PplWare Mobile

Portugal: GALP vai ser a primeira a ter posto de hidrogénio


Autor: Pedro Pinto


  1. MalicX says:

    Afinal havia outra. ah ah. Pópós a pilhas já eram

  2. Luis A says:

    Quem anda a comprar os carrinhos da moda daqui as poucos anos querem trocá-los e ninguém lhes pega. E entretanto vai-se danificar completamente uma serra e prejudicar povoações para retirar lítio…

  3. helder says:

    Quem quer andar com uma bomba na mala?

  4. radamel says:

    Sera que isto ja esta suficientemente seguro? A Toyota queixou-se ali nuns testes…

  5. Fulano says:

    Sempre disse e continuo a dizer: O hidrogénio é o futuro.
    Carros a pilhas é coisa de momento.

  6. Elkido says:

    Vamos ver as condições de segurança… até há pouco tempo o hidrogénio era muito instável…. pois a Toyota já está a trabalhar nesta tecnologia há vários anos….pode ser que a Toyota e outras empresas do sector tenham arranjado forma de ultrapassar essas limitações de segurança

  7. Alvaro Campos says:

    A quem anda a dizer que os carros a pilhas já eram, têm a noção que a “combustão” (note-se as aspas!) do hidrogénio gera energia elétrica que é armazenada em baterias que depois alimentam motores elétricos que criam o movimento das rodas e por conseguinte o veículo?
    O elétrico continua a existir, o que muda é a forma de gerar a energia.

    • Jefe says:

      Certo Alvaro. Vamos ter presente que a ecologia é muito bonita quando está ao par de questões econômicas. É muito alto, do ponto de vista ambiental a obtenção de carros eléctricos/baterias , comparativamente com a situação do hidrogénio. Os eléctricos mais do que moda são a solução “a mão” para poderemos cumprir com determinados critérios, vais ver a quantidade de carros eléctricos que durante 2020/22 vão surgir.

  8. Redin says:

    Os carros eléctricos a bateria são uma emergência global que ainda não tem paralelo em alternativa.
    Por esse facto é considerada uma tecnologia de transição até que surjam opções a hidrogênio.
    A poder escolher, no que diz respeito a potenciais lobbys existentes, prefiro que existam esses do que os dos combustíveis fósseis em que destes últimos vão perder valorização muito rapidamente.
    Um eléctrico será a alternativa viável.
    Um a hidrogênio será o futuro.
    Existem até propostas bastante promissoras e realistas que podem colocar nos prédios ou em casas particulares usinas de hidrogênio para reabastecer as viaturas.

  9. JJ_ says:

    Então mas o hidrogénio produzido pela GALP, tem origem do gás natural… por sua vez o gás natural é um combustível fóssil, que apesar de poluir menos que o petróleo, também polui.

    Por outro lado, existe muita forma de produzir electricidade sem poluir…

    Podem dizer que o lítio, ou a sua extracção é prejudicial para o ambiente. O que até pode ser verdade. Mas o problema aqui não os carros serem eléctricos, é a forma como é armazenada a energia. Esse é que devia ser o grande investimento a fazer, estudar formas de armazenar energia cada vez menos prejudicial para o ambiente.

    O futuro será encontrar formas de armazenar energia, que não sejam demasiado agressivas para o ambiente.

    Porque o hidrogénio, continua a estar muito ligado a exploração fóssil. E é uma empresa petrolífera tem muito mais interesse em carros a hidrogénio, que eléctricos.

    • Jefe says:

      Não queria ir tão longe. Mas a questão é mesmo essa, onde armazenar a energia e enquanto não se ultrapassar essa questão é escolher a que tem menos custo para o ambiente …. ou seja …

    • Ricardo says:

      há “dois” hidrogénios, o azul e o cinzento. O Azul é obtido pela electrolise da agua, enquanto o cinzento é obtido através do gás natural.
      Obviamente que as petrolíferas são lutar pelo cinzento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.