Quantcast
PplWare Mobile

Vacina da gripe com tecnologia mRNA? Pfizer já iniciou testes

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Sergio J says:

    As guerras sempre foram momentos em que a tecnologia evolui exponencialmente. Quando esta pandemia surgiu eu dizia que esperava que pelo menos houvessem avanços significativos na medicina. Esperemos que sim

  2. dqdq says:

    a ver se é desta que temos 5G. já tomei as 2 doses e apanho muito pouca rede ainda.

  3. Urtencio says:

    “Pandemia por COVID-19 permitiu desenvolver tecnologia mRNA”
    …a tecnologia já existe desde 1960! só ainda não tinha sido aplicada em humanos por nunca haver concordância na comunidade médica sobre essa mesma tecnologia..

  4. GOD says:

    A minha pergunta é, porquê ao fim de 60 anos é que se começou a desenvolver este tipo de vacina com a tecnologia mRNA? Se é tão boa já não deveria ter sido desenvolvida há mais tempo? Lá está impõe se a dúvida, talvez porque seja que a longo prazo pode trazer consequências negativas e que ainda são desconhecidas ou talvez não. Veremos no futuro ou então não depende se cá estivermos, visto que fomos as primeiras cobaias a testa las.

    • HB76 says:

      Porque agora conseguiram arranjar milhões de cobaias para a testar. Até então era testada em amostras pouco significativas.

    • Sergio says:

      Por vezes, não tem relação com o facto de ser boa ou má, tem haver com interesses económicos ou com tecnologia para a produzir de forma rentável.
      As farmacêuticas não trabalham apenas para salvar vidas humanas, trabalham muito á base do que é lucrativo.
      Se leres um bocado, a Pfizer nesta vacina para a covid-19 não fez tudo com a sua estrutura, precisou de outras empresas para chegar ao produto final.
      Para mim foi das poucas coisas positivas da pandemia, reunir esforços para desenvolver tecnologia que fosse útil à saúde das pessoas.
      Tens vários exemplos, A bayer juntar-se à curevac é um deles

    • David Guerreiro says:

      Nada disso. O problema é que embora fosse conhecido há décadas existiam problemas que tinham de ser ultrapassados como resposta muito agressiva no sistema imunitário, e estabilidade. Simplesmente não existia forma de administrar a molécula sem a mesma ser destruída pelo sistema imunitário. E esses obstáculos só recentemente foram ultrapassados. E por isso só agora temos frutos disso. A Moderna é uma empresa que foi criada exclusivamente para o desenvolvimento de terapias com mRNA, há 11 anos atrás.

  5. Pedro V says:

    Andam desde a segunda gm a “obrigar” a sociedade a comer veneno, que já vem desde as sementes geneticamente manipuladas passando pelo veneno açúcar em todos os alimentos processados, a consumir como se não houvesse amanhã e a tomar um comprimido para tudo e mais alguma coisa.

    A melhor prevenção contra vírus é uma alimentação saudável, livre de químicos não presentes naturalmente nos alimentos, água sem flúor, como já fazem há muito nos EUA e vão começar agora em Inglaterra, evitar ao máximo a indústria farmacêutica, praticar exercício físico e manter a mente sã.
    A esperança média de vida sempre foi elevada para os que tinham boas condições de vida.

  6. Alpha says:

    que grande eficácia… está tudo completamente embriagado com a vacina.

    estamos mais letalidade nos grupos dos 80 anos para cima, mais alta que o ano passado com 100% de vacinados e ninguém pensa um bocadinho?

    Depois queixam-se dos negacionistas com um monstro mesmo à vossa frente

    • vitor says:

      qual a fonte desses dados? ou é um achismo?

      • Alpha says:

        achismo, dados da DGS… Vai lá somar os óbitos de ao com mais de 80 anos por exemplo vs os casos confirmados e vê lá se vez alguma descida de mortalidade desde que haja mais de 20% de totalmente vacinados…

        0… está na mesma.

        • Nuno Teixeira says:

          Acho muita piada aos teus argumentos. O número de casos (e daí a taxa de letalidade) já interessa para encontrares um valor que supostamente deveria ter uma forte descida e que não vai ter.
          Olhando para os casos e mortes em maiores de 80 a 1 de Janeiro (quando se começou a vacinar), 1 de Junho (quando atingiu os 20% de totalmente vacinados) e agora.

          Casos (valor aproximado)
          (01/01 )32k
          (01/06) 67k (+35k)
          (29-09) 75k (+8k)

          Mortes (valor aproximado)
          (01/01) 5k
          (01/06) 11k (+ 6k)
          (29-09) 11.4k (+ 0.4k)

          Pelo número de mortes dá para notar que se atingiu um plateau comparando com o que estava a acontecer quando não estava ninguém vacinado.
          Além disso, porque é que eu disse a taxa de letalidade não caiu drasticamente? Porque o aumento do número de casos subiu muito pouco (em relação ao valor acumulado) por isso é natural que o taxa não baixe muito mesmo que o número de mortes tenha sido nulo, que não foi, de facto. Mas ainda assim houve uma queda drástica do número de mortes nesta faixa etária.

          • Alpha says:

            Comparar 1 de Janeiro com Junho? Mas andamos a sonhar? Com um pico me Janeiro sem vacinas nessa altura estamos a comparar a descida normal dessa altura?

            Em Março os 80 anos para cima nem 10% tinham vacina… Claro que houve uma queda drástica porque em janeiro ou ficaram doentes ou morreram! Só posso olhar no periodo em que começou a ter um peso relevante

          • Nuno Teixeira says:

            Porque é que não se pode comparar com Janeiro? É uma forma de se comparar com o período pré-vacina.
            De qualquer maneira, se preferires ignorar Janeiro a conclusão é a mesma. É matemática básica.

            Se tens uma diferença no número de casos muito baixa não podes esperar que a taxa de letalidade baixe drasticamente.

            O caso real:
            11/67 = 16.4% contra 11.4/75 = 15.2%

            Caso não tivesse morrido ninguém desde Junho seria:
            11/75 = 14.6%

            Daqui concluis que a vacina não presta por só baixou de 16% para 14%, mesmo não tendo morrido ninguém, nesse período?

            Em vez de reconheceres que o teu argumento é fraco pegas num ponto que não tem nada a ver…

    • ToFerreira says:

      Tu és um negacionista (também) da língua portuguesa. Traduz lá o que querias dizer para que todos possamos entender.

  7. SP says:

    Sky News Austrália lança documentário – O que realmente aconteceu em Wuhan?

    https://youtu.be/oh2Sj_QpZOA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.