Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Recorde de vendas de Veículos Elétricos em junho de 2021

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. lapizazul says:

    Nota-se que não foi a TESLA a vender mais, porque o titulo seria outro…

    • TSLAbull says:

      Tens de ir ler o artigo fonte: “…só no final do trimestre, portanto em junho, que a Tesla irá concentrar as suas vendas.”

    • TSLAbull says:

      Venda global de BEV desde Janeiro 2021: TESLA: 274,346 (Model S/X não incluído) todas as outras marcas juntas: 173.881.
      Com a Tesla a crescer cerca de 50% ao ano, GigaFactory Berlim e Texas quase prontas, é difícil qualquer marca os apanhar nas vendas tão cedo.

    • noname says:

      Se seguir o link e consultar o resto dos dados poderá ver a seguinte informação
      Vendas Janeiro a Junho:
      1º Tesla 629
      2º Nissan 591

  2. andre silva says:

    Com energia verde vinda do nuclear Francês, das centrais a gás natural quase a 100% da sua capacidade… sim temos a receita para os veiculos movidos a energia verde.

  3. Gustavo says:

    Comprei um tesla model 3 e todos deviam apostar em eletricos. Esta na hora de proibir veiculos com mais de 8 anos a combustivel nas cidades a poluir.

  4. Robin says:

    Quando os quiserem vender váo ter muitos monos nas mãos.
    tenho a gasolina o proximo a chegar vai ser a gasoleo, o carro a pilhas não se encaixa na minha concepção do que deve ser um carro , mecanica simples e facil de mexer , fialvel e barato de manter, o electrico falha em todas.

    • Robin says:

      já se começa a ver quantos existem pra vender em 2º mão e ninguem lhes pega.

    • Jon says:

      Completamente de acordo
      Até diria mais quanto mais velho o carro melhor

      • Paulo Santos says:

        Por acaso tem experiência própria entre elétricos e a combustão para falar assim?
        E não me venha com tretas. Eu tenho 4 carros a combustão (1 a gasolina e 3 a gasóleo) e 1 elétrico e posso falar por experiência própria. Faço 75k por ano e sei do que falo. Tenho um elétrico com quase 2 anos e quase 120k. Eletricidade gasta? cerca de 5000 euros. Manutenção? 0 euros (ouviu bem, zero euros). E não pense que foi a passo de caracol. Faço a mesma média que faço no E350 coupe.
        Se quer continuar com combustão, nada o impede. Mas não diga disparates sem nexo só porque sim.

    • Leandro Rodrigues says:

      De certeza que precisa de se informar um bocadinho melhor. O que está a afirmar não tem fundamento algum e é exatamente o contrário. Um carro elétrico tem uma mecânica muito mais simples e muito menos partes móveis e de desgaste como um veículo de combustão interna. Não existem óleos do motor, filtros, correias e outras coisas que são precisas num carro a gasolina ou gasóleo. Sobre a questão do barato de manter, um veículo elétrico é muito mais barato de manter do que qualquer veículo a combustão. O custo da eletricidade é muito mais reduzido, não existe IUC, entre outras vantagens como estacionamento gratuito em várias cidades e até carregamentos gratuitos, dependendo a do local. Com o custo crescente dos combustíveis, a transição para os veículos elétricos irá acontecer de forma progressiva.

      • Paulo Santos says:

        Está a perder tempo a explicar o óbvio a quem é cego.
        Fazem-me lembrar aqueles que diziam que o tabaco não fazia mal nenhum e que era tudo uma conspiração contra o tabaco.

      • Miguel says:

        Percebo o teu ponto de vista, mas ele também tem razão.
        Num carro “antigo” tudo é reparável, num carro electrico tudo é substituível. Penso que não preciso de ir mais além

      • Infinity says:

        Não te preocupes que não tarda logo passas a pagar o IUC e as tarifas de carregamento vao subir.

    • Miguel says:

      Mecanica simples e fiabilidade, pois, é a minha opinião também, pelo menos por agora.
      Podem convencer-me dentro de anos, mas não me obriguem a comprar algo que não cumpre os meus requisitos, dêm tempo à tecnologia para amadurecer…

  5. J Nunes says:

    E que tal os geradores a diesel da EDP para carregar carros elétricos nas autoestradas?
    Como na A1, por exemplo…
    Isto vai é de mal a pior, acreditem.

  6. mike says:

    Normalíssimo. Basicamente é fazer contas. Cá em casa vendemos o carro a gasóleo e compramos um elétrico.
    A poupança em gasóleo dá para pagar a prestação do carro. Em vez de dar à Galp dou ao banco e tenho carro novo. Até poupo tempo em deslocações à bomba, já que carrega na garagem.

    €30/ano de “revisão” ao carro que é basicamente um check-up aos sistemas todos, nada de óleos e filtros etc
    €2/100kms carregando em casa.
    Façam as contas e vejam se faz sentido para vós.

  7. Miguel says:

    Se os electricos vencerem por imposição, o impacto será negativo para todos, só espero que entendam isto.
    1 – Perderemos liberdade económica, algo que começa a ser-nos atacado várias vezes.
    2 – Obrigará o mundo a adaptar-se repentinamente a uma nova tecnologia obrigado para isso a decisões menos boas, como por exemplo os carregadores diesel
    3 – Levará a um enorme cemitério de carros e baterias usadas, que ainda não existe solução.
    4 – Os veículos electricos não precisarão de real evolução, pois garantidamente serão melhores, seja pela proibição de venda dos anteriores ou pela adição de taxas aos combustiveis (como já sentimos hoje em dia)
    No final perde o consumidor.
    5 – Favorecerá os mais ricos, porque os EVs são caros e continuarão a ser caros, apenas os restantes irão aumentar o preço. (porque minério é caro e a tecnologia presente nos electricos também)

    Enfim, eu não sou contra electricos, mas espero que todos entendam que se vencerem por imposição, será mau para todos, singnifica que a tecnologia não é boa suficiente para ganhar o mercado. (tal como o CD ganhou a cassete ou a Netflix ganhou a Blockbuster)

  8. andre silva says:

    O pessoal continua a achar que vai continuar a pagar o kwh a 0,14 centimos como paga hoje.
    A rede elétrica vai ter que levar investimento, quem paga? O consumidor. Vai ser necessário toneladas de energia, quem paga? o consumidor. Julgam que não vão pagar IUC ad eternum… piadinha.

    no meu caso… é perfeitamente normal no inverno, aquando de uma tempestade estar 1 semana a gerador diesel da EDP… ou á luz das velas? O carro elétrico tem pedais?

    Deixo um caso que conheço perfeitamente, Nissan Leaf, 3 anos de idade, problema na bateria, a marca diz que foi mau uso e quer 20 000€pela reparação.
    O que fez o dono? Deixou o pepino na garagem, ganhou juízo e comprou um diesel em condições com esses 20 000€

    • Jon says:

      Fez ele muito bem
      Ainda bem que ganhou juízo
      Ainda querem mais provas que o lobby das torradeiras elétricas está a tentar ser implementado a força toda pras marcar ficarem quadrilionarias?

      • Paulo Santos says:

        jon, desculpe mas sabe perfeitamente que se existe algum lobby esse é das petrolíferas.
        Por falar em marcas quadrilionárias, sabe qual é a 2 empresa mais valiosa a nível global, logo atrás da Apple?

    • Paulo Santos says:

      E o Andre acha que vai continuar a pagar o gasóleo a 1,45?

      É mais que óbvio que os elétricos começarão a ser taxados, sem dúvida alguma. Talvez não se recorde, mas quando surgiram os primeiros ligeiros diesel também houve muita celeuma e dizia-se que não se equiparavam aos a gasolina e eram bem mais caros. Também tinham impostos mais baixos no que diz respeito ao antigo IUC. Mais tarde, com a massificação tudo se alterou.
      Os elétricos seguirão o mesmo caminho, mas até lá não pagarei tributação autónoma (um imposto ridículo) e pouparei bastante em eletricidade e manutenções. Quanto à desvalorização não estou preocupado. Tenho 8 anos de garantia de baterias sem limite de Km e não tenho ilusões na desvalorização do carro, mas também tenho carros a combustão com bastantes Km e a desvalorização também é brutal.

  9. SANDOKAN 1513 says:

    Hei-de morrer sem sequer ter andado alguma vez num carro elétrico.Olhem,paciência.Quem é teso não pode aspirar a nada.Nem em sonhos pois há muito que nem os tenho. 🙂

    • Jon says:

      Olhe isso nem é o que me preocupa também não está nos planos ter uma mU/&%a dessas

    • Paulo Santos says:

      Não diga isso. No início do século XX também diziam que os automóveis eram só para os ricos e entretato surgiu o model T que se transformou no carro do povo rapidamente.
      Creio que a massificação dos elétricos vai acabar por chegar e com a concorrência irão com certeza sair automóveis de qualidade e acessíveis.

      O principal problema, no meu ponto de vista, é que actualmente os elétricos com uma boa autonomia são estupidamente caros. Mas com o tempo isso irá mudar.
      Lembra-se dos primeiros telemóveis cuja bateria era removível para ser facilmente substituída? Agora com a nova geração de baterias, já não se coloca tanto esse problema. Penso que com as baterias automóveis irá acontecer o mesmo e elas irão evoluir bastante.

      • Jon says:

        Sim pá teres baterias agora que so duram no máximo 2. 5 anos.. Se assim for nas torradeiras bem tamos tramados teremos de andar a roubar pá comprar novo

        • Paulo Santos says:

          E tu a dar-lhe. Umas baterias de uma marca decente duram cerca de 300-400k km com perdas de até 20%. Se achas que fazes isso em 2-5 anos então estás tramado, pois as garantias normalmente cobrem 8 anos e cerca de 200k.
          Sorte a minha que tenho 8 anos sem limite de Km. Caso perca mais de 30% a garantia cobre (até agora, com 120 mil km perdeu 7 %). E olha que eu em 6 anos coloco nos carros 400 mil km).
          De futuro, não tenho dúvidas que as baterias irão aprimorar-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.