Quantcast
PplWare Mobile

Preparado? Volkswagen apresentou o som que os seus carros elétricos vão fazer

                                    
                                

Fonte: Volkswagen

Autor: Pedro Simões


  1. Joaquim Moreira says:

    Ah,Ah,Ah…. os carros estupidos continuam a definir novos limites para a estupidez!!!!

    • acs says:

      Não é estupidez, são regulamentos para evitar acidentes com peões quando estes circulam a baixa velocidade nas cidades

      • rikardo pereira says:

        resumindo.. é preciso fazer barulho porque os poes nao sabem andar na rua.. bastava passar sempre nas passadeiras. parar e olhar primeiro e so depois passar .. andar nos passeios e cumprir as regras.. ja nao seria preciso fazer barulho para segurança

        • Vitor says:

          Não esqueças que em muitos locais os peões não podem andar nos passeios…porque os automobilistas fazem deles “parques de estacionamento”! E que existem muitas pessoas com dificuldades auditivas…esse o motivo de ser “obrigatório” que as viaturas façam algum “barulho”!

          • Filipe Coelho says:

            Mas aí a polícia é que devia de multar e rebocar todos os que estão mal parados. Atá ganhavam um dinheirinho extra e num instante se resolvia os problemas.

        • paulo rodrigues says:

          Então uma pessoa, na rua/estrada, é forçosamente um peão? Quando não o é? Passeios? Existem em todas as artérias? Passadeiras… quanto tempo fica por marcar uma via depois de repavimentada? Sim deixará de fazer sentido quando já não existirem motores de combustão e os peões e outros nunca tenham visto um destes veículos…

      • Joaquim Moreira says:

        Penso que não percebeu o que escrevi … a estupidez 1º são os eléctricos (tem o mesmo ou mais nivel de poluição e perde-se muita coisa em relação aos motores de combustão…) depois não era muito mais fácil amplificar o pouco barulho que os electricos fazem ? (sendo que deste modo o ruido era proporcional a aceleração e velocidade sem ser preciso “inventar” nada…) Percebeu agora que o seu comentário foi resultado de não ter percebido o que escrevi? e estava claro como água….

    • John says:

      É um ‘jaquim’ mesmo…ó Maria inventaram um tal carro elétrico, que estupidez. ..

      • Joaquim Moreira says:

        já tu es “choninhas” mesmo … ó maria vamos lá comprar um carro electrico … “tao” em promoção pagamos 3 e levamos 1…. e qd precisarmos de trocar as baterias pagamos mais 1 …. 1 pelo preço de 4 é de aproveitar!!!!

  2. Charles says:

    Considerando a forma como a VW tratou os seus clientes europeus após o dieselgate, em especial os portugueses, da VW só quero uma coisa: Distância.
    Em relação ao som,
    Who gives a $h!t?

  3. P. Ribeiro says:

    Parece saído de um filme de ficção! 🙂

  4. Carlos says:

    O cegos não veem os surdos não ouvem, o melhor e colocar sirenes e pirilampos nos caros todos!
    Ate parece que os acidentes só acontecem com carros elétricos..
    A malta mete escapes de rendimento nos carros são multados por fazer barulho a malta mete luzes de led para ver melhor e serem mais bem vistos são multados.
    Se o problema é a abaixa velocidade alterasse o limite de velocidade dentro das localidades.
    Isto é mais algum iluminado que inventou isto para ganhar dinheiro, e o Zé povinho a pagar!!

    • JL says:

      Eu tenho 2 veiculos eléctricos que não têm qualquer som artificial, já ando neles desde 2007 e até agora não passei por cima de ninguém, nem nunca se atravessaram à frente, para mim o som não faz falta nenhuma. Em cidades e locais com muito movimento é só mais um criar poluição sonora.

      • Nelson Nunes says:

        Pois… Então, um dia que se cruze com uma pessoa cega, falamos… Se a pessoa cega não ouvir o carro, como sabe que poderá passar em segurança? Enfim… Quando só se olha para o seu umbigozinho… Infelizmente o senhor é o retrato da sociedade actual…

        • JL says:

          As pessoas cegas são mais espertas que você, não pensam só nos carros electricos, então e se for uma bicleta, veiculo com start stop, entre muitas outras situações em que não há ruído? O que as pessoas andam a fazer na estrada? O problema não são os cegos, são aquelas pessoas que vão a olhar para o telefone e pensam que passadeiras são passeios. Tive um tio que era cego desde os 18, viveu até aos 70, foi atropelado, ia na berma da estrada como sempre fazia, surgiu uma camioneta vinda de uma serventia e passou por cima dele. Ou seja nada que o barulho não evitou, mas sim a visão do que ia a conduzir não chegou.

        • JL says:

          Então e os que vão com headphones e auriculares nos ouvidos?

      • JL says:

        E você o retrato da sociedade actual que critica sem conhecer as razões, enfim manda para o ar, eu apenas relatei a minha experiência.

        • Nelson Nunes says:

          Para começo de conversa, eu sou cego… Portanto, lido todo o santo dia com todas essas situações.
          O start and stop dos carros, incomoda pouco. Ora, se o carro está parado, não vou ouvir o motor, quer dizer que posso passar.
          Agora, imagine lá a seguinte situação.
          Está numa passadeira, à espera para atravessar, ouve carros a passar, obviamente que não vai passar. Assim, que lhe parece estarem parados, atravessa. Imagine que no momento em que começou a atravessar, havia um elétrico que vinha a passar e não abrandou? Pumba, é atropelado. Está bem que a culpa é do condutor, mas você é que se f***u.
          Pois, de facto as bicicletas não têm ruído. Mas não quer comparar levar uma panada de uma bicicleta, ou de um carro.

          Quanto há malta que anda com headphones na rua ou vai a mexer no telemóvel, aí o problema é deles. Há opções.
          Não sou eu que por não ver, que por não ter outra hipótese que não ouvir os carros, tenho que colocar a minha vida em risco, por deixar de ouvir ruído de todos os veículos.

          Quanto ao seu familiar, lamento muito a situação. Mas não é por acontecer uma situação ou outra, que não se há de estabelecer uma norma que garanta a segurança. Pelo menos, que minimize a ocorrência de problemas.

  5. Oscar says:

    Fico chocado com a insensibilidade de alguns comentários aqui, para não ir mais fundo e dizer das pessoas que proferiam os mesmos.
    Vivemos em sociedade e há crianças; idosos que vão perdendo capacidades físicas (audição, visão, etc.); muitos jovens parecem “zombies” a atravessar a rua (a olhar para o telemóvel ou a ouvir música), etc etc. Todas as medidas de segurança são boas, hoje tu, amanhã serei eu.

  6. FABIO BOMBARDELLI FERREIRA says:

    Muito bem principalmente as crianças idosos serão beneficiados com essa lei

  7. Nelson Nunes says:

    Filipe Coelho…
    Não, não vi. Por acaso, ontem não vi… O que eu perdi?

  8. AlexX says:

    Teria mais eficácia o som combinado de 100 apitos Azteca da morte. Ou para aqueles mais green, um som de apito Inca tipo passarinho, andorinha, canário, corvo, melro etc, e para os mais apressados um som de Road Runner bip-bip. Resumindo, o carro devia adaptar o ruído de alerta de proximidade consoante o tipo de condução.

  9. Jack says:

    E quanto fica se as ruas estiverem tomadas por águas das chuvas aqui no Brasil..

  10. ELDER NUNES DA SILVA says:

    Vocês gostam de uma polêmica hein?

  11. Samir says:

    Europeus e suas brigas online! Hahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.