Quantcast
PplWare Mobile

Novo Opel Vivaro com bateria de hidrogénio e 400 km de autonomia sem emissões

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Blox says:

    Hidrogénio é o futuro!!!

    • Gonçalo says:

      não concordo mas cada um acredita no que quiser, eu acredito mais nos carros totalente eletricos o hidrogeneo tem demasiados problemas que vao ser dificeis de rescolver a produção e o transporte é um grande problema enquanto os eletricos isto nao se aplica porque ja existe eletrecidade em todo o lado

      • Redin says:

        As tecnologias podem ser complementares. No entanto considero que a atual necessidade energética de elétricos são apenas uma transição até que esses “problemas difíceis de resolver” venham a ter lugar pela evolução de materiais e normas de segurança que já são uma realidade mesmo que ainda localizada.
        O transporte de hidrogénio também já se considera um problema resolvido visto que se pode aproveitar os gasodutos de gás natural para a substituição. Neste momento já existem testes de misturas no gas natural de percentagens pequenas de hidrogénio para testar a capacidade e viabilidade. As matrizes elétricas também sofrem de problemas de adaptação a sua carga que vai ser necessário realizar.
        O futuro é mesmo o hidrogénio.

  2. luis nascimento says:

    sem emissões, sim é verdade. mas como se fabrica o hidrogénio? não será melhor optar pelo elétrico?
    para fabricar o hidrogénio precisamos de eletricidade, armazenar o gaz, transportar até ás estações de serviço. temos perdas ao passar por isto tudo e talvez não seja a coisa mais prática. mas esta é a minha ideia outras venham.

    • Ben Hur says:

      Um veiculo a Hidrogénio dura basicamente uma vida, os BEV têm uma vida entre os 8 a 12 anos… E cada vez há mais postos de abastecimento de H2 na europa, estanto previstos o triplo até 2025.

      • dasda says:

        e vais comprar hoje um carro para poder abastecer em 2025….
        ou seja o homem anda sempre ao contrario..investe em carros electricos quando devia ter investido no hidrogenio ha mais tempo. primeiro ha ke acabar com recursos naturais todos. esta no gene humano isso.

    • Rui Silva says:

      O grande constrangimento dos carros electricos é o custo de produção e o material das baterias… No final de contas quando estamos a falar de carros a hidrogenio estamos a falar de carros eletricos na mesma, a unica coisa que muda é a “bateria” que passa a ser o hidrogenio

    • Samuel MG says:

      No produção pode existir explosões!!

    • Pedro Fonseca says:

      Um elétrico também precisa de eletricidade!!!
      A mesma eletricidade que usas para produzir hidrogénio é a mesma que usas para carregar as baterias de um carro elétrico.
      Um veículo de hidrogénio tem a vantagem de não precisar de baterias nem de toda a extração de lítio e poluição associada. Nem tens de substituir as baterias ao fim de alguns anos.

      • Rick says:

        O veiculo movido a hidrogénio tem bateria, este especifico com 10 kWh
        Para gerar potência a partir hidrogénio é preciso eletricidade para o gerar, transporte, armazenamento, abastecimento e só depois será novamente convertido para eletricidade, a eficiência é pouco mais do que 30%.

        • Zé Fonseca A. says:

          Não importa a eficiência, poderia até ser de 1%, o hidrogenio é armazenavel, pode ser gerado através de energias 100% renovaveis, ao contrário dos EVs que precisas de extrair litio, niquel e cobalto, precisas de transportar, e precisas de fabricar as baterias e depois ainda potencialmente de as reciclar ou poluir ainda mais com o seu desperdicio, isto tudo para poderes numa viagem ter de parar 30 min para carregar para poderes seguir viagem em marcha lenta..

    • Nuno says:

      sim tambem nao sou muito fa por causa disso acho que é o futuro para camioes navios e avioes para carros é uma estupidez transformar eletrecidade em hidrogeneo passar por todo o processo de transporte para dps no carro converter outra vez não faz sentido e não é eficiente, resolve 2 problemas cria mais 10.
      Mas isto tudo vai se perceber no futuro as pessoas podem preocupar se com o meio ambiente mas é garantido que se preocupam mais com a carteira e o hidrogeneo vai sair 10 vezes mais caro que a eletrecidade só o custo da produção e transporte quando chegar até nós é o mesmo preço que a gasolina

      • Zé Fonseca A. says:

        Os EVs não nasceram por causa da carteira, todo o movimento nasceu agarrado ao movimento green, e aí o hidrogenio não tem concorrente, não existe nada com uso comprovado e no mercado mais green de longe.

        • Nuno says:

          As coisas podem nascer de onde quiserem mas se a eletrecidade for 20 vezes mais cara que a gasolina posso te garantir que ninguem vai comprar é giro ser verde mas no final das contas as pessoas compram se no final do mês ficar mais barato. E a unica situação em que o hidrogeneo é mais green é na produção de baterias que com e evolução vai se resolver porque na produção de hidrogeneo e transporte o hidrogeneo é totalmente enificente

          • Zé Fonseca A. says:

            Se fosse assim os EVs nunca teriam saído do papel, mais caro que isso não tens, ainda por cima com trocas de baterias..

            Hidrogenio é mais green em tudo, tens o potencial de produção 100% green e transporte 100%, já com litio, niquel e cobalto isso é 100% impossivel, alias a unica coisa que certamente não será verde nos carros a hidrogenio é a bateria.

          • Nuno says:

            Não tm nada a ver, as pessoas compram porque no futuro fica-lhes mais barato achas que as pessoas compram carros a gasoleo porque? são mais giros? não, compram porque apesar de mais caros no dia a dia compensam tal como os eletricos são mais caros mas no dia a dia compensam eu gastava 120€ por mês em gasolina agr gasto 16 em eletrecidade.
            aconcelho-te a ver este video para veres os problemas do hidrogeneo mas cá estaremos para ver quanto irá ser encher um tanque de hidrogeneo as que há hj em dia são ao nivel de gasolina e gasoleo.
            https://www.youtube.com/watch?v=f7MzFfuNOtY

  3. Pedro says:

    Se bem entendo, estes veículos tem de ser abastecidos de hidrogénio numa estação de serviço. Deste modo estamos sujeitos aos preço de mercado, tal como acontece agora com os combustíveis fósseis actuais.
    Por outro lado os elétricos podem ser abastecidos em casa, entre outras alternativas, com geração de energia própria, ou a custo muito reduzido em horários específicos.
    Assim sendo, acho que ainda não há lugar para um veículo a hidrogénio.

    • Blox says:

      Hidrogénio é o elemento mais abundante no Universo. Assim que houver estações de abastecimento suficientes o preço afunda para uns míseros cêntimos e basicamente a Humanidade tem um combustível que nunca acaba.

      • Samuel MG says:

        E eu ganho o euro milhões sem jogar!! Sinceramente vai ser igual ao que já acontece com os combustíveis fosseis, IMPOSTOS!!

        • cb says:

          E achas que não vais pagar impostos sobre o que supostamente produzes em casa?
          Vocês ainda acreditam que de um momento para o outro os governos vão abdicar dos impostos dos combustíveis ?
          Se assim for andamos a ser enganados este tempo todo.
          So um exemplo a Tesla oferecia carregamentos gratuitos para sempre e de repente tudo mudou porque será ?
          Deu uma amostra para impulsionar adesão e agora quem compra carros novos pagam o carregamento, e os governos vão fazer igual basta ver que em todos os postos ja se paga.
          E em casa vai ser igual.
          E no hidrogénio Portugal pode produzir sem estar dependente de outros.

          • Rick says:

            As pessoas vão pagar tantos impostos sobre a eletricidade gerada em casa como os do Óleo alimentar pagam para abastecer os carros diesel deles, ZERO. É impossivel controlar. Mas que vão taxar por km isso vão.

        • dasda says:

          depende da $%#$%# que tivermos. sim pode acontecer isso e o mais provavel é que aconteça isso. Mas os combustiveis fosseis vem de fora do país, ou seja divisas que saem. Se o Hidrogenio for investido e criado aki, nao justifica tantos impostos. alias a nossa industria tornava-se mais competitiva a nivel global. mas os politicos preferem mamar a deles e tapar buracos com tanta incompetencia (para isso ke tem servido os nossos impostos e taxas)

      • FAR says:

        Tanta falácia junta num só parágrafo. Livra!

      • David says:

        Tens que te informar porque apesar de ser o mais abundnte nunca o encontras sozinho ou seja vais ter que aplicar metodos(existem varios) para o isolar e apesar de nao ser dificil sao coisas que gastam imensa energia e logo aqui tens um problema ou fazes o hidrogeneo em cada posto que fica mais cara porque a quantidade é pequena ou fazes numa central que fica mais barato mas depois tens o problema do transporte que é outra dor de cabeça, tira o cavalinho da chuva o hidrogeneo vais ficar pouco mais barato que a gasolina.
        Aconcelho-te vivamente a veres este video que explica muito bem isto
        https://www.youtube.com/watch?v=f7MzFfuNOtY

    • Zé Fonseca A. says:

      A chave é ter energia verde armazenavel com pouco investimento e com menor pegada.
      Numa altura em que vemos que a pegada ecologica do litio tenderá a ser pior que a pegada ecologica dos fosseis, a unica alternativa mais verde que existe neste momento é o hidrogenio.
      Não importa se vais ter de pagar, já hoje pagas e quem não tem produção de energia em casa também paga para carregar um EV.
      Se houver investimento será assim possivel daqui por 10 anos termos estações de produção de hidrogenio em casa a partir de energia solar.

      Ainda assim para mim a melhor alternativa seria o nuclear, um veiculo ou uma casa virem equipados com energia suficiente para durar 100 anos.

    • Redin says:

      Já existem empresas a vender boxes de carregamento de hidrogénio para os particulares. A inovação não pára. As estações de serviço podem ser construídas com o aproveitamento dos gasodutos que já se encontram em Portugal a serem testados.

    • Pedro V says:

      Pode abastecer em casa quem tenha condições físicas para tal. Além disso, nem todos fazem trajetos pequenos para ir trabalhar.

  4. Jorge Colaço says:

    Qual será o preço, duração das baterias e, muito importante, quantos postos de carregamento existem no nosso país?

    • Blox says:

      As baterias num veículo movido a H2 duram uma vida… 40 a 50 anos sem necessidade de manutenção.

      • Atento says:

        As baterias são de relevância relativa e de capacidade muito inferior às utilizadas nos eléctricos a bateria pois apenas são utilizadas para compensar picos de utilização não resolvidos pela fuel-cell. A duração é a das baterias de NIMH e o ligeiro efeito de memória que desenvolvem pode ser revertido com ciclos completos de carga/descarga.
        Na realidade, num veículo movido a hidrogénio há dois tipos de bateria: baixa voltagem (convencional como nos automóveis que hoje utilizamos e para as mesmas tarefas) e alta voltagem (até 2 kWh e até agora, utilizadas NiMH).
        Penso que não há tempo de utilização suficiente para se saber uma duração média dessas baterias (em ambiente não controlado).
        Quanto aos postos de abastecimento … a procura gera oferta …

      • Nuno says:

        garanto te que nao dura nem 40 nem 50 tal como a bateria de 12V que todos os carros têm nao dura esse tempo dura no maximo 10 anitos a grande vantagem é que é uma bateria pequena portanto vai sair praticamente ao preço das de 12V de hj em dia

  5. Atento says:

    É interessante a semântica utilizada: “bateria de hidrogénio”, pois efectivamente o hidrogénio é serve como agente de armazenamento.
    Relativamente a comentários que vi, sobre eléctricos «puros», a vantagem do hidrogénio (produzido a partir de fontes renováveis), é que a dimensão e custo das baterias é substancialmente menor.
    A questão fiscal fica mais fácil de aplicar (não pensem que se livram por mudar para eléctrico).
    O problema continua a ser o armazenamento. Porque os reformadores das estações de serviço utilizam combustíveis fósseis e por isso não são «hidrogénio verde».

    • Zé Fonseca A. says:

      A conversão é possivel, até a conversão de refinarias para produção e armazenamento para hidrogenio verde, esse é um não problema, é uma questão de investimento.
      A questão de bateria nos carros a hidrogenio estamos a falar de uma bateria muito inferior e que dura a vida inteira do carro.

      • Atento says:

        Permita-me que discorde na questão do armazenamento.
        Produção e transporte são questão de investimento, sim.
        Armazenamento é um problema, ainda não resolvido (quando se fala em armazenamento é em escala que permita satisfazer as necessidades do país). O problema reside nas dificuldades técnicas, ainda não ultrapassadas.
        Armazenamento líquido implica manutenção de temperaturas inferiores a -252 graus centigrados, com os custos necessários para a sua manutenção.
        O armazenamento gasoso implica depósitos com dimensões e capacidades de suporte de pressões muito elevadas (densidade energética baixa no estado gasoso).
        As alternativas (por associação quimica) também revelam dificuldades.
        Sugiro a leitura do artigo: https://www.energy.gov/eere/fuelcells/hydrogen-storage

  6. Tom says:

    O armazenamento da energia elétrica sempre foi o grande calcanhar de Aquiles do setor elétrico. Por essa razão a energia elétrica sempre foi armazenada sob outras formas de energia, como por exemplo, nas barragens a energia elétrica é armazenada sob a forma de energia potencial que depois é convertida em energia cinética. A médio e longo prazo (30 a 40 anos) até a produção do hidrogénio tornar-se viável sob o ponto de vista económico e energético, a utilização do gás natural seria a solução mais sensata. Quem está por dentro do assunto sabe que desde a produção até à sua destruição os veículos elétricos produzem mais cerca de 1/3 de CO2 que os veículos a diesel modernos e, por sua vez, os motores a diesel modernos produzem também eles mais cerca de 1/3 de CO2 que os veículos a gás natural. Contudo, como a vaidade é muita e dá jeito para incluir nas despesas das empresas de treta que Portugal tem, veículos elétricos como a Tesla lá vão vendendo bem. Querem fontes do que digo? Façam o trabalho de casa!

    • Atento says:

      A utilização do hidrogénio não se esgota como transportador de electricidade; também será utilizado para combustão.
      Em Portugal, será lançado, no Verão, um piloto com a adição ao gás natural na distribuição (projecto confinado e de dimensão reduzida). Previsões apontam para uma mistura possível de 20% de hidrogénio na rede de gás natural. Só não entendo como se impede a perda desse hidrogénio na actual infraestrutura (hidrogénio é muito mais rarefeito que restantes gases), mas a percentagem adicionável deve ser determinante.
      De qualquer modo, tendo em linha de conta o estado actual da tecnologia e a evolução nos últimos 10 anos, diria que daqui a 10 anos estamos com o hidrogénio a fazer parte intrínseca das nossas vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.