Quantcast
PplWare Mobile

Toyota considera que é demasiado cedo para apostar apenas em carros elétricos

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Zé Fonseca A. says:

    Parece que há um unico fabricante a saber o que diz e a concordar com a minha premissa que os EVs são o futuro do futuro, para já o futuro passa por hidrogenio, já que um full EV nunca poderá ser opção para 90% da populaçao mundial.

  2. Luis Henrique Silva says:

    Acho que o futuro passa mesmo por ai, até porque combustíveis fosseis são limitados e poluientes.
    o problema é a massificação, porque quando as pessoas começarem a comprar mais eléctricos e houver uma maior percentagem em circulação haverá mais postos de carregamento, as casas já estarão mais equipadas para carregar carros, etc. Depois também as baterias desenvolverão para melhores e menos problemáticas.
    Hidrogénio é muito bonito sim, mas é perigosos, talvez um bucadito mais que o combustível normal….

    Temos de pensar nas energias limpas e que sejam baratas, que também depois não achas o abuso de preços…..

    O futuro certamente irá ser muito diferente do que pensamos e para melhor.

    • PTO says:

      Se queres energia limpa em veículos automóveis não arranjas melhor que o hidrogénio.

      Não tenho qualquer dúvida que existem lobbys fortíssimos das fornecedoras de eletricidade por trás da mobilidade elétrica, que não é, de todo, uma energia tão limpa como pretendem fazer passar para a opinião pública.

  3. danyyel says:

    Ainda a poucos dias saiu uma noticia aqui, a falar da parceira entre a Bmw e a Toyota para o hidrogénio.
    Os carros elétricos não são pelo menos a curto prazo a solução.
    Mas o que acho mais giro nisto tudo, é que se fala no impacto enorme da bitcoin a nível de consumo de energia, mas ninguém fala do impacto do carro elétrico (consumo de energia e baterias)

    • Marco says:

      Simples…em termos práticos, para que serve a bitcoin? Para além de servir de moeda para tráfico de droga? Agora experimente privar toda a população mundial dos transportes…tem tudo que ver com a real utilidade das coisas. Se o bitcoin tem valor é porque alguns lhe dão esse valor, mas há muito mais gente a dar valor à mobilidade.

    • RC says:

      Então e o hidrogénio é feito de quê ? de caca de pombo ?

  4. Robin says:

    Electrico nunca passará pela minha opção.
    Quero com isto dizer que quem perde não é o cliente são as marcas.
    Por exemplo a Volvo já está riscada das minhas opções.

  5. lapizazul says:

    Obviamente… O futuro está no H2 e não em pilhas.

    • Marco says:

      Quem diz isso não sabe de onde o hidrogénio vem, como é produzido, nem o rendimento energético aproveitável desde a produção até ao consumo.

      • Infinity says:

        mas a tecnologia melhora a cada dia que passa, tb a anos a tras os motores a combustao eram o que eram e agora sao mais eficientes.

        • sm says:

          Há anos atrás, os motores térmicos eram o quê ? 25 % eficientes ?
          Finalmente, após muuuuuitos anos já são 35 % eficientes.
          Que fixe!

        • Luis Henrique Silva says:

          Da mesma forma que as beterias vão melhorar também, para transformar para hidrogénio também consome por isso entre ter carro eléctrico e hidrogénio são ambas limpas.

          • Zé Fonseca A. says:

            Claramente a mineração de litio, niquel e cobalto e a produção de baterias é das coisas mais limpas que existe… NOT
            Claramente a produção contínua de energia para carregamento dos EVs ou armazenamento da mesma através de bancos é limpa.. NOT

          • Miguel says:

            O lítio o níquel e o cobalto estão a um passinho (pequeno) de perder o lugar nas baterias.

            Nas fuelcells continuam como única hipótese.

          • RC says:

            E ainda precisa de platina, cobalto e outros minerais para as fuel cell, que têm uma duração mais curta que as baterias.

            Por isso mesmo continuam a ser o futuro que existe há 50 anos.

        • RC says:

          Onde ? mostre lá uma evolução da tecnologia de hidrogénio em 20 anos.

  6. Eladio Climaco says:

    Parece tudo muito bonito, só eléctricos (nada contra) apenas não percebo como é possível dotar todas as zonas com postos de carregamento. Moro num pequeno bairro, com poucas garagens e o espaço para estacionar é limitado. E a infraestrutura eléctrica aguenta com tal carga? É pergunta para os engenheiros para também acredito no hidrogénio como futuro próximo. Tenho um carro a GPL e foi o melhor que fiz. Gostava de ter um eléctrico? Sim, mas e depois? Carrego a máquina onde? Temos de ser realistas. É como agora a VW, na sua hipocrisia e na sua tentativa de limpar a cara depois do escândalo da fraude que passou, querer passar a ideia de carbono zero. Não existe carbono zero haverá sempre “poluição”.

    • RC says:

      O seu problema é misturar conceitos e conhecer pouco da tecnologia.

      – o carro carrega em qualquer tomada.

      – se não há infraesturura eléctrica para electricos normais ( porque a hidrogénio também são electricos) muito menos haverá para carros a hidrogénio, já que o hidrogénio é produzido através de electricidade, e necessita de 4 a 5 vezes de electricidade para fazer o mesmo.

      – o carbono pouco interessa, o que interessa são os outros gases que são emitidos, o problema são os SOx, NOx, entre muitos outros que os a combustão emitem.

  7. António Geraldes says:

    O futuro do automóvel vai ser eléctrico, mas o conceito actual de bateria/carregamento não é solução para a massificação do mesmo. No mínimo mais uma década e talvez se comece a vislumbrar a solução pratica e funcional, capaz de satisfazer todos os utilizadores.

    • ACS says:

      Estamos a falar de carros. O pessoa fica com carros mais de 20 anos. Massificar vai demorar 2 decadas no minimo!

      • Honda says:

        Eu por acaso tenho dois com mais de 20 anos e n estou convencido em mudar nos próximos 10 anos….
        É muito dinheiro pra deitar fora e duram muito pouco tempo sem falar quando avaria qualquer coisinha e um dinheirão pra mandar arranjar

        • RC says:

          Então, duram pouco tempo ? eu tenho um elétrico com 22 anos, outro com 20 e uma mota com 15.

          Até agora durante alguns anos que tenho nem o dinheiro de uma mudança de óleo gastei neles.

          Gostava de saber a sua experiência com eles, já que desde 2007 ando nos eléctricos.

  8. Marco says:

    Toyota, a próxima Nokia.

    • BTNB says:

      Nem mais…tem andados meios perdidos no tempo…

      • João says:

        Uma das maiores marcas do mundo, das mais fiáveis e das que mais tendem anda perdida no tempo.

        • B@rão Vermelho says:

          Se já foram ou conhecem países Asiáticos devem ter reparado que por cada 10 carros a circula nas estradas 7 são Toyota, a Toyota se deixar de vender para a Europa continua com vendas fantásticas e em África é igual

    • ACS says:

      porque vai apostar em várias frente? só de lembrar que quem ajudou a Tesla no inicio foi a Toyota e eles têm das melhores baterias. só porque querem oferecer escolha ao consumidor enquanto não há completas condições para carros elétricos são a Nókia?

    • João says:

      A Toyota já tem elétricos e vai ter cada vez mais.
      Apenas acham que ainda não é altura para acabar definitivamente com carros a combustão.~
      Uma marca global como a Toyota vai vender elétricos em africa e na américa do sul em zonas onde ter eletricidade em casa é um luxo???

  9. Rui says:

    Ora aí está uma empresa com os pés bem assentes em terra! E basta referir que a Toyota aposta em todas as tecnologias, avança com muita cautela e sem certezas definitivas!

    Eu gostava de ver se agora todos mudássemos para carros eléctricos, onde é que iam buscar essa energia!!!!!

  10. PTO says:

    Acho que a toyota tem razão.

    Ainda estamos MUITO longe de existir, a nível global, um parque automóvel maioritariamente constituído por viaturas eléctricas.

    A fraca autonomia e o tempo necessário para carregar a bateria, irão continuar a ser os maiores handicaps de se ter uma viatura eléctrica.

    Maiores mesmo que o preço dos carros.

    • Luis says:

      Já para não falar nas altas voltagens existentes num carro elétrico, aquilo é uma bomba com rodas, para se mexer é preciso equipamento especial, e não é qualquer um a mexer ou fica com os pés juntos.

    • João says:

      O tempo de carga e a disponibilidade de postos de carregamento vão ser as maiores complicações num futuro recente.
      Em Portugal existe uma enormidade de prédios sem garagem e os que têm não estão preparados para carregar automóveis

  11. Ricardo says:

    Parece-me uma boa decisão. A malta neste cantinho da Europa ou do mundo ocidental emprenha de ouvido com todas as notícias que agora passam na TV e internet sobre os EV, mas esquecem que há todo um outro mundo.

    A Toyota é o maior fabricante mundial e não é apenas por vender nos EUA, Europa ou Japão. Eles são líderes nos mercados africanos e asiáticos. Nesses países não há mínimas condições nem no curto nem médio prazo para terem uma infraestrutura de carregamento de EV de forma disseminada.

    Por isso bem a Toyota a pensar sobre quem são os seus clientes e as suas necessidades. Ponderada, em vez de tomar decisões com base no que fica bem nas PR e focus groups de países ricos.

    • robin says:

      +1
      Na Europa mandam os lobbys .

    • RC says:

      Pois sabe, é por isso que anda à 10 anos a tentar vender o mirai e não passa de um fiasco.

      Digam antes assim: “apostamos nos a hidrogénio porque o governo japonês e alguns parvos privados meteram cá uns biliões e nos conseguimos fazer o trabalho, mesmo que ninguém compre, agora estamos atrasados em relação a outros, até a tesla nos passou à frente em relação ao valo em bolsa.”

  12. Miguel says:

    A toyota sabe que carros a pilhas nunca serao o futuro. Hidrogenio, energia solar, energia nuclear isso sim. O mundo so sera eletrico e nao poluente quando se massificar a energia nuclear de fusao

    • FreakOnALeash says:

      Antes massificar a energia nuclear de fissão…é que ada de fusão ainda mal saiu do papel…a energia necessária para efetuar arranques de centrais para testes é massiva e não sei se os materiais interiores de um Tokamak não terão de ser todos trocados após cada teste, dadas as temperaturas atingidas…controlar um pequeno sol é uma tarefa hercúlea. Nuclear já deveria de ser o presente!
      Fica o apelo ao PPLware para publicar cada vez mais nóticias sobre fusão nuclear…não devem ter grande concorrência no segmento de ciência em português de Portugal.
      Also BEV > Fuel Cell em carros ligeiros…ver ciência.

    • RC says:

      Então e vão gerar energia cara para depois desperdiçar ? Essa é a questão, tudo o que tem de ver é a eficiência deles, e no caso dos hidrogénio nem sequer chegam aos calcanhares dos a combustão.

  13. sm says:

    É incrível o nível de conhecimento de quem por aqui aparece.
    Impressionante!
    Eu farto-me de rir com isto…
    No passado aconteceu com o transporte animal, também houve bocas destas, quando apareceram os primeiros veículos a combustão.
    A grande diferença agora é isto ficar por aqui escrito para a eternidade digital.

  14. Luis Henrique Silva says:

    Da maneira que a tecnologia evolui, o electrico ieá ser a solucã em pouco tempo temos é de esperar por evoluir melhor o conceito de baterias.
    Um dia quem sabe quando se descobrir melhor sobre magnetismo, tqlvez se encontre uma soluclção ainda mais limpa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.