Quantcast
PplWare Mobile

Apple – O dia seguinte após Steve Jobs

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Mariz says:

    Muito bom este artigo !
    Parabéns !

    • Vítor M. says:

      Obrigado, foi um trabalho a “7 mãos”, com opiniões e recolha de informação de pessoas ligadas a vários sistemas operativos. Foi uma resumo, pois o post original tinha 5 páginas, com um trabalho de recolha feito com cuidado, se bem que a informação é actualizada nalguns pontos, quase todos os dias, principalmente a informação ligada à Propriedade Intelectual.

      Esperamos que seja proveitoso, para nós já o é, aprendemos muitas coisa novas, na pesquisa de informação.

  2. Daniel © says:

    Muito bom o artigo, adorei 🙂

  3. santiago says:

    parabens :
    Vitor Martins
    Pedro Simões
    Pedro Pinto
    Ana Narciso
    Hugo Cura
    Daniel Filipe
    Marisa Pinto

  4. Jorge Désirat says:

    Fico grato pela existência deste homem, sem ele não havia android!

  5. Marisa Pinto says:

    Gosto mais do Steve Jobs! Vi hoje com cuidado o vídeo que se encontra no post.. e fiquei a admirá-lo ainda mais. 🙂

    • Daiquiri says:

      Pessoalmente, admiro mais Bill Gates. Não fez as palhaçadas que se vê hoje em dia das patentes e tentativas de banir produtos do mercado e dedica grande parte da sua vida a melhorar o mundo.

      Nunca vi a mesma atitude do Jobs.

      • Toni Antonio says:

        O Bill, roubou, copiou, enganou!

        E depois de estar no topo baniu produtos do mercado usando o monopolismo e deturpando standards!!!

        E agora tem um fundação (que a maior parte do dinheiro não foi ele que o pós lá mas de outros dadores), á e tal agora sou um gajo porreiro (depois de ter “roubado” e prejudicado muitos, principalmente pessoal e empresas de open-source) tenho uma fundação!! hipocrisia é o que é….

        • Yestaken says:

          Steve jobs também roubou projetos dos engenheiros da Xerox.

          • Ppietra says:

            Caso não saibas a Apple fez um acordo com a Xerox que lhe deu acesso aos projectos, tendo pago para tal! Falar em roubo é deveras ridículo, ainda para mais que o Mac e o Lisa foram feitos de raiz na Apple!

        • Daiquiri says:

          e a Apple e o jobs são santos. Quantas e quantas ideias copiadas do Gnome?

          E o último caso de roubar a aplicação (rejeitando-a do market) do estudante e inclui-la do iOS?

          Memória curta……

          • RaCcOn says:

            Gnome?
            O ambiente de MacOS já é bem mais antigo que o Gnome…

            Quanto a questão AppStore, tem muito que se lhe diga…

          • Toni Antonio says:

            Meu amigo… Aconselho-te a meteres a tu história em dia!!!!! Porque de Linux/GNU e ou unix percebes pouco!

            E quando eu digo que o Bill enganou!!!! Enganou mesmo!!! Começou por enganar a Apple mas não parou por aí!

            Faz o trabalho de casa e mete a história em dia!!!

      • Complex says:

        Todos nós precisamos de concorrência e não de imitações.

        quantos mais processos e restrições houverem melhor, pois obriga as empresas a pensarem antes de lançarem as coisas.

      • Ppietra says:

        A Microsoft foi condenada por abuso de posição dominante, com o Bill Gates à frente!! Por isso ninguém é santo.
        A acção da Apple é nos tribunais onde que eu saiba a justiça tem uma palavra a dizer – a Microsoft não deu essa oportunidade aos seus concorrentes.
        Quanto a veres a mesma atitude, achas que é preciso publicitar os apoios que se dão!?

      • Francisco Pinto says:

        Quando se anda por ai a “exibir” de alguma coisa normalmente tem-se algo a esconder ou anda-se a fazer penitencia por causa de alguma coisa!E não andar por ai anunciar/”exibir” não quer dizer que não se faça nada! A Apple/steve é o maior contribuinte para o combate a Sida em África e a investigação desta!

        http://www.appleinsider.com/articles/11/09/02/u2_singer_bono_praises_philanthropy_of_apples_steve_jobs.html

    • Visitante says:

      Se gostas tanto… vê esta página http://mcaf.ee/ot4nh com os gestos típicos do “antes” e “agora” 🙂

      Também começo a gostar do Jobs

  6. johnito says:

    Não deixa se ser curioso que uma semana depois de a Apple ter sido considerada a empresa mais valiosa do planeta, o CEO da mesma apresentar a sua demissão. E não é um CEO qualquer, ele é a propria empresa.
    Como será a Aplle pós-Steve Jobs?

    • johnito says:

      … só mais uma coisa. Eu penso que o principal motivo desta decisão estarão problemas de saúde, daí a minha pergunta.

    • hhrocha000 says:

      Não se trata dos problemas de saúde dele primordialmente, quem acompanhou a apple nos últimos anos tem visto que o aparecimento dele tem sido reduzido para preparar os seus sucessores, ele já tinha tudo planeado e correu como previsto.

      Pessoalmente gostaria de o ver mais uns anos à frente da Apple pois mais do que um CEO é um iCone não só desta mas também da tecnologia.

      • Yestaken says:

        Esse tal acordo com a xerox nunca existiu, e quem dizer que existiu está se enganando, mais caso persista eu aconselho a todos que acreditam nisso procurar provas, e apresentá-las.

        • Ppietra says:

          Realmente convém ter certeza e provas daquilo que se diz, mas acho que neste caso aplica-se mais à tua posição.
          Não é nada complicado encontrar provas de que a XEROX autorizou a Apple a ter acesso aos projectos e teve proveito financeiro com isso
          http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_Computer,_Inc._v._Microsoft_Corporation
          http://www.newyorker.com/reporting/2011/05/16/110516fa_fact_gladwell
          como tb existe o acórdão do juiz onde refere que a XEROX licenciou alguma tecnologia por trás do sistema em causa
          http://scholar.google.com/scholar_case?case=3538913398421433687&hl=en&as_sdt=2&as_vis=1&oi=scholarr
          Para além disso, a acusação centrou-se sobre a Apple reclamar para si a ideia do GUI como original, não sobre roubo de tecnologia – os dois sistemas eram bastante diferentes em muitos níveis!
          http://obamapacman.com/2010/03/myth-copyright-theft-apple-stole-gui-from-xerox-parc-alto/4/

          • João Ribeiro says:

            Em vez de colocares somente links a indicar as provas que dizes, devias colocar o texto que referes e depois sim o link no qual esse texto é enunciado. É que estar a ler uma quantidade de artigos para encontrar uma frase que comprove o que dizes é uma seca. Pelo que vi nesses links não encontrei nada em relação a esse tal acordo. O que vi foi o que já sabia que a Xerox “convidou” vários elementos da Apple, incluindo o Steve Jobs, a visitarem alguns dos seus projectos. Se essa visita foi paga ou não, não interessa nada para o caso. Burros foram os elementos executivos da Xerox que não souberam dar valor ao que tinham, mas de qualquer das formas digo-te uma coisa. Se não fosse a Xerox a Apple não tinha dado o salto que deu no desenho da sua GUI. Sim, porque até lá ninguém e é muito importante salientar isto NINGUÉM (que pelo menos fosse conhecido na altura) tinha uma interface gráfica como a que existia na Xerox Parc. Que fique bem saliente isto, naquela altura a Xerox estava muito à frente no design gráfico!!! E o seu computador não era nada mau, até era bem bom, mas isso é outra história (devido ao preço elevado não vingou). A Apple nisso é boa, tornar produtos que não tiveram sucesso em produtos com sucesso vejamos o caso do smartphone, do tablet e do Macbook Air (este então ainda foi mais evidente, sim porque já existiam portáteis como o Mackbook Air só que não vingaram porque ou eram muito caros ou tinham problemas técnicos, por exemplo relacionados com a duração da bateria).

          • João Ribeiro says:

            Pagar para visitar um Museu de Arte não nos dá o direito a copiar as obras de Arte.

            Eu sei, eu sei que o Picasso dizia: “Bad artists copy. Good artists steal.”

        • Ppietra says:

          @ João Ribeiro
          Usar como argumento, não ter no texto citações para além das referências é muito fora do normal, para não dizer outra coisa! Com o mínimo de engenho qualquer pessoa, em segundos, descobre nas referências dadas, o texto que diz aquilo que afirmo, contrariando a tua ideia.
          Antes de te dar as citações uma ressalva, nunca disse que a Apple não se inspirou no que foi feito pela Xerox, apenas argumentei contra ideia da Apple ter roubado “projetos dos engenheiros da Xerox”.
          É longo, mas é a consequência do que pediste

          http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_Computer,_Inc._v._Microsoft_Corporation
          Resumo:
          Houve um acordo em que a Xerox recebeu acções da Apple, para a Apple poder ver os projectos da Xerox.
          A Xerox pôs uma acção em tribunal devido à acção da Apple sobre a Microsoft – seria a Xerox, a detentora desses direitos.
          “Xerox had invited the Macintosh design team to view their GUI computers at the PARC research lab; these visits had been very influential on the development of the Macintosh GUI. Xerox’s lawsuit appeared to be a defensive move to ensure that if Apple v. Microsoft established that “look and feel” was copyrightable, then Xerox would be the primary beneficiary, rather than Apple. The Xerox case was dismissed, since the company licensed its GUI to Apple for shares of the latter in 1979.”

          http://www.newyorker.com/reporting/2011/05/16/110516fa_fact_gladwell
          Resumo: mais uma citação em que é dito que a Apple teve um acordo com a Xerox para ver os seus produtos.
          “Apple was already one of the hottest tech firms in the country. Everyone in the Valley wanted a piece of it. So Jobs proposed a deal: he would allow Xerox to buy a hundred thousand shares of his company for a million dollars—its highly anticipated I.P.O. was just a year away—if parc would “open its kimono.” A lot of haggling ensued. Jobs was the fox, after all, and parc was the henhouse. What would he be allowed to see? What wouldn’t he be allowed to see? Some at parc thought that the whole idea was lunacy, but, in the end, Xerox went ahead with it.”

          http://scholar.google.com/scholar_case?case=3538913398421433687&hl=en&as_sdt=2&as_vis=1&oi=scholarr
          Resumo: a Apple licenciou tecnologia da Xerox, logo não se pode falar em roubos.
          “I. ALLEGATIONS OF XEROX’ COMPLAINT.
          The complaint alleges the following. Xerox’ Smalltalk, which was developed in the mid-1970s at its Palo Alto Research Center (“PARC”), was the first computer language that allowed a user to interact with a computer through the use of a mouse (hand-held device). Smalltalk did not utilize on-screen icons (graphical representations of objects). In November of 1979, Steven Jobs, then-president of Apple, visited PARC with other Apple employees for a demonstration of Smalltalk. On June 9, 1981, Xerox granted Apple a license pursuant to which Apple agreed to “participate in a project with the Learning Research Group at PARC/Xerox for the purpose of implementing the Smalltalk-80 language and system on a hardware system to be developed by [Apple].” Shortly thereafter, Apple began developing its “Lisa” computer for use with Smalltalk. Xerox does not allege that Smalltalk was ever “published”[2] or registered with the Copyright Office.”

          http://obamapacman.com/2010/03/myth-copyright-theft-apple-stole-gui-from-xerox-parc-alto/4/
          Resumo: Os sistemas da Apple são muito diferentes dos sistemas da Xerox. O hardware era diferente e quem olhar para o GUI tb vê diferenças evidentes.
          “Fact:
There is substantial difference between the technology behind Apple’s GUI and the Xerox PARC Smalltalk GUI. Apple had to invent its own architecture. Drag-and-drop file manipulation came from the Apple Mac group, along with many unique concepts.
          Bruce Horn, one of the main designers of the Macintosh software who worked at Xerox for years before he worked at Apple, discusses the substantial differences between the Apple interface and the various interfaces on Xerox systems:
          “There is a significant difference between using the Mac and Smalltalk. [Xerox PARC Alto Workstation] Smalltalk has no Finder, and no need for one, really. Drag-and- drop file manipulation came from the Mac group, along with many other unique concepts”

        • Ppietra says:

          @ João Ribeiro
          Usar como argumento, não ter no texto citações para além das referências é muito fora do normal, para não dizer outra coisa! Com o mínimo de engenho qualquer pessoa, em segundos, descobre nas referências dadas, o texto que diz aquilo que afirmo, contrariando a tua ideia.
          Antes de te dar as citações uma ressalva, nunca disse que a Apple não se inspirou no que foi feito pela Xerox, apenas argumentei contra ideia da Apple ter roubado “projetos dos engenheiros da Xerox”.

          http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_Computer,_Inc._v._Microsoft_Corporation
          Resumo:
          Houve um acordo em que a Xerox recebeu acções da Apple, para a Apple poder ver os projectos da Xerox.
          A Xerox pôs uma acção em tribunal devido à acção da Apple sobre a Microsoft – seria a Xerox, a detentora desses direitos.
          “Xerox had invited the Macintosh design team to view their GUI computers at the PARC research lab; these visits had been very influential on the development of the Macintosh GUI. Xerox’s lawsuit appeared to be a defensive move to ensure that if Apple v. Microsoft established that “look and feel” was copyrightable, then Xerox would be the primary beneficiary, rather than Apple. The Xerox case was dismissed, since the company licensed its GUI to Apple for shares of the latter in 1979.”

          http://www.newyorker.com/reporting/2011/05/16/110516fa_fact_gladwell
          Resumo: mais uma citação em que é dito que a Apple teve um acordo com a Xerox para ver os seus produtos.
          “Apple was already one of the hottest tech firms in the country. Everyone in the Valley wanted a piece of it. So Jobs proposed a deal: he would allow Xerox to buy a hundred thousand shares of his company for a million dollars—its highly anticipated I.P.O. was just a year away—if parc would “open its kimono.” A lot of haggling ensued. Jobs was the fox, after all, and parc was the henhouse. What would he be allowed to see? What wouldn’t he be allowed to see? Some at parc thought that the whole idea was lunacy, but, in the end, Xerox went ahead with it.”

          http://scholar.google.com/scholar_case?case=3538913398421433687&hl=en&as_sdt=2&as_vis=1&oi=scholarr
          Resumo: a Apple licenciou tecnologia da Xerox, logo não se pode falar em roubos.
          “I. ALLEGATIONS OF XEROX’ COMPLAINT.
          The complaint alleges the following. Xerox’ Smalltalk, which was developed in the mid-1970s at its Palo Alto Research Center (“PARC”), was the first computer language that allowed a user to interact with a computer through the use of a mouse (hand-held device). Smalltalk did not utilize on-screen icons (graphical representations of objects). In November of 1979, Steven Jobs, then-president of Apple, visited PARC with other Apple employees for a demonstration of Smalltalk. On June 9, 1981, Xerox granted Apple a license pursuant to which Apple agreed to “participate in a project with the Learning Research Group at PARC/Xerox for the purpose of implementing the Smalltalk-80 language and system on a hardware system to be developed by [Apple].” Shortly thereafter, Apple began developing its “Lisa” computer for use with Smalltalk. Xerox does not allege that Smalltalk was ever “published”[2] or registered with the Copyright Office.”

          http://obamapacman.com/2010/03/myth-copyright-theft-apple-stole-gui-from-xerox-parc-alto/4/
          Resumo: Os sistemas da Apple são muito diferentes dos sistemas da Xerox. O hardware era diferente e quem olhar para o GUI tb vê diferenças evidentes.
          “Fact:
There is substantial difference between the technology behind Apple’s GUI and the Xerox PARC Smalltalk GUI. Apple had to invent its own architecture. Drag-and-drop file manipulation came from the Apple Mac group, along with many unique concepts.
          Bruce Horn, one of the main designers of the Macintosh software who worked at Xerox for years before he worked at Apple, discusses the substantial differences between the Apple interface and the various interfaces on Xerox systems:
          “There is a significant difference between using the Mac and Smalltalk. [Xerox PARC Alto Workstation] Smalltalk has no Finder, and no need for one, really. Drag-and- drop file manipulation came from the Mac group, along with many other unique concepts”

  7. Pisca says:

    Desculpem o off-topic. poderiam olhar para esta coisa que está anunciada ? Com um processador de 1.5Ghz e dual boot

    Chinesises

    http://miuiandroid.com/

    Feito a partir de um grupo de fulanos que andaram a fazer roms baseadas no Android e Cyanogen

    Projecto Miui

    • filipe says:

      um grupo de fulanos que são os mesmos que fizeramo iphone:-)
      esse MIUI é feito na foxconn. e pelo preço anunciado vai valer bem a pena comprar um.

  8. cris. says:

    Este homem e sua visão fez muito pela Apple, mas será que se ele também não se rodeasse das pessoas certas a empresa tivesse tanto sucesso.

    Muito bom artigo !

  9. Ryan says:

    O trabalho está excelente. Pessoalmente toda a informação há muito que é do domínio público mas não quero deixar de realçar que toda a investigação e produto final estão muito sintetiza afinal o trabalho do Esteves à frente da sua empresa.
    Já lá vão uns anos que vi esse discurso depois de uma famosa keynote.
    Enfim o Esteves e o outro Esteves fizeram um bom trabalho porque quando há concorrência maximizam-se produtos que darão diferentes experiências a quem deles usufrui seja lá em que domínio for.

  10. Diogo says:

    Muitos parabéns por este excelente artigo, muito interessante!
    Depois de ver o vídeo que se encontra no artigo fiquei ainda mais fã do Steve Jobs 🙂

  11. João Caldeira says:

    Parabéns a todos.

  12. Valeriu says:

    Parabéns pelo artigo Pplware!

    Gostava também que fizessem um artigo com a historia da Microsoft e do Bill Gates.

    Cumps

  13. Serva says:

    Parabéns a todos os que colaboraram no artigo , fiquei a conhecer no vídeo anexo um discurso amargo mas clarividente simultaneamente que define bem a personalidade deste homem , o facto de algumas vezes na sua vida ter-se sentido rejeitado é muito marcante da sua personalidade actual .

    Permitam-me só discordar do facto de ele ter planeado a sua saída , infelizmente para ele não tinha outra alternativa .

    Aceitem os meus sinceros cumprimentos

    Serva

    • Vítor M. says:

      Sim, ele planeou a sua saída agora, foi o que escrevi, poderia ter saído numa outra altura qualquer, logo em janeiro aquento do afastamento por baixa médica, mas não, foi só agora porque é num período que não será de grande impacto nos investidores. Por isso refiro que foi pensada a sua saída. Claro, infelizmente ele teria de sair, não sabemos se está pior ou estável, em termos da sua doença, mas é um facto que está debilitado.

    • Ppietra says:

      “discurso amargo”? Quando se fala dos desafios da vida e como se superam é um discurso amargo? Seria amargo se o homem não tivesse dado a volta por cima e andasse a reclamar de todos!! Ele conheceu os seus pais biológicos e a sua irmã. Ele montou duas novas empresas (uma delas com sucesso imenso – Pixar), antes de voltar à Apple e fazer dela o que é hoje. Ele próprio reconhece que essa experiência fez dele melhor. Onde é que está a amargura!?
      Quanto à saída ser planeada, acho o sentido do texto bastante óbvio. Jobs e a Apple tinham um plano para fazer face à sua doença e fazer uma transição suave para Cook. Na minha opinião dado todo o discurso desde o início do ano, a baixa médica já fazia parte do plano de transição.

      • Francisco Pinto says:

        Também penso que sim a baixa servio para efectuar a transição! este anuncio foi um pro-forma para oficializar na melhor altura a transferencia definitiva!Basta ver que a aprovação para CEO do Tim foi imediata, quer dizer que já estava tudo aprovado só faltava “oficializar”.

  14. José Fonseca says:

    Parabéns pelo resumo!

  15. MySeLf says:

    Steve Jobs is chairman now, not to be confused with Chairman Mao.
    One is a totalitarian leader, obsessed with control. The other was Mao..

  16. Excelente artigo!
    Parabéns a todos que colaboraram na realização do mesmo.
    As melhoras para o grande Steve, e que continue por muitos mais anos ligado à Apple.

  17. ze says:

    Parabéns pelo artigo.

    Mesmo não sendo utilizador frequente de produtos apple sempre admirei a companhia.

    Apenas grandes visionários podem criar coisas assim. Steve Jobs é um deles.

  18. aver says:

    No “dia seguinte” a bolsa (Nasdaq, EUA) fechou com a Apple a baixar a cotação em 0,65% (ficou a valer 345,5 mil milhões de dólares).

    Como as “tecnológicas” perderam em média 1,85%, até se pode dizer que foi um bom resultado. Nenhum drama do “dia seguinte”, portanto.

    Também gostei do artigo. Só há lá um ponto que continuo intrigado – quanto é que pagou e/ou vai pagar a Apple à Nokia em resultado do último processo de patentes favorável à Nokia ? Fala-se em valores tão diferentes como 460 milhões de dólares (e mais nada) ou de 1,5 mil milhões de dólares e mais 15 dólares por smartphone vendido. Po*ra, quando toca à Apple é tudo segredo, nem isto se sabe ! Devem ter medo de Steve Jobs 😛

  19. Deus says:

    Embora nunca tenha sido grande fã da maça eu tenho de dizer que este homem é um grande senhor. Ele passou por muito e sempre lutou por aquilo que acreditava, recuperou uma empresa que estava na falência e fez dela o que é hoje.

    Parabéns…

  20. Carlos Morais says:

    Grande post… vale a pena ver o video!

  21. Tiago Correia says:

    Excelente artigo, muito completo e explícito.

  22. says:

    É uma personalidade fora do vulgar, mesmo assim admiro mais o Bill Gates pelo sucesso que teve do que o Steve Jobs, por copiar por copiar os dois copiaram, agora o Bill Gates conseguiu em muito menos tempo e com muito mais sucesso ficar multi-milionário, e sinceramente qualquer um deles o que quer no fundo é fazer fortuna mais do que qualquer coisa, se não, não haveria tanta corrida por patentes e tanta azafama por criar empresas atrás de empresas. Mas sinceramente o Bill Gates mostrou a este homem um poder de negociação e vender produtos muito mais forte, basta pensar que 90% dos pc’s tem o Windows, até os mac tem programas da Microsoft.

    Basta ver o filme Pirates of Silicion Valley para ter noção dos anos atribulados deste e do Bill Gates. Eles próprios admitiram que o filme mostrava com uma certa precisão o que aconteceu.

    Steve Jobs é um revolucionário, mas a nível empresarial não o acho com a melhor mente para o negocio, nem nada que se pareça, teimoso de mais para conseguir ter o sucesso que podia ter tido. É de referir que tanto na criação das empresas nem Steve Jobs, nem o Bill Gates (este ainda percebia um pouco mais de programação que steve jobs) de engenharia de computação, eles eram simplesmente homens de negócios, nada mais que isso, os parceiros deles é que de facto metiam a mão na massa e faziam as coisas funcionarem, eles só vendiam.

    Agora que este homem sabe estar em cima de um palco a vender e a fazer teatro, sem sombra de duvidas que sabe.

    Pirates of Silicion Valley 😉

    • Ppietra says:

      Acho que fazer esse tipo de comparações é sempre problemático!
      O Bill Gates só montou uma única empresa (tanto quanto eu sei), o Jobs fundou 3, com todas a serem marcantes: Apple, Next (o seu sucesso foi reduzido, mas a sua tecnologia ficará para sempre ligada ao aparecimento do primeiro browser) e Pixar (não é preciso dizer muito sobre ao seu sucesso).
      Um ganhou dinheiro a vender software a empresas – quer se queira quer não, a prioridade da Microsoft foi sempre o mercado empresarial, o consumidor veio de atrelado. O outro ganhou dinheiro a vender hardware, software e conteúdos, preocupando-se mais com o utilizador final.
      A Apple gera mais rendimentos e lucros que a Microsoft, e já vale muito mais!
      De modo que o valor de cada um é inegável, mas não se consegue pegar num só facto para dizer que um soube ser melhor do que o outro.

    • São pessoas com ideias completamente diferentes. o Bill Gates tornou-se o homem mais rico do mundo porque era essa a ideia principal dele. Por isso é que os produtos Microsoft nem sempre são exactamente aquilo que os utilizadores pretendem, mas sim o que faz a Microsoft ganhar mais dinheiro.
      Steve Jobs, acima de tudo sempre quis criar os melhores produtos e com gosto. O objectivo dele não é ser o homem mais rico do mundo, mas criar produtos distintos.
      É como certas marcas de outros sectores. Achas que a Porsche pretende ser a marca que vende mais?

      • says:

        Isso achas tu. Tudo o que ele fez e faz não é se não bem vender um produto e quer tirar a maior quantidade de lucro possível, só se ele fosse burro.

        A única maneira de ele manter-se no mercado foi ter uma imagem que cria produtos de uma qualidade superior e faz todas as jogas económicas e publicitárias para isso mesmo.
        Porque achas que eles perdem tanto tempo em ter um site todo lindinho, afinal a qualidade que queremos é nos produtos não no site a fazer publicidade. (todas as empresas jogam no mesmo barco, quer queiramos quer não)

        Essa ideia que ele simplesmente quer fazer bons produtos não é mais que uma ilusão, durante certo tempo a Apple não se importou muito com as cópias pois referia que tinha sempre melhor qualidade, agora esta guerra de patentes, demonstra o medo que ela tem de fazerem copia. É que na verdade não há nada que ela faça que os outros não consigam e a um preço muito mais baixo.

        Só mais uma coisa, comparar a Apple como uma empresa que faz Porsches é não perceber nada do mundo automóvel ou da informática.
        Eu posso muito bem equipar um pc com o mesmo processador e a placa gráfica que qualquer Mac tenha e a um preço muito mais barato que um apple. Diferenças ficam na carcaça, sinceramente quero é que as coisas funcionem rápido não para a casca do produto. Agora se transportares isto para o mundo automóvel é o mesmo de dizeres que podes ter tudo o que o Porsche dentro de um Fiat, apesar de ser impossível, ele acabava por se estampar na primeira curva devido a falta de estabilidade porque a carcaça e todas as peças de um automóvel é essencial para a sua performance, além do mais não dá para comparar um motor de um Porsche com outro carro de uma linha mais baixa.
        Agora num PC o essencial é os componentes electrónicos, não a carcaça externa. Eu sei que vivemos numa sociedade que vive muito à base das aparências, mas sinceramente é uma sociedade triste.
        Para quê dar mais dinheiro por uma linda carcaça se o que quero é que ele funcione rápido e pronto, isso consigo com preço mais barato sem falar que o núcleo das coisas e a essência dos componentes é exactamente a mesma, compras uma boa motherboard, boa fonte, um intel xeon, um grafica da ati e pronto uma plataforma mais aberta e com mais liberdade com um simples pc todo bonitinho. (visto que até lançaram tecnologias que não tiveram sucesso porque eram fechadas)
        Sem falar que as pessoas que montam tanto produtos da Apple e outras empresas é sempre de países de 3º mundo que não tiram proveito nenhum da fama das marcas.

        Bill Gates comprou uma quantidade de empresas, se não criou nenhuma muito falada também foi porque não necessitou, afinal nunca ficou no desemprego.
        Além do mais o objectivo de qualquer empresário é fazer o máximo de dinheiro com o menor esforço possível. Sinceramente o Jobs teve de correr de mais para o dinheiro que fez.

        A corrida por lançar o portátil mais fino e mais mariquices que não lembra o diabo, não é nada mais do que tentar colocar um nome (marca) com mais relevo e todos nós que compramos esses produtos pagamos por isso, pagamos por um nome, que bem lá no fundo, conseguimos com menos dinheiro ter um equipamento idêntico. Sinceramente dar dinheiro por um nome para mim é igual a mandar dinheiro para o lixo. (claro isto no mundo da informática, quanto a mais um mundo que muda a cada 6 meses (as vezes radicalmente), se compararmos com um mundo automóvel é completamente distinto, não dá para comparar em termos de velocidade e performance um topo de gama da VW com um Bugatti (sendo que o dono até é o mesmo), aí o dinheiro tem outro valor.)

        Isto é só uma opinião, não vejo o Jobs como quem queria de facto revolucionar a computação, tanto que ele estava completamente perdido para que área se virava, ele é um homem que sabe vender e sabe convencer as pessoas, ele sempre quis destacar-se, o que se nota bem na sua personalidade, só isso. De facto teve sucesso em destacar-se, mas não o vejo como pai de tecnologia nenhuma, simplesmente um bom vendedor.
        Eu aprecio vendedores, mas sei como eles são e tenho sempre um pé atrás com esse tipo de pessoas.

        Agora se ele não gasta-se tanto dinheiro em publicidade, fizesse os produtos que fez e coloca-se a um preço realista (o que eles valem mesmo), sem espalhafato e sem lançar produtos ridículos e fora de tempo (para parecer muito à frente), aí sim o admirava mais como homem da tecnologia e alguém que de facto quis marcar a diferença na computação. Claro não estaria rico como está hoje em dia, mas conseguiria lançar os produtos com as mesmas carcaças que lança hoje em dia.

        • aver says:

          Sabes o que escreveu o Padre António Vieira no fim de uma carta a um amigo: “Desculpa a carta ser tão longa. Não tive tempo de a tornar mais curta”.
          E isto são comentários, não são cartas.

          • Cheia de erros e onde não se aprende nada.
            Tanta ignorância…

          • João Ribeiro says:

            Por acaso não me parece que tenha sido o padre António Vieira a escrever isso, mas pronto. Que eu saiba foi o Blaise Pascal entre 1656-1657. No entanto, pode ser que esteja enganado desde que me mostres provas do contrário.

            “I have made this letter longer than usual, because I lack the time to make it short.”

            — Blaise Pascal

          • aver says:

            João Ribeiro
            Pode ser. Eu lembrava-me da frase como atribuída ao Pe. António Vieira e servia para um comentário educado.
            O que eu queria escrever mesmo era “Qualquer pessoa está no seu direito de escrever um comentário bacoco. Desde que seja curto”.

        • Ppietra says:

          Tanta má informação!
          Ao contrário do que tu e muitos outros pensam a Apple não gasta muito em publicidade comparativamente a muitas das outras companhias.
          Tens aqui um artigo em que compara os gastos de 2009 de algumas companhias.
          http://tech.fortune.cnn.com/2009/10/28/apples-2009-ad-budget-half-a-billion/
          Como podes ver a Microsoft gastou quase 3 vezes mais!!!! A Dell gastou bem mais tb, para ter muito menos retorno. Em 2010, Microsoft (1,6 mil milhões) vs Apple (690 milhões).
          Acho que os factos falam por si!

          Quanto à Apple preocupar-se em fazer bons produtos é outro facto! A prová-lo estão os índices de satisfação dos consumidores e a % de pessoas que continuam a comprar depois da primeira compra! Um produto de qualidade não implica ter o processador mais rápido (já lá vai o tempo). Um produto de qualidade implica boa resistência, bom suporte, bom software, boa bateria, e a cima de tudo simplesmente funcionar sem dar dores de cabeça. Nisto os produtos da Apple são dos melhores. O facto de se preocuparem com os pequenos pormenores dá ao consumidor confiança e prazer.
          Quanto ao preço, se a Apple vende com os preços que faz e cresce da maneira que cresce, é porque há muita gente que não tem a tua opinião!

          Quanto ao Bill Gates comprar “uma quantidade de empresas”, lê este artigo para veres o pouco proveito que tirou disso
          http://www.bloomberg.com/news/2011-08-26/apple-without-jobs-as-ceo-gives-cook-28-billion-to-make-a-deal-real-m-a.html?cmpid=yhoo
          O Jobs teve ideias e visão. Não é só um bom vendedor, pois um bom vendedor só vende o que lhe põem à frente para vender. Se o Jobs fosse só isso a probabilidade de ter estado envolvido em tantos momentos que alteraram a indústria seria tão reduzida que se diria impossível. Desde o sucesso inicial da Apple, ao desenvolvimento do Mac; a tecnologia da Next, os filmes da Pixar, o iPod, o iTunes, o iPhone, a AppStore, o iPad, e agora o MacBook Air que todos andam aflitos a querer imitar tb. Diz-me como é que sendo só um bom vendedor teria conseguido estar envolvido em tudo isto! O homem teve visão e soube se rodear das pessoas certas para realizar essa visão.
          Só para terminar! Muita da riqueza que o Jobs tem neste momento vem da venda da Pixar à Disney (é o maior accionista individual da Disney), por isso desengana-te se achas que ele anda aflito em enriquecer pela Apple.

        • “não o vejo como pai de tecnologia nenhuma, simplesmente um bom vendedor.”
          Zé, informa-te antes de dizeres bacoradas:
          http://www.techno09.com/?p=874

  23. Iv@n says:

    Passei, como Marisa Pinto, a admirar mais ainda esse mentor “ícone no mundo da tecnologia” depois de ouvir atentamente seu discurso aos jovens universitários de Stanford. Admirável determinação ao seguir o que acreditava e amava. Admirável tbém a citação à esposa. Um Homem que mesmo passando perto da morte, não perdeu as forças de lutar pelos seus ideais. Que tenha tbém essa garra o seu sucessor e faça o dia seguinte da Apple tão grande como foi o anterior.
    Mais uma vez congratulo a “equipa” PPLWARE pelo magnífico artigo que pela qualidade e riqueza de detalhes, como tantos outros já publicados, guardo como fonte de informação e pesquisa.

    Parabéns PPLWARE!

  24. eu mesmo says:

    é 1 video inspirador

    • João Ribeiro says:

      É mesmo um vídeo inspirador. Ele por natureza tinha que ser inspirador se não…. não conseguia por o pessoal a trabalhar mais de 90 horas por semana como aconteceu. Nesta altura, ainda gozava com a situação… chegou mesmo a fazer t-shirts para esses trabalhadores com o slogan “90 Hours A Week And Loving It!” http://www.folklore.org/StoryView.py?project=Macintosh&story=90_Hours_A_Week_And_Loving_It.txt

      Sem dúvida que parece ter sido um grande líder, mas era implacável quando era jovem, egocêntrico, arrogante e mal educado (segundo o que foi retratado no documentário biográfico/filme Pirates of Sillicion Valey). Aconselho a todos a verem o filme para que não se iludem muito com o ícone… Depois venham dizer se gostariam de trabalhar para ele, naquela altura claro, porque agora é capaz de ser diferente :D!

  25. xxlsecurity says:

    Parabéns PPLWare! Fantástico artigo

  26. Dimitri says:

    Comex acaba de anunciar que vai fazer um estágio na Apple. Será o fim do jailbreak?

  27. Rcmps says:

    Aqui esta uma vida que merece um filme, nao um puto de 17 anos que canta como uma menina, ou uma rede social que foi criada a partir de traição.

    • João Ribeiro says:

      lol

      E o mais incrível é que esse puto já apareceu em 2008 no 5º lugar nos homens mais influentes do mundo na tecnologia no site sillicon.com…Incrível. Atenção que traições todos eles fazem incluindo o Steve Jobs (não vamos ser ingénuos)…Além de que o que o Mark Zuckerberg fez não foi bem traição, mas isso é discutível. Incrível é o facto de ele só ter sido inovador na forma como apresentava o conteúdo da rede social às pessoas (a dita wall que só apareceu depois de ele já ter lançado o thefacebook.com). Porque toda a gente sabe que já existiam muitas redes sociais antes do Facebook.

  28. José Jaime says:

    Parabéns pelo artigo.
    Steve Jobs é de facto um génio sem comparação.
    Vejam o documentário sobre a Pixar, que não chegaria onde chegou sem ele. Sem dúvida uma influência nos mais variados mercados

  29. Ivan Conceição says:

    Mas já existe o filme. Procurem por “Pirates of Silicon Valey”

  30. Armando Monteiro says:

    Esta frase:

    “O mundo da tecnologia agradece o muito que este homem deixou como legado”

    dá a ideia de que o homem já morreu!

    E parece-me que ele, mesmo com pouca saúde, continua a ser o maior desafio da concorrência!

    Sou daqueles que tem algo contra a Apple mas não sabe bem o quê [ 😀 ], mas admiro este homem.

    • Vítor M. says:

      Não morreu, mas será uma forma de deixar a vida activa, as fantásticas e enigmáticas keynotes… entre outras coisas que o Steve certamente não voltará a fazer.

      Claro que não morreu e poderá durar ainda uns bons anos, não sabemos como está a evoluir ou a regredir o seu estado de saúde, simplesmente não sabemos, mas ele não será o mesmo.

      😀 “Sou daqueles que tem algo contra a Apple mas não sabe bem o quê [ ], mas admiro este homem.”

      Excelente, acho que estiveste muito bem… alias disseste aquiloq ue muita gente deveria dizer, muitos odeiam o homem e não sabem bem porquê!

      Aqui vai um LIKE 😀

  31. Xico Bandito says:

    Obrigado pelo bom trabalho apresentado.

  32. Pedro Torres says:

    Muito obrigado pelo artigo…e que artigo!

  33. Pisca says:

    Agora vai-me tudo cair em cima, mas não alinho em romarias ao chefinho, nunca alinhei

    Um fulano que para dirigir e obter sucesso numa empresa, provoca o medo quase pânico nas pessoas que tem à sua volta, pode ser um génio do que quiserem, mas para mim é fundamentalmente uma besta, não vê além do seu umbigo e mesmo assim

    E olhem que já lidei com algumas em grandes corporações

    • João Ribeiro says:

      x2 (não seria tão agressivo no comentário, mas remata muitas das minhas conclusões depois de investigar mais um pouco sobre a pessoa)

      Ele também foi uma “besta” para a primeira namorada que teve, renunciou a filha dele já depois de ter dado positivo o teste de paternidade. Esqueceu-se tantas vezes da filha e daquela mulher… Não gosto de fazer juízos de valor sobre as pessoas e sei que muitas vezes existe muito interesse nas relações. No entanto, a namorada dele muito antes de ele ter começado a empresa já estava com ele. Ele nisso foi implacável e quem sofre nunca é lembrado nestas alturas. Agora de certeza que já está tudo bem, porque finalmente obteve o sucesso que sempre quis. No entanto, isto é típico do povo Americano. Só nascem com o intuito de fazer dólares e mais dólares. É uma opção, tem coisas boas e tem coisas más.

      Não é a dar nomes às máquinas que se lembram pessoas, é a estar com elas e a vê-las crescer. Penso que não foi tarde demais, mas pronto é sempre bom salientar que a vida profissional dele tornou-se a sua vida pessoal, como é costume muitas vezes e que isso fez sofrer muita gente ao seu redor.

  34. Bom artigo, deu para mostrar como é que se encontra a apple neste momento…
    Confesso que tive pena que o Steve Jobs tenha abandonado o cargo de CEO. Foi assim que o conheci, foi assim que o comecei a admirar, por isso ao fim de tantas horas, de tanta keynote, vai ser estranho chegar a uma terça feira qualquer às 18 da tarde e não ouvir a voz daquele que certamente será a minha maior referencia. Agora ele não morreu, nem sequer abandonou a apple, no fundo terá um papel como aquele que tem desempenhado desde Janeiro. Além disso, sem duvida que é um génio, mas coisas destas por mais que se queira, não se fazem sozinho… A apple continuará a ser inovadora, e possivelmente o Steve Jobs, vai se dedicar ao ultimo grande projecto na marca de Cupertino, que será a nova sede… Para o cliente “normal” a coisa será exactamente a mesma, até porque grande parte dos utilizadores de iPhones ou até iPods, não fazem a mínima ideia de como aquilo surgiu, nem da obra de Steve Jobs…

  35. aver says:

    A tua argumentação não pode estar certa. Às “pessoas que estão à sua volta” chama-se a “equipa”.

    Quem sabe disto descreve a “equipa de Steve Jobs” como uma “grande equipa de talento executivo”. Todos com medo e quase pânico de Steve Jobs ? Não me parece possível. É tudo gente que facilmente arranjava emprego noutro lado.

    Poderia ser: “Ele e a equipa são umas bestas, estão bons uns p’ros outros, provocam o medo e o pânico nos empregados”. Algum medo, no sentido de não deixar ninguém instalar-se confortavelmente (como se diz “a fome e o frio é que metem a lebre ao caminho”) até nem está mal. O pânico é desanconselhado.

    Em todo o caso, há “equipa”, apesar da falta que possa fazer Steve jobs. Tabém gostei deste artigo: http://economia.publico.pt/Noticia/saida-de-jobs-e-so-uma-pequena-dentada-no-negocio-da-apple_1509267

    • aver says:

      …”ressaltou” do comentário do @ Pisca 😀

      • João Ribeiro says:

        Penso que o Pisca também viu o mesmo filme que eu vi e por isso assumiu aquela agressividade, que para mim tem fundamento. Se assistires ao mesmo filme de certeza que também vais chegar a essa conclusão, se não chegares então é porque gostas de ser humilhado.

        • aver says:

          “Pirates of Silicon Valley” ? Pelos extractos no YouTube parece uma pessegada. Mas se encontrares no YouTube o pedaço que te interessa põe o link que eu dou-lhe uma olhadela e digo-te o que me parece.

  36. Francisco says:

    Um homem muito sábio, trabalhador e “visionário” o Sr.Steve Jobs, é brilhante ver pessoas, que criaram algo que nunca antes tinha sido feito 😀

    Bom Artigo, +1 ! O video do discurso está também mto bem inserido 😉

    • Vítor M. says:

      Posso-te avançar que, quando o vi há uns anos pela primeira vez, retive algumas frases e passei a olhar para este homem de forma diferente.

      Embora o tenha como um visionário, arrogante, mal disposto solitário, genial, trabalhador, impulsionador, vingativo e rancoroso, não posso deixar de admirar o seu trabalho, a sua filosofia de desenvolvimento e crescimento.

      Quem vê o futuro como ele o previu na década de 90… onde já falava na altura de cloud…. só pode ser um grande obreiro do futuro.

  37. João Ribeiro says:

    Grande lição de vida. Grande Steve Jobs.

    Muito bom artigo. Bom trabalho pplware.

    Cumprimentos,

    João Ribeiro

    • João Ribeiro says:

      Bem depois de ver o Pirates of Silicon Valley…

      Errata:
      Onde se lê “Grande Steve Jobs” deve-se ler “Grande discurso de Steve Jobs.”

      Já agora, já que começaram…. tem que ser igual para todos.

      Que tal fazerem uma biografia do Bill Gates? e dos homens da Google? Se já o fizeram peço desculpa, mas ainda não vi.

      Tenho notado um enorme crescendo de notícias da Apple e do Android, não faz nada mal também falar de outros assuntos…

      Cumprimentos,

      João Ribeiro

      • Ppietra says:

        Sem por em causa poder ser feito para outros, mas acho que os outros não se encontram na mesma situação, certo!? É perfeitamente compreensível e lógico que se faça o apanhado da vida de Steve Jobs neste momento

      • Vítor M. says:

        Claro que é perfeitamente exequível falarmos de outros, desde que seja motivo. Não vejo, dado o enquadramento histórico-social de Bill Gates, uma necessidade de se falar dele, mas já falámos muito mais de Gates do que de Jobs, tendo em conta a nossa existência face ao poder e pendor de cada um no mercado tecnológico.

        Quando aos grandes fundadores da Google… ainda não perdi a esperança de os entrevistar pessoalmente e espero fazer isso em “breve”.

  38. Serva says:

    Concordo temos andado muito a volta dos temas smartphones e de facto há imensas coisas para se falar sobre o mundo tecnológico , e existem noticias como nunca para serem divulgadas pelo nosso Pplware .

    Cumprimentos

    Serva

    • Vítor M. says:

      E temos falado muito mais para além dos smartphones. Se reparares escrevemos quase todos os dias de Linux, de Windows de Mac, falámos de serviços esporadicamente, deixamos as novidades face aos mercados tecnológicos, temos as rubricas normais de programação, cinema, música, humor.

      Além disso deixamos desafios ligados a Linux, Redes e outras áreas, fazemos passatempos, alargamos a informação ao que os leitores quiserem também escrever… gadgets, dicas em geral ligadas à tecnologia… e muitas outras áreas anexas.

      Agora, o foco que vocês leitores também privilegiam e é nesse ponto de vista que se suportam e dizem que falámos mais em smartphones é nesse segmento, ignoram outras notícias e dão particular atenção ao assunto mobile.

      Como estão focados… a memória atraiçoa e valorizam mais esse assunto até dizerem que falámos demais sobre ele.

      É puramente a mente que vos atraiçoa…. uma epifania… diria com toda a certeza.

  39. sxzoeyjbrhg says:

    A vida de Steve Jobs contada em dois minutos

    Uma empresa de animação taiwanesa, a Next Media Animation, fez um vídeo animado onde conta a carreira de Steve Jobs em dois minutos.A vida de Steve Jobs contada em dois minutos

    http://youtu.be/LJSFFpDuGZU

  40. aver says:

    Olha. Comentários de hoje, dia 29, dia em que a Apple voltou a ser a empresa mais valiosa do mundo, à frente da Exxon Mobile.

    Valor de mercado em milhares de milhões de dólares:

    Apple 361,54
    Exxon Mobil 360,38.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.