Quantcast
PplWare Mobile

Cientistas do MIT dizem que afinal pode ter sido detetada vida em Vénus…

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. SANDOKAN 1513 says:

    Pesquisem no Google por “venusianos”,é só uma achega… 😉

  2. Douglas Charles Cunha says:

    Meu maior objeto de estudo, teorias e admiração, depois da Terra, no sistema solar, é Vênus.
    Ninguém me tira da cabeça que a raça humana começou em Vênus.

  3. Luis Henrique Silva says:

    Em todos os planetaa do Universo tem um propósito e existe vida em todos eles, não da maneira que pensemos pois o tipo de vida é de variadas formas, no nosso sistema Solar não somos o unico com vida o problema é detetala e compreender o tipo de vida e nem toda é visivel aos nossos ibstrumentos terrenos.

  4. Le inteligent says:

    Gastam milhões em sondas entre outros, e que tal investigarem o nosso planeta, pois aparentemente existe poucas soluções para o futuro e cada lançamento ao espaço so ajudam a degradação do mesmo… no fim não passam de umas sanguessugas mal habituadas pedindo milhões para provar teorias .

    • scp says:

      A poluição da atmosfera e do meio ambiente tem mais a ver com o fabrico de produtos, viagens de avião e cruzeiros, transporte de mercadorias do que com exploração espacial (envio de pessoas e sondas). O nosso planeta é investigado todos os dias, podemos fazer várias coisas ao mesmo tempo como humanidade, explorar o espaço e encontrar curas para doenças por exemplo.

    • airtup says:

      Caro, os milhões gastos em ciência são infelizmente migalhas, não se preocupe com isso.
      Um exemplo:
      ‘NASA’s budget for financial year (FY) 2020 is $22.6 billion.[1] It represents 0.48% of the $4.7 trillion the United States plans to spend in the fiscal year.[2]’

  5. juca says:

    Não entendo esse desejo das pessoas em encontrar vida fora da terra. Seres capazes de sentir e sofrer? Isso é terrível e já basta cá na terra.

    O universo é lindo vazio e sem seres a sofrer. Que haja o mínimo de vida espalhada por aí

    • airtup says:

      Que depressivo porra, tenha cuidado isso não lhe faz bem.

    • Luis Henrique Silva says:

      Então não tenho boas noticias pra si tudo é povoado de vida mesmo que seja de outra forma, mas vida e com emoções sempre.
      Claro uns sitios mais evoluidos que outros.
      O sofrimebto faz parte do nosso crescimento, só que uns aprendem com isso outros deprimem-se ainda mais, vai da capacidade de cada um em lidar e compreender o verdadeiro sentido do porquê sofrermos.

    • Vasco says:

      Curiosa essa sua afirmação, quando tudo indica pela complexidade das suas dinâmicas e escala imensa que quase nada sabemos ainda sobre o Universo. Provavelmente a nossa espécie faz parte do microbioma de um organismo que nem sequer podemos conceber…

  6. Petrus says:

    Espero que seja vida inteligente porque aqui no nosso planeta…

  7. iSheepNot says:

    É simplesmente ignorante e arrogante acreditar que num universo visível (e invisível) tão vasto não haja outras formas de vida. Procurar vida fora da Terra, do ponto de vista dos humanos, significa procurar algo que nós vemos e identificamos como vida. Há demasiado que ainda não compreendemos na Terra e queremos compreender vida alienígena?

    Nem tudo o que é vida está no espectro visível e compreensível dos seres humanos. A nossa noção de vida é a que existe no planeta Terra e procuramos algo parecido lá fora apesar de ainda compreendermos tudo o que aqui está. Hoje sabemos de existe vida microscópica porque alguém inventou o microscópio mas ninguém, a olho nu, vê micróbios.

    Ninguém consegue provar para todos, de forma inequívoca, a existência de Deus mas gastam-se zilhões com essa crença. Por acaso Deus está no espectro visível de todos? Alguém viu Deus num microscópio ou satélite? E porque não deuses? Quem disse que Deus é solitário? É ou são formas de vida que compreendemos?

    Já tempos foi dito (Friedrich Nietzsche, se não estou em erro): Se se procura por algo e não se encontra não significa que não haja ou não exista. Pode significar que a procura foi mal feita. Talvez seja necessário mudar as ferramentas e método de procura.

    • Vítor M. says:

      Tens alguma razão. Aliás, forma de vida possivelmente há e muita. Agora não é é com o conceito de vida que conhecemos. Isto porque a vida tal como se formou na Terra possivelmente foi “um acaso fortuito”. A formação de vida na Terra teve tantos acasos que qualquer um poderia não ter acontecido e a vida nunca teria aqui possibilidade de acontecer. Possivelmente não haverá nenhum outro planeta com umas condições tal e qual como as que a Terra teve e tem para, primeiro desenvolver um ecossistema que permitisse o primeiro estado de vida aparecer, com tudo o que o universo aqui deixou e o que chegou depois, e mais tarde o desenvolvimento de um planeta que não foi castigado como os outros todos que já descobrimos. E são já uns milhões deles descobertos sem qualquer assinatura de vida tal como a conhecemos, repito.

      Contudo, haverá seguramente vida noutra galáxia, noutros planetas que estejam à volta da sua estrela numa zona onde outro tipo de vida floresceu já. Porque daqui em diante, se aparecer, pode ter sido contágio da vida na Terra. Aliás, há uma linha de pensadores que diz que a vida na Terra aconteceu por contágio, que o “nossos” planeta não é este. Por muitos motivos e mais alguns 😉

      Até lá, vamos acreditar que não somos os únicos neste universo.

  8. José Bacalhau says:

    Acho muito bem que se investigue isto mas estou persuadido de que estamos sós na imensidão do espaço para todos os efeitos práticos. Talvez haja vida inteligente noutros cantos do universo, mas qualquer comunicação, mesmo unidirecional, é impossível à luz da física conhecida e aceite. As razões que tenho para isto são duas: o Paradoxo de Fermi e o argumento do Grande Filtro. O paradoxo de Fermi parte da proposição de que a vida inteligente é típica das galáxias e chega a uma contradição: se o fosse, por certo toda a galáxia teria sinais visíveis dessa vida, dadas hipóteses razoáveis sobre a evolução das civilizações e as restrições impostas pela física. O Grande Filtro é a ideia de que, não havendo sinais evidentes de vida inteligente noutras partes da nossa galáxia, e admitindo que a vida pode ser típica, então deverá haver uma restrição biológica ou comportamental que extinga as civilizações quando atingem um determinado grau de sofisticação. Acho estes dois argumentos muito convincentes para explicar porque não estão as galáxias a enxamear de vida. Mas sugiro que avaliem por vocês próprios através de pesquisa na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.