Quantcast
PplWare Mobile

Tags: voyager

NASA consegue reparar a Voyager 1 que está a 23 mil milhões de quilómetros da Terra

A sonda espacial Voyager 1, lançada da Terra em setembro de 1977, está agora a cerca de 23,5 mil milhões de quilómetros de distância de casa. Contudo, apesar dessa distância de arrepiar a mente, os cientistas da NASA acabam de realizar um trabalho de reparação na nave.

Depois de em maio, a sonda ter começado a enviar informação totalmente desconexa, era necessário ajustar os seus sistemas, mas não se sabia o que se passava e se era possível essa reparação. O que foi então feito?

Ilustração sonda da NASA Voyager 1


Sondas Voyager da NASA estão a morrer, depois de quase 45 anos a viajar pelo Universo

A NASA lançou as sondas Voyager em 1977 e com elas começou um ambicioso programa de descobrimento espacial com o objetivo de conhecer Júpiter e Saturno, assim como as suas respetivas luas. Mais tarde, esta missão foi ampliada com a inclusão das primeiras explorações de Úrano e Neptuno conseguindo mesmo ir mais além no espaço e orbitar Plutão. Em 1990, com os seus objetivos no sistema solar atingidos, iniciou-se um novo programa chamado Missão Interestelar Voyager.

Com quase 45 anos a ir onde nenhum outro elemento humano conseguiu ir, estas sondas estão a perder vapor após a maior aventura de sempre. Estamos perto do fim de uma era.

Ilustração sondas Voyager da NASA


NASA: Voyager 1 tem um problema… terá encontrado algo inesperado?

A Voyager 1 é uma sonda espacial norte-americana lançada ao espaço em 5 de setembro de 1977 para estudar Júpiter e Saturno prosseguindo posteriormente para o espaço interestelar. Hoje, 19 de maio de 2022, a sonda somou 44 anos, 8 meses e 14 dias em operação. Contudo, esta nave tem um problema que, pela distância da Terra, será difícil resolver.

Os engenheiros da missão continuam intrigados com esta “avaria”. As mensagens que a Voyager 1 envia não fazem sentido, apesar de parecer estar tudo OK com o equipamento.

Imagem Voyager 1 da NASA


Onde está a estrela irmã gémea do nosso Sol? A terrível Némesis terá matado os dinossauros

O nosso Sol é uma estrela anã amarela, o que significa que tem um tamanho médio e que deverá ter mais de 4 mil milhões de anos. Bom, sabe-se muito mais sobre a nossa estrela, mas não se sabe onde está a sua problemática irmã gémea, a Némesis.

Um estudo recente sobre a forma como as estrelas são formadas acrescenta peso à hipótese de que a maioria – se não todas – as estrelas nascem numa ninhada com pelo menos um irmão.

Ilustração Sol com a sua irmã Némesis


Estação Espacial Voyager terá gravidade artificial e começa a ser construída em 2025

A ficção cientifica é, muitas vezes, o preâmbulo do que um dia os seres humanos haverão de fazer. Desde há muitos anos que se imagina a humanidade a viver numa estação espacial com gravidade artificial, como se estivessem na Terra. Assim, de iniciativa privada, em 2025 terá início a construção da Estação Espacial Voyager.

A Estação terá capacidade para acomodar 400 convidados.

Ilustração da Estação Espacial Voyager