Quantcast
PplWare Mobile

Os números não mentem! Vendas de carros elétricos dispararam em setembro de 2021

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Tonheco says:

    É normal, ainda mais tendo as empresas incentivos.

    O que também não mente é o preço da energia, sempre a acompanhar as vendas.

  2. Mitra says:

    Futuro mais dia menos dia bate a porta, aqui em casa tenho painéis solares já reduzi a factura em 80%, a empresa onde eu trabalho também permite carregar a bateria do carro gratuitamente também está equipada com painéis solares.

  3. Nuno Fernandes says:

    Toca a comprar carrinhos a pilhas o ambiente agradece! Daqui a umas décadas vamos ter um grave problema em mãos mas enfim

  4. Carlos Fernandes says:

    Mas vai compensar? Tendo em conta as previsões do aumento da eletricidade?

  5. Bitcoina says:

    É impressionante como fazem a publicidade aos eletricos…
    Em 9 meses venderam 19 mil carros eletricos, quantos automoveis com motor de combustão interna se vendeu no mesmo periodo de tempo?

    Eletricos só faz sentido para se andar dentro da cidade, nas AE nem passam dos 80km/h para chegar ao destino…

    • Gonçalo says:

      claramente nunca andaste num eletrico

    • Iris says:

      Aposto que no tempo dos cavalos também se venderam mais cavalos no início do mercado automóvel do que carros… E as razões parecem ser similares. A aprendizagem, estar acostumado a algo, o custo e o facto de não ser humano ou ter “alma”. E de certeza que havia publicidade, se querem vender… Até agora sempre houve muita para a combustão porque não pode haver para os elétricos?

      Mas tem razão em relação à autoestrada (a não ser seja um tesla ou qualquer outro com packs enormes) aqui ainda tem de haver bastantes melhoras, não quer isso dizer que não exista uma centralização enorme e que as cidades não beneficiem dos carros elétricos. Até acho bem-vindos modelos mais pequenos para as pessoas perderem a mania de conduzir carros enormes, sozinhas.

      • Há cada gajo says:

        Pois, e se soubessem o que se sabe hoje sobre a poluição automóvel…como seria ?

        • Iris says:

          Antes do senhor Karl Benz conseguir produzir algo em massa já tinham existido alternativas, como a do senhor Robert Anderson. Talvez problema tenha sido na escolha do combustível e não tanto no aderir ao carro ou não, ou até nas regras para utilização pessoal ao mover se a si só na maior parte do tempo em carro enormes.

          Mas compreendo o que quer dizer, como é óbvio a utilização de algum tipo de veículo teria de ser eventualmente ponderada até pela ajuda que deu ao mundo moderno. O que quero é que exista uma alternativa cada vez melhor do que a última para o benefício de todos.

          • Há cada gajo says:

            Mas é claro que precisamos de alternativas. Não precisamos é de fundamentalismos ou de epifanias ou de soluções messiânicas em torno dos carros elétricos. Há muito por explicar e esclarecer.

      • Miguel says:

        Sem dúvida, pior que EV’s ou térmicos são esses SUVs completamente inadequados

    • Miguel says:

      É verdade que os electricos devido à sua caixa mais simples sofrem de maior esforço do motor a altas velocidades, o que se traduz em menor autonomia.
      No entanto, já começam a aparecer EVs com 2 ou mais relações de caixa automática.

      • rui says:

        não são nenhuns comboios, a eficiência do motor elétrico é a mesma seja a 1000rpm ou a 10000rpm não necessitam de caixas para atrapalhar para as velocidades que andam ou de mais torque em arranque.
        o consumo a latas velocidades como nos carros em combustão aumenta exponencialmente com a resistência atmosférica, se um carro a combustão basta mais 30% se passar de 80kmh para 140km/h um elétrico vai gastar também mais 30%
        um veryon faz bem mais km a 100km/h do que a 400km/h e se for devagar os pneus não acabam antes do depósito

        • Miguel says:

          Se pesquisares verás que vários EV’s já possuem caixas de pelo menos 2 relações. Mas sim, não são propriamente para dar mais torque no arranque.
          Ao teres caixa com 2 velocidades (ou mais), podes usar a segunda para baixar a rotação no motor a altas velocidades, visto que o Torque é sempre alto. Com isto aumentarás a autonomia diminuindo o esforço no motor/bateria.
          A teoria é exactamente a mesma dos carros térmicos, apenas com a diferença de que um motor electrico tem mais torque, portanto as relações podem ser muito mais compridas. Mas os EV’s sofrem do mesmo, tanto da resistência quanto do consumo a altas velocidades

        • Honorato says:

          O novo bugatti a 400km/h mama a gasolina em 12 min com o tanque cheio se o pessoal pesquisar aparece o que disse

    • Edgar says:

      comentário ignorante…

  6. Gerbazio says:

    Agora é tudo muito bonito e tal… não pagam impostos para incentivar a compra dos veículos elétricos. Quando começarem a pagar os impostos como os outros carros eu quero-me rir. Mas é bem feito que é para o povo abrir da pestana e pensar que o que os políticos fazem não é para beneficio do povo.

    • Paulo Jaime says:

      é para benefício do ar que respiras e o da tua família….. e é se queres ter água potável daqui a 30 anos.

      • Zé Fonseca A. says:

        Com a mineração de litio, cobalto e niquel e com os aumentos da produção de paineis solares com cadmio, já não vais ter lençois freaticos potaveis em 30 anos, além do aumento exponencial de produção de metal e vidro que patricamente vão desaparecer da face da terra.
        Tudo na tentativa de diminuir em 13% as emissões de co2, algo que nunca será possivel pois o aumento de energia será gigante e apenas uma pequena porção dessa será de fontes renovaveis.

        • Iris says:

          Tem razão, mas temos de ter outra alternativa, a combustão também não é solução! Só dizer que a mineração é má, dá a sensação que a combustão na extração, transporte, refinação etc não polui e que não existe acidentes que demoram décadas a limpar…

          Faça-nos o favor de em cada vez que comenta negativamente contra os carros elétricos pelo menos partilhe o que pensa ser a boa alternativa (que pelo que tenho visto tem conhecimentos suficientes para isso), assim não fica a sensação de que está a desculpar a combustão e a sua utilização.

          • Há cada gajo says:

            A alternativa está à vista de todos mas ninguém quer dizer: um planeta com uma superpopulação. Nós somos o problema.

          • Miguel says:

            Concordo, ainda não existe uma boa solução, apenas existe uma melhor solução para as grandes cidades, os EVs.
            No entanto não concordo que sejam aplicados incentivos para usá-los em toda a Europa, cada pessoa tem a sua utilização e neste momento mais vale fazer uma transição lenta e esperar que a concorrencia entre tecnologias as faça avançar e colmatar o problema da demasiada extracção de minerio (ou petroleo, que tem vindo a diminuir).
            A minha solução, seria deixar ambas as tecnologias funcionarem, cada uma a puxar pela outra (incluindo o hidrogénio), continuar com os incentivos aos EVs, principalmente nas grandes cidades, mas nunca passando por proíbições ou aumentos do preço do combustível como forma de incentivar a troca.
            Isto levaria a um menor “cemitério automóvel” e uma melhor adaptação e mais sustentavel das redes e electricas, neste momento, para atingir objectivos tendo em conta as expectaticas de EVs o preço está continuamente a subir, o mesmo se passa com o derivados de petróleo, para incentivar a troca, isto é uma bola de neve que não beneficia o povo nem o ambiente.

          • Zé Fonseca A. says:

            Nuclear ou hidrogénio.

        • Toni da Adega says:

          Essa do vidro ir desaparecer da face da terra é boa.

          • Zé Fonseca A. says:

            Informa-te e vai ver o que está acontecer no sector da construção com aço e vidro, depois vai-te informar o que precisas para uma quinta solar e que os painéis solares nunca são reciclado porque os custos de reciclagem são superiores aos de comprar novos. Vai ver o que esses painéis libertam para os lençóis freaticos nos aterros onde são enfiados e depois multiplica tudo isso por mais 7B que ainda não têm acesso a renováveis.

        • Gomes says:

          Caro Zé Fonseca, que artista que me saiu. A produção de vidro vai destruir o planeta como diz, mas investir em energia nuclear que produz lixo radioativo é a salvação? Haha.
          O melhor é começar a construir as casas sem janelas, veja lá!

          • Zé Fonseca A. says:

            Então vai-te informar sobre reactores nucleares v VI e já agora o que acontece aos resíduos mais antigos e o impacto que isso tem no planeta. Informem-se mais e especulem menos.

          • Wanderers says:

            Pergunte as pessoas se preferem morar junto de um vizinho com paineis solares no telhado ou de uma central nuclear. A resposta do Zé Fonseca do hidrogénio e do nuclear, já a conhecemos. O engraçado, ér que numa central nuclear, em tempos normais há as radiações, em tempos de crise, há o hidrogénio que faz explodir o edifício do reator e que vai dispersar prendas ainda mais radioativas para o Zé….

      • Miguel says:

        Não te esqueças que o mundo é redondo e respiras aqui o mesmo ar do país que faz toda a poluição por nós….
        Lá por as minas, fábricas, àguas poluídas da preparação do minério, etc etc etc estarem noutro país não quer dizer que seja “limpo”

        • Iris says:

          Até compreendo a teoria, mas tenho curiosidade, se puder, apresente valores de concentração do ar que respiramos localmente onde não existem carros a combustão em comparação com locais onde existem.

          Em relação às minas, fábricas, águas poluídas da preparação do minério esse problema também existe na extração de crude, transporte (consequentes acidentes que demoram décadas a limpar), refinamento e noutras fases e depois localmente na libertação de gases e líquidos nos carros.

          Não é porque um é mau que o outro não é pior. Temos de encontrar alternativas mais limpas, mas não nos podemos esquecer que os materiais minerados no caso dos elétricos, são reciclareis, eventualmente a sua extração será cada vez menos necessária.

          • Miguel says:

            Eu não disse que era pior, pelo contrário, sou a favor, mas de uma concorrência aberta entre as duas ou mais tecnologias para que as coisas evoluam o mais possível e talvez quem sabe no futuro possamos sair de ambos os problemas.
            A aquisição massiva de EVs como a UE quer não são a solução, nem o é os carros térmicos como são hoje em dia..
            Muito menos com a tendência de SUV que ambas as tecnologias têm.

          • Luís Costa says:

            A mineração, ou seja, os processos para transformar lítio em bateriais para os EV é mais prejudicial do que o processo de crude, se procurar encontra.. o que compensa depois é que a energia não sofre um processo de combustão (libertação de CO2) e aí é que começa a compensar.. podes sempre ir ver os problemas que está a causar no Chile em que uma área enorme ficou praticamente sem água por causa do processo

      • Rockbaby says:

        Inteligente, tiveste bem agora.
        Com certeza que não deves poluir nada.

        Para mim um eléctrico neste momento não é automóvel para mim pelo simples facto não conseguir produzir energia para ele. Só produzindo é que compensa. Já agora como é que se sabe que a energia produzida é a dita verde?

      • Honorato says:

        Custa andar de bicicleta temos pena aprendam andar das que não são elétricas não poluem. Custa menos andar de bicicleta do que andar de joelhos em fatima
        Quando o petróleo acabar vão andar como quando Facebook insta e wathsapp foram abaixo.

    • Dan says:

      Vais te rir por ter pago SEMPRE? E eu vou chorar por só pagar quando isso acontecer? Afinal quem fica a perder? Tu ou eu?

  7. Dan says:

    Eu contribuí para a estatística.
    Comprei o Peugeot e-208 GT Pack
    Posso até a data afirmar que foi a melhor opção que poderia ter feito, pois para o meu estilo de vida, poupo e deixo de contribuir com gases (excepto os peidos) nos próximos 10/20 anos.
    Adeus carros a combustão

    • Miguel says:

      Assim é que devia ser, cada um devia olhar para a sua realidade e pensar no que faz mais sentido, não tanto pela poluição, pois os electrícos não são na realidade muito menos poluentes, mas sim pela practicalidade no dia a dia, custos e etc 😉

      Sou contra os bloqueios a carros térmicos e aumentos nos preços de combustíveis para motivar a troca, mas fico feliz pela concorrencia saudável entre os dois.

      Bons passeios! Que dure mesmo os 20 anos 🙂

  8. Dan says:

    Já agora, estou com uma média de 1,2€ de custos energéticos por cada 100km percorridos. Num mês já passei os 2000km. Sempre a rolar

  9. Alguém says:

    Agora a moda é ter um eletrico, tal como à 20 anos atrás era ter um diesel.. No final do dia ninguem quer saber do ambiente e o que interessa é o preço.

    O mesmo se passa com as empresas e as hipocrisias que tentam passar ao consumidor.. São os champos com formulas com ingredientes 95% naturais, caixas em materiais reciclaveis xpto, telemóveis sem carregadores e afins para salvar o ambiente.

    Ao mudarmos de combustão para electricos só estamos a alterar o foco do problema. Os electricos, as eólicas etc, precisam de muitos materiais raros que a sua extracção e produção é tudo menos ecologica.

    Enfim, não existe formula perfeita, acho que o ideal seria um equilibrio e descer o consumo mundial de produtos, uso dos transportes, etc, mas com a população mundial a crescer, isso não vai acontecer.

    • Dan says:

      Os recursos naturais são FINITOS. O carro eléctrico apenas vai desacelerar o problema do médio prazo. A solução terá de passar por irem buscar recursos a outro planeta ou asteroides. Se não conseguirmos, o fim da nossa espécie em uns X anos é inevitável. E por arrasto vai muitas espécies que nos rodeiam. Mantermos somente a combustão não é viável a curto prazo.

        • jonas says:

          A solução passa sim, por reduzir o consumo de recursos. É muito simples de ver como resolver o problema, mas muito dificilmente alguém o quer resolver. O sistema está todo montado para funcionar com crescimento, e não se pode crescer para sempre.

      • Rockbaby says:

        É como tudo faz lembrar as cotas de poluição que são atribuídas a todos os países. Se eu não gastar na minha parte vou vender a outro para ele poder poluir com a cota dela mais a que eu lhe vendi.

  10. Dan says:

    Trocando isso por euros.
    Para os 2000km e gastando 1,2€/100km tive um custo de 24€
    Com o meu carro a combustão, dois depósitos com 75/80€ cada, não fazia essa distância e lá se iam mais de 150€.

    Isto só num mês.

    Quem for comprar carro deve analisar MESMO bem que opção deve tomar. E esta tendência tende a ser assim, a resistência aos mitos urbanos é ultrapassada e a matemática não falha.

    • Há cada gajo says:

      Se isso fosse assim tão simples…arranja-me um monovolume para transportar a família numerosa e que seja elétrico e que seja ao preço do carro a combustão. Tens alguma ideia ?

      • Honorato says:

        A nissan um carro elétrico 40k€ um a gasolina 22k€ caro demais o preço máximo de um carro a gasolina devia ser 10k€. Eu não recebo para pagar a carta nem recebo para pagar um carro. Ando a pé ou de bicicletaou de transportes fica mais barato.

    • B@rão Vermelho says:

      Já agora qual a diferença de preço do o modelo elétrico para uma a combustão?
      Eu regressei agora de ferias na Polonia e aluguei um 208 a gasolina e gostei baste do carro a nível estético, se a diferença de preço for grande ate compensar a diferença em combustível talvez seja a vida útil do carro.
      Outras das minhas duvidas é qual será o imposto que vai ser cobrado aos veículos elétricos, não há nenhum estado que se possa dar ao luxo de perder uma receitas como a aplicada ao imposto de circulação e nos combustíveis.
      Ainda à pouco tempo foi aprovado a lei que com a carta de carro se podia conduzir motas até 125CC, depois de muita gente comprar lembraram-se de aplicar imposto de circulação a todos os modelos acima dos 120CC.

      • Iris says:

        O senhor está preocupado com o futuro quando no presente paga em combustão e fala disso.
        O que é certo é que se comprar agora elétrico ainda não paga, até quando? Não se sabe, mas até isso acontecer é sempre um bónus.

        Peugeot 208 – Elétrico, A partir de 28 420 €c/IVA*
        Caixa de velocidades automática
        Potência
        136 cv
        Consumo elétrico (misto)
        154 kWh/100Km
        Autonomia em modo 100% elétrico
        362 Km
        Emissões de CO2 (misto)
        0 g/km*

        Peugeot 208 – Gasolina, A partir de 15 590 €c/IVA*
        Caixa de velocidades manual
        Potência
        75 cv
        Consumo misto WLTP
        5.3 l/100*
        Emissões de CO2 WLTP
        119 g/km*

        • B@rão Vermelho says:

          @Iris, obrigado pela resposta, eu não estou a defender os carros a combustão apenas a fazer contas da diferença entre os modelos.
          Tenho carro comercial como viatura pessoal, chega para mim e para a minha esposa.
          O meu próximo carro quase com toda a certeza será o Dacia Spring.
          Mas infelizmente o que referi em relação aos impostos vai ser inevitável.
          Se gostava de ter um Tesla, claro que sim, mas para mim um carro é um “mal” necessário, mas é um péssimo investimento e como tal tento gastar o mínimo possível no melhor negócio que consiga fazer.

        • LR says:

          Acho que te “esqueceste” de indicar a autonomia do 208 a gasolina…

  11. Nuno Fernandes says:

    Os custos de extracção dos minérios necessários para o fabrico de carros eléctricos é tão ou mais poluente que um carro a combustão, isto já foi referido por vários cientistas. Portanto a propaganda de que os eléctricos são o futuro é pura ilusão

    • Mitra says:

      Os eléctricos são o presente, a matemática não engana.

      • Há cada gajo says:

        Engana e muito. Neste artigo nem te falam do total de veículos vendidos em setembro. O carro elétrico é uma ideia que te estão a meter na cabeça. Não te deixes levar.

        • Filipe says:

          Vá ao artigo da UVE e tem lá os números todos. Preto no branco.

          • Há cada gajo says:

            E então ? Já o disse mais abaixo. Estamos aqui a falar de nem 10% das vendas totais de automóveis em setembro.

        • Wanderers says:

          O importante é o facto que esta mudança de paradigmo está a acontecer cada vez mais depressa. Mesmo no país onde o gasóleo era um Deus e que o espalhou para toda a Europa, pela primeira vez em setembro venderam-se mais carros electricos do que que a gasoleo, a Alemanha! Hoje estamos a mais de 10% de vendas em Portugal, de aqui a dez anos, a missa estará dita para os carros a combustíveis fósseis (há dez anos, a Noruega estava a 0,9% e está agora a chegar aos 90%), quando em Portugal estava só a receber os primeiros Nissan Leaf em 2011, meia dúzia de carros, e em 2012, nem chegava a 10 o número de modelos de carros electricos no mercado português e apenas 161 foram vendidos em todo o ano!

    • Iris says:

      Então, quando, disser algo desse género, aponte a algum estudo.
      Procure esses estudos e guarde num marcador.

      Vamos supor que tem razão. “o fabrico de carros eléctricos é tão ou mais poluente que um carro a combustão”

      Isto não quer dizer que a sua utilização não seja mais limpa, os carros elétricos não expelem poluentes ou gases, (ou líquidos) que alguém possa respirar.
      Além disso, as baterias são recicláveis acima de 90% enquanto tudo que seja combustão não pode ser reutilizado diretamente.

      A mineração de materiais raros é má, a extração de crude também, causa imensos problemas subterrâneos que por vezes estão diretamente ligados a desastres naturais e ocasionalmente há acidentes nos oceanos que demoram décadas a limpar.

      Sinceramente espero que tudo que envolve os carros elétricos melhore muito nos próximos anos, especialmente as baterias ou que apareça uma alternativa bem melhor e que se resolva a questão dos carregamentos em prédios e outros locais públicos.

      Mas em comparação à combustão, continuo a dizer que os elétricos são melhores para a nossa saúde, especialmente a local. Não é a solução perfeita, mas é a melhor.

      • António M. says:

        “A mineração de materiais raros é má, a extracção de crude também”
        Certo “Iris”, o problema é se tudo isso estiver ao lado da tua porta, queria ver com defendias tal façanha. De qual lado ficavas e como resolverias o problema?

        • Filipe says:

          E a poluição dos combustíveis fósseis está à sua porta e de toda a cadeia de negócio.
          Esta alternativa não é perfeita, mas é bem melhor do que os veículos ICE.

        • Iris says:

          Eu compreendo o que quer dizer, e como é óbvio, se pudesse, gostaria de evitar tudo que envolva a criação de energia e baterias etc que afete negativamente a população local ou não local.

          Infelizmente não havendo outra alternativa a ser implementada neste momento não havia muito afazer da minha parte.

          Ainda assim os elétricos parecem-me a melhor alternativa por agora porque pelo menos poderá reocupar 90% dos materiais e assim fazer um tipo de circulação para evitar mais extrações aos com os mesmo números do início.

          Que mais e melhor alternativas apareçam é o que desejo, para o bem de todos. E talvez mais regulamentação e que as pessoas comecem a ser educadas e habituadas a conduzir carros mais pequenos especialmente quando vão a maior parte do tempo, sozinhas.

    • Rui says:

      1 – o petroleo tambem é extraido refinado e transportado para todo o mundo só isso já polui mais que a extração de todos os minerios para baterias
      2 – O grande problema é a poluição nas grandes cidades não é poluição na extração do petroleo em alto mar isso nunca foi um problema entendam as diferenças

      • Miguel says:

        Não esqueças que os EVs precisam de muito mais minério.
        A extração de petróleo é um tipo de minério, no sentido em que tens de extrair do solo.. No alto mar é um problema, mesmo que fosse em terra seria na mesma.
        A ideia é minimizar ambos os lados, produzindo a menor quantidade de desperdício possível, para tal é preciso deixar a concorrencia entre as duas ou mais tecnologias puxarem o avanço das tecnologias.

      • Iris says:

        Concordo consigo em parte, parece-me que se esquece é que ao extrair em alto mar também se polui imenso a vida aquática e consequentemente o que muitos de nos comemos.

        Ninguém consegue calcular com exatidão quão grande são os depósitos de crude, são apenas estimativas, quando se começa o processo de extração tanto se pode verificar a extração de muitos e muitos litros como se pode acabar por verificar que o depósito era bastante pequeno.

        Quando se rompe o solo aquático depois ninguém o vai la fechar como deve ser, isto libertam se bastante matérias para os oceanos e não nos pudemos esquecer que o esvaziamento destes depósitos de forma não natural acaba por causar problemas relacionados com desastres naturais que temos visto.

  12. TiGaSPT says:

    Haja dinheiro para modas, vou continuar com o meu a gasolina ate nao poder mais, que venham os combustíveis sintéticos, a mim nao me apanham num eléctrico sem alma nenhuma

    • Wanderers says:

      Como os tempos mudam…há cem anos atrás, quando os automóveis começaram a fazer parte da paisagem (só para os ricos na altura), as pessoas acustamados a se deslocar a cavalo ou de mula hà milhares de anos também diziam: “Haja dinheiro para modas, vou continuar no meu burro até ele não poder mais, que venham os camelos, a mim não me apanham num automóvel barrulhento, mal cheiroso e sem alma nenhuma…”
      Conclusão: os “Velho do restelo” hão de ficar sempre …a pé enquanto a história da humanidade avança!

  13. Há cada gajo says:

    Vamos lá relativizar : estamos a falar de 9,5% das vendas de automóveis em setembro.

  14. António M. says:

    Queria ver se todo o material para construção de carros eléctricos, fosse proveniente de Portugal, se haveria tantos defensores acérrimos dos mesmo.
    Tenham juízo, carros eléctricos são tão poluentes como os de combustão.
    Para já tem que existir as duas vertentes até encontrar-mos uma energia limpa.

    O Lado Negro das Energias Verdes
    https://www.youtube.com/watch?v=stxkY2JelZ0

    • Miguel says:

      Acho bem estar ciente e saber que não existem energias nem veículos limpos.
      O mundo é redondo, e seja em que país for feita a poluição, chegará sempre até nós!

    • Toni da Adega says:

      Podíamos ter todo o material de construção proveniente de Portugal assim como podíamos ter todo o petróleo proveniente de Portugal.
      Não falta espaço para termos poços de petróleo.
      E em vez de estarmos a investir em eólicas e solar, era abrir umas minas/fábricas de carvão para as termoeléctricas

    • Gonçalo says:

      eu gostava era de ver se toda a extração do petroleo fosse feita em portugal refinalo e transportalo para todo o mundo aí é que eu gostava de ver é sempre engraçado quando contam com a produção de energia e minerios mas nao contam com a estração e tratamento do petroleo é que só a extração do petroleo gasta mais energia do que carregar milhoes de carros eletricos ahah

    • Wanderers says:

      Problema, se este documentário da Arte (canal Alemão…) é um bom lançador de alerta, tem muito coisa errada nele (não é de adimrar, foi “encomendado” pela industria automóvel alemã para tentar travar as diretivas europeias sobre as emissões dos carros e descreditar o seu principal concurrente americano que não é preciso nomear…).
      A Alemanha, um país onde, para abrir uma exploração do carvão mais sujo que há, a lignite, é mais fácil abrir burracos gigantes destruindo aldeias centenárias e florestas milenárias de especies endemicas, do que abater uma plantação artificial dos pinheiros mais rascos que há (plantados para a industria papeleira) para fazer uma fábrica de carros electricos, não se admirem de fazerem reportagem destas…
      Uma das coisas que me chocaram mais nesta emissão quando a vi nesse mesmo canal (mas em francês) foi a parte das terras raras já que:
      – As terras raras são muito pouco usadas nos carros electricas e nas baterias (são mais usadas para fazerem imãs gigantes para um tipo especifico de eólicas, não todas)
      – No filme também é lançado um alerta sobre a possível contaminação radioativa das águas freáticas pleo torium contido algum minerio de terras raras. Ora, na verdade, isto é muito puco comum ao contrário do torium contido no carvão de rocha que, uma vez queimado e junto naquelas montanhas de cinzas, se encontra assim concentrado e que, está provado, é lavado pela chuva e vai para as águas freáticas e contamina as pessoas ao redor destes montes de cinza de carvão em todo o mundo, com milhares de cáncaros todos os anos só na América!

  15. Luis Henrique Silva says:

    Da maneira que a gasolina está a subir mais dia menos dia compro eléctrico.
    E e a minha esposa não andamos muito, é mais por Pombal e duas ou três vezes por semana a Coimbra com eléctrico que possa ter autonomia de 40km chega, e carrega-se durante a noite e pronto.

  16. wtvlol says:

    Os números MENTEM.

    Ainda estamos em pandemia. Muitas empresas não têm chips para fabricar carros novos.

    A Tesla fez as suas falcatruas como é costume por isso produziu carros. Chips diferentes da configuração de origem. Vamos a ver se quem tem esses carros não têm problemas no futuro…

    • Luis Henrique Silva says:

      Se houver problemas e for provado que houve falcatrua vão ser obrigados a corrigir o problema ou trocar de produto, neste casp carro.

    • Wanderers says:

      Pois fez…Que má esta Tesla de vir estragar a vida dos adoradores dos fumos de gasoleo queimado dos canos de escapo à altura no carrinhos de bebés… Que heresia meu Deus. Só pode ser falcatrua, e todos os anos fazem o mesmo. Que chatice!

  17. Dan says:

    A solução é aproveitar enquanto se está vivo, porque vamos passar muito tempo mortos. Nada se cria, tudo se transforma e até nos Humanos um dia vamos nos transformar em magma por exemplo.

  18. Miguel Real says:

    o crescimento das vendas dos carros eléctricos é exponencial e não linear e em detrimento de carros ICE se perceberam sobre este assunto ta dito.
    Quanto aos motociclos ate´125cm ou 11KW a solução é estar abaixo dos 125 ou dos 11KW não? vou investigar melhor !!! as 125 / 11KW também terão de fazer inspecção???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.