PplWare Mobile

O segredo das marcas de smartphones chinesas!


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.
Artigo escrito por Aníbal Cunha para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. Tagus Park says:

    Interessante artigo, é pena PPlware adoptar a politica separatista em distinguir chineses com taiwaneses.

  2. APereira says:

    @Vitor,
    Ambos sabemos que a qualidade dos telefones chineses (de forma geral) deixa muito a desejar… sem controlos de qualidade apertados tudo o que tiver lá passa e quando chega as maos do comprador a coisa complica.

    É também necessário ter em atencao as garantias, que garantia tens ao adquirir um produto que nao tem representacao na Europa?Zero…

    A agravar a isso tens ainda o facto de que a maioria das fabricas a produzir esses telefones fabricam também para os grandes, logo nao tem de gastar mais chegando até a usar o design do “concorrente” que na verdade é também cliente.

    • Luis says:

      Para vossa informação, o meu smartphone é um XIAOMI MI2S, já o tenho a 4 anos por isso tirem as vossas conclusões.

    • Vítor M. says:

      Calma, isso não é inteiramente verdade. vemos marcas como a Huawei, por exemplo, que além de ter boa qualidade garante em Portugal total cobertura das garantias. Mas há mais, muitas mais que te dão total garantia. E mais, muitos operadores de comunicações, em Portugal a Vodafone e a Meo, têm equipamentos com miolo chinês (covers de outras ,arcas) e dão total cobertura da garantia e têm qualidade. Agora, o artigo em si explica muitas das verdades encobertas pelo “estigma” China.-

  3. Wachrno says:

    Mto nice o artigo 🙂

  4. Anónimo says:

    Na minha opinião, existe outro fator de peso que não foi contemplado neste estudo. O facto da Apple ter a sua area de R&D nos USA, será mais caro do que ter a area de R&D na china (Xaomi).

  5. Diniz F. says:

    Copiar os outros, por escravos a produzilos, vender barato. Simples e eficaz.

    • Vlad says:

      Não te vejo muito chateado quando são os mesmos “escravos” a produzir para as marcas dos outros países?

    • RenatoNismo says:

      não fossem esses escravos, não estavas aqui a comentar.

      • José says:

        Ai estava, estava! Deve ser muito jovem, porque eu assisti à ascensão dos computadores (pc, Macintosh, Amiga, Spectrum, Amstrad etc) e até há poucos anos nada era feito na China e no entanto já tínhamos computadores! Eram mais caros mas não havia escravidão, a não ser que apoie de forma egoísta a existência de escravos para que você tenha tudo o que quer a preço da banana! Se em cada objecto que comprar souber que estou a pagar o justo preço do trabalho, o respectivo lucro, nada me pesa na consciência e sinto que o mundo estará mais justo. Eu trabalho, para ser consumidor ou poupar tenho que ganhar condignamente.

        • ZoomOut says:

          “não havia escravidão” ?!… tem noção das condições de vida da China “desse tempo?”, sabe a quantidade chineses que saem da pobreza extrema todos os anos? … (pois bem sei que falava da “escravidão” de outras latitudes, mas lá como cá, são pessoas!).

    • Vasco Peixoto says:

      Conheces a China? Já lá foste? Olha, eu já, andei lá 3 semanas. Escravo és tu!!

  6. Sergio says:

    Bom artigo, continuem com o bom trabalho

  7. V.T. says:

    Resumindo, na China explora-se a população para que nós tenhamos telemóveis de topo a preços reduzidos… será isso?

    • APereira says:

      Mais ou menos isso…

      Depois vemos o pessoal que compra esses mesmos telefones chineses a queixar-se que recebem pouco.

      • vxworks says:

        Só uma nota: os chineses (que ganham pouco) para fazer esses equipamentos marca chinesa são os mesmos dos que (ganham pouco) a fazer para marcas internacionais, conforme o artigo não é por ai que se faz a diferença visto que todos usam os chineses (que ganham pouco).

        Já agora isso de “ganhar pouco” na China é uma questão de prespectiva visto que tb pagam pouco. Nós na Europa (os que ganham pouco) estamos muito pior porque pagamos muito mais.

    • Eliseu says:

      Não, isso fazem todas as grandes marcas, a diferença, é da publicidade, garantia, lojas físicas e revendedores

    • Tiago Santos says:

      Porque os telemoveis de topo das grandes marcas com fabricas de montagem na china contribuem para aumentar os salarios !?! xP

    • Hugo says:

      Todos somos explorados infelizmente.
      Assim como vemos os Chineses serem “mais” explorados também há quem nos veja sofrer o mesmo.
      É uma questão de ponto de vista, mas no final tudo se resume a “trabalha-consome-morre”

    • Luís M says:

      Já pensaste o que eles estariam a fazer se não estivessem a ser “explorados”?

    • Vítor M. says:

      Se fores por esse prisma, tens o Bangladesh e a índia onde produzem roupinha de marca e cara para pagarmos. Ou a China com roupinha “se marca” e barata.

  8. JJ says:

    A uns 10 anos atrás a falar com um chinês sobre equipamentos tecnológicos chineses, ele dizia que se o equipamento não for um “clone/imitação” de uma grande marca, ou seja for um produto de marca própria chineses, a qualidade esta ao mesmo nível das grandes marcas.

    Como a maioria das empresas chineses não investem quase nada em marketing, o produto não precisa ter um preço muito alto, para ganharem muito.

    Alem disso os chineses sempre tiveram o negocio montado para ganhar dinheiro, não através de preços altos, mas ganhar dinheiro por milhares de vendas.

  9. TrasMontano says:

    Creio que não podemos descurar que em questões de garantia Portugal é dos poucos países a nível mundial cujo prazo de garantia para bens móveis é de dois anos. Na maioria dos países, incluindo a China, o prazo de garantia é de um ano.
    E não confundir garantia (de defeitos de origem) com questões de reparação (exemplo mau uso, quedas, etc.).

  10. 123logi says:

    É tipo o Mac que está aí na foto (não perdem uma para dar publicidade,até mesmo em artigos que nada tema ver,andam a receber bem da Apple.) e um portátil da xioami,só muda o preço.

  11. Mr.T says:

    Na minha opinião a diferença de preço entre os diversos equipamento resume-se única e exclusivamente a diferentes empresas quererem ter mais ou menos lucros, e conforme a escolha aumentarem mais ou menos a margem. Obviamente que há empresas que gastam mais em marketing e canais de distribuição, mas essas normalmente também vendem mais que as empresas que não investem tanto em marketing. Quer isto dizer que provavelmente até poderiam ter uma margem de lucro ligeiramente inferior, que mesmo assim ganhavam mais dinheiro que as empresas que não têm uma politica de marketing tão forte e que, como tal, apesar de terem menos custos intermédios, também vendem menos e com menos margem, fazendo com que globalmente tenham menos lucros.
    Outro ponto que normalmente ninguém nota, é que com uma politica de marketing mais agressivo (veja-se exemplos da Apple ou Samsung), as pessoas acabam por associar (por vezes erradamente) mais qualidade e intrinsecamente mais confiança em determinados produtos ou marcas, precisamente porque se gera um hype maior à volta de determinada marca ou produto. Não quer isto dizer que sejam realmente melhores que os concorrentes.

    • Max says:

      este comentario sim diz toda a verdade!
      sou reparador apple e enfim cada dia cada problema novo que descobro ahah por isso nenhum equipamento é perfeito ou perto disso
      tem as suas vantagens mas o meu gosto pessoal de utilizador continua pa android (one plus)

  12. censo says:

    As sucessivas crises económicas que vamos vivendo, …até um dia, derivam da deslocalização dos meios de produção para países onde o respeito pelo fator trabalho é muito reduzido e a legislação nesse sentido é escassa. E ainda se admiram de o Trump ganhar eleições. Vamos ver até quando isto dura. Porque vai haver haver um fim, isso vai, só não sei quando.

  13. cK says:

    A prova deste equilíbrio custo/benefício é, por exemplo, a Oneplus

  14. Nildo says:

    Só pessoas leigas hoje em dia que compram caro achando que só por isso são melhor.
    Comprei em Le Max 2
    http://www.geekbuying.com/item/LeTV-LeEco-Le-Max-2-X820-4GB-32GB-Smartphone—Rose-Gold-374437.html

    que não que não perde em nada pra um S7 da vida custando 3 vezes menos, e já há aqui ainda mais barato.
    http://www.efoxtienda.com/leeco-letv-le-max-2-ultrasonic-touch-id-4gb-ram-64gb-rom-qualcomm-snapdragon-820-215ghz-quad-core-5-g-1252774

  15. Regis says:

    Bom artigo! Creio que se podia também referir que as grandes marcas apostam muito no valor que têm como “rotulos” de status social. Passear na rua com o Iphone ou um Samsung na mão não é bem a mesma coisa que exibir um telemóvel chinês sem marca sonante. Correcto?
    E isso vale muuuuutio dinheiro!!!!

  16. Extraman says:

    Num parágrafo dizem “A produção da maioria dos componentes não é chinesa” e logo a seguir dizem “Os custos de produção na China são imbatíveis”… Em que é que ficamos ???? Claro que os components são produzidos em massa na china por questões de custo seja em smartphones seja em roupa. É a realidade que temos e a finalidade é só uma : LUCRO! O que os chineses estão simplesmente a fazer já que eles é que produzem as “tripas” dos aparelhos, começaram também a apresentar um produto final de “marca branca”, que evoluiu para dezenas de marcas que existem actualmente. Junta-se a isto uma não existência de lojas físicas e estruturas operacionais bem mais leves que Samsung e Apple (basta pensar quanto vai custar o ovni da Apple e verificar que nenhuma das marcas chinesas está para enterrar esses valores num edifício) e o preço final é amplamente reduzido em comparação com essas duas marcas. O problema maior é que os chineses já perceberam que em vez de 200e podem pedir 500 que mesmo assim estarão sempre abaixo de iphones e afins e 500 euros já é muito acima de custo de produção. Bottom line, paga o consumidor…

    • Vítor M. says:

      Não podes misturar as conversas e os parágrafos. Sim na China tens custos de produção imbatíveis mas como mostramos grande parte dos componentes vão ter à China para assemblar, contudo, há igualmente muitos outros que são feitos lá, fora outros produtos indirectamente ligados ao equipamento final.

  17. Raclima23 says:

    Excelente artigo
    Como sempre estão de parabéns

  18. JR says:

    Onde poupam muito é nos designers e programadores

  19. diogo says:

    Extraman estás totalmente errado. o artigo está certo.
    O que se quer dizer é que em Paises como taiwan, correia do sul, japão e outros onde a mão de obra é melhor, mais qualificada produz-se processadores, camaras, chips, memorias, gpu, na china faz-se estrutura baterias, cabos , montagem e muitas outras tarefas, isto

  20. José Rosa says:

    Boa noite.
    Todas as grandes marcas fabricam os seus aparelhos na china mesmo que alguns componentes possam ser fabricados em países vizinhos. Existem marcas de telemóveis chineses com muita qualidade em que à primeira vista são iguais a outros de marca que habitualmente compramos, quer em qualidade de construção, toque dos materiais e funcionamento dos softwares. A diferença está nas garantias e ou assistência. Mas acima de tudo um detalhe faz toda a diferença, ter uma marca que seja reconhecida e o respectivo marketing que convença o consumidor que o produto que está a adquirir é bom. No dia em que a China fizer isso como deve ser a conversa será definitivamente outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.