PplWare Mobile

Segundo os astronautas da missão Apollo a Lua “cheira mal”


Imagem: NASA

Fonte: BBC

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Pirata das cabernas says:

    Como alguém diz.. ” foram a lua no ano em que a torradeira era o topo de gama”
    Agora não vão porquê? Isto é.. Se algum dia lá estiveram…. Lol

    • Bruno M. says:

      Porque é que há evolução científica?
      Porque é que se continua a fazer pesquisas?
      Porque é que há novas versões de:
      Software,
      Carros
      Máquinas (lavar, secar, etc)
      Fornos
      Televisores

      Em suma: tecnologia??????

      Porque é que vai ao espaço?
      Como é porque usas hoje o microondas?

      • Ruy Acquaviva says:

        É um mito essa história de que os avanços tecnológicos foram consequência da corrida espacial. É claro que ao s colocar bilhões de dólares em pesquisa tecnológica muita coisa é produzida e mesmo que uma pequena parte seja aproveitável no uso diário, ainda sim é muita coisa. Mas isso é resultado do emprego de recursos, não da atividade em sí.
        É um mito semelhante àquele de que as guerras aceleram o desenvolvimento científico e tecnológico. Muito pelo contrário as guerras atrasam esse desenvolvimento. Elas concentram a aplicação de recursos em algumas áreas (as de interesse militar) que se desenvolvem rapidamente, provocando a impressão que gera o mito, mas atrasam muitas outras pesquisas de modo que o desenvolvimento em geral é menor do que em tempo de paz. O que é meio óbvio quando se constata que todos os recursos usados na produção de armamento e destruídos durante sua utilização seriam usados de forma produtiva em tempos de paz.
        Levar o Home à Lua foi uma conquista tecnológica que desenvolveu algumas áreas de forma concentrada, gerando a mesma impressão do desenvolvimento de algumas tecnologias durante a guerras, mas os mesmos recursos usados de outras formas poderiam chegar a resultados mais produtivos.
        Pode-se alegar que os recursos usados na corrida espacial não iriam ser usados todos em pesquisa científica e tecnológica caso esta corrida não tivesse existido e eu concordo com isso, trata-se de uma questão de definição de prioridades, se os mesmos recursos fossem usados em educação e pesquisa científica os resultados seriam melhores, se fossem todos desperdiçados em alguma atividade não produtiva seriam piores.
        Não estou com isso querendo desmerecer as conquistas tecnológicas da corrida espacial, apenas colocando minha posição sobe esse mito.

        • Cristiano Alves says:

          Não me parece correcto esse julgamento sobre o avança cientifico em períodos de guerra. Pelo menos observando a 1 e 2 guerra mundial.
          Nesses contextos, mesmo no pré-guerra, os recursos empregues tiveram como objectivo procurar vantagem em diferentes areas não apenas a bélica. A moralidade não existem nesses períodos, e os testes e experiências feitas na area da medicina com humanos são tremendamente cruéis mas permitiram conhecer muitas outras coisas que num período normal teria de se testa 20 anos em ratinhos. A evolução bélica so por si não contribui directamente para o avanço social, mas a evolução cientifica em areas como a engenharia permite que se consiga no pós guerra ter um conhecimento superior que leva a um maior e mais rápido desenvolvimento da industria. Parece-me assim falacioso o teu comentário. Tens areas que não evoluem como as ciências sociais (e se calhar muitos os problemas sociais que hoje se vivem são frutos disso). Agora dizer que uma guerra não aumenta o desenvolvimento tecnológico, onde o povo é obrigado a trabalha a 200% para o estado sem direitos e sem poder dizer que não, é um perfeito absurdo. Basta como exemplo analisar a nossa amiga Alemanha.

        • Ninguém says:

          Excelente comentário!

        • Bruno M. says:

          @Ruy Acquaviva
          Meu caro, o desenvolvimento de TECNOLOGIAS durante as guerras era NULO!! Sim! NULO!

          A tecnologia avança enquanto há paz e entre guerras!
          Numa guerra (e aqui falando em situações identicas à 1a e principalmente na 2a grande guerra – ignorando por completo as pequenas ou irrelevantes)o objectivo não é descobrir novas tecnologias, mas sim, sair vitorioso.

          Enquanto há paz, o objectivo é melhorar o nivel de vida da civilização e para isso há as pesquisas tecnológicas ou não, bélicas ou não!

          • Nuno V says:

            Ou sejam, os desenvolvimentos em tecnologias como radares, foguetes, motores a jato, redes tcp/ip, satélites de navegação, e milhares de outros exemplos não foram acelerados ou começaram precisamente como projetos militares, muitos deles em tempo de guerra? Acho que é um bocado de desconhecimento de tua parte dizer que as guerras não aceleram o desenvolvimento tecnológico em algumas áreas.

    • José Pedro says:

      Aí está uma coisa que cheira mal. 😉

    • Toni da Adega says:

      O titanic não conseguiu atravessar o Atlântico. Isso significa que os portugueses 500 anos não deram a volta ao mundo.

      As pontes e o Betão do tempo dos romanos dura milênios.
      Assim sendo Qualquer coisa construída hoje deveria durar no mínimo 3 ou 4 mil anos….

    • gui says:

      Pirata das cabernas – Não é bem a Lua que cheira mal. O que cheira mal é essa coisa chamada NASA. A insistência em refutar a Terra Plana, apesar do logo da ONU ser o mapa da Terra Plana, é porque com a Terra Plana, a farsa da id a a Lua vai ser descoberta juntamente com todas as demais mentiras. https://www.youtube.com/watch?v=lmwfNHgX–c

      • Cortano says:

        Tu fecha-te numa gruta forrada a aluminum… Cuidado que eles andam aí.

        Essa do logotipo da ONU é qualquer coisa de genial.
        Forte mesmo… Mas mete mais tabaco nisso.

      • Toni da Adega says:

        Não é só a NASA são as dezenas de agências Espaciais, toda a comunidade científica, engenheiros, pilotos, cartógrafos e por ai adiante.
        Tudo uma cambada de incultos e sem formação ou conhecimento.

      • Ruy Acquaviva says:

        Espero que seja um chiste, se não for recomendo tratamento psiquiátrico.

      • José Pedro says:

        Pronto, pronto. A culpa não é tua, é dos teus professores.

      • Nuno V says:

        Insistência em refutar a terra plana? A terra plana já foi refutada à 2 milénios e meio. E o logo da ONU não é o mapa da terra plana. É um mapa da terra, especificamente é uma projeção azimutal equidistante polar. É um tipo de mapa, que embora tenha as suas aplicações, para navegar é simplesmente uma valente m***a. Por isso é que ninguém utiliza este mapa para navegar, a não ser que seja um valente idiota.

      • Mico says:

        Só podes ser um nick usado nestes temas para gerar comentarios. É que em termos cientificos a tua opiniao não interessa mesmo. Salva-te a internet, que dá palco a qualquer básico

      • Gintoki Sakata says:

        Cê tomou Sagres vencida velho?

    • eachtime says:

      N altura os EUA e a União Sovietica andavam a comparar pénis uns com os outros e o espaço era a régua da altura.
      Agora já não há essa necessidade ninguem quer gastar uma fortuna para lá voltar sem rendimento monetário à vista

    • Carlos Medina says:

      Outro que acredita que a terra é plana.

  2. José Pedro says:

    Em resumo, as idas à Lua poucas recompensas deram à Humanidade mas os poucos humanos que lá foram deixaram uma das nossas marcas mais características: lixo, muito lixo.

    • Bruno M. says:

      Poucas?!?!?

      A Ida à lua implicou a exploração do espaço! (primeiramente exploração espacial e depois ida à lua) e com isso trouxe MUITAS recompensas à Humanidade!

      Ainda que HOJE não tivesse tido muitas recompensas (que trouxe até bastantes), o hoje não é o futuro, mas leva-nos lá!

      Mas aqui ficam algumas das muitas recompensas:
      Termómetros Auriculares
      Comida de Bebé
      Grooving em pistas de aeroporto
      Lentes de óculos resistentes a arranhões
      Aparelhos dentários transparentes
      Espuma viscoelástica
      GPS
      Estruturas com cobertura de tecido
      Aspirador de pó portátil e sem fio
      Palmilhas e tênis mais confortáveis
      Telemóvel com camera

      E mais algumas aqui:
      https://pplware.sapo.pt/informacao/20-invencoes-da-nasa-que-mudaram-a-nossa-vida/

  3. José Pedro says:

    Já agora, aproveito para colocar uma questão que me intriga um pouco. Talvez alguém queira responder. Mesmo sendo a força da gravidade da Lua muito menor que a da Terra, creio que um sexto, aqueles propulsores das cápsulas que alunaram foram suficientes para as fazer descolar novamente? Se não me engano, após a descolagem, religaram-se a um outro módulo que ficou em órbita. Devem ter sido feitos uns cálculos incríveis, aqui na Terra, para planear esse movimento! Estou a referir-me a um tempo em que não havia computadores ou, se havia, eram uns aparelhozinhos com um esguixo de memória e outro de processamento. Tudo era calculado escrevendo a giz no quadro preto e grafite na folha branca. Os cálculos para ir até à Lua, parecem-me bastante possíveis mas para o regresso já devia (e deve) implicar outro patamar de dificuldades, até porque não se podia saber com exatidão a força de gravidade do nosso satélite natural. Ou podia?

    • Toni da Adega says:

      Os cálculos avançados de física só surgiram com os computadores?
      Que se saiba as fórmulas de matemática e leis de física foram descobertas antes dos computadores.

      Os maiores cérebros viveram antes da existência dos computadores.
      Einstein efectou cálculos que só 50 anos depois os “computadores” conseguiram provar que estavam corretos.

      Todos os cálculos são possíveis sem os computadores, podem é demorar um pouco mais.
      Aliás existem é muito problemas matemáticos que só podem ser resolvidos por pessoas e nunca por computadores

      • José Pedro says:

        Eu sei bem, Toni da Adega! Eu próprio sou da era pré-informática e já estudava Física. Mas parece-me que para calcular o impulso necessário para descolar da superfície da Lua sem nunca lá se ter estado para medir a força da sua gravidade, abrandar o módulo em órbita para uma acoplagem bem sucedida, sair da órbita da Lua e seguir a trajetória correta para regressar à Terra, faz-me um pouco de confusão.

        • Toni da Adega says:

          Como é que se sabe a gravidade dos outros planetas se nunca lá tivemos, como é que se aterrou sondas em marte sem nunca lá tivemos antes.
          Como é que outros paises aterraram sondas na Lua sem nunca lá ter estado?
          Existem formulas matemáticas/fisica para calcular isso tudo.

          Recentemente consegui-se uma sonda num meteoro com 1KM de diametro no meio do espaco, sem nunca lá ter estado já se sabia a posicao, tamanho e gravidade (praticamente nula).

          • José Pedro says:

            Ok, aterraram usando paraquedas e amortecedores de vários tipos. Mas descolar apresenta outro género de dificuldades. Pense-se só no poder de propulsão dos foguetões à partida da Terra. Na Lua não teriam que ser tão potentes, mas, de qualquer maneira, bastante potentes . Aliás, quem for à superfície de Marte e sobreviver, sabe que nunca mais de lá sairá. A própria manobra de acoplagem é difícil. Penso (sem poder afirmar) que, no espaço, terá sido realizada, pela primeira vez, com a MIR a partir da segunda metade dos anos 1980.

          • José Pedro says:

            Continuação: Já vi que, em 1971, foi feita uma acoplagem na Salyut 1. Esta estação orbital soviética possuía paineis fotovoltaicos para fornecimento da energia necessária às manobras (não sei se as Apollo tinham este tipo de equipamento). Os cosmonautas morreram todos…

          • José Pedro says:

            Continuação 2: Os cosmonautas morreram todos mas foi na reentrada na atmosfera devido a um problema mecânico.

          • Toni da Adega says:

            Primeira Acupolagem com sucesso (as anteriores falharam), foi feita por Neil Armstrong em 1966. Na Gemini 8.

            Antes de irem á Lua, efectuaram varios voos de testes e incluindo orbitas á Lua para testar tudo isto inclusive Reentradas.
            Existiram muitas Apolo antes alguras falharam outras resultaram em que ajustes fossem feitos para missoes posteriores.

        • TwoEyez says:

          Como não és eng. da Nasa é por isso mesmo que te faz confusão… fica a dica…

          • José Pedro says:

            Essa dica não colhe. Provavelmente não és linguista mas lês e escreves. O Conhecimento não é, ou não deve ser, monopólio de alguns. Muito menos a dúvida. A cartesiana, claro. Mas obrigado, à mesma.

          • José Pedro says:

            Desculpa. Tens razão. Se calhar, se fosse engenheiro aeroespacial (não é preciso ser da NASA), percebia. Mas nem sequer estou a conseguir vedar uma torneira aqui em casa que teima em verter.

    • Bruno M. says:

      @José Pedro, antes da Apollo 11 pousar na Lua, já outras sondas tinham orbitado e feito pesquisas na lua, incluindo outros astronautas a orbitarem a mesma (estes sem terem pousado)!

      Apollo 11 foi a primeira missão tripulada a aterrar na Lua (com sucesso)a 20 de Julho de 69.
      Os EUA tiveram no total 6 missões tripuladas entre 69 a 72 e dezenas de outras missões não tripuladas à Lua sem soft landins a acontecerem entre Agosto de 76 e Dezembro de 2013.

      Dito Isto, 3 astronautas orbitaram a lua duas vezes, e nenhum pousou na lua mais do que uma vez.
      No total foram 12 os astronautas que pisaram e caminharam na Lua!

      Neil Armstrong (1930-2012)—Apollo 11
      Edwin “Buzz” Aldrin (1930-)—Apollo 11
      Charles “Pete” Conrad (1930-1999)—Apollo 12
      Alan Bean (1932-2018)—Apollo 12
      Alan B. Shepard Jr. (1923-1998)—Apollo 14
      Edgar D. Mitchell (1930-2016)—Apollo 14
      David R. Scott (1932-)—Apollo 15
      James B. Irwin (1930-1991)—Apollo 15
      John W. Young (1930-2018)—Apollo 10 (orbital), Apollo 16 (landing)
      Charles M. Duke (1935-)—Apollo 16
      Eugene Cernan (1934-2017)—Apollo 10 (orbital), Apollo 17 (landing)
      Harrison H. Schmitt (1935-)—Apollo 17

      • José Pedro says:

        Eu sei. Até já estive ao pé da Apollo X 🙂 [https://cdn.civitatis.com/reino-unido/londres/galeria/museo-ciencia-modulo-apollo-x.jpg] Mas apetece-me apostar que, chegados a 2024, vai surgir uma justificação qualquer, muito bem elaborada, para adiar a próxima ida à Lua.

        • Bruno M. says:

          Não me admirava. No entanto há outras agências que querem o mesmo!
          Ainda assim, acredito que se Trump se manter no Poder o investimento será ainda maior, logo a timetable mantém-se!

          Não te esqueças que foi devido a desinvestimento no Espaço/Lua que acabaram com muitos programas espaciais que podiam ter tido sucesso e avançado bem mais tecnologicamente a nossa sociedade!

          Já agora, o que fizeram com a Lua (no que toca a sondas), queriam fazer ainda sob o programa Apollo, o mesmo com Marte com o programa Voyager, não houve foi financiamente e então foi cancelado!
          (ainda assim, usaram o planeamento e pesquisas nos programas Viking a meio dos anos 70.

          Relays de internet entre Terra e Marte, cujo dinheiro foi canalizado para outras missões, como reparações ao Hubble por exemplo.

          Outras missões de grande relevo foram canceladas devido aos sucessivos cortes no financiamento na NASA!

          A ver vamos! Eu quero estar ainda vivo quando “formos” a Marte!

      • Hélder Costa says:

        Sr. Bruno, fico contente por saber que já sabe pesquisar coisas no Google. No entanto se fosse mais inteligente saberia que na lua não há água, não há cheiro nem há coisas pegajosas! Quanto às olivinas e às piroxenas, basta ir à serra de Sintra e encontra lá toneladas! Não precisa de ir à Lua!! Quanto ao tal espelho para medir a distância e coisa e tal… Não sei se já ouviu falar em Sonar, é assim uma coisa que emite uma frequência que ao bater em outra coisa volta para trás, depois há outra coisa que regista quanto tempo demorou, sabendo a velocidade a que desloca podemos determinar a distância que foi percorrida!! OK?? E

    • Nuno V says:

      Não é só a gravidade que tens que ter em conta, mas também a velocidade orbital. A título de exemplo, a velocidade da orbita geocêntrica à altitude que o CM do Apollo 11 se encontrava, 185.9 km, é de 7797 m/s. No entanto, a velocidade da orbita lunar à altitude que o CM do Apollo 11 se encontrava, 110 km, é de 1629 m/s, 4,8x inferior à anterior.

  4. Roberto K. M. says:

    A mulher do vizinho também cheira a pólvora, mas ainda não queimada. Agora, a sério, em alguns dias de calor, principalmente quando há um pouco de sêca, na presença de umidade que antecede uma chuva também sentimos o cheiro da terra molhada, plantas, ou da própria atmosfera. O cheiro de chuva.

  5. SANDOKAN 1513 says:

    Quando se vir e souber o que se “encontra” no lado escuro da Lua vai ser o bom e o bonito… 🙂

  6. Dinis says:

    Os Americanos nunca foram à Lua. Foi um embuste para menorizar os Russos na altura da corrida ao espaço e porque os Americanos estavam a perder essa corrida ao espaço. Foram bons a fazer esse filme isso sim mas enganaram toda a humanidade mais uma vez.

    • J. C. Lopes says:

      Uma produção cinematográfica dessas teria que envolver muitas pessoas. Era impossível manter um segredo desses com tantas pessoas envolvidas.
      Deixa-me adivinhar. Os americanos mataram toda a equipa de produção para o segredo não ser revelado.

      • Bruno M. says:

        @J.C. Lopes!
        E os Russos? E os Chineses? E a Europa?
        Foram todos anexados, subornados, comprados (mortos talvez?)

        Epá! O pessoa anda a ler demasiado “a fraude do século”… aquele site, Brasileiro, repleto de opiniões pessoais do autor e sem um minimo de rigor cientifico nas explicações “pseudo cientificas” dadas!

        Como a luz, a gravidade, a poeira, as estrelas, etc!

        Ahhh para muitos a terra é plana!

      • ervilhoid says:

        Brincadeira à parte, todos os elementos da equipa que “matou o Bin Laden” morreram 🙂

        • Cortano says:

          Acho que isso nunca chegou a ser provado e, além do mais, reduzir a equipa de assalto que capturou o Bin Laden a 6 elementos, só por si, é alimentar a teorias da conspiração.

    • TwoEyez says:

      claro que não foram, assim como para ti a terra deve de ser plana…

    • Toino says:

      Essas teorias da conspiracao estao mais k debunked.

    • Alvaro Campos says:

      E também não existem viagens de avião…
      Espera! Como vez esses já podem existir!
      Devias passar a chamar-te S. Tomé!

    • Toni da Adega says:

      Mas os russos acompanharam tudo com radares e outros equipamentos, não pela televisão.

      • Nuno V says:

        Caramba, deverias de saber que não podes usar factos com estas pessoas. Vá, para a próxima comporta-te melhor. 🙂

        • Toni da Adega says:

          Como para este pessoal um video youtube é uma prova cientifica, pensam que os russos só sabiam o que se passava nos States através do que passava na TV 😀

  7. ervilhoid says:

    “De acordo com o que a história gravou e guardou, sobre a Lua sabe-se ainda muito pouco.” talvez terem ido lá ajudava

    lol

    • Vítor M. says:

      Bom dia. Há dados concretos que o homem esteve lá, aliás, quando as sondas por lá andam, conseguem ver esses vestígios, contudo, para cada prova, há meia dúzia de teorias da conspiração e sempre vão haver, por mais provas irrefutáveis que existam. Agora, ir lá tem um custo muito elevado… tem de “valer a pena” 😉

      Cump.

      • Roberto K. M. says:

        Ninguém monitorizou mais a Apolo 11 e todo o projecto Apolo do que os russos. Eles mudaram de órbita satélites, posicionaram e construíram antenas para desmentir os americanos. Por meio da triangulação, eles constataram sinais de rádio transmitidos da Terra para o espaço, e outros sinais do espaço para a Terra, ouvindo as conversas da NASA e a tripulação das cápsulas. Os russos nunca negaram a ida à Lua, apenas minimizaram o feito pela diferença política. As pequenas antenas parabólicas com espelhos refletores com as quais até hoje são utilizadas para se medir a distância de nosso planeta à Lua foram instaladas por alguém (teriam sido os lunáticos ou selenitas?) As lendas da farsa à Lua vieram primeiro dos Estados Unidos, repetidas por outros até fortalecer como uma crença religiosa. Muda-se o nome do país mas é sempre o mesmo : existem americanos que odeiam americanos, italianos que odeiam italianos, portugueses que odeiam portugueses. Aqui mesmo no pplware são noticiadas matérias de tecnologia avançada em Portugal e encontro comentários negativos.

      • José Pedro says:

        Por exemplo, vale a pena ir lá limpar o lixo. Eh eh! Estou a brincar. A sério: penso que, se for, como disse o Trump, para preparar e dar apoio a uma viagem tripulada a Marte, já valerá a pena.

    • Toni da Adega says:

      Sobre a terra sabe-se ainda pouco e vivemos cá 24/7 durante muitos milênios.
      Todos os anos descobrem-se novas coisas, novas espécies de animais.
      Não era suposto saber tudo sobre a terra? Afinal já cá estamos.

      • ervilhoid says:

        A maioria dos milenios viviamos em cavernas e depois disso, muitos anos no desconhecimento e censura..

        hoje em dia investigamos a fundo e descobrimos em pouco tempo, o problema é a mentira, de tanta mentira ouvir fica difícil saber o que é verdade

        • Toni da Adega says:

          Depende das tuas fontes, se as tuas fontes de conhecimento é YouTube, redes sociais e tabloides, então sim a maioria é tudo treta e mentiras.

          Mas já que existe tanta mentira podes dar o exemplo de uma teoria ou artigo científico que seja mentira ou que esteja errado?

          Neste caso existe alguém da comunidade científica que diga que isto da lua é tudo uma treta?

      • Cortano says:

        Há zonas na Terra que os humanos ainda não conseguiram lá ir.

        Mas sabes como é, a Terra é plana e certamente a lua também é plana… Se calhar nem há lua, o que vemos no céu é um holograma ou um borrão no vidro do aquário onde estamos metidos.

  8. Guilherme Lino says:

    A lua é uma bomba para destruir a terra caso os humanos se portem mal

  9. Zé Duarte says:

    Peguem num telescopio e vejam com os vossos próprios olhos que estivemos lá! Tanta teoria da treta que facilmente se confirma.

  10. Eusei says:

    Bom, só demoraram 50 anos a lembrar-se que a lua cheirava mal, com jeitinho os cientistas e engenheiros que trabalharam no projeto voltam a lembrar-se como fizeram tal feito. Quanto lhe perguntam à NASA porque não voltaram à lua, uma das desculpas, é que destruíram a tecnologia e não a conseguiram replicar, imagino que todos os cientistas e engenheiros perderam a memória. Além disso, muitos astronautas afirmam, nos dias de hoje, que não temos tecnologia para levar tripulantes até à lua, como o fizeram há 50 anos atrás! Bom a NASA não se lembra…

    • Nuno V says:

      Mas quem é que te disse que só se lembraram agora? A questão do cheiro está documentada desde que os astronautas regressaram à terra. Só porque se estás a ouvir isto pela primeira vez, não significa que tenha sido noticiada pela primeira vez agora.

      Nunca ninguém te disse que mentir é feio? Ninguém disse que a NASA não consegue replicar a tecnologia usada nos anos 60/70 que nos levou à lua. Estás a referir-te ao que o Don Pettit disse, e ele disse, “it’s a painfull process to build it back again”. painfull != impossible

  11. José Pedro says:

    Amanhã vimos aqui todos cantar os parabéns. Bem, não todos ;D

  12. José Pedro says:

    Depois de uma descida intensa em que o combustível quase acabou, diz o Michael Collins (Doodle da Google). E então? Deu para a subida?

    • Nuno V says:

      Deixa-me adivinhar, leste a analogia Michael Collins até à parte que te interessou e paraste sem continuar para ver o resto. O que ele disse depois foi: “it’s not like he would be running on fumes, but it was below the projected level of fuel they were hoping to have when they landed.” Afinal não parece que o combustível quase acabou.

      O que acabaste de fazer têm um nome, e chama-se a falácia da apanha da cereja. É o mesmo tipo de falácia que os terraplanistas usam quando ouvem Neil deGrasse Tyson dizer que a terra têm a forma de uma pera.

      • José Pedro says:

        O que eu vi, li e ouvi, foi o doodle feito com uma gravação do Collins. Aí ele diz: “After a tense descent in which they almost ran out of fuel”. Agradecia que não me insultasses com comparações com terraplanistas. Eu não te insultei mas talvez te sintas ofendido por haver pessoas que duvidam enquanto tu estás cheio de certezas. Não tenho interesse nenhum em querer provar alguma coisa. Não conheço essa pessoa a que te referes (Neil Qualquer Coisa Tyson) nem estou interessado em conhecer. Também não consigo relacionar a apanha da cereja com falácias mas prescindo de qualquer explicação para isso. Sabes? Há coisas que não me interessam para nada. Passar bem.

        • Nuno V says:

          E não ouviste o que eu disse? O doodle é um excerto incompleto. De quando Collins falou. Se leres a entrevista completa ele clarifica que eles não estavam a ficar literalmente sem combustível, mas sim que gastaram mais combustível que o projectado. Se estivessem literalmente a ficar sem combustível teriam ficado presos na lua.

          Tu não tens interesse a provar nada porque apenas queres lançar afirmações sem fundamento e por dúvidas sobre um feito dos seres humanos.

          Se não consegues ligar a apanha da cereja com falácias, recomendo-te a estudares sobre lógica, bem como as falácias, o que são, que tipo existem,…

          Tu podes não ser um terraplanista, mas os teus argumentos são da mesma qualidade que os destes.

  13. Cyrus Teed says:

    Felizmente hoje todas teorias diferentes das agencias espaciais estao refutadas facilmente por diversas camaras video de alt resolução permanentes na lua que mostram tudo na Terra com alta precisão e em direto (mesmo algo que qualquer habitante da Terra decida fazer por sua iniciativa aqui e ver isso nessas camaras video). Os politicos que mandan nessas agencias espaciais são meus heróis. Espero que sejam os vossos heróis também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.