Quantcast
PplWare Mobile

Japão vai eletrificar novos automóveis até meados da década de 2030

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. darksantacruz says:

    A Toyota está a trabalhar numa bateria de estado sólido que segundo a mesma estará terminada lá para 2025. Dito isto não me parece que estejam a ficar para trás.

    • O Futuro não e electrico says:

      E não só, eles já andam a estudar a anos hidrogénio. Vamos esperar para ver. A Toyota nunca foi muito fa dos elétricos, dai estar a estudar outras saídas.

  2. Joao Ptt says:

    O grande problema está nas baterias, se os estados não exigirem baterias com longevidade nunca antes vistas tipo: permitir pelo menos 10 milhões de Km ou algo do género sem degradação significativa e/ ou 30 anos de garantia, este mercado vai ser problemático… imaginem a quantidade de baterias a ir para o lixo, mesmo que em teoria devessem ir para reciclagem bem se sabe como é a realidade a menos que as mesmas continuem a valer “ouro” mesmo no fim de vida, e aí dificilmente alguma vai parar ao lixo a menos que esteja realmente irrecuperável.

    Sem falar na fortuna que as baterias para os carros eléctricos custam hoje em dia [entre 1000€ e 37.580€ conforme o ano em que a compram, a marca, modelo, módulos avariados, etc. (in. https://www.e-konomista.pt/trocar-bateria-carro-eletrico/ ) e quanto o fabricante quer facturar naquele ano…], que para muitos é incomportável… porque a malta não vai deixar de pagar para as manter carregadas! Vão pagar o carregamento das mesmas e ainda sempre que tiverem de as substituir… conhecendo os fabricantes… estes devem andar a esfregar as mãos de felicidade com o manancial de novos clientes e um sem fim de vendas à vista… tudo sob a bandeira da poluição… mas o desperdício de recursos no fundo mantêm-se apenas muda a forma exterior.

    E o preço da electricidade para carregar os automóveis vai “obrigatoriamente” subir a pique porque os desgovernos vão querer roubar o dinheiro que actualmente roubam através da carga de impostos em cima dos combustíveis fósseis… os governos não podiam estar a borrifar-se mais para o meio ambiente.. porque a principal fonte de poluição: os navios de mercadorias e alguns de passageiros, nesses eles não metem “as mãos” para exigir mudanças a sério de tal forma que nenhum desses possa continuar mais a existir de todo e todos os novos tenham de usar outro tipo de energia que não implique destruir o ar, é tudo negócio para a esmagadora maioria deles, e eles continuam a querer apresentar obras e a ter amigos para sustentar (e por eles serem sustentados).

    • sm says:

      Claro que, mantendo o que está (pitroil com fartura) ou com o amado hidrogénio, deixará de haver impostos com fartura também ?
      Já agora, como se aumenta a electricidade para os carros elétricos, já que os mesmos carregam lá da ficha da cozinha ou outra qualquer ?
      A aumentar a electricidade, aumenta para tudo, incluindo para o PC que usou para escrever esta sua mensagem.
      …a não ser que o governo “vá” por via de impostos indirectos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.