PplWare Mobile

Robôs poderão “roubar” 1,1 milhões de empregos em Portugal até 2030


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Rrrrrr says:

    concordo que os robots irao roubar empregos a muitas pessoas por todo o mundo.
    Ao mesmo tempo, como em tudo, ha uma evolucao. Por aí, acho que novos empregos/funcoes irao surgir, novas necessidades serao criadas.
    Antigamente havia muita gente que trabalhava na agricultura, hj em dia ha menos, mas ha mais pessoas que trabalham em automacao por exemplo. tem de haver uma adaptacao. no final penso que ha sempre um equilibrio.
    Se nao houver esse equlibrio, se nao houver emprego necessario, nao ha dinheiro necessario para comprar os bens gerados, logo tornar-se-ia insustentavel. (a meu ver)

    • Ruy Acquaviva says:

      Para cada cem empregos perdidos para a automação um novo emprego é criado . A conta não fecha e a situação econômica com certeza vai tornar-se insustentável. Está sendo gestada uma crise sem precedentes. Duas crises foram resolvidas com guerras mundiais. Uma foi adiada porque havia armas nucleares e outra guerra mundial será o fim da civilização. Mas a crise dos anos 60 foi apenas adiada, levando a uma pressão ainda maior hoje, onde atingimos uma situação insustentável com resultado imprevisível.

      • Alpha says:

        “Para cada cem empregos perdidos para a automação um novo emprego é criado”

        Este estudo é baseado em quê? Como é que alguém pode isolar as variáveis que existem para chegar a essa conclusão?

        Como se explica que em século e meio desde a revolução industrial, haja mais pessoas empregadas do que antes onde grande parte do trabalho era físico e manual????

        Aceitamos afirmações que são autênticas barbaridades! Hoje, uma pessoa de um país desenvolvido “pobre” tem acesso a coisas que nem o homem mais rico do mundo no início do século XX (Rockefeller) tinha acesso!

        O mundo é perfeito? Claro que não, está cheio de problemas… Mas vivemos melhor que antes? Sem sombra de dúvidas!

        • Ruy Acquaviva says:

          Esse número não é um estudo, foi um exemplo, até porque essa relação deve ser muito maior que a que eu citei A TÍTULO DE EXEMPLO. O que eu estou dizendo é uma constatação simples: A automação desaparece com muitos empregos e cria poucos empregos novos. E falei isso para chegar à MINHA conclusão: Os novos empregos criados são em número inferior aos que são eliminados, portanto não procede alegar a criação de novos tipos de empregos para substituir os empregos que desaparecem, pois os novos empregos são criado em número bem inferior. Isso é uma constatação óbvia. Quantos técnicos para dar manutenção em lojas virtuais são contratados em relação ao número de vendedores de lojas físicas são dispensados? Quantos operadores de colheitadeiras são contratados em relação ao número de camponeses que são substituídos pela colheitadeira?

          “Como se explica que em século e meio desde a revolução industrial, haja mais pessoas empregadas do que antes onde grande parte do trabalho era físico e manual?”

          Simplesmente porque tem muito mais gente hoje que no passado. Também existem mais pessoas desempregadas, mais pessoas morrendo de fome, etc.

          O desenvolvimento não e para todos. O número de pessoas que passam fome hoje em dia é maior que o número de pessoas que passava fome no passado. Só que hoje a Humanidade tem plena capacidade de produzir comida para todos, mas mesmo assim pelo menos um bilhão de seres humanos vivem sob fome crônica.

          Que vocês aí da Europa vivem bem melhor do que antes eu não tenho dúvida, mas no terceiro mundo a história é bem outra.

          Mas a questão não é nem essa, a questão é que em breve não haverá mais emprego nem nos países do primeiro mundo porque a velocidade em que a automação (incluindo robótica, IA, TI, etc) está substituindo o trabalho humano está aumentando de forma exponencial. E aí eu repito: A conta não fecha.

          Dá para mudar isso, claro que dá, mas o fato é que não é isso que está acontecendo. O que se observa é que não se está discutindo o cerne do problema, usando subterfúgios retóricos como os que você colocou, e fingindo que o problema não existe. Aliás, atitude igual a que se observa em relação às mudanças climáticas.

          • Alpha says:

            Como é que podes dizer? Referes: “Os novos empregos criados são em número inferior aos que são eliminados, portanto não procede alegar a criação de novos tipos de empregos…”
            – Surgem outros empregos que hoje não estamos a ver nem sabemos que irão existir!

            “Simplesmente porque tem muito mais gente hoje que no passado. Também existem mais pessoas desempregadas, mais pessoas morrendo de fome, etc.”
            – Por ter mais gente e mais trabalho automatizado, segundo o teu raciocínio devia haver mais desemprego do que antes das primeiras máquinas… Claro que existem mais pessoas desempregadas em valor absoluto, em termos relativos é muito menos! E se tirarmos o desemprego voluntário, ainda mais, algo que há 1 século era impensável alguém poder decidir não trabalhar para receber o subsídio de desemprego.

            “O desenvolvimento não e para todos. O número de pessoas que passam fome hoje em dia é maior que o número de pessoas que passava fome no passado.”
            – O desenvolvimento foi para a maioria da população mundial, incluindo África que apesar de todos os problemas está bem melhor que há 100 anos atrás, excepto nos países dominado por tiranos. Não é só na Europa que se vive melhor, hoje tem-se acesso a coisas que antes era impensável. Não há mais fome que antes… apenas temos hoje a acesso a dados que antes não tínhamos. Seguindo a tua lógica, a população em África e na Ásia devia diminuir, pelo contrário está a aumentar, isso deve-se a melhorias no acesso a saúde e a alimentação.

            Volto a dizer, o mundo está longe de ser perfeito, nunca vai estar e vai haver sempre problemas, agora, dizer que hoje é pior que antes… é desvalorizar o feito humano e ignorar o progresso. Parece que vivemos um sentimento anti-humano.

  2. int3 says:

    Se formos a ver, os “robots” já roubaram cetenas de milhões de empregos em todo o mundo. O engraçado é que continuam empregadas essas pessoas. Por isso não vão roubar, vão acrescentar valor. Os trabalhos mais arriscados na maquinaria serão substituídos por máquinas o que irá reduzir imenso os acidentes fatais e acidentes graves no trabalho.

  3. Pedro Pinto says:

    Ponham TODOS os robots instalados pelos empresários portugueses a fazer descontos para a segurança social.

  4. Joao says:

    Na minha empresa espero substituir as 40 pessoas actualmente por maquinaria e IA e reduzir para 5 pessoas de forma a aumentar os lucros e diminuir o erro. Num pais com mão-de-obra tao pouco qualificada como a portuguesa é imperial que robos substituam o mais cedo possivel esta escumalha de preguicosos

  5. Alpha says:

    Ninguém aprende com a história…

    Adoramos fazer análises cometendo uma falácia que “tudo o resto é constante”… mas NÃO É.
    É claro que vai acabar com aqueles empregos que a máquina substitui! Mas só substitui simplesmente aqueles a que se dirige, e ainda bem, deixam os humanos de ter que fazer uma tarefa repetitiva e aparentemente inútil.
    Quando veio a revolução industrial e começaram a aparecer máquinas, também se dizia o mesmo, que iam acabar empregos, blablabla… Mas a realidade de hoje é que a população Mundial aumentou mais de 6X, cada vez há mais trabalhos automatizados e nunca houve tantos Empregos disponíveis! Mesmo com o aumento enorme da população em século e meio!

    Acabam aqueles empregos, geram outros (melhores)! Isto é facto, é histórico, só quem não quer ver.

    Esta história do papel “activo do governo” é para o estado meter o dedo onde não deve, não sabe o que vai ser o futuro e alguns ganharem com essa intervenção…

  6. João M. says:

    Isto é fruto da evolução. Há uns valentes anos o leiteiro foi para o desemprego; os correios, com o aparecimento do Email, perderam postos de trabalho e tiveram de evoluir. Antigamente até havia a malta que acendia candeeiros ou até batiam nas janelas para fazer de despertador. O mundo evolui… O que nós temos de fazer é evoluir com ele.
    As pessoas mais velhas pode custar a evoluir e aprender coisas novas mas, mesmo assim, há pessoas com mais de 50 anos que vão tirar um curso de “computadores” para aprender sobre isso.
    O que custa é ver malta jovem – principalmente dos 16 anos até 30 – que não quer estudar e que passa a vida a reclamar que AI vai roubar empregos mas ir tirar um curso (técnico, profissional ,por exemplo) para aprender um oficio novo ou até tirar um curso universitário com saída (malta de IT, por exemplo, só não arranja emprego se não quiser)..
    Nem todos tem de ser doutores e engenheiros.. é preciso muita malta para outros oficios.. AI nunca vai subsituir um bom eletricista ou canalizador ou pinto (não para já).. mas nesses oficios, por exemplo, há pouca malta a aderir ..
    OS reais afetados são os mais velhos e mesmo esses, se quiserem, podem aprender um oficio novo. Acabaram os empregos para a vida, como antigamente. A inteligencia artificial é só mais um factor.

    • Carlos1 says:

      Boa tarde, o grande problema que vejo nesta mudança que se avizinha, são as variáveis que pela primeira vez irão chegar de uma vez só ao mercado laboral, criando na minha modesta opinião uma crise nunca antes sentida.

      Uma das vertentes que vai atingir violentamente a sociedade são os veículos autónomos, aéreas que normalmente são ocupados por cidadãos com pouca formação e que não será fácil mesmo com formações encontrar em número emprego alternativo.
      Como dizia no início do meu poste o problema vai ser a conjugação de todas estas novas vertentes que atingiram violentamente todas as sociedades sem exceção.

  7. jaugusto says:

    ok ok mas se eu tiver o cartão do partido o k é k isso tem a ver comigo?!

  8. FugaparaVigo says:

    Não é preciso… os contínuos governos PS/PSD tratam disso sem investir em robôs…

  9. Joao Ptt says:

    Numa altura em que o planeta tem mais de 7 mil milhões de pessoas é estranho tanta aposta em robôs… não é certamente por falta de pessoas!
    O que é que tanta gente vai fazer se não tiver trabalho útil? Normalmente a tendência é fazer asneiras.

  10. Pedro Ferreira says:

    Seria interesse o pplware fazer um pequeno inquérito acerca do tema. É claro que para a malta que vê este blog (tecnicamente evoluída ou informada), isto possa não parecer um problema, mas este tema é absolutamente imperial do ponto de vista da discussão. Não nos esqueçamos de incluir na equação o fórum de Davos e a relação piramidal entre os que mais têm e os que menos têm. A esses interessa cada vez pagar menos e cada vez receber mais. Isto é tudo espectacular se estivermos do lado de quem ganha. O que é que faríamos se de repente fossem simplesmente melhores em tudo que nós (sim, incluindo tarefas como programar)? Quais as alternativas?

    • Alpha says:

      É um falso problema! Qualquer análise histórica se consegue ver isso, só quem não quiser ver.
      Este tema remonta ao tempo da revolução industrial, quando se começou a substituir imenso trabalho físico e manual, a discussão é sempre a mesma, e hoje há MAIS PESSOAS, MAIS RIQUEZA, MAIS POPULAÇÃO EMPREGADA, MAIS PRODUÇÕES AUTOMATIZADAS, com um resultado fundamental: PRODUTOS MAIS ACESSÍVEIS A TODOS.

      É uma análise redutora, falaciosa e curta, pensar que ao substituir um determinado trabalho, perde-se empregos e não se recupera… as outras variáveis são são constantes!

      A realidade é esta: interessa regular e criar entraves nesta área para manter um conjunto de interesses, políticos (votos) e sindicais (que perdem poder com o fim de determinadas funções manuais).

  11. b80 says:

    Mas…Mas…nós temos 1,1 milhões de empregos para roubar?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.