PplWare Mobile

China testou com sucesso a produção de hidrogénio com água do mar

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. jorge says:

    Esperem aí, a razão para que a refinaria de Sines fosse fechada não era para que se focasse na produção de hidrogénio usando energia solar e agua do mar? E essa tecnologia é tecnicamente inexistente? No entanto, foi-nos dito que iria reabrir para produzir hidrogénio usando essa tecnologia? (sim sei da existência da hidrólise da água, tive ensino básico para fazer essa experiencia, mas é um processo que usa uma quantidade enormíssima de energia para produzir energia equivalente à produzida por meio de hidrocarbonetos).

    • Mr. Y says:

      Sim, mas essa energia é ‘grátis’ porque é produzida pelas eólicas (e quem sabe também pelas ondas)
      Fica a questão se essa energia deveria ser usada para injectar electricidade na rede porque a produção de hidrogénio não é eficiente em termos energéticos. Mas pensa-se que o hidrogénio poderá ser uma alternativa às baterias onde estas não são viáveis.

      • Bruno says:

        mas se gastas 10KWh pra produzires 1KWh(estes valores são apenas metafóricos) então se calhar mais vale transportares os 10KWh de outra forma que não o hidrogénio.
        Inovações são sempre bem vindas… mas o busilis encontra-se na eficiencia do processo de transformação!!!

      • Grunho says:

        Em matéria de energia não há ‘almoços grátis’, mesmo com renováveis. É preciso produzir os equipamentos e são caríssimos. Se a produção de hidrogénio com energia solar e eólica e água do mar é possível, ela é altamente ineficiente em relação à água dessalinizada, para não falar do uso directo da energia em baterias. Portanto, quando muito é só uma solução de recurso para situações extremas, não serve para produzir à escala industrial.

        • JL says:

          Já para não falar que é muito mais caro, esta semana nos EUA o hidrogénio nas bombas atingiu os 29.5 dólares o kilo, é isto que é necessário para um carro fazer 100 kms fora das AE. Lembro que neste pais a gasolina custa pouco mais de 1 dólar o litro.

          Isto para dizer que este preço contempla 50% produção renovável e os restantes com steam reforming, que é o mais barato.

          Noruega por exemplo, está a cerca de 17 euros o kilo, mas a origem é toda fossil, já que depois das 2 explosões nas bombas com produção local, todas foram fechadas.

  2. traumatologiaeortopedia says:

    Irão reclamara que vai aumentar o teor de sal do Mar. Gente, tem é de reduzir o crescimento da população humana, não existe almoço grátis.

    • Mr. Y says:

      A população está a aumentar mas o ritmo está a baixar. Deverá haver uma altura que deve estabilizar, talvez daqui a 50 anos. O problema não é tanto o aumento da população mas sim o aumento do consumo de recursos, que talvez pudesse ser mais eficiente.

  3. compro essa também says:

    Daí terem que ter os tais robôs porque a terra não aguenta e o povinho também não … , e assim a força de trabalho pode desaparecer… ou ser substituída pelos robôs …

  4. JL says:

    “gestão inteligente de conversão de energia”

    Pois claro, porque com pouca produção de energia não é possivel iniciar a produção de hidrogénio, este é um problema pouco falado, já que os eléctrolizadores têm de trabalhar a uma potência constante para serem o mais eficientes possível, ainda assim com rendimentos médios de 70%.

    • Rod says:

      A malta que ainda discute a eficiência deste tipo de processos não compreende a diferença entre produzir energia a partir de uma fonte finita e poluente (fósseis) vs uma fonte infinita e limpa (hidrogénio verde). Ora, se eu produzo energia 1:1 mas o meu input é finito estou a caminhar para um cenário de escassez e preços altos à medida que a demanda aumenta. Pelo contrário mesmo num processo menos eficiente pq produzo 10:1 mas o meu input é infinito caminho para um futuro de abundância energética sustentável e preços mais baixos. Com o passar do tempo estas tecnologias também tendem a ser mais eficientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.