Quantcast
PplWare Mobile

Apple Watch poderá receber ligação via satélite para SOS e contactos de emergência

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Dani Silva says:

    Eu diria que um smartwatch, sem uma antena direccional, não tem potência para comunicar directamente com um satélite, e que há aqui qualquer coisa mal explicada…

    Mas isso sou eu…

    • Vítor M. says:

      Estás enganado. Aliás, estes dispositivos como o SPOT Gen3 ou o Garmin InReach Mini GPS, lançados há 3 ou 4 anos, já tinham uma dimensão reduzida. E um Apple Watch tem espaço para receber o chip que permite uma comunicação muito simples, como é o envio de uma localização e uma mensagem de pedido de socorro.

      Mas há muitos dispositivos hoje assim pequenos, como, por exemplo, os dispositivos da Invoxia que usam as redes LoRa ou Sigfox de baixa potência.

      Além disso, referem rumores de ano passado, existe o chip de modem de banda base Qualcomm X60 que suportará comunicações por satélite. Vê o tamanho desse chip.

      • Bruno Mota says:

        Concordo com o comentário do Dani Silva.
        É possível sim receber dados GPS para fazer a triângulação, num aparelho tão pequeno, mas para transmitir para o satélite é impossível por falta de potência.
        Quando muito, a recepção é por GPS para efeitos de localização, mas o envio de dados dessa mesma localização será feita através da rede celular 4G ou 5G.
        A potência necessária para transmitir para um satélite carece de uma fonte de alimentação com muitos mais amperes e voltes que o que é possível ter num relógio de pulso, já para não falar da antena que para receber pode ser pequena, mas para transmitir tem necessariamente que ser bem maior.

  2. Hélder Lemos says:

    Já surgiram Rumors no passado relativo ao iPhone 13 e foram esclarecidos, e surgiram por causa da banda N53. Quem quiser investigar melhor sobre o assunto que pesquise “Globalstar’s Band n53” e vai perceber que se trata apenas de uma nova banda 4G/5G terreste da Globalstar, empresa muito conhecida pela por conectividades a Satélite.
    Não acredito que no futuro próximo uma versão dita “normal” de um Smartphone e muito menos Smartwatch vá ter comunicação de 2 sentidos com redes de Satélite, pela potência necessária do transmissor e antenas que vai requerer e os compromissos que as marcas serão obrigadas a fazer no dispositivo, já para não falar de custos de Planos mensais para acesso à rede, dai que marcas como a Garmin tenham gamas de dispositivos específicas para isso.
    PLB (beacons de emergência) já existe pelo menos uma marca com um relógio, a Breitling. Mas os PLB tem regulamentação, que também não parece muito difícil implementar num dispositivo comum.

  3. Técnico Meo says:

    Como já alguém deu um excelente exemplo acima, reforço que chegar lá acima depende do satélite que está lá e a gama de frequências usadas. Para ultrapassar a refração ionosférica basta estar na gama baixa de VHF, acima de por exemplo, dos 60 MHz. Se os dados a usar são pings, e meia dúzia de caracteres , ou seja, “meia dúzia de bits” , existem enconders / protocolos de comunicação extremamente robustos , porém lentos, mas excelentes para a missão referida, de longo alcance, ou seja, a descodificação do sinal é possível a niveis até inferiores a -16 ou menos SNR. Lembrar por exemplo o protocolo robusto e super lento usado pelas sondas Voyager, que ainda hoje conseguimos receber na terra. Se o satélite for geoestacionário , então melhor, mesmo estando mais longe. Dentro do dispositivo de pulso, também é possível construir antenas compactas em volta da carcassa e ocultas pela carcaça desde que não seja blindada, exemplo uma loop reduzida mas de baixo ruído, usando por exemplo, polarização circular, conforme se fizer o feed de alimentação para a emissão na antena . Os nossos próprios telemóveis sofreram ao longo das décadas formas muito engenhosas de fazer melhores antenas em volta da carcaça, até na medida em que a radiação p.a.r. emitida foi reduzindo. Quem não se lembra dos insólitos alcateis com antena exterior? 🙂

  4. LarilasOS says:

    Epah, oh malta das maçãs…desculpem o off topic mas ando a procurar isto na NET e não encontro solução…como fazem videochamada no WhatsApp ou Skype ou Facebook messenger ou Google meets e ao mesmo tempo ir ver um e-mail ou carregar numa notificação sem que a câmera do iPhone seja desligada do nada e a pessoa do outro lado fique sem a nossa imagem? Isso no mundo android nem é tema, porque, it just works (isso não era supostamente a frase da Apple? Oh, deixa pra lá, estou a sonhar demais), no Android posso mudar de app enquanto estou em videochamada….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.