância a Europa mas pelo facto de que ninguém tem interesse em localizar a sede de uma empresa numa zona despovoada sem infraestrutura e trabalho ( nao sei se é o caso de Bragança, é apenas um exemplo de um sitio bem mais barato que Lisboa)

  8. Informático Amador says:

    Sem sombra de dúvida, convinha sobremaneira que esse investimento viesse para cá. Mas além dos factores exposição solar, minas de lítio, vias de comunicação, etc, também convinha uma certa apetência pelo eléctrico, não só aquisição mas toda uma infraestrutura que indicasse empenho na via dos automóveis eléctricos. Refiro-me a isenções, rede de abastecimentos, facilidades na aquisição/estacionamento. Claro que o nosso mercado será reduzido, mas uma aposta clara no carro eléctrico, pode ser a diferença. É que sol, também a Espanha tem. Vias de comunicação, uns mais outros menos todos têm. E a França está mais próxima do Centro da Europa que nós. O lítio e o empenho na solução eléctrica, a meu ver, serão os factores decisivos, assim se saiba propagandeá-los

    • Rui says:

      Uma fábrica destas não se resume só ao mercado nacional, bem pelo contrário.

      Desde que tenha várias alternativas para receber as matérias-primas e escoar a produção, aliado a muitos e generosos incentivos……. mas como dizia o outro é fazer as contas ao retorno económico dos incentivos que o estado pode dar!

    • Guiomar says:

      Uma fábrica de baterias não compra lítio a minas, o que usa são compostos de lítio processados, por isso termos minas de lítio faz pouca diferença na escolha

  9. Darth says:

    Segolene Royal é mulher. Deveria ser “a ministra”, não “o…”

  10. Ze says:

    Estamos sem $$$, e o que eles querem no fundo é rentabilizar os seus lucros!!!

    Os nosso Políticos não têm capacidade de negociação, por isso não vejo que Portugal ganhe!
    Tudo foca para Lisboa, onde é tudo mais caro…

    Ou dão terrenos e isenções de Segurança Social e afins ou ficamos a ver navios…

  11. Joao 2348 says:

    Já o escrevi antes e continuo a escrever, Portugal não tem condições para atrair esta fábrica… e os motivos mantêm-se: instabilidade a nível de impostos que mudam de ano para ano e absolutamente ninguém sabe como vão ser os impostos para o ano, quanto mais daqui a 2 ou 3 anos; porque estamos fisicamente distantes da maior parte dos países; porque as condições laborais continuam a ser péssimas para os empregadores (que pelo menos em teoria continuam a não poder despedir com a mesma facilidade com que podem contratar). A escolha terá de ser Espanha ou sul de França… preferencialmente a zona nordeste de Espanha para estar próximo do resto da Europa e ao mesmo tempo ter acesso rápido aos portos tanto no Atlântico como do Mediterrâneo. Espanha tem ainda a vantagem de pelo menos actualmente estar com o nível de terrorismo muito reduzido (ao contrário de França).
    Quanto a pagar para eles virem para cá seja com descontos nos impostos ou a largar dinheiro mesmo, prefiro ver esse dinheiro entregue a Portugueses que tem mil e uma invenções de jeito (algumas galardoadas internacionalmente) que poderiam estar a facturar se fossem realmente incentivados e financiados a 100%… sim, porque se é para andar a oferecer dinheiro, que seja aos portugueses que bem precisam (desde que seja mesmo para depois dar retorno do investimento… e não seja só para alimentar os amigos dos (e os) políticos).

    • César says:

      1 temos de pensar e que os tais postos de trabalho vão ser salários de caracaca e não é solução pk dp vem a robôtizacao e vão todos passear.
      2 os carrs elétricos aqui e um roubo mesmo que baixem os preços e os incentivos para os comprar e uma esmola que só é dada a um x de pessoas daí vai ser só para a malta com salários milionários.
      4 e como é dito aqui muito bem governo e uma ***** e temos aqui muitas ideias e invenções que não recebem investimento e que nos escapa para o exterior.
      5 lítio que vier das baterias usadas de certeza que ainda o enterram cá e só vai poluir.

      Para nós o melhor é esquecer isso é aproveitarmos que temos lítio e vendelo a preço de ouro e ter lucros, pk senão rouban nos com um acordo qualquer de xaxa…

  12. César says:

    Somos um país pequeno mas temos capacidade para sermos uma grande potência mundial (como já o fomos a muitas décadas atrás antes do nos destruir mos com ganância e burrice).
    Era fazer uma revolução e por o pessoal que tem cabeça e sonhos a frente do país mas como só sonhamos e fazer tá quieto vamos continuar a ser escravos da ganancia…

  13. César says:

    Energia elétrica podemos gerar aos montes temos mar, vento e sol o problema aqui e as galps e afins… Podemos andar anos a mandar postas que podemos e temos mas enquanto existirem estes monopólios galps e afins vai ser mais do mesmo.

  14. César says:

    E um ponto mais importante enquanto não parar mos de aumentar dívida vamos continuar a ser paus mandados da Europa que está sempre a dar mesadas e a cobrar mais e mais. Sao o nosso pai e nós o filho revoltado com problemas de droga xD

  15. jAugusto says:

    Robots a montar peças…
    O que interessa são os componentes, serão o mais possivel desenvolvidos e feitos cá no burgo, e já temos muita gente a produzir para as melhores marcas essa é a única vantagem: know-how.
    Querem sol vão para marrocos!!!

    • Rui says:

      E diz-me lá porque achas que Portugal está a ter um aumento significativo de turistas? Não será pela instabilidade em todo o norte de África? Já ouviste falar em refugiados? Se as pessoas não confiam ir de férias para o norte de África alguns dias, confiam estar por lá 20 ou 30 anos?

  16. Alvega says:

    Deixo uma questão:
    Acabo de ler no Expresso desta semana que o Futuro\actual presidente dos states, anda a pressionar tudo quanto é grande grupo económico, para voltarem a produzir nos USA, isto é de molde a cumprir com uma das suas promessas eleitorais, apertou já com a FORD, TOYOTA, General Motors, para repatriarem a sua produção nos USA ou levam com Impostos a doer.
    Portanto ou a TESLA nao conta para nada ou se porventura vier a contar, nao é um negocio taooooo interessante assim.
    A minha questão é esta , os argumentos Pró Tesla sao baseados em, mao de obra barata, litio existente no pais, sol, etc, etc, mas estes mesmos argumentos nao eram já validos quando a NISSAN, pretendeu instalar uma fabrica de baterias no nosso pais ?
    Onde está essa fabrica ?
    Os japoneses \ Franceses , sao burros ?
    Isto é POLITICA, pura e dura, e os interesses instalados que vao querer rentabilizar as suas infraestruturas já existentes.
    Nao tem a ver com o que é melhor (electricidade \ combustível fóssil)
    Segurança (onde fica esta ?, na ausência de ruído por parte dos veículos eléctricos, sendo muito perigoso para os Peões)
    Ecologia, duvido muito, quando começarem a extrair e tratar industrialmente litio em grande escala, de molde a ser rentável, que se preocupem com a ecologia.
    Quanto ao preço e autonomia … entao estamos falados.
    Claro que se uns avençados, assalariados ou com outro tipo de interesse (obscuro \ nao declarado), passarem a vida a dizer que a TESTA é o novo santo-Graal, até eu serei vencido pelo cansaço, e vou fazer a conta que é verdade.

  17. pintor says:

    O que achei interessante foi o seguinte:
    – o preço médio das casas na cidade de Sparks, Nevada, onde está localizada a fábrica, teve um aumento de 42%.
    Se cá se instalar esta ai uma oportunidade de investimento.

  18. joao c says:

    O problema a é que em vez de darmos incentivos às empresas, utilizando a Confederação do Comercio e Industria como veiculo, utilizamos os bancos. Bancos investem à maluica dinheiro de contribuintes empresários, ganham milhões, estoiram milhões, vêm mamar mais um pouco quanto já estão a gastar o que não têm e o tecido empresarial que aguente, pois não há dinheiro para lhes empestar. O que a Tesla procura é uma forte PPP (Parceria Publico Privada), comprometendo o estado com o protejo, sendo o retorno para economia real e bolso do Elon Musck. Acabámos de vir de um resgate, nãos ei se temos fundo de maneio para nos metermos nisto. Mas espero que sim (se acontecer a união europeia vai cortar todas as verbas que possamos vir a receber no futuro como represália ao protejo megalómano)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.