PplWare Mobile

Apple: Todas as baterias nos iPhones 6 serão substituídas…


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

99 Respostas

  1. Maats says:

    Eu acho que os clientes prejudicados têm toda a razão de não querer pagar nada pela troca da bateria, quando compraram o smartphone pagaram e bem “pela marca” viram o desempenho e recursos do mesmo serem reduzidos pela própria marca sem ai nem ui, e agora ainda querem que os clientes paguem 29 dólres?
    A mim não me surpreende minimamente e acho que qualquer pessoa por pouco atenta que seja sabe que na Apple tudo se paga, espanta-me como esses clientes lesados ao fim destes anos ainda não tenham percebido isso… mesmo tendo toda a razão!

    • Jorge says:

      Na Apple tudo se paga? Foi a primeira empresa a disponibilizar gratuitamente novos sistemas operativos nos seus computadores. A suite de produtividade equivalente ao Office da Microsoft é gratuita há muitos anos e diversas outras excelentes ferramentas que são nativas no iOS ou no MacOs.

      • Maats says:

        ????????????????????????????????
        Também era o que mais faltava não achas Jorge?

      • Jona says:

        Sao de graça? Lol. Pelo preco dum mac compro um pc 2x superior com todo software legal. Na minha empresa fui eu ke escolhi e montei os pcs. Os macs foram para as designers. O normal quando o trabalho é pesado é elas levantarem.se e irem para um pc quando esta livre que os renders sao muito mais rapidos….e os pcs so custaram menos 1000 euros

        • Sujeito says:

          Tu reusas-te mesmo a perceber o que te estão a dizer. Pior cego é mesmo esse.

        • pedro says:

          tudo é pago à mesma, mas de formas diferentes… 😛

        • rodrigo says:

          Nao estou a ver o ponto que queres fazer.
          Sim os PCs sao mais baratos e se serverm a maioria dos funcionarios da tua empresa nao vejo a razao de comprar Macs.

          Isso nao tira o facto de Apple disponibilizar gratuitamente novos sistemas operativos nas suas maquinas nem o facto de MacOS ter varias ferramentas gratutuitas e de qualidade.

          Agora pergunto – qual o ponto que queres fazer??

          • Sujeito says:

            Sabe lá ele.

          • Traveller says:

            Quer dizer que pagas o So no preço do computador e p limitam a atualização a modelos mais recentes por isso queres So recente compra um Mac novo.
            Quando comprei o meu 8086 também não comprei o ms-dos já estava incluído no preço Muito antes do macos

      • Squalo says:

        Experimenta comprar o final cut pro

    • Jorge Carvalho says:

      A ver se percebes de uma vez 🙂 , nao foram todos os Telemóveis que tiveram o desempenho reduzido , apenas aqueles em que a bateria estava já degradada.
      E já agora vão ver esta thread de androids no reddit : https://www.reddit.com/r/Android/comments/7mmz3s/htc_and_motorola_say_they_dont_slow_old_phones/

      • Maats says:

        Isso já eu sei e entendi, dei a minha opinião que vale o que vale, ou seja nada… por isso é que é opinião!

        Agora isto:
        Foi a primeira empresa a disponibilizar gratuitamente novos sistemas operativos nos seus computadores. A suite de produtividade equivalente ao Office da Microsoft é gratuita há muitos anos e diversas outras excelentes ferramentas que são nativas no iOS ou no MacOs.

        Confesso que me passou ao lado, mais um bocadinho e a Apple também lança atualizações gratuitamente para os seus dispositivos, e quando vêm com bugs, lança uma nova para os corrigir gratuitamente…

        A questão principal é que a esses, os tais, os ditos smartphones com as baterias em défice de rendimento, foi-lhes reduzido o desempenho (para tapar, cobrir, compensar como se queira o défice) sem conhecimento, ou autorização dos seus proprietários e que pagaram bem pelos equipamentos quando os adquiriram.
        Das duas uma ou a Apple avisava os mesmos por notificação, comunicado o que fosse dando conhecimento pelo menos da pretensão da empresa e não o fez, ou então fez borrada como fez e o minimo que poderá fazer na minha humilde opinião é minimizar a situação e compensar os clientes que os dispositivos foram visados colocando uma nova bateria gratuitamente.
        E deixar o resto da esmola como diz o artigo de lado, ou fazer a esmola e oferecer baterias novas aos visados, mas é tema sem assunto ou discussão dei a minha opinião cada um têm a sua.

      • Belmiro says:

        Jorge Carvalho, esse teu conceito de “apenas aqueles em que a bateria estava já degradada” é ambíguo. Uma bateria degradada pode ser aquela que já não aguenta 80% da carga, como pode ser aquela que não aguenta a intensidade em picos de necessidade.

        No caso de “apenas” degradada não é difícil: se carregas totalmente diariamente (nos iPhone é muito fácil) e as baterias no iPhone só resistem 500 ciclos, em 1.5 anos já atinges esse limite. E não acredito que a Apple limite à descarada dum dia para o outro, deve ser por fases, o que significa que o utilizador se calhar uns 6-12 meses após a compra talvez já não obtenha 100% da performance.

        Tendo em conta que a Apple é bilionária, por terminal tem pelo menos 400$ de lucro. Pesquisei em vários sites é uma bateria por exemplo do iPhone 7 ” In contrast, the 1960 mAH battery costs just $2.50.”

        Uma bateria custa $2.5-5.0 num aparelho de 700-1300€, qualidade rasca, tentam encobrir com software e no final o cliente é que paga novamente 10x mais pela substituição?

        Eu já não tenho nada da Apple por isso não me afeta.

        • António Fagundes says:

          Só resistem 500 ciclos? Sabes o que dizes?
          O que acontece é que a Apple GARANTE que a bateria estará a 80% da sua capacidade aos 500 ciclos, caso contrário é considerada com defeito e trocam-na free of charge. Não vejo mais nenhuma marca fazer isso. Eu já vou nos 1092 ciclos e tenho 90,3% de capacidade útil, e sim está correcto que de dois em dois meses recalibro os sensores da bateria.

        • rodrigo says:

          ‘as baterias no iPhone só resistem 500 ciclos’ – onde foste buscar essa informacao??

          ‘Uma bateria custa $2.5-5.0 num aparelho de 700-1300€, qualidade rasca’ – como sabes se a qualidade ‘e rasca?? So porque ‘e mais barata do que pensas?
          Ja foste ver quanto custa a bateria numa Samsung ou num One Plus?

        • Sujeito says:

          Bateria degradada é bateria degradada. Não há ambiguidades aqui. E como já apontaram, o facto de estares a falar nesses 500 ciclos vê-se que não estás informado nem pareces querer estar.

      • Maats says:

        Isso já eu sei e entendi, dei a minha opinião que vale o que vale, ou seja nada… por isso é que é opinião!

        Agora isto:
        Foi a primeira empresa a disponibilizar gratuitamente novos sistemas operativos nos seus computadores. A suite de produtividade equivalente ao Office da Microsoft é gratuita há muitos anos e diversas outras excelentes ferramentas que são nativas no iOS ou no MacOs.

        Confesso que me passou ao lado, mais um bocadinho e a Apple também lança atualizações gratuitamente para os seus dispositivos, e quando vêm com bugs, lança uma nova para os corrigir gratuitamente…

        A questão principal é que a esses, os tais, os ditos smartphones com as baterias em défice de rendimento, foi-lhes reduzido o desempenho (para tapar, cobrir, compensar como se queira o défice) sem conhecimento, ou autorização dos seus proprietários e que pagaram bem pelos equipamentos quando os adquiriram.
        Das duas uma ou a Apple avisava os mesmos por notificação, comunicado o que fosse dando conhecimento pelo menos da pretensão da empresa e não o fez, ou então fez borrada como fez e o minimo que poderá fazer na minha humilde opinião é minimizar a situação e compensar os clientes que os dispositivos foram visados colocando uma nova bateria gratuitamente.
        E deixar o resto da esmola como diz o artigo de lado, ou fazer a esmola e oferecer baterias novas aos visados, mas é tema sem assunto ou discussão dei a minha opinião cada um têm a sua.

      • Maats says:

        Isso já eu sei e entendi, dei a minha opinião que vale o que vale, ou seja nada… por isso é que é opinião!

        Agora isto:
        Foi a primeira empresa a disponibilizar gratuitamente novos sistemas operativos nos seus computadores. A suite de produtividade equivalente ao Office da Microsoft é gratuita há muitos anos e diversas outras excelentes ferramentas que são nativas no iOS ou no MacOs.

        Confesso que me passou ao lado, mais um bocadinho e a Apple também lança atualizações gratuitamente para os seus dispositivos, e quando vêm com bugs, lança uma nova para os corrigir gratuitamente…

        A questão principal é que a esses, os tais, os ditos smartphones com as baterias em défice de rendimento, foi-lhes reduzido o desempenho (para tapar, cobrir, compensar como se queira o défice) sem conhecimento, ou autorização dos seus proprietários e que pagaram bem pelos equipamentos quando os adquiriram.
        Das duas uma ou a Apple avisava os mesmos por notificação, comunicado o que fosse dando conhecimento pelo menos da pretensão da empresa e não o fez, ou então fez borrada como fez e o minimo que poderá fazer na minha humilde opinião é minimizar a situação e compensar os clientes que os dispositivos foram visados colocando uma nova bateria gratuitamente.
        E deixar o resto da esmola como diz o artigo de lado, ou fazer a esmola e oferecer baterias novas aos visados, mas é tema sem assunto ou discussão dei a minha opinião cada um têm a sua.

    • manel says:

      ..e quem compra um ferrari e paga bem por ele, não paga depois as manutenções e as peças que se gastam e a bateria, etc, etc..??..está nalgum lado escrito que os iPhone são eternos

      não percebo qual é o problema de pagar uma coisa que se desgasta com o tempo…

      além disso, o facto de o software tornar os iPhone mais lentos, serve para evitar que se desliguem subitamente e se danifiquem…

      • Maats says:

        Quem compra um Ferrari que dá 300km/h passados 4 anos a Ferrari eletrónicamente punha-os a dar 250km/h sem avisar os clientes porque os injetores já estão meio entupidos e tal (na minha opinião leiam isto que é muito importante na minha opinião para tapar e aldrabar um défice) reduz o desempenho dos carros com défice, sem conhecimento dos clientes e os clientes não têm direito de ficarem incomodados com essa postura, nem recompensados pela mesma… ok é uma opinião e respeito mas não acho a comparação feliz.

        • PeterJust says:

          é diferente, para fazer uma analogia correcta seria esta: imagina que os combustíveis de determinado país são de pior qualidade como acontece na Europa Oriental e a Ferrari para não danificar os injectores/motores etc decide programar o carro com menos potencia para poder andar com esses combustíveis e não avariar. A apple fez algo similar pois detectou que as baterias ao se degradarem já não davam a potencia necessária para o tlm funcionar em condições e fizeram um trottle down ao CPU. Claro que não achamos correcto mas é preferível fazer isto que muitos utilizadores ficarem com o tlm a desligar sozinho e a maior parte já fora da garantia e terem de ir obrigatoriamente trocar a bateria ou até comprar um novo pois não sabe que se desliga sozinho por causa da bat. Fazem uma troca de bateria por valor simbólico e não conheço outra empresa que o faça nem tão pouco é obrigada, pois as baterias guiam-se por leis diferentes em relação às garantias. Pelo dinheiro que custam não estão a fazer favores a ninguém, já sei muito bem disso, neste mundo tudo se paga mas este escândalo é mais uma caganita de pássaro que caiu nas redes sociais e deu azo a uma grande bronca, mas na minha opinião nem tem razão de ser, é muito mais fumo que fogo.

    • Francisco says:

      A Apple péssima. Em tudo.

  2. Carlos says:

    Cá em Portugal onde se poderá fazer a substituição da bateria por esse valor (ou aproximado)?

  3. Damien says:

    Tenho a mesma questão que o Carlos. Onde é que em Portugal se pode fazer esta substituição?

  4. História says:

    E o iPhone se não falam dele

  5. Jota says:

    …”mas não é de borla!” Oh pá, eu parto-me a rir com esta Apple! Vendem um artigo com defeito e ainda obrigam o clientes a pagar esse defeito! Só mesmo da Apple!

    • Joao says:

      E ainda dizem…”…e as baterias não têm de ter qualquer problema. Passem para cá os € que nos substituimos de qualquer das maneiras!”. Só rir….

    • manel says:

      ..o teu carro também tem bateria com defeito??
      qdo tiveres que mudar vais à marca reclamar??..que veio com defeito?

      • Joao Magalhaes says:

        Eu não vou, mas a marca também não reduz a potência do meu carro para 10 cavalos!! A bateria tem garantia e durante esse tempo é trocada gratuitamente ( se não houver mau uso ) mas o problema aqui é que a bateria veio com defeito logo de inicio e devia ter sido trocada dentro da garantia, mas o que a Apple fez foi encobrir esse defeito dizendo que não havia problemas e agora fora da garantia vem confirmar que realmente as baterias tinham defeito, ou seja, má fé, mentirosos e vigaristas. Ora se tu comprares o carro e notares dentro da garantia que a bateria tem defeito, vais à marca do carro e eles dizem-te que a bateria está boa, passado o tempo da garantia vais à marca e eles dizem-te que afinal sempre teve defeito e passa para cá 30€ para trocar acho que não ias ficar muito contente

        • Sujeito says:

          Estás todo trocado.

        • rodrigo says:

          Esta gente nao percebe que as baterias nao vinham com defeito. As baterias tem a sua vida util..nao vao durar para sempre. E a maneira como o dono trata do telemovel também influencia a vida util da mesma.

        • Maats says:

          Não vale a pena João, Ifans e Apple BFF’s… é por clientes assim que pagam 102 milhões ao Cook! Há pessoas que se a Apple meter um bocado de cáca dentro de uma caixa e apresentar como inédito, inovador, marcante e nunca antes visto e pedirem 2.000€ vão atrás e defendem até a morte tudo e mais alguma coisa vindo da marca.

        • PeterJust says:

          As baterias são consideradas peças de desgaste e não são cobertas pelas mesmas garantias, uma bateria não é um carro, é uma peça à parte sujeita a desgaste e se avariar dentro da garantia do carro, tenho a certeza que nenhum concessionário te a troca sem pagares, podes correr e saltar e ir para tribunal que pagas na mesma, mais a mão-de-obra, mais IVA. E se não a trocares numa oficina autorizada ainda te podem anular a garantia total do carro (e a lei está do lado do concessionário por isso…) e um telemóvel é exactamente igual se for interna. Convém saber as leis antes de reclamar, ora vai ler as condições de garantia de qualquer carro ou qualquer telemóvel e verifica a parte relacionada com as baterias

  6. Jorge Carvalho says:

    Podem substituir nos reparadores oficias da apple , não aconselho Wortens e Fnacs

  7. Jose Silva says:

    Em telemoveis com menos de 2 anos, têm de trocar de graça, não vão em cantigas!
    Trocar por um preço reduzido depois da garantia é um bom bónus.

    • David Ramos says:

      Não inventem… Por lei as baterias têm 6 meses de garantia

      • Pedro says:

        Não tem apenas 6 meses… 6 meses tem apenas a amovíveis pelo utilizador. É considerado um acessório é por lei acessórios só 6 meses. As internas fazem parte do equipamento não são consideradas acessórios logo são 2 anos

        • António Fagundes says:

          É, porque o facto de ser interna não amovível deixou de ser hardware de desgaste… Santa ignorância.

          • Catarino says:

            De: Guia das Garantias – Portal do Consumidor:
            Comprei um computador portátil e a bateria deixou de funcionar ao fim de dez meses. O vendedor alega que a bateria só tem uma garantia de seis meses. É verdade? Não. A bateria é um bem móvel, pelo que o consumidor pode exercer os direitos conferidos pelo diploma se a desconformidade se manifestar no prazo de dois anos. A bateria é um bem sujeito a um desgaste maior do que o de outros bens, mas deve encontrar-se apta a funcionar em conformidade com o contrato durante os dois anos do prazo de garantia.

            Source: https://www.consumidor.gov.pt

          • António Fagundes says:

            Sim, não conformidade, aka defeito de fabrico..

          • Catarino says:

            @Mr. Genious já percebi que percebe mais do assunto do que os outros e não se deu ao trabalho de ler os links que deixei.

            Caso não saiba, não interessa para nada o fabricante, pois ele pode dar a garantia que quiser que interessa é quem vende (esse é que tem de dar a garantia em portugal) e quem vende tem de seguir as leis portuguesas, por conseguinte as leis portuguesas não consideram a bateria de desgaste. (já agora deixe aqui o link do artigo da lei portuguesa onde diz isso)

            Quando as próprias empresas aquando confrontadas com a lei dão razão ao consumidor, mas no entanto o Mr. Genious é que sabe e os outros não…enfim.

          • Pedro says:

            Caro Antonio Fagundes, em primeiro lugar nao andei consigo na escola, portanto va chamar ignorante aos seus familiares, em 2º lugar, por nao ser amovivel passa a ser algo que o utilizador nao pode sem violar a garantir dirigir-se a um ponto de venda adquirir uma e coloca-la, portanto e sendo assim com desgaste ou nao tem de ter por lei garantia de 2 anos sendo a fatura em nif individual ou 1 ano com fatura com nif empresa. a garantia nao é dada em funcao do desgaste ou nao, a lei é clara e cingindo aqui a particulares, 2 anos para equipamentos 6 meses para acessorios. É interna nao amovivel pelo utilizador nao é acessorio tem 2 anos. Pela sua logica qualquer componente teria 6 meses, desgastou azar do utilizador!!! E ate lhe digo mais, até os seguros de equipamentos que nao cobrem acessorios, apenas o equipamento no caso das interna cobre porque nao a consideram acessorio e os seguros como sabemos sao os primeiros a fugir com o rabo a seringa.
            Aproveite o novo ano para ganhar bons modos porque com razao ou sem razao respeito exige-se, ou viu-me apesar de discordar do comentario do David Ramos a chamar-lhe ignorante?

          • Joana says:

            Acho que vai aqui uma confusao grande com o desgaste e com o defeito fabrico. Vamos comparar a um pneu. A marca se em 2 anos encontrarem um defeito fabrico tem de reparar ou substituir gratuitamente, se chegares la com o piso gasto (a menos que proves que se gastou face ao defeito de fabrico), nao te vao dar outro obviamente. O mesmo acontece com as baterias, se dao para 500 ciclos(nao sei se é verdade li acima, mas tomemos esse numero como referencia), e ao fim de 7 meses fizeste 501 ciclos a marca nao considera defeito de fabrico, considera que gastaste, acabou e cobra, se ao fim desses hipoteticos 7 meses tens 499 ciclos e ja nao esta funcional tem de considerar defeito fabrico pois deixou de funcionar antes de a “gastares”. o mesmo acontece, se ao fim de 3 anos fizeste apenas 499 ciclos, ok ainda nao a “gastaste” e ja nao funciona mas como por lei so sao obrigados a garantir dois tambem ja nao substituem de borla. So que nesses produtos é dificil provar o desgaste e o defeito, por isso que genericamente as marcas até 6 meses trocam sem se chatear(provavelmente o numero ciclos que a bateria faz vs a media que cada utilizador usa tem uma margem boa para aguentar os 6 meses), assumem que teria defeito e pronto, se passa os 6 meses vao avaliar se é defeito e decidir se trocam ou nao

          • Catarino says:

            @Joana não existe confusão nenhuma entre defeito ou desgaste, a lei é bem explicita em relação a isso em portugal, a bateria tem de durar o mesmo tempo da garantia do produto.

            A fornecedor/marca por vezes dá 3/6/12 meses de garantia que é irrelevante para o consumidor final porque quem tem de dar a garantia é quem vende o produto ao consumidor final.

            O que costuma acontecer é os vendedores pegarem na info dos fornecedores/marca para “enganar” o cliente, para não ficarem com o prejuízo caso já tenha passado a garantia dada pela marca/fornecedor.

            Óbvio que é considerado um defeito (desconformidade) se a bateria não estiver conforme durante a garantia do produto que neste caso são 2 anos.

            Se quiserem ler um pouco deixo mais um documento bem explicito sobre garantias de baterias, inclui exemplos.

            ler pontos, principalmente o ponto 15,18 e 35.

            15.Em que casos se pode dizer que existe desconformidade?
            A desconformidade existe nas seguintes situações:
            a) Vício ou defeito do bem.
            Exemplos:
            – A tampa do telemóvel não fecha ou alguma das teclas não funciona.
            – A bateria do computador portátil não carrega até ao fim.
            b) Falta de qualidade do bem.

            18.Que momento serve de referência para decidir da conformidade do bem?
            2. A exteriorização da desconformidade no prazo de 2 anos se se tratar de bem móvel (Exemplo: carro, BATERIA DE TELEMÓVEL ou de computador portátil, livro ou peça de roupa) ou de 5 anos se for um bem imóvel (Exemplo: terreno, casa ou apartamento)

            35.Qual é o prazo para exercer os direitos em caso de desconformidade?
            Em caso de desconformidade do bem com o contrato, o consumidor tem de exercer os seus direitos à reparação, substituição, redução do preço ou resolução do
            contrato no prazo de:
            – 2 anos a contar da data de entrega, no caso de bens móveis.

            https://cec.consumidor.pt/gestao-ficheiros-externos/guia-das-garantias-versao-atualizada-2015-pdf.aspx

            Penso que apenas existem dúvidas porque os vendedores durante anos fizeram crer uma realidade que não verdade, para não terem o prejuízo do lado deles.

      • Catarino says:

        Não inventem por lei a bateria tem a mesma garantia que o produto.
        Não falem por falar sem ler o artigo onde refere isso.

        • António Fagundes says:

          Então vai lá ler o artigo, é considerado hardware de desgaste, à luz da legislação europeia são 6 meses obrigatórios, sendo que a maioria dos fabricantes costuma dar 12 meses, incluindo a apple.

          • Catarino says:

            Então vai lá ler o artigo de novo, e já agora dá uma vista de olhos pelo que deco já veio afirmar que a garantia das baterias, é a mesma do produto.
            Digam o que disserem a bateria tem 2 anos de garantia.

            E mais quem deve provar a existência/ausência de um defeito durante um período de dois anos de duração da garantia legal é o vendedor, ou seja, o vendedor deve provar que o produto não estava defeituoso («inversão do ónus da prova»).

            Source:https://europa.eu/youreurope/citizens/consumers/shopping/guarantees-returns/portugal/index_pt.htm

            Podes ler um pouco mais sobre este assunto já debatido aqui, até tem já uma minuta criada para esse tipo de situações.

            Source 1: https://forum.zwame.pt/threads/garantias-trocas-devolucoes-avarias-reparacoes-e-outros-tipos-de-duvidas.280331/page-110#post-10424481

            Source 2: https://forum.zwame.pt/threads/prazo-de-garantia-da-bateria-de-um-telemovel.885021/
            —————————————————————
            “Artigo 208º
            Coisas consumíveis
            São consumíveis as coisas cujo uso regular importa a sua destruição ou a sua alienação.”

            De acordo com esta definição legal, obviamente que uma bateria não se enquadra como sendo coisa consumível de acordo com a Lei portuguesa. O uso regular, ou seja, uso feito de acordo com as regras e normas normais para uso do bem, não levam nem à destruição nem à alienação de uma bateria. A bateria até é recarregável, pelo que nem há lugar a qualquer dúvida.
            Até é possível que noutros países uma bateria seja um bem consumível, mas em Portugal não é. E artigos vendidos em Portugal regem-se pela legislação portuguesa.

            A bateria não pode ser considerada um bem consumível, por não corresponder à descrição da norma do Código Civil, uma vez que é um produto recarregável, durável, não destrutível pelo consumo e sem um prazo de utilização pré-definido.

            Por vezes é também alegado que uma bateria se trata de um bem de desgaste rápido, mas na legislação portuguesa não há qualquer fundamento para tal e, mesmo que eventualmente houvesse, não existe também qualquer diferenciação legal em termos prazo de garantias legais desta suposta categoria de bens para com todos os restantes bens móveis. A jurisprudência nesta matéria é mais do evidente nesse sentido.

            Assim sendo, uma bateria tem 2 anos de garantia, de acordo com a atual legislação das garantias em vigor em Portugal e com a legislação portuguesa.

            Esclarecem acerca disto a Direcção Geral do Consumidor e Centro Europeu do Consumidor num guia do consumidor que pode ser consultado emhttp://www.consumidor.pt/upload/memb…os/i005523.pdf, no final da página 16:

            “v. Comprei um computador portátil e a bateria deixou de funcionar ao fim de dez meses. O vendedor alega que a bateria só tem uma garantia de seis meses. É verdade?
            Não. A bateria é um bem móvel, pelo que o consumidor pode exercer os direitos conferidos pelo diploma se a desconformidade se manifestar no prazo de dois anos.
            A bateria é um bem sujeito a um desgaste maior do que o de outros bens, mas deve encontrar-se apta a funcionar em conformidade com o contrato durante os dois anos do prazo de garantia.”

            É também nula a cláusula em condições gerais que refira que baterias tenham um período de garantia inferior a 2 anos. Tal limitação é abusiva, uma vez que de acordo com o nº 1 do artigo 10 do Decreto-Lei n.º 67/2003, é nulo o acordo ou a condição que exclui ou limita direitos ao consumidor.

            Artigo 10.º
            Imperatividade
            1 – Sem prejuízo do regime das cláusulas contratuais gerais, é nulo o acordo ou cláusula contratual pelo qual antes da denúncia da falta de conformidade ao vendedor se excluam ou limitem os direitos do consumidor previstos no presente diploma.​

            Conclui-se assim que todas as baterias têm 2 anos de garantia.

            Por vezes verifica-se um tentar de descartar de responsabilidades por parte do vendedor alegando que o produtor é que não dá o que a lei estipula, mas perante esta legislação o responsável é o vendedor, ao abrigo do artigo 3 da Lei das Garantias para uso não profissional pelo Decreto-Lei nº 67/2003 e das suas alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 84/2008.

            Artigo 3.º
            Entrega do bem
            1 – O vendedor responde perante o consumidor por qualquer falta de conformidade que exista no momento em que o bem lhe é entregue.
            2 – As faltas de conformidade que se manifestem num prazo de dois ou de cinco anos a contar da data de entrega de coisa móvel corpórea ou de coisa imóvel, respectivamente, presumem-se existentes já nessa data, salvo quando tal for incompatível com a natureza da coisa ou com as características da falta de conformidade.​

            Face ao exposto e de acordo com a Lei e com as minhas pretensões, solicito assim o acima referido.

          • António Fagundes says:

            Mr. Genious, isso é para defeitos de fabrico, para desgaste a garantia é limitada consoante regras do fabricante..

      • Mr.Antunes says:

        Denota-se bem a ignorância que por aqui anda…

        “v. Comprei um computador portátil e a bateria deixou de funcionar ao fim
        de dez meses. O vendedor alega que a bateria só tem uma garantia de seis
        meses. É verdade?
        Não. A bateria é um bem móvel, pelo que o consumidor pode exercer os direitos
        conferidos pelo diploma se a desconformidade se manifestar no prazo de dois anos.
        A bateria é um bem sujeito a um desgaste maior do que o de outros bens, mas deve
        encontrar-se apta a funcionar em conformidade com o contrato durante os dois anos
        do prazo de garantia.”

      • Joel Reis says:

        A garantia contra defeitos, mesmo na bateria são 2 anos, não cobre o desgaste normal entre outras coisas como má utilização.
        Agora das duas uma, ou as baterias sofreram o desgaste normal, mas a opção de reduzir a performance do telemóvel é motivo para activar a garantia, ou a bateria teve um desgaste anormal e aí a Apple tem de reparar durante os 2 anos sem custo algum.

  8. Luís says:

    Se a bateria já tiver sido substituída por uma não oficial, é possível usufruir na mesma?

  9. falcaobranco says:

    A Apple vai por um caminho, que muito me engano, o pessoal começa a desconfiar e a deixar de comprar os produtos deles… e esta noticia vai mais uma vez confirmar isso…

  10. Ricardo says:

    Para o pplware o melhor de sempre, para a Forbes o pior de sempre. Foi um passo atrás.
    https://www.forbes.com/sites/jeanbaptiste/2018/01/02/review-why-the-iphone-x-is-the-worst-iphone-ever/#7bf0ae2a7dde

    • Vítor M. says:

      Como temos opinião baseada na utilização não vamos atrás de nenhuma ideia que nos dizem.

      A análise tem frases estranhas, olha esta:

      Case in point: To unlock the iPhone X you will first need to raise the phone to your face – also known as “raise to wake” – so Face ID can recognize you and finally swipe up to reach the Home screen which usually takes 2 to more than 3 seconds if all works correctly. However, most of the time, we had to swipe up 2 or 3 times more because of notifications on the lock screen.

      Acho estranho, porque levantar o iPhone e ir ter ao Home screen leva menos de um segundo.

      Depois outra pérola nessa frase é ele dizer que precisa de deslizar o ecrã mais duas ou 3 vezes por causa das notificações. É estranho porque quando desbloqueias e deslizas uma vez, ficas logo no homescreen que nso mostra qualquer notificação.

      Mas, volto a dizer, tem sempre a ver com quem usa 😉 ele vinha de um iPhone 6 Plus.

      Contudo, sugiro que leiam essa análise porque tem ainda mais pérolas. Umas baseadas no pouco tempo de uso e outras legítimas porque se nota um agarrar natural ao botão Home para quase tudo.

      Algumas críticas fazem sentido, a não unificação das notificações é uma má gestão das mesmas por parte do iOS 11, mas já o era para traz, depois os atalhos para minimizar cliques… existe, chama-se 3D Touch, nota-se que ele não usa porque não está habituado, não tem no 6 Plus…. mas leiam.

      • Ricardo says:

        Veremos 2018, e veremos o próximo iPhone. Pessoalmente aposto num botão home incorporado ao ecra de volta com o velhinho Touch ID. Por outro lado, sei que a Apple é orgulhosa demais para voltar atrás no que quer que sejA.
        Contudo há um retrocesso neste iPhone novo, ficou mais difícil de se mexer, mais lento nas suas operações( desbloquear, alternar entre menus, etc..) no artigo refere uma série de coisas, mas essas não interessam não é?
        Que tem a ver o facto de ele vir dum iPhone 6s Plus? Sabes quantos utilizadores há de 6s Plus para baixo?
        Há mais utilizadores que mudaram de iPhone 6s Plus para o iPhone X, do que aqueles que tinham o iphone7. Normalmente, a maioria troca de aparelho de 2 em 2 anos, os da Apple que oferecem mais duração, ainda acaba por sentir mais isso. Quem vem de um 6s Plus para um iPhone X devia sentir uma diferença enorme, e não um retrocesso

        • Vítor M. says:

          Repara.. pode acontecer, mas duvido muito. Tem muito a ver com patentes, royalties e muitas tecnologias, serviços e software já otimizado. Voltar atrás para quê? O mais certo é evoluir, sair com mais propriedades e utilidades. Sabes que, ao contrario do Face ID, a Apple não controla a totalidade do que está por trás do Touch ID, por isso e muito mais é que não acredito que a Apple venha a regressar ao passado (mas atenção que quando saiu o Touch ID muita agente apostou como a Apple iria retirar isso dos smartphones futuros, acho que diz muito o passado para nos ajudar a perceber o futuro).

          Como é que dizes que está mais lento entre menus? Primeiro o iOS é o mesmo que o que tenho no iPhone 8 Plus, não vejo nenhum atraso… zero mesmo. Desbloquear é mais lento? Olha que não (ambos em menos de um segundo), apenas acho que, ao contrario do iPhone 8 Plus (que vai logo para o ambiente de trabalho) o iPhone X fica no ecrã desbloqueado, mas isso é uma opção que de certeza a Apple irá incluir, tal como no Touch ID incluiu uma opção para gerir a velocidade e a gestão do ecrã onde aterra o utilizador.

          Agora diz-me que coisas leste no artigo que seja interessante como opinião geral e não muito particular? Diz que posso dar-te a minha opinião, afinal ele saltou de um iPhone 6 Plus para um iPhone X, eu usei-os todos e comparo-os muitas vezes conforme vão sendo necessárias algumas explicações. Atenção, leste mal, ele vem de um iPhone 6 Plus e não de um iPhone 6s Plus. O iPhone dele é de 2014. Para veres como dura esse material.

          Como vês a tua apreciação seguinte está inquinada, pois do iPhone 6 Plus para o iPhone 6s Plus… e seguintes há mudanças importantíssimas, como deves saber!

          Faz falta lerem com atenção e rigor sem a maluqueira de defender a todo o custo a “vossa marca preferida” e diabolizar as escolhas de terceiros como se as marcas fosses clubes e os seus utilizadores adeptos adversários..

      • Belmiro says:

        Um amigo com o X esteve a mostrar a outro que tem o 7, não usa óculos, tem cabelo curto e não tem barba e por duas vezes o Face ID não reconheceu a cara, isto só na demonstração… A mulher também tem problemas (no caso dela tem cabelo comprido). Deve ser erro do utilizador …

        • Vítor M. says:

          Pois tinha de ser o teu amigo. É que eu tenho vários amigos com o X e nenhum tem qualquer problema. Pode por vezes, com gorro, cachecol perto do rosto ele exigir mais clareza na imagem, pode com o rosto suado e com os óculos embaciados ele exigir mais clareza na amostragem, mas com o dedo era a mesma coisa, suado, sujo, por cima de uma armband também não dava. Mas claro, o teu amigo de certeza que é especial, diferente dos milhões que dizem ser mais fácil usar o face ID que o Touch ID…

          • Joel Reis says:

            Alguns até dizem que é fácil… Demais! Desbloqueia o user, o irmão e até a empregada.

          • Ricardo says:

            É muito mais fácil usar o Touch ID. Duvidas disso? Muito mais pratico, conveniente, simples. Quais milhões dizem que é mais fácil usar o Face ID? Tens que ir perguntar aos outros biliões o que é que eles acham então. Enfim. Eu tenho iPhones e não sou assim, tudo o que sai da Apple é óptimo para ti ou melhor que o que estava. Para mim e para muitos biliões o Touch ID é perfeito.

          • Vítor M. says:

            Há uma situação onde vejo notória vantagem do Touch ID, é quando o iPhone está pousado, mas no dia a dia usar o iPhone X com o Face ID é como se o usássemos sem qualquer código, basta levantar e usar, não precisas de colocar o dedo em lado nenhum. Depois para desbloquear tudo o resto é igual, apenas não precisas de por o dedo, basta usar como sempre usas um smartphone. Tem vantagens quando usamos o iPhone com uma armband, por exemplo, entre vários outros exemplos. Depois as vantagens e desvantagens são muito comparáveis em número, mas no dia a dia basta levantar e usar.

            Depois de usares para tudo o Face ID… verás que não precisas do Touch ID para nada.

            Um ponto que a Apple tem de melhorar também (além das notificações) é colocar a opção de ir diretamente para o ambiente de trabalho, sem passar pelo ecrã de desbloqueio após reconhecimento do Face ID, aí então ainda mais útil rápido se torna a utilização do Face ID.

          • Vítor M. says:

            Joel Reis , claro que sim, pela conversa vejo que o amigo do Belmiro eras tu, verdade?

  11. Rui says:

    Bem me parecia que a Apple tinha-me enganado! Mas eu não vou pagar para substituír 2 baterias mortas, num telemóvel que se engasga! Já resolvi o problema, troquei os telemóveis!!!!!

  12. Nelson Nunes says:

    Pois… Eu fui pelo mesmo caminho… Adeus Apple… Lamento, mas trabalhar com uma empresa assim não… Olá Huawei.

    • manel says:

      então depois vem cá contar qdo a bateria desses morrerem….ou aí já há vergonha??

      • Nelson Nunes says:

        A bateria vai morrer mais tarde ou mais cedo. É uma bateria, tem ciclos de carga finitos. O problema aqui é a Apple, intencionalmente, diminuir a performance de um equipamento em que a bateria já está velha, sem dar cavaco aos clientes. Muda-se a bateria do iPhone e problema resolvido. O iPhone volta a funcionar como dantes. Mas eles nunca notificaram o cliente dessa redução de performance com vista a, supostamente, maximizar a vida da bateria. Se não fosse um puto de 17 anos a descobrir, continuavam caladinhos. É isso que está errado na atitude e que eu considero inaceitável, até mesmo eticamente e moralmente. A ideia deles até pode ser muito boa, mas avisavam o cliente do sucedido e da solução existente. No limite deviam dar a opção ao cliente de ter mais bateria e menos performance, ou menos bateria e mais performance.

    • Maats says:

      Não digas isso a Apple é tão BFF dos clientes, estás a ser injusto Nélson, trocar pela Huawei? Não sei onde estavas com a cabeça sinceramente, trocar a Apple pela Huawei.
      Então Iphone X é tão bom por 1.179€ o mais baratuxo, trocavas por um :D! (Estou a ser irónico atenção)

  13. Patrícia says:

    Alguém me sabe dizer na zona de Aveiro e do Porto o de se faz essa troca de bateria com esse preço?
    Obrigada

  14. Peter says:

    E o iPhone se ?
    Também tem problemas na bateria?

  15. Peter says:

    E o iPhone se ?
    Também tem problemas na bateria?

  16. Mr.Antunes says:

    Já estão a antecipar os resultados dos processos em tribunal, entraram em modo “damage control” 😛

  17. JOAO REBELO says:

    E o iPhone se ?
    Também tem problemas na bateria?

  18. Joao Magalhaes says:

    Tudo resolvido, depois de andarem a mentir durante anos vêm agora com um chupa para desviar as atenções, mas o mais engraçado é a maneira como o estão a fazer, mentem durante anos , tornam o telemóvel uma arrastadeira e a malta vai comer e calar, resta saber o futuro, quais são os problemas ( que nunca têm ) que vão aparecer e como os vão resolver ? Continuar com mentiras e com os updates todos os meses para corrigir a porcaria e os consumidores dizerem que têm updates todos os meses ?

  19. Ricardo says:

    Basta levantar e usar, com o Touch ID basta agarrar nele e já está. sem swipes

  20. fabricio says:

    Boa noite meus caros.
    onde em lisboa eu posso fazer essa substituição?
    obrigado

  21. Golden says:

    Está confirmado este assunto da bateria comigo, quem tem garantia ainda, e tem do iPhone 6 ou superior, se a bateria já não estiver a 100% de vida útil, a garantia cobre a bateria gratuitamente, basta levar a telemóvel a uma casa de assistência oficial da Apple, e levar o talão da garantia, que eles trocam por uma nova, sem qualquer custo, eu tive uma bateria nova gratuitamente no meu iPhone 6s Plus por estar ainda com garantia.

  22. tiago says:

    boas
    na zona de Leiria existe alguma assistencia Apple oficial da Marca ?
    abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.