Quantcast
PplWare Mobile

Tags: escassez de chips

O prazo de entrega de chips ainda demora 27 semanas, mas a espera já é menor

Desde que a pandemia da COVID-19 apareceu que o assunto sobre a escassez de chips foi uma constante nas notícias sobre o mundo tecnológico. Atualmente a situação está um pouco melhor, mas ainda existem alguns problemas que persistem e que têm sido difíceis de resolver por parte da indústria.

De acordo com as mais recentes informações, o tempo de espera por um chip já tem sido cada vez menor, no entanto o prazo de entrega ainda demora cerca de 27 semanas.


CEO da Volvo acredita que a crise global de chips já passou

A crise chips afetou largamente a cadeia de fornecimento e, consequentemente, a produção de muitos setores. Se de um lado está a Bosch a reforçar a sua produção, por acreditar que o fim pode não estar à vista, do outro está a Volvo, cujo CEO alegou que a escassez faz parte do passado.

Pelo menos para a Volvo…

Volvo


Bosch vai investir 3 mil milhões de euros para combater a crise global de chips

Foi um problema durante a pandemia e encravou muitos setores, por ser um elemento essencial à produção. A prever que a crise global de chips continuará até 2023, a Bosch vai investir três mil milhões de euros nos semicondutores.

A empresa está empenhada em contrariar a escassez.

Chips


Sberbank: maior banco russo reutiliza os chips dos cartões para combater a escassez

A guerra da Rússia contra a Ucrânia, que começou no dia 24 de fevereiro, continua a ser uma das principais notícias da atualidade. E este conflito tem feito várias vítimas, deixado um rasto de destruição e trazido imensas consequências a vários níveis.

Uma das consequências é a falta de componentes tecnológicos, essenciais para a continuidade das operações em vários segmentos. Como tal, as últimas informações indicam que o Sberbank, o maior banco da Rússia, está a reutilizar os chips dos cartões bancários para combater a escassez dos mesmos.


Fabricantes de automóveis já estão a receber chips e a normalizar a produção

Conforme fomos acompanhando, a crise global de chips não poupou as indústrias e, durante largos meses, as fabricantes viveram num impasse. Agora, algumas empresas estão a receber semicondutores para regularem, dentro do tempo possível, a sua atividade.

A crise está a dar os primeiros sinais de abrandamento.

Produção de automóveis que necessita de chips