Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Redes Sociais

Redes sociais são a fonte de informação eleita pelos adolescentes

Se há uns anos a imprensa escrita era o meio de comunicação predileto, hoje em dia, os mais novos não optam por ela. Por sua vez, e de acordo com um novo estudo, informam-se através de fontes digitais, nomeadamente nas redes sociais, como o Instagram e TikTok.

Apesar desses resultados, a confiança nas redes sociais parece variar.

Adolescentes e redes sociais


China vai certificar influenciadores para poderem partilhar conteúdos profissionais

Em alturas de crise, muitos são os especialistas que surgem pelas redes sociais. Para controlar a informação que é passada através das plataformas, a China vai regular a partilha de conteúdos profissionais por influenciadores.

Para isto, o país vai atribuir certificações.

Influenciadores, China


Antiga funcionária do Facebook quer treinar advogados para combater tecnológicas

Recorda-se de Frances Haugen, a antiga funcionária do Facebook que alegou que a empresa optava pelo lucro em detrimento da segurança dos seus utilizadores? Ora, a antiga gestora de produtos está à procura de iniciar uma organização que visa a responsabilização de empresas como a Meta pela sua atividade e impacto.

A organização sem fins lucrativos deverá chamar-se Beyond the Screen.

Frances Haugen, antiga funcionária do Facebook


Abuso online no Japão é agora punível com até 1 ano de prisão

Basta passarmos alguns minutos nas redes sociais para verificarmos que existem sempre várias publicações e comentários menos próprios, com linguagem abusiva e muitas vezes maus tratos verbais contra alguém específico. Para lidar com esta situação, as plataformas contam com políticas concretas para moderar este género de situações, mas talvez isso só não seja suficiente.

Como tal, agora no Japão o abuso online passa a ser punível com até 1 ano de prisão e multas mais pesadas.


Vítimas de burlas de criptomoedas perderam mais de mil milhões de dólares desde 2021

O tema das criptomoedas ainda gera muita discussão, não sendo de todo consensual, mas provavelmente também nunca será. Se por um lado existem aqueles que são apologistas e até investem no negócio das moedas digitais, por outro lado muitos são também os mais céticos que vêm com muita desconfiança e até descrédito esta tecnologia.

Um recente relatório da entidade norte-americana Federal Trade Commission, revelou agora que as vítimas de burlas com criptomoedas perderam mais de mil milhões de dólares desde o ano passado.