PplWare Mobile

Categoria: Ciência

Engenheiros criam plantas que brilham. Serão futuras lâmpadas?

Este projeto tem já alguns anos, mais concretamente 3, e partiu de um grupo de engenheiros do MIT que tentava transformar qualquer planta numa lanterna.

A ideia é simples de entender. Basicamente, era colocar uma planta a funcionar como uma lâmpada, usando a luz gerada pelo seu metabolismo energético. Mas que bruxaria é essa?


Rotação da Terra abranda misteriosamente e aumentam os sismos

Os cientistas encontraram evidências de que em 2018 haverá um forte aumento no número de grandes sismos em todo o mundo. A rotação da Terra, tal como outros fatores naturais, é cíclica, abrandando por alguns milissegundos por dia e acelerando novamente.

Segundo os geofísicos, a velocidade de rotação da Terra é influenciada pela atividade existente nas profundezas do planeta e isso poderá estar sincronizado com a atividade sísmica.

Sismos podem estar sincronizados com a rotação da Terra


Stephen Hawking: humanos devem deixar a Terra em 600 anos

O físico Stephen Hawking, que protagonizou uma agradável surpresa na abertura da Web Summit, com um depoimento muito otimista sobre o impacto da robótica e da inteligência artificial no futuro da humanidade, afirmou corajosamente que os humanos precisarão deixar a Terra para sobreviver.

Numa declaração recente, Hawking alterou as estimativas anteriores desta linha do tempo dizendo que os humanos devem deixar a Terra dentro de 600 anos.


Descoberto nanomaterial que permite retirar hidrogénio do mar

Atualmente há duas grandes alternativas energéticas ao combustíveis fósseis: a energia solar e as células de combustível. O sol e o hidrogénio estão a tentar conquistar a sociedade com a promessa de um ambiente melhor e de poupanças nos bolso de cada um de nós. O hidrogénio poderá ser o futuro mas o problema está no preço da sua extração.

Foi agora desenvolvido um nanomaterial que poderá fazer toda a diferença. Esta descoberta pode libertar o hidrogénio da água do mar de forma muito mais barata e eficiente do que os métodos existentes.

Imagem água do mar


2016 HO3 – A Terra quase teve uma nova Lua

Com a evolução dos instrumentos que vasculham o Espaço e que interpretam as órbitas dos objetos estelares, pode-se aprender e descobrir certos comportamentos que outrora não eram assim tão claros.

A 27 de abril de 2016, os astrónomos descobriram o objeto 2016 HO3, um quase satélite do nosso planeta. Observações recentes e mais detalhadas, apresentadas na Reunião Anual da Divisão de Ciências Planetárias, confirmaram que o objeto é definitivamente um asteroide e não “um pouco de lixo espacial”.