Quantcast
PplWare Mobile

eSIM: Apple pode acabar com o cartão SIM já no iPhone 14

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Marco Chapita says:

    O Esim ainda não consegui ver lhe muita utilidade alem de podermos ter dual sim a operar ao mesmo tempo no mesmo telefone com apenas um Simtray. Não sei nas restantes operadoras como é, mas o Esim não é reutilizavel na operadora NOS, quer isto dizer que sempre que mudamos de telefone, temos que ir a operadora pedir novamente um cartão Esim com o codigo QR, e voltar a fazer todo o processo de ativação.quem muda de telefone todos os anos ou precisa de alterar o telefone por alguma razao, fica apeado até ir pedir um novo Esim à operadora.

    • Castro says:

      O site da NOS diz que podes usar o mesmo eSIM para um novo aparelho, desde que desactives primeiro o eSIM no aparelho antigo. Podes usar o QR Code até 5 vezes

      • Danny says:

        O problema é desativar primeiro no aparelho antigo. E se partires o ecra? vais pedir para montar novo ecra só para desativar o esim? e se o aparelho for a agua? ou sobre aquecer e queimar algo?
        Por isso para mim o esim não deverá vingar, uma vez que é muito mais facil trocar pelo sim. Não tem rodeios nem processos e burocracias a volta. é só abri gaveta, inserir sim e fechar gaveta! feito.

        • Sabe-se lá says:

          Vingar, deve vingar. É sempre menos um “buraco” no telemóvel. A Tecnologia tem é que evoluir e simplificar…

        • Castro says:

          meu deus, a levantares tantos obstáculos com situações limite nem sei como é que tens um telemóvel… Ou será que não podem acontecer desgraças com o cartão SIM?

  2. Jota says:

    Outra vez? Quantas vezes a Apple vai acabar com o cartão SIM? Qual é o objetivo de acabar com o cartão SIM? É assim tão grande? Estorva assim tanto? De qualquer maneira, pode ser que seja a primeira a ser alvo dos hackres!

    • Castro says:

      ? o eSIM já existe há anos no iPhone, de modo que não vai alterar em nada quanto aos “hackres”!
      E sim, o hardware para o cartão ocupa espaço significativo dentro do aparelho, podendo ser aproveitado para aumentar a bateria ou outras funcionalidades.
      “remover” o cartão também reduz possíveis pontos de falha para entrada de água, simplifica a construção e reduz custos.

      • Danny says:

        “E sim, o hardware para o cartão ocupa espaço significativo dentro do aparelho, podendo ser aproveitado para aumentar a bateria ou outras funcionalidades.” – Espaço significativo? 12.3mm x 8.8mm?? Achas que com este espaço aproveitas para aumentar a bateria? deve de ser mesmo. Tens noção que o que ocupa mais é a bateria certo? então porque nao tornar as baterias mais eficientes e pequenas? alias, elas ja recebem carregamentos rapidos.

        ““remover” o cartão também reduz possíveis pontos de falha para entrada de água, simplifica a construção e reduz custos.” – que pontos de falha? então tens outros pontos de entradas como o microfone. tb queres retirar-lo para nao entrar agua no aparelho?

        Essas são as velhas desculpas, para nada fazer. é como o o adaptador. retiraram por causa do meio ambiente,reduzir o “lixo, mas apenas serviu sim para aumentar ganhos.

        • Estradiol says:

          Quer te pareça muito ou pouco, sempre é algo e num smartphone todo o espaço conta. Ao remover o simtray tens MENOS pontos móveis logo menos possibilidades de entrar água ou pó. Removendo o simtray não precisas de cortar essa parte nem colocar vedantes ou calhas por onde passa. Com isto retirar um par de gramas e um volume importante. Com isto menos conectores também e circuito para ler o SIM. Com isto podes deslocar câmaras, sistema de dissipação de calor ou antenas.

          Assim que retirar o simtray é o futuro e está mais perto de ser de forma generalizada assim como o Jack dos auscultadores. Eu tenho um S22 e se não me engano também suporta eSIM mas como o meu microSIM já cá anda há três gerações de smartphone nem fui perguntar como é.

        • Castro says:

          Será que alguma vez viste como é um aparelho por dentro?
          Para teres um leitor de cartões isso ocupa bastante mais do que a área do cartão, não só pelo leitor em si que é significativamente maior que o cartão, mas também pelo resto dos circuitos de ligação à baseband mais os parafusos que fixam o leitor, etc… tudo somado é ainda um volume significativo dentro do aparelho. Só pelo leitor isso já poderia representar cerca de + 10% de bateria num iPhone 13 Pro.

          “que pontos de falha?” Parece que alguém não sabe contar: menos uma entrada menos um ponto de falha! E sendo a entrada do cartão uma estrutura movível relativamente grande, a sua borracha é bem mais fácil de falhar com o uso do que o isolamento do microfone.

          “Essas são as velhas desculpas, para nada fazer.”???? Acho que estás a falar de ti, já que manter o cartão SIM é o que significaria não fazer nada!

      • Toni da Adega says:

        Quando retiraram o Headphone Jack, o espaço foi aproveitado para nada. ficou um espaço vazio….

        • Castro says:

          errado, o espaço foi aproveitado rearranjar os componentes internos, especialmente o Taptic Engine que assim pode se encostar ao conector lightning.

    • Pintor says:

      Para quem viaja muito è algo bastante pratico. Mantenho o meu número para receber chamadas de Portugal tenho outro do local o de me encontro para receber chamadas desse local e para dados móveis.

  3. Tiago Rodrigues says:

    O iPhone SE 2.a geração também permite o SIM e o e-SIM

  4. SSilva says:

    Só ESIM e sem entrada Jack, parece que estamos num bom caminho para smartphones estanque e à prova de água 🙂

  5. gambuzino says:

    Quer se queira ou não este é o futuro, daqui a 50 anos ninguem anda com bocados de plastico de operadoras para encaixar nos equipamentos de comunicação moveis, acho que isso é demasiado obvio.

  6. João says:

    Quem lê alguns comentários destes até pode pensar que passar a usar o E-Sim em excluído é realmente uma questão que tem única e exclusivamente a ver com a Apple.
    Retirar o sim físico é a parte mais simples de toda esta equação.
    O problema são os operadores em todo o mundo, porque a Apple vende telemóveis para todo o mundo.

  7. Joao Ptt says:

    Agora falta a Apple remover o carregamento por cabo, e criar um novo carregamento por proximidade mas que tem uma tecnologia proprietária que impede a utilização de carregadores de terceiros, porque a Apple sabe o que é o melhor para os seus aparelhos, e porque é bom para os seus lucros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.