PplWare Mobile

Banco alemão quer substituir 18 mil funcionários por robôs


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Sandro says:

    A próxima guerra, será entre os Humanos e os robôs

  2. ze says:

    Só peca por tardia. A banca sobrevive parada no tempo, os processos há muito que deviam ser automatizados, a tecnologia para o fazer já existe há décadas.

    • GM says:

      Exacto. E depois serão esses mesmos robôs que irão pedir um crédito à habitação, um crédito pessoal, depositar o seu vencimento que obtêm por “trabalhar” na instituição bancária, abrir uma conta, etc

      • ze says:

        Porque achas que o banco lucra com os seus colaboradores?
        Convido-te a rever os principais motivos pelo qual a grande maioria das pessoas vai trabalhar para a banca:
        – ordenados acima da média
        – 7h de trabalho diária
        – 25 dias de férias + aniversário + majoração de 1 dia de férias por cada 2 anos de serviço até ao máximo de 30 dias de férias
        – créditos habitação e outros com taxas de juro de 0,00XX
        – dia de trabalho folgado
        – ausências justificadas para ir às festas dos miudos, etc, etc

        Como podes ver, os bancos só têm a ganhar e muito caso substituam por “robots” que não padeçam desses beneficios.

        • GM says:

          Só se for na CGD. Vai ver na banca privada a ver se têm essas regalias todas, e se trabalham só as 7h/dia.

          • ze says:

            Errado, têm essas regalias todas e alguns bancos têm mais.
            Basta terem contrato colectivo bancário e serem representados pelo sindicato dos bancários.
            Ah.. por falar em sindicato dos bancários, sabes o que é o SAMS?
            É uma área que gera tanto dinheiro em recursos humanos que se dão ao luxo de terem hospitais próprios para os bancários e o belo do seguro que os isenta de quase tudo, melhor mesmo que ADSE.

            Só quem não anda no meio não sabe, e quem anda cala-se bem calado.

  3. Fábio says:

    Acredito que estamos diante de um processo irreversível, isso baixa os custos e, provavelmente, melhora o atendimento. No Brasil todos os bancos colocam diversas propagandas nas agências físicas para que utilizemos o aplicativo do banco e no Banco do Brasil uma vez, conversando com a gerente da minha conta, ela me disse que a implementação de novos recursos no aplicativo é tão rápida que nem ela consegue acompanhar.

    • ze says:

      Pois, isso é um problema, no Brasil só agora começaram a usar netbanco, algo que em países do primeiro mundo já temos há duas décadas.
      Viver no terceiro mundo tem dessas coisas, e com gerentes incompetentes..

      • Fábio says:

        Parabéns amigo! E parabéns por viver no primeiro mundo, sua resposta denota muito isso.

      • Fábio Fontana says:

        Zé desculpe responder acima do tópico, mas não tinha o botão de responder abaixo, comentando sua opinião talvez comum, mas totalmente equivocada. “Ele continua sem poder sair à rua e a viver ao lado da favela”. Sim realmente no Brasil temos favelas (sempre lembrando que a maioria da população que vive nessas condições são pessoas honestas, integras e trabalhadoras). Sim na minha cidade temos bairros pobres (e tudo que disse acima tb é válido para esses bairros). Mas é interessante salientar que o Brasil é um país desigual, onde muitas pessoas que vivem na pobreza precisam trabalhar para pessoas que vivem em condições até superiores ao países mais desenvolvidos da Europa. Eu te convido a um dia conhecer a cidade na qual resido (mesmo que virtualmente) para ter uma ideia mais precisa do Brasil, se assim o desejar e se tiver interesse de ultrapassar uma barreira que todos temos chamada preconceito:
        https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Carlos
        Um forte abraço meu amigo.
        PS: nem entrei na questão da automatização e virtualização dos Bancos pq se vc desejar pode acessar uma página brasileira e ter uma noção mais precisa sobre a temporalidade.
        https://pesquisa-eaesp.fgv.br/publicacoes/pibic/tecnologia-e-automacao-bancaria
        O artigo é antigo 1997, mas como é um processo bem antigo dá para entender pq nas primeiras oportunidade de difusão da internet, os bancos já virtualizaram seus serviços depois de mais ou menos uma década desse artigo.

        • ze says:

          Fábio, conheço o Brasil todo, principalmente o estado de SP, incluindo São Carlos. A cidade que mais gosto do estado de SP é Santa Isabel. E considerar que em algum lado do Brasil vives com melhores condições que qualquer país da UE é mesmo ignorância. Em lado nenhum do Brasil eu deixo de sentir que estou num país de 3º Mundo e para passar para o 2º Mundo só mesmo sendo muito rico, ao 1º Mundo nunca chega porque no 1º Mundo as pessoas podem sair à rua.
          Considerar algum Brasileiro honesto também seria uma piada, presumo.

          • Fábio says:

            Zé, meu amigo ( se assim o aceitar), nossa conversa foi boa para me lembrar da frase “as pessoas só nos devolvem refletida a forma como nós somos” de Gounelle. Aproveito para te desejar um excelente final de semana.

        • ze says:

          Quanto à automação, trabalho com bancos brasileiros, até já fiz projetos TI para alguns, e o Brasil no que diz respeito a tecnologia está na cauda do Mundo, têm bons developers mas não há qualquer visão nem adopção tecnologica recente, já fiz projectos em África mais complexos e aliciantes.

  4. AJ says:

    Em Portugal de 2008 a 2018, os bancos dispensaram aproximadamente 16 mil trabalhadores (em 2008 a banca empregava 78.963 trabalhadores e em 2018 já só eram 62.985).

    • ze says:

      Reformas e fecho de balcões, nada a ver para este caso.
      A banca está parada no tempo, então quem for à sede da caixa na joão XXI vê 10 mil marmanjos cheios de regalias sem fazer nenhum a não ser usufruir do ginásio, snooker, campos de desporto e afins e outros 10 mil marmanjos em outsourcing a trabalhar.
      Reformem essa gente toda e automatizem os processo e vejam como a cgd iria dar lucro.

      Só mesmo neste país para existir um sitio com tantas regalias e serviços pagos pelos contribuintes, e ainda iam de férias com 11€ de subs ref. Se for privado, nada contra, isto acontecer num organismo público é mostrar o degredo que somos enquanto país.

      • xoninhas says:

        10 mil ? Grande edifício esse.

        • Fulano says:

          Claramente não tens noção do real tamanho do edifício e do número de pessoas que lá trabalham.
          Trabalhei lá durante 3 anos e sei o que digo… Já no teu caso é atirar uma qualquer barbaridade a ver se cola.

      • AJ says:

        Tem a certeza que as reformas e o fecho de balcões nada tem a ver com caso?
        A banca não está parada no tempo e hoje pode fazer as operações bancárias com um simples smartphone via homebanking. Para além de outros motivos, a informatização e automação dos processos levou a banca a dispensar cada vez mais trabalhadores e a fechar balcões de forma a reduzir as despesas e a aumentar os lucros.

        • ze says:

          Hoje? Tens homebanking em Portugal desde 1997, se tiveres em conta que grande maioria dos bancos mais antigos teve site em 1995, tens praticamente homebanking desde que existe internet. E o aumento de serviços no homebanking é algo banal e trivial de se fazer.
          A banca está parada no ponto de vista de processo e tecnologia.
          O fecho de balcões é algo natural, cada vez a banca é mais digital, grande parte dos balcões não são rentáveis, não quer isto dizer que automatizaram processos, só que a conveniência do balcão caiu em desuso.
          Onde vês o verdadeiro mal da banca é quando espreitas no backoffice e verificas que têm 1001 macacos em outsourcing para 1001 funções manuais, todas relacionadas com papelada, seja análise de documentos, contratos, validação de assinaturas, entregas de heranças, aberturas de contas, penhoras, etc,etc. Algo que muitos bancos lá fora aprenderam a automatizar, cá continua igual há 30 anos atrás, com a diferença de terem passado tudo para outsourcing mal pago e com isso aumentarem o risco de erro em 80%.

  5. jaugusto says:

    Já não era sem tempo, pode ser que assim deixe de ter gentinha a contar a vida dos outros cá para fora …

    • Alfie says:

      E o proximo a ser dispensado é: … o jaugusto! Boa.

    • xoninhas says:

      Acabe-se com a policia, pois a maioria deles são criminosos… Olha que raciocínio esse ò jaugusto !

    • Mf3rRo says:

      E só espero que também no teu trabalho sejas substituído por um robot, e já agora, espero também seja na tua hora de escrever posts no pplware… para não lermos coisas de gentinha como tu…

      Se já há desemprego mundial, é só imaginar daqui a uns anos, se todas as empresas começarem a usar somente robots… estamos a caminhar para o abismo, aos poucos…

      • paulo rodrigues says:

        Por mim não existe nenhum mal em libertar os humanos do trabalho… eu trabalho já lá vão mais de 40 anos, neste momento até trabalho em duas empresas (horários diferentes), e não gosto de trabalhar! Isto é um começo, pois o quanto mais lucro se puder obter e aliado este a uma maior produção, é o Capitalismo (também se lhe pode chamar Comunismo ou outra qualquer designação) no seu estado puro… mas quando a produção não tiver escoamento porque a população desempregada atinge valores elevados, será construida uma nova “ordem”… até aí, acrescentando os problemas dos recursos do planeta e o maior de todos os problemas, o ambiente, que Deus tenha piedade dos humanos (é só uma expressão, até porque sou ateu).

  6. Carlos Fernandes says:

    vai poupar internamente, se não criar uma mais valia para o cliente final é criar uma mais valia para compensar o Estado pelo desemprego gerado ou pagar os descontos sociais dessas pessoas :):)

  7. luis borges says:

    Revolucao Industrial 2.0

  8. Jon Snow says:

    Humanity is Doomed, e os empregos que se iram extinguir, pessoas que vão ficar sem os seus trabalhos, nesta e noutras areas. O objectivo de ser produtivo e de gerar €€ atras de €€ sobrepõe-se a propria humanidade.

    • ze says:

      Nada tem a ver com dinheiro, tem a ver com a crescente necessidade de optimização de processos, tornar tarefas altamente penosas e demoradas e com um factor de risco associado ao erro enorme, em tarefas praticamente imediatas e automatizadas com perto de 0 risco associado.
      Se temos mais pessoas a usar mais serviços precisamos que os serviços tenham essa melhoria qualitativa, ou queres que tudo seja como as filas da loja do cidadão?

      A questão dos empregos já está mais que debatida e tem várias soluções:
      – reconversão de competências
      – menor horário ou menos dias e mais trabalhadores
      – subsidio de “sobrevivencia”
      Entre muitas outras possibilidades já a serem implementadas em países como Dinamarca e Japão.

      • GM says:

        Justifica-me então, com os processos já automatizados implementados, porque razão quando faço uma transferência inter-bancária para um titular de outra instituição bancária, o processo não é imediato de um dia ara o outro, já não peço no momento. E não vale a resposta da transferência imediata, pois Suas Excelências as Entidades Bancárias arrogam-se no direito por cobrar pela mesma, quando o processo de transferência deveria ser sim imediata, sem cobrança de qualquer comissão. Se consultares o saldo da conta, no momento que realizas o acto, deixas de ter o pilim na tua conta. No entanto, o destinatário ainda não recebeu o dito.

        • ze says:

          O motivo é precisamente esse, conseguem fazê-lo mas categorizam como um produto com um custo, dessa forma ganham dinheiro com isso.
          Tecnologicamente não existe nenhum impedimento.

  9. João M says:

    OS tempos evoluem e, com isso, mais oportunidades. O Leiteiro foi para o desemprego quando começamos a ter leite que durava mais de 1 dia; o acendedor e apagador de lampiões foi substituído pela electricidade de rua; A malta que trabalhava em lojas de aluguer de vídeos foi para desemprego; na industria, muitos são despedidos porque uma máquina faz agora o trabalho de muitos (o mesmo na agricultura). Graças a isto temos o que temos para nosso conforto e, no fundo, as pessoas têm de evoluir e permitir continuar a aprender.
    Só vejo vantagens com esta evolução. Tirando as faixas etárias mais avançadas, todos temos a oportunidade de aprender novos ofícios. Nem todos têm de ser doutores e engenheiros para o mundo do amanhã. Sabem o que tão cedo não vai mudar? Precisar de um electricista, de um canalizador ou de um pintor ou trolha – os velhos trabalhos de “colarinho azul” que agora estão em falta.

    Durante anos todos tinham de ser doutores e engenheiros (nem que depois fossem para uma caixa no supermercado – agora substituída por uma máquina “faça você mesmo); enquanto os trabalhos de colarinho azul eram vistos como trabalhos menores. A vida evolui e nós temos de evoluir com ela. Só fica para trás quem quer.

  10. David Guerreiro says:

    Comecem por substituir os diretores do banco por robôs.

  11. Papagaio says:

    Eh eh…quero ver é as maquinas a depositarem guito no banco…

  12. Bibo'puórto says:

    Ao menos os robots trabalham 24h por dia, ao contrário de um balcão que fecha às 3h.

  13. mc says:

    Ze andas muito desatualizado nos numeros. Na sede nem 1000 pessoas trabalham

  14. paulex says:

    Não querendo fazer o papel do “velho do Restelo”, mas fazendo: todos os postos de trabalho efectivos que se retiram a humanos, para atribuir a robôs/automatismos, com o principal intuito de se poupar dinheiro, mais cedo ou mais tarde será menos dinheiro a circular na economia e concentrado na mão de poucos… Os robôs são óptimos para libertar o Homem de tarefas repetitivas, mas no final do mês o Homem fica sem salário e os robôs não vão consumir bens e serviços… O equilíbrio será sempre difícil… o Homem vai deixar de ser proprietário para passar a ser apenas utilizador: vai deixar de ter casa própria, carro próprio… O custo e o ambiente vão ditar a necessidade dos serviços de subscrição e a lógica da “optimização” de recursos vai condicionar o nosso quotidiano… Ou não 🙂

  15. Zé Duarte says:

    É permitido dar socos nos robots? Se não for deixem lá ficar as pessoas. Não vão trazer vantagens para o clientes.

  16. DA says:

    Meu deus, tanta estupidez junta… Abram os olhinhos e vejam para onde estamos a ir. O vosso cérebro só já pode estar na cloud para pensarem assim. Quanto tudo estiver “otimizado” e já não houver bancários, funcionários públicos e toda essa gente que parecem odiar, o que é que os meninos pensam que vão estar a fazer? A escrever código ou a trabalhar em coisas sublimes que só os humanos conseguem fazer? O robô e o algoritmo vão papar os empregos todos, desde o varredor de rua ao Einstein. Não vai sobrar reconversão de competências para ninguém. Ainda não perceberam que não estamos no limiar de só mais uma revoluçãozinha industrialeca? Estamos no limiar da obsolescência humana e só uma elite terá direito a respirar. Metam já os papeizinhos para sopa dos dispensáveis, sem direito a nada.

    • papagaio says:

      nem… mais, aliás vão surgir milhares de milhões de novas oportunidades para os humanos… sim porque a inteligência artificial.. machine learning e essas tretas vão poder se interrompidas quando nós quisermos ou isso ou alguns iluminados acreditam que a robotica associada a tudo o resto vai manter o postos de trabalho deles intocáveis, a questão é :até quando vão as maquinas trabalhar para nós? felizmente há muito universo pra desbravar… ou vamos haver fusão entre humanis e maquina.. ou vamos ser mascote das maquinas etc… uma coisa parece me certa.. as maquinas não devem contrair creditos uma vez que vão ser bem mas inteligentes que nós.

  17. paulo rodrigues says:

    O que acontece se, de repente, for tudo feito por robôs? Simplesmente param os robôs porque o que produzem não pode ser comprado… quanto à obsolescência humana, se é por isso, venham os robôs! É um processo natural a substituição do homem pela máquina, tem sido assim desde os tempos ancestrais, só que agora parece ser de vez e em tudo…

  18. dajosova says:

    Deutsche Bank = Scammers

  19. RM says:

    Coitadinhos, não têm dinheiro para pagar aos funcionários. Idiotas!

  20. Joao Ptt says:

    A população mundial vai a caminho das 8 mil milhões de pessoas, e toda a indústria e prestadores de serviços vai na direcção da automatização, robôs, veículos autónomos… alguém quer adivinhar o que vão fazer os milhares de milhões de pessoas sem nada para fazer? Dica: acaba sempre com muitos mortos.

    • ze says:

      Esperemos que sim, 7 mil milhões de mortos seria o ideal para daqui por 100 anos estar restabelecido aquilo que fizemos ao planeta.
      Infelizmente a realisticamente não teremos tanta sorte e vamos andar nisto até não sobrar nada.

      • João M says:

        estas ideias são fantásticas… porque é que quem as tem nunca começa essa “limpeza” por si mesmo?

        • ze says:

          Se tivesses a capacidade de parar para pensar percebias que seria o melhor para a humanidade e para o planeta.
          Mas pessoas como tão preocupam-se tanto com o politicamente correcto a falsa moralidade, estão com a cabeça tão enterrada nesse mundo de faz de conta que não têm a capacidade nem a inteligência para ver o que realmente se passa à sua volta.

        • GM says:

          Neste ponto tendo a concordar com o ze. A capacidade do planeta para se regenerar ao absorver a população mundial actual e em crescendo, há muito foi ultrapassada. Não tenho bases para estimar o ponto de equilíbrio, mas aponto para um valor possivelmente de 40% a 50% da actual, a somar às preocupações ambientais que estão na berra, por forma a ser o mais sustentável possível. Mas, se não for a bem, será a mal, a natureza irá repor esse equilíbrio.

    • papagaio says:

      O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: Deu um passo à frente.

      João Pinto

  21. Abreu says:

    Lei europeia robôs a fazer descontos para a segurança social e financas

  22. silva says:

    Um dia vai ser tão fácil gamar um banco é só conseguir por os robôs a trabalhar para outro dono.
    ahahahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.