Quantcast
PplWare Mobile

Apple quer que a Foxconn transfira a produção do iPad e MacBook da China para o Vietname

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Miguel says:

    Está tudo a mudar para a Índia pois a China agora tem cada vez mais regulamentação e ordenados mais altos.
    A Índia é uma miséria a todos os níveis…

    • Vítor M. says:

      Nunca lá fui, mas sei, por exemplo, que a Índia tem uma das maiores e mais diversificadas economias do mundo. É um país muito pobre, mas é igualmente o maior produtor de vacinas do mundo. Portanto, não será mais atrasado do que era a China quando há umas décadas as grandes empresas lá começaram a fabricar os produtos.

      • José Fonseca Amadeu says:

        Vitor, é o maior produtor de vacinas do mundo e um dos maiores de medicamentos, no entanto esses mercados funcionam como na tecnologia, interessa fabricar no sitio mais barato, até uma pfeizer manda fabricar alguns produtos na India, está relacionaco com preço, muitas vezes enviam um plant manager de uma farmaceutica para viver na india para supervisionar a qualidade do produto.

        • Vítor M. says:

          Certo, tal como centenas de outras empresas o fazem. E eles seguem o plano. Aliás, nada que não seja feito há décadas na China.

          Além disso, são um país de extremos, dos mais ricos do mundo, são da Índia. Assim como líderes de grandes empresas também são indianos, mesmo fora da Índia. Que empresas assim relevantes conhecem que tem à frente um indiano? Muitas sem dúvida.

  2. ZéBoss says:

    continuem a comprar estes aparelhos… espero que quem dá os milhares de euros por produtos da maça, nunca tenho um filho a trabalhar a 10€ por mês e a trabalhar muitas e longas horas por mês

    • Vítor M. says:

      Por esse ponto de vista, tens de andar nu, como o que tens no quintal ou andar a pé para ires onde vais de carro. Vê lá quantas etiquetas tens a dizer Made in Bangladesh. Quem diz tu, diz qualquer um de nós. Mas isso que dizes é conversa fiada.

      • Vitor says:

        Normalmente esses comentários de “pena” para com os trabalhadores de Países (pseudo) atrasados vêm de pessoas que não teriam qualquer problema em dar uma “facada” nas costas de um colega por um aumento desses mesmos 10 €…somos um País de invejosos!

      • rui says:

        Por curiosidade, conheces o ZéBoss para dizer que o que ele disse é conversa fiada?
        Quem garante que ele não tenta evitar comprar produtos chineses? De certeza que não é o único, apesar de ser bastante difícil evitar esses produtos no mundo atual.
        É extraordinário como, quando se fala neste tema, a resposta de muita gente é sempre a mesma: ah, os outros também fazem! E então? Isso é razão para deixar de condenar as empresas que o fazem? É razão para deixar de tentar consumir produtos de outras origens?
        A verdadeira razão para esse argumento é que muita gente está completamente a borrifar-se para as condições em que os seus produtos são feitos e quando alguém fala nisso lá vem a história de que os outros fazem igual.
        Tentar mudar de atitude é que está quieto.

        Então quando se fala em certas marcas que hoje são encaradas quase como religiões (Apple, Tesla, etc.), é só ver pessoal a espumar-se. Uns a criticar tudo e outros a defender a marca como se fosse a melhor criação humana. Na minha opinião, ambas as atitudes são ridículas.

        • ITzanas says:

          Rui, e tu em nada ajudaste, ja reparaste que o comentário que acabaste de escrever foi escrito num pc/smartphone ou outra coisa qualquer fabricado numa dessas fabricas de exploração de um desses países? Ah, mas o meu equipamento não é chinês ou coreano ou indiano…pois, mas ha algum dos componentes que ha-de ser. E sim, todas a empresas fazem o mesmo ou pior que a Apple, então não podes vir aqui criticar uma empresa so porque sim, critica todas que o fazem, dizer “espero que quem dá os milhares de euros por produtos da maça, nunca tenho um filho a trabalhar a 10€ por mês e a trabalhar muitas e longas horas por mês” não é correto, mas dizer “espero que quem dá os milhares de euros por produtos fabricados na China, nunca tenha um filho a trabalhar a 10€ por mês e a trabalhar muitas e longas horas por mês” faz mais sentido não?

          • rui says:

            Tenho a certeza que o PC onde escrevi o comentário tem vários componentes fabricados na China. Como disse acima, é muito difícil evitar isso. No entanto, posso sempre tentar consumir produtos de outras origens. Isso é válido para todo o tipo de produtos.

            O meu comentário debruça-se mais sobre os argumentos daqueles que vêm sempre com a história de que os outros fazem igual.
            Se querem um argumento melhor, aqui vai: o facto de as fábricas ocidentais fabricarem na China faz com que muitos chineses consigam melhorar a sua qualidade de vida através de empregos melhores.
            É verdade que continuam a existir más condições, mas, pelo que tenho lido, a situação tem vindo a melhorar.

            Obviamente que este é um tema delicado e complexo pois para uns ganharem emprego, muitos outros o perderam. Existem muitos casos de fábricas que deslocalizaram a produção para países mais baratos.

            Agora, para mim, o argumento “os outros também fazem” é um argumento preguiçoso de quem não quer saber de mais nada desde que tenha o mais recente gadget da sua marca favorita a um bom preço.

          • ITzanas says:

            Exato, isto é um tema extremamente complexo, no entanto nunca podemos apontar a responsabilidade a uma só entidade quando de facto todas o fazem. La esta, vais deixar de comprar os produtos que gostas/necessitas tendo em conta onde são fabricados ou como o são fabricados? Não. Então a única coisa que podes fazer é apelar à consciência das entidades que criam estas condições, isto é, empresas e governos dos países onde isto acontece.
            É verdade que há muita gente nestes países que conseguem melhorar a sua qualidade de vida, no entanto, os produtos que estes fabricam por 10$ geram receitas de milhões de dólares, se pegassem nisso e se não fossem tão gananciosos, essas pessoas podiam ter uma vida bem melhor.

    • robin says:

      Mas olha que a escravidão em Portugal é a mesma.
      podes não ganhar os 10 € mas olha para os ordenados em Portugal e depois diz qual é futuro para essa gente.
      tem os escravos que trabalham para o carro que custa o dobro, tens os escravos que compram a casa e por aí vai.
      Portante se alguem pensa que não é um escravo moderno é só pensar bem.

  3. Bob says:

    Tem tudo a ver com os eventos da primeira quarentena na China, em que afectou a produção de praticamente tudo o que é electronica no mundo.
    Os gigantes técnológicios sofreram imenso a nivel de produção, stock, etc… e não é só a Apple a querer ou mesmo já ter movido partes da produção para outro País.
    Mas, vão sempre apontar para Países onde o vão conseguir fazer, pelo preço mais baixo.

  4. Atento says:

    Que me perdoem os apple fans, mas não consigo confiar na empresa (como não confio na Microsoft).

    E parece que não sou o único: https://nibblestew.blogspot.com/2020/11/how-apple-might-completely-take-over.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.