PplWare Mobile

Boeing mostra o novo e poderoso caça F-15EX [vídeo]


Imagem: Boeing

Fonte: Boeing

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Marco Oliveira says:

    “Por curiosidade, este valor praticamente pagaria a dívida pública de Portugal.”
    A dívida publica portuguesa é 121% do pib e o pib é 227 mil milhões. Eram necessários 275 aeronaves dessas para pagarem a dívida portuguesa!

  2. 747 says:

    A Boeing que está neste momento a firmar uma parceria com a Embraer. Eles querem mesmo impor se no mercado militar e privado, onde a Embraer já era líder

  3. Rui says:

    O valor não está correcto, são quase mil milhões de dólares pela compra dos 8 aviões:
    https://defence-blog.com/news/boeing-releases-video-of-newest-f-15ex-fighter-jet.html

    A dívida pública nacional já ultrapassa mais de 250 mil milhões de euros! Dava para comprar 2.000 F-15EX.

    Diga-se de passagem que uns 30 em Portugal, metiam muito respeito aos vizinhos espanhóis 🙂

    Também nós temos de decidir o que fazer com os nossos F-16 comprados nos anos 90 (já com 30 anos!!!!!!!!)
    Ou actualizam os melhores para F-16V e compram mais alguns (secalhar a decisão mais sensata) e mais tarde vamos para o F-35, como fazem os outros países europeus. Este último de 5ª geração em vez de ser de 4ª geração ou de 4,5ª geração do F-15.

    É por de lado uns trocos para defendermos a independência do país, sem pedirmos de joelhos ajuda aos outros, como costumamos fazer!!!!!

    Cada F-35 tem um custo muito semelhante ao F-15EX………

    • Rui says:

      4ª geração o F-15 e 4,5ª geração o F-15EX e F-16V

    • Darth says:

      Com a geringonça, o máximo que vao deixar comprar são aviões de papel e megaphones para afastar os vilões.

      • Tiago S. says:

        Afinal de contas, só demorou 57 anos para substituir a G-3. E no Exército, porque as esferas decisórias, na sua infinita sabedoria decidiram que era melhor gastar mais uma porrada de dinheiro dos contribuintes para “melhorar” as da Marinha. Um fuzil que, apesar de ser um cavalo de batalha, está claramente ultrapassado.

    • Lopes says:

      “metiam muito respeito aos vizinhos espanhóis ” sim, sem dúvida! Até porque estando ambos os países na NATO, em várias organizações de defesa europeias E sobretudo no mesmo espaço económico e político, UE, a nossa preocupação fundamental deve ser meter respeito a um país vizinho e amigo, que por sinal tem 4 vezes a nossa população e um PIB muito superior ao nosso (cerca de 6 vezes). Sim, era mesmo 30 F-15 que iam evitar uma invasão… Aliás, está mais do que na altura de esta conversa dos “espanhóis” acabar, não faz nenhum sentido! É simplesmente um disparate! A nossa segurança é a segurança europeia.

      Sobre a compra de um novo caça….comprar o F-35 só pode mesmo ser piada! Vá ver o valor de cada caça de depois conversamos. A independência de uma país é garantida principalmente não levando país à bancarrota, para não pedirmos de joelhos ajuda aos outros, ter uma economia forte, ter um sector financeiro nacional forte, etc etc… depois disso tudo, vem umas forças armadas bem equipadas e treinadas. Mas para este último aspeto é preciso que o resto esteja bem, coisa que não está…

      De resto devemos ter umas forças armadas adequadas ao país que temos. Provavelmente a nossa maior preocupação deveria ser a proteção do “nosso” mar! Ter navios modernos em quantidade e qualidade!

      • Rui says:

        É sempre bom encontrar ingénuos que acham que os 70 anos de paz que existe de uma forma geral na Europa são um dado adquirido!!!!!

        Ai os espanhóis são nossos amigos? Então vão devolver-nos Olivença? E não vamos ter problemas nas ZEE que pretendemos ter nas Selvagens?

        E já agora, para perceber o quão ingénuo é, porque será que todos os Presidentes da República visitam as selvagens? É por causa das cagarras? Ou porque Espanha reivindica o espaço marítimo?

        E como faz quando os pescadores chineses chegarem às nossas portas? Manda a PSP autuar pescadores que abalroam quem lhes meta frente? E se passar a ter terroristas no mar, como no estreito do yemen, como faz?

        E já agora, diga-me lá porque é que os espanhóis armam-se se nós não somos uma ameaça? Você tem a noção que a desestabilizada África está aqui ao largo do Algarve, ou não tem noção?

        Realmente é triste ver pessoas que acham que não precisamos de nos defender de ninguém, como fizeram os nossos antepassados!!!!!

        Já que fala da NATO, então explique-me lá porque é que a Grécia que está na penúria, arma-se até aos dentes e tem uma Força aérea 4 vezes maior que a nossa e não param de investir em defesa, mesmo em crise. Aliás nem a União Europeia alguma vez pediu para reduzir gastos militares, porque deve saber que o maior inimigo grego é a Turquia….. que por acaso também pertence à NATO!!!!!!

        Lopes? Não abra os olhos não…..

        • Tiago S. says:

          Quanto à Grécia correcto e afirmativo, além da 7ª força naval de toda a Europa/22ª mundial, em termos de número de embarcações.

          Em relação à nossa Marinha, e tendo em conta a dimensão da nossa ZEE, é uma anedota infelizmente.

        • Lopes says:

          “…não precisamos de nos defender de ninguém, como fizeram os nossos antepassados!!!!!” Ridículo!
          Depois mistura alhos com bugalhos. Nossa defesa, desestabilização do norte de África, e…imagine-se, a Grécia que tem um “conflito” latente com a Turquia há décadas em especial por causa de Chipre. Nós não temos qualquer conflito com o país vizinho “há séculos”. Mas você está cheio de vontadinha…
          Os presidentes visitam as ilhas Selvagens de modo a mostrar que são ilhas habitáveis por forma a validar as nossas reivindicações da Extensão da plataforma continental junto da ONU e que vais ser concluída até 2021. Uma coisa é agir politicamente outra é enviar a armada.
          “E já agora, diga-me lá porque é que os espanhóis armam-se se nós não somos uma ameaça?” Têm a noção de que os espanhóis investiram 1%do GDP em 2018!?! Pelas suas palavras parece que se estão a armar até aos dentes. 1% pouco mais serve para manter o que se têm. O objetivo dos países da NATO é atingir 2% a breve trecho. Mas pronto, você quer um inimigo à força toda!
          “Você tem a noção que a desestabilizada África está aqui ao largo do Algarve, ou não tem noção? “ Ao largo do Algarve se bem me lembro o mais próximo é Marrocos. Marrocos parece-me bem estável!!! Tunísia apesar dos problemas do terrorismo vai seguindo o seu rumo…. Mas você deve ter outro mapa mental.
          Realmente é triste é ver pessoas que não sabem minimamente discutir e que têm uma compreensão enviesada, porque lhes convêm, do que os outros dizem e sobretudo desejam ardentemente um inimigo. Na próxima vez que for a qualquer país da Europa(*) contorne a Espanha, nunca se sabe o que os espanhóis lhe podem vir a fazer.
          (*)assumo que não visite os SEUS arqui-inimigos espanhóis!
          P.S: Em relação à sua amada Olivença, espero vê-lo amanhã de arma em punho a defender a nossa soberania. Mas antes de entrar a matar, pergunte aos habitantes se querem vir mesmo para o lado de cá. Olhe que é capaz de ter um supressa. Mas avance… força!

          • Rui says:

            O Lopes é que mistura alhos com bugalhos.
            Acha que há algum país que venha olhar pelos interesses de Portugal? Que não sejamos nós a olhar por nós, que vêem cá os outros ajudar-nos.

            Quem ignora tudo o que se passa é o Lopes. Veja lá num mapa onde é que se localiza a Madeira! E a seguir veja lá as Selvagens! Compare com a distância de África e depois com Portugal!

            Já agora, sabia que a Madeira e Açores reivindicaram a independência (espicaçados pelos americanos), assim que a extrema esquerda tomou conta do país em 74!? Anda tudo a dormir e nem olham para a nossa história!!!!

            E já que o Lopes demonstra um grande desconhecimento estratégico, eu vou ensinar-lhe, quem vai visitar as Selvagens, é um Presidente da República, porque é o Chefe supremo das Forças Armadas e não um político qualquer, percebe a diferença? E quando vai numa Fragata com meia dúzia de mísseis, é para demonstrar ao país vizinho que defendemos aquele território com toda a força, se necessário. Já atingiu? Já percebeu porque não vai só o Primeiro-Ministro e os acólitos? Vai o PR que só por acaso é o Comandante Supremo das FA. Mas o Lopes já deve saber isso tudo!!!!!

          • Toni da Adega says:

            Afinal estamos em Guerra com espanha e não se sabia. Próxima vez que for lá comprar caramelos é melhor ir bem armado.

          • Rui says:

            A Ucrãnia também pensava que tinha as costas quentes da Europa e EUA e de repente ficou sem a Crimeia e perdeu o controlo do leste do país!!!!!

            A Ex-Jugoslávia também acordou um dia e perdeu as regiões quase todas, com o sangrento conflito que se seguiu e…. não foi à 100 anos!!!!

            A Líbia, aqui ao lado, pensava que estavam muito descansados e quando deram conta, os radicais islâmicos, com o apoio principal de França, varreram o país!

            O Egipto idem aspas…….

            Não sei se sabe, mas equipamento militar, demora muitos anos a produzir.

            Nós tugas assinamos um contrato para comprarmos 5 KC-390 + simulador + manutenção por 12 anos e só vamos receber o 1º avião em 2023 e o último em 2030!!!!!!!!!!

            Portanto é continuarmos uma república das bananas em que até deixávamos que o governo corrupto de Angola nos insultava, isso sim é de país que se pode orgulhar!!!!!!

          • Rui says:

            A Crimeia foi anexado por referendo… Não houve conflito armado… Agora o leste do páis já é uma questão complexa…

            Agora Jugoslávia/Líbia/Afeganistão/Iraque há uma simples explicação NATO! E a necessidade de a América e estados membros mecheram a sua máquina de guerra (e interesses económicos!!)…

            Agora vamos ver até quando o Irão se mantem em paz…

          • Leonel matos says:

            Meu caro Lopes quando a nato foi criada foi para supostamente se defender entre outras coisas e acima de tudo duma possível invasão da Rússia há Europa nesse tratado cada país ficou responsável e assinado que gastaria o equivalem a 2% do seu PIB além dos EUA penso que nenhum país o faz e apesar de não gostar muito deles a verdade é que a Europa viveu desde o fim da 2 guerra escondida e protegida por eles ameaças sempre podem aparecer e preparação é importante não ficar só há espera que os EUA venham socorrer

        • Toni da Adega says:

          Já que as nossas relacoes com espanha são tão más qual é que foi a ultima vez que tivemos uma confilito com eles?
          Já agora quais são os indicadores que existe a possibilidade de voltar-mos a entrar em Guerra ou qur vamos necessitar de utilizar armamento para nos proteger deles?

          • Rui says:

            Só para recordar a última vez:
            “El Mundo recorda a noite em que a embaixada espanhola em Lisboa ardeu
            O jornal espanhol recordou a noite de 27 de setembro de 1975, quando um grupo de extrema-esquerda pegou fogo à embaixada espanhola em Lisboa. A invasão a Portugal esteve em cima da mesa.”

            Posso dizer-lhe que só não aconteceu nos anos 70, porque o antigo Rei de Espanha (pai do actual), esteve muitos anos exilado em Portugal e gostava e tinha muitos amigos portugueses….. colocou um travão no assunto, mas os espanhóis reconhecem que esteve em cima da mesa, por isso…….

            https://observador.pt/2018/04/26/el-mundo-recorda-a-noite-em-que-a-embaixada-espanhola-em-lisboa-ardeu/

          • Rui says:

            No dia seguinte, temia-se a retaliação espanhola. Em Madrid, o presidente do Governo Carlos Arias Navarro sondou as autoridades norte-americanas para perceber se os Estados Unidos apoiavam Espanha em caso de invasão a Portugal. Franco acabou por limitar a resposta ao encerramento das fronteiras e suspensão das relações diplomáticas. A 1 de outubro, depois da última vez que o ditador espanhol marcou presença na Praça do Oriente, 3.000 manifestantes protestaram contra Portugal. O caso acabou por não chegar mais longe porque o Governo português se apressou a emitir um pedido de desculpas oficial, onde garantia a total recuperação do Palácio de Palhavã.

      • GM says:

        E já agora, guarnição, ou seja marinheiros. Coisa para o qual que os mais jovens também não têm vocação, seja porque a carreira possa não ser incentivadora, seja por outra razão.

      • Mário says:

        Sr.Lopes, a conversa dos espanhóis tem séculos de história e casos bem modernos e recentes de picardias de parte a parte que não se apagam ou esquecem.. vejam-se o caso de Olivença ou das ilhas selvagens e as suas passagens a baixa altitude em território nacional com caças. E isto para não referir o rebaixamento sempre que se referem a portugueses. Com eles sigo o ditado de ter um olho no burro e o outro no espanhol..
        Quanto ao argumento das prioridades acho que tudo serve de desculpa para não reequipar as FA . Primeiro era a redução para a especialização e profissionalismo. Depois veio a lei de reprogramação e o que vejo são as mesmas armas e cada vez menos meios sejam navais, exército para não falar na força aérea… temos quantos caças?
        30?? E a voar? isto lembra um pouco aquela teoria de Mao prepara-te na paz para a guerra. E acha que uma Força Aérea com aviões “modernos em quantidade e qualidade” não protegem o “nosso” mar? Digo mais quem tem a superioridade aérea hoje em dia ganha qualquer guerra. E de joelhos ficaremos se de um momento para o outro precisarmos de quem nos proteja.. temos de ser nós Portugueses não outros.

    • Cortano says:

      “Diga-se de passagem que uns 30 em Portugal, metiam muito respeito aos vizinhos espanhóis (…)
      É por de lado uns trocos para defendermos a independência do país, sem pedirmos de joelhos ajuda aos outros, como costumamos fazer!!!!!”

      Carai… tanta asneira junta.
      Não percebes porque é que hoje em dia países como Portugal têm forças e equipamentos militares, pois não?

      • Toni da Adega says:

        Próxima vez que houver um incendio em Portugal é melhor recusar ajuda de Espanha porque é certamente uma invasão.

        • Rui says:

          ahaha mto bom! xD Ai o Rui de cima devia ler isso… 4ª Grande Guerra a caminho!!!

        • Rui says:

          Não sei se sabe, mas os países ajudam-se mutuamente. Mas já que o Toni domina os assuntos de defesa, explique-me lá para que é que os espanhóis têem 72 F-18 e 64 Typhoon?

          E já agora, porque é que todos os países têem forças armadas, sejam eles de esquerda ou da direita!!!!!

          E já agora, veja lá se puxa pela cabeça porque é que África está em constante polverosa!!!!!! Será porque as grandes nações financiam guerras civis para dividir e reinar? Ou porque é que invadem países mais fracos, como a Líbia, Argélia, Ex-Joguslávia, mas ninguém se mete com Putin, nem com Erdogan (tentaram um golpe militar que correu mal).

          A diferença dos países invadidos (todos os anos há casos, é só ler as notícias) e dos outros que ninguém se metem com eles (Coreia do Norte, Turquia, Rússia, Israel, Egipto……), deve-se ao facto de estes últimos investirem muito dinheiro em defesa.

          Mas ainda bem que temos génios que acham a nossa defesa um desperdício. Devem até propor extinguir a GNR e PSP ou obrigá-los a andarem desarmados e depois vemos no caos em que se torna o país.

          Abram os olhos, porque a paz não é garantida…… especialmente na Europa!!!!!

          • Joao says:

            Portanto… na tua opinião o que se deve fazer num dos países mais pacíficos e antigos do mundo e com uma das maiores dívidas exteriores é gastar milhões em armamento…certo…faz todo o sentido.

          • Tiago S. says:

            A GNR/PSP devia era ter ordem para abater, a ver se nao andava tudo na linha. Agora cá mansidão de “usar só em ultimo recurso” e atirar para zonas não letais. Se um criminoso armado, que apresenta claramente um risco à segurança, nao obedece a uma ordem de largar a arma, a segunda ordem já não devia existir. Um balázio bem aviado e está o caso arrumado. Quem quiser que pague o funeral, e o agente receba uma condecoração por serviço à Pátria e aos cidadãos.
            Um pequeno exemplo da Finlândia – que tem uma das melhores forças de defesa da Europa, face à sempre iminente ameaça russa – e alusivo ao circo que foi a história de Tancos: nas zonas militares os cartazes dizem “Devido ao aumento no custo das munições não haverá tiros de aviso”.

          • Rui says:

            Então vá chamar burros aos Gregos, que é o que eles estão a fazer desde a sua indepência, apesar de estarem piores que nós!!!!

            Realmente é melhor enterrarem 26 mil milhões de euros nos bancos que nos lixam todos os dias e ainda por cima são todos estrangeiros, excepto a Caixa. Realmente é melhor doar o dinheiro aos bancos!!!!! Ou fazer estádios para o Euro e agora estarem abandonados (o Euro 2004 limpou-nos 1,2 mil milhões de euros).

            Olhe, a Suiça é um país pacifico, certo? Então porque gasta tanto dinheiro na defesa? E a Noruega que tem metade da população? E a Venezuela que morrem à Fome? Ou a Coreia do Norte?

          • Toni da Adega says:

            Os espanhóis têem 72 F-18 e 64 Typhoon, porque certamente estao a prepara-se para invadir e conquistar Portugal. Para jogar seguro, deviamos fazer um muro á volta de Portugal para manter os espanhois á distancia

            Uma coisa é dizer que se deve investir em defesa, outra coisa é andar para ai a dizer que Espanha anda a tentar invadir Portugal e que temos que comecar uma especial de Guerra Fria com eles.

          • Rui says:

            Mas quem é que anda a dizer que a Espanha vai invadir-nos? Apesar de já tentarem inúmeras vezes e só no século XX foram 3 vezes e a última foi quando incendiaram a embaixada espanhola em Lisboa, depois do 25 de Abril!!!!!

            Devemos defender-nos, na medida das nossas possibilidades, contra qualquer eventualidade. Até porque em caso de catástrofe natural, não sei se sabe, mas normalmente são as Forças Armadas quem repõem o mínimo de condições (telecomunicações, segurança, etc).

            Se um navio de 6.000 turistas estiver a afundar, faz o quê? Manda um bote de borracha da PSP ou GNR?

            Se tiver uma erupção nos Açores, como é que vai salvar aquela gente?

            Se não sabe, as Forças Armadas não existem só para combater e garantir a independência do país, existem também para Busca e Salvamento, entre outras……

          • Joao says:

            Rui, pare lá de inventar coisas que não lhe fica bem. Todos os países da Europa gastam aprox. a mesmo em defesa, proporcionalmente à sua economia obviamente. Os únicos que gastam um pouco mais são a Ucrânia e o UK.
            De que lhe serve enterrar o dinheiro todo em defesa para depois não haver dinheiro para necessidades básicas!!!! De que serve manter uma soberania se o país estiver na banca rota????
            Segundo os seus critérios…devíamos seguir o exemplo da Grécia, da Coreia do Sul e da Venezuela…não haja dúvidas de que são países em que se vive muito bem…

          • Rui says:

            João, dizer coisas sem argumentos não valem de nada. Diga lá o que é que eu inventei.

            Tem razão, não devemos gastar um tostão em defesa própria, vamos pedir ajuda aos vizinhos quando precisarmos!!!!! Assim como fazemos com os incêndios, pedimos ajuda em vez de investirmos numa frota própria de combate a incêndios.

            Nem ao menos percebeu o contexto que referi. E nós vivemos melhor que a Coreia do Sul? Ai sim, veja lá o PIB per capita de cada país. Já ouviu falar da Samsung, LG, Hyundai, Daewoo, Kia e por aí a fora……

            Se o João ainda não percebeu, assim como outros leitores, quem investe a sério na sua própria defesa, impõem as suas regras aos outros mais fracos.

            Veja lá se o mundo não é “gerido” pelos EUA, Rússia e China! E olhe que nem são os mais ricos (tirando os EUA).

          • Joao says:

            Rui, onde escrevi Coreia do SUl queria obviamente escrever Coreia do Norte. Devia ter percebido isso uma vez que estava a pegar nos exemplos que o RUI deu! Mas como não lhe dava jeito…
            Puxe la um pouco por essa cabecinha, nao serve só para catar piolhos.
            Mesmo que nós investissemos TODO o OE em defesa, conseguiriamos fazer frente a algum desses paises? Seja lá honesto na resposta? Acha que vale a pena um paraplegico treinar os 100m barreiras? cada macaco no seu galho..
            É que ainda para mais está a ser completamente contraditorio nas suas afirmações. Veja-se esta frase:
            “Olhe, a Suiça é um país pacifico, certo? Então porque gasta tanto dinheiro na defesa? E a Noruega que tem metade da população? E a Venezuela que morrem à Fome? Ou a Coreia do Norte?”

    • Toni da Adega says:

      Sai mais barato contrar uma padeira, sai mais barato e faz o mesmo efeito.

    • Tiago S. says:

      o próximo investimento na FAP vai ser efectivamente modernizar os F-16 para a versão Viper, além dos KC390 da Embraer. Mesmo para um consórcio onde se partilharam custos ~800M por 5 aviões de carga parece-me excessivo.
      Quanto aos F-35, um pouco de juízo. Cada um custa $135M, além de que não é assim tao estupendo quanto o pintam. Para modernizar e substituir o parque de caças, a aposta mais sensata e financeiramente equilibrada seria o JAS-39 Gripen, da Saab. É dos melhores caças multi-role da actualidade e tem um sistema de radar muito superior. Tanto que foi agora uma remessa para o Brasil e penso que a Índia anda a ponderar o caso, depois do fiasco com a compra dos Su-57.

      • Rui says:

        Ninguém garante que os F-16 vão ser modernizados antes de caírem de podre (já têem 30 anos, o que não parece, mas para um avião é imenso).

        Também reconheço que seria de longe a melhor opção, modernizar o F-16 para F-16V, além de ser muito mais barata.

        Já a sua opinião de adquirir o JAS Gripen, como fez o Brasil, um autêntico disparate. Os nossos F-16 são aviões de 4ª geração. Se os actualizar para a V, passam a ser de 4,5ª geração, que é exactamente igual ao Gripen (4,5ª geração). para quê gastar tanto dinheiro num avião igual?

        Para isso mais vale poupar e comprar um de 5ª geração com o F-35 lá para 2030 (quando os F-16V estiverem a dar as últimas, se forem actualizados agora).

        • Rui says:

          E outro pormenor, o Jas Gripen novo custa quase tanto como o F-35. Mais um motivo, para quê gastar num avião de geração 4,5ª se o de 5ª é só um pouco mais caro!?!?!!?

        • Rui says:

          Wikipédia: Saab JAS 39 Gripen : Custo unitário US$ 68,90 milhões (2006)

          Lockheed Martin F-35 Lightning II:

          F-35A: US$98 milhões (baixa porcentagem de produção inicial ‘BPPI’ e sem o motor, produção completa em 2018 pode ser no valor de US$85 milhões
          F-35B: US$104 milhões (BPPI e sem motor)
          F-35C: US$116 milhões (BPPI e sem motor)

          Ainda é uma diferença de valor… Não sei se em termos de diferença técnologica justifica a diferença…

          • Tiago S. says:

            Esse preço é de 2006, o Gripen da FAB ficou em $120M por unidade, incluindo armamento e serviços- Não sei se com licenciamento para produção em solo brasileiro

        • Tiago S. says:

          Sim, do anunciado até ao fazer, já sabemos que mais vale esperar sentados. Oficialmente só mesmo os KC-390 e que vão vir às pinguinhas.

          Reconheço que o seu conhecimento é muito superior ao meu, especialmente no que diz respeito a questões geracionais das aeronaves. Tinha ideia que o Gripen era bastante mais barato, mas fui verificar e realmente estava errado.
          Quanto mais nao seja, por nao dar dinheiro aos americanos gulosos, apesar do F-35 ser uma aeronave fora de série. E claro tal como o Rui, gostaria de ver as nossas FA equipadas com o melhor possível.

    • Daniel says:

      Os nossos vão para Romênia

    • paulo rodrigues says:

      Até parece que receias uma invasão espanhola… uma nova “Dinastia Filipina”!

      Esse “receio” até pode ser natural num determinado contexto… será um pretexto para…

      Temos tanto onde gastar dinheiro, que escasseia, não é em aviões de combate de certeza!

  4. Lopes says:

    “… por um custo total de 992,4 milhões de dólares. Por curiosidade, este valor praticamente pagaria a dívida pública de Portugal.” Really!?!?!?!? Tem a noção dos valores em causa???
    “A gigante fabricante de aviões mostrou AGORA um vídeo publicitário desta aeronave.” O vídeo é de fevereiro de 2009, sendo que andam a fazer publicidade a esta nova versão do F-15 há anos…

    Este artigo mais parece ter sido escrito por um adolescente! A única coisa que se aproveita é o vídeo, que foi feito pela Boeing. Tudo o resto é um conjunto de frases “mal amanhado”!

    • Rui says:

      Não é verdade o que diz.
      O F-15 existe desde os anos 70, à 50 anos atrás!!!!!!
      Foram feitos vários modelos e diferentes alturas.

      Este EX é novíssimo, tanto que mais nenhum país o tem. Deve estar a confundir com o Silent Eagle.

      Existe um gap enorme desde o início dos anos 90 até agora (com a queda do muro de Berlim e colapso da União Soviética), pensava-se que não seria necessário desenvolver novos aviões…….. agora voltaram à carga e todos os países do mundo estão a reforçar-se com receio do que por aí vem…… com a excepção da Europa que continua impávida e serena na dependência dos americanos para a sua própria defesa!!!!!!

      • Rui says:

        Pelo que li já vai à mais de um ano… A Europa não está a dormir… só o tal famoso F-35 acho que ficou aquem dos requesitos para que foi projectado… Portanto acho que a Europa está à procura de soluções internas penso…
        E caro Rui, desde que há armas nucleares, ninguém arrisca a invadir ninguém (que as tenha)…
        Pq acha que vários países as procuram desenvolver? Não é para ofensiva, mas para intimidação (defensiva)!

        • Rui says:

          Eu não tenho dúvidas de que a Europa está a dormir, porque é o único continente que eu não vejo a investir na sua defesa e continua a baixar as calças às ameaças americanas ou russas.

          Os 5 mil milhões de investimento conjunto na defesa europeia é uma anedota! Representa 2 orçamentos das magras Forças Armadas portuguesas!

          Se está a referir-se aos 2 projectos de aviões de 6ª geração (que diga-se, acho um disparate as principais nações não juntarem os planos, em vez de termos 2 projectos: O Tempest do Reino Unido e agora Itália e o FCAS da França, Alemanha e Espanha). Esses supostos aviões de 6ª geração vão voar quando? 2040? 2050? Até lá usa o quê? O Typhoon? O F-16?

          • Tiago S. says:

            entendo a sua lógica e concordo com o investimento conjunto, como no caso da França – como é nacional – aguentam-se esses 20 anos com o Rafale, que também é um excelente caça.
            já agora e por mera curiosidade….o que pensa do Su-57? fogo de vista ou vai mesmo ver a luz do dia?

          • Rui says:

            Em relação ao SU-57, até pode vir a ser um grande caça, mas….. ele foi desenvolvido a meias entre a Rússia e a Índia e a Índia abandonou o projecto no ano passado, perdendo muito dinheiro!!!!!!

            A única encomenda segura são dos Russos com 76 aeronaves a serem entregues em 2028!!!!!!

            Para já parece ser um fiasco, uma vez que já gastaram 10 mil milhões de euros no desenvolvimento do avião e para já só há 10 protótipos a voarem!!!!

            Por exemplo o F-35, apesar de todos os problemas, já foram vendidos mais de 420 aviões!!!!

            Além de que o SU-57 é gozado pelo facto …… estranho de ter um nome que se reparar é o somatório dos 2 modelo de 5ª geração americanos (F-22 e F-35). 22 + 35 = 57 🙂

            O único país que mostrou algum interesse em comprar o avião, para além da Rússia, foi a Turquia, porque os americanos recusaram vender o F-35 (porque os Turcos compraram o sistema Russo S-400, que por sua vez sofreram um golpe de estado com os americanos por trás……. história complexa).

            Nós como fazemos parte da NATO, interessa comprar equipamento ocidental, por uma questão logística, manutenção, etc.

            Não tenho dúvidas que entre 2030 e 2040, vem para cá o F-35 novo ou usado!!!! Nessa altura os nossos F-16 já voam à 50 anos!!!!!!!!!

            É isso que criticam no absoluto desleixo da nossa defesa. Repare:

            Força aérea: De vez em quando ainda se vêm a voar os Alouette III do tempo da Guerra de Ultramar!!!!!! (+ de 50 anos)
            F-16 já têem 30 anos!!!!!
            Alpha Jet já foram todos encostados!!!!!
            Os C-130 foram comprados em 1977 (já levam 42 anos em cima). E o substituto, o C-390 brasileiro só chega em 2023 e termina a encomenda em 2028 (quando entregarem o último, os nossos C já voam à mais de 50 anos!!!!!!!)
            Temos 3 Falcon a caír de podre, que os nossos políticos nem usam, porque estão sempre a avariar!!!!

            Marinha:
            Temos corvetas da Guerra de Ultramar dos anos 60!!!!!!!
            5 fragatas dos anos 90, 3 Vasco da Gama compradas novas e as KD em 2ª mão.
            Estamos a costruír NPO desarmados!!!!! Com projectos dos anos 90!!!!
            Temos 1 único reabastecedor com mais de 50 anos, o Bérrio a caír de podre!!!!!!

            Não temos nenhum LPD ou LHD para ajudar por exemplo as populações dos Açores ou Madeira se acontecer uma catástrofe!!!!
            A única coisa nova que temos, para além dos NPO desarmados ou mal armados, são os 2 submarinos, que aí sim estamos a par do que melhor se faz!!!!! E tão úteis são a apanhar o tráfego de droga que passa nas nossas águas!

            Exército
            Só agora vão substituír a arma principal (G3) que é do tempo da guerra de Ultramar!!!!!!!
            Temos carros de combate na reserva dos anos 60 (M-60) e 37 novos Leopard 2A6, comprados em 2ª mão!!!!
            Pouco mais de 200 Pandur e agora estamos a comprar os Vamtac a Espanha.

            Conclusão, está tudo a caír de podre!
            Pergunto lhe a sí ou qualquer um, se voavam em aviões com idades de 30 a 50 anos como têem de fazer os pilotos da Força Aérea.

          • Pedro says:

            Lol “Em relação ao SU-57, até pode vir a ser um grande caça, mas….. ele foi desenvolvido a meias entre a Rússia e a Índia e a Índia abandonou o projecto no ano passado, perdendo muito dinheiro!!!!!!”
            Não percebes nada disto… Nem vale a pena comentar mais!

          • Rui says:

            Então diga lá o que é que está errado no que afirmei Pedro.

            A Índia não participou no desenvolvimento do SU-57?
            Não desistiu do avião em 2018?
            Há mais alguma intenção de compra do SU-57 para além de uns míseros 76 aviões a entregar na melhor das hipóteses em 2028?

            Há algum SU-57 a voar sem serem os protótipos?

            Diga lá qual foi a asneira que escrevi.

            Se não faz ideia do que é um avião militar, limite-se a ler em vez de escrever asneiras sem argumentar absolutamente nada.

          • Pedro says:

            Para o perito. O su 57 é apenas um caça quinta geração, resultado do PAK FA (Em russo: ПАК ФА, abreviação para: Перспективный авиационный комплекс фронтовой авиации desenvolvido pela sukhoi para a aviação da linha da frente russa. É um projeto exclusivo russo. Neste momento começou a produção de série, sendo a projeção de entrega da primeira unidade projetada até ao fim deste ano (2019) a segunda unidade em 2020 e ppor aí fora.
            Depois há o Sukhoi/HAL FGFA projeto conjunto dos Russos com os Indianos para a força aérea indiana a partir de do projeto inicial do su 57 (PAK FA), alguns dos requisitos dos indianos seriam um versão de 2 lugares e equipamentos diferentes (como sensores etc) em função das suas necessidades ou em substituição do equipamento que os russos não estariam dispostos a entregar aos indianos…. Esse projeto segundo algumas noticias (2018) estaria morto apesar da sukhoi ter vindo a publico dizer continua. Pelo que são projetos distintos. Isto é só inicio procure no google (nem sequer lhe peço para ir a sítios mais específicos) para confirmar. O resto nem sequer comento

          • Rui says:

            Ainda pensei que o Pedro ía falar da Jane’s, mas como argumenta com a wikipédia, estamos conversados!!!!!

  5. M.Manuelito says:

    2019 – Dívida = 252,4 mil milhões de euros
    Custo unidade do avião: 125.05 milhões
    Unidades que se compravam: 2015
    É isso, se não me enganei 🙂

  6. Sérgio Trindade says:

    Segundo o site do fabricante, esta aeronave tem 12 pontos de para colocar armas ar-ar e não 20…..
    https://www.boeing.com/defense/f-15ex/

  7. rnf says:

    “por um custo total de 992,4 milhões de dólares. Por curiosidade, este valor praticamente pagaria a dívida pública de Portugal.”
    Depois deste erro tão crasso perdi a vontade de ler o resto do artigo….

  8. xpto says:

    Lá vão eles discretamente, tentar salvar a Boeing, através de um contrato militar, devido ao problema “Boeing 737 MAX”.
    Este tipo de situações já se tornaram um clássico e cá na nossa quinta também temos uma variantes:

    “Governo aprovou uma autorização de despesa de 18,8 milhões de euros para a Força Aérea Portuguesa (FAP) começar a alterar o dispositivo. Numa resolução do Conselho de Ministros publicada esta quarta-feira no Diário da República, prevê-se que a FAP gaste 1,6 milhões de euros ainda em 2019 na transferência de duas esquadras entre Sintra e Beja”
    Para quem desconhece estas realidades, em termos práticos é transferir algumas(poucochinhas) aeronaves para outras base, e significa abastecer a aeronave, meter o piloto lá dentro e levar a aeronave para a outra base e estacionar a aeronave.
    A parte humana é levantar uma guia de marcha na sexta e apresentar no outro local na segunda feira.

    18,8 milhões para transferir meia dúzia de aeronaves heheheheheh.

    Resta saber qual o verdadeiro destino dos 18 milhões disfarçados 🙂

    • Darth says:

      Já estava a ver que não aparecia ninguém das teorias da conspiração. Não há de ser só estacionar as aeronaves notro lugar, há de ser transferir toda a estrutura de apoio. Vocês são um cancro da democracia, sempre a lançar dúvida sobre tudo

      • xpto says:

        “No caso das transferências da Esquadra de voo 101, de Sintra para a Base Aérea de Beja, e da Esquadra de Voo 552, de Beja para a Base Aérea de Sintra, o impacto atingirá «mais de duas centenas de militares e respetivas famílias», existindo já um plano para que «sejam garantidas as adequadas condições à operação destas esquadras nos locais definitivos»”

        Cerca de 200 transferências para 2 unidades, assim como todo o material de apoio, tal como corretamente referiram.

        Como disse estão 18 milhões a mais, e não o digo só por dizer, mas respeito que a vossa opinião seja o reflexo do desconhecimento que têm sobre estas matérias.

    • Lopes says:

      Deve pensar que a transferência de duas esquadras é como você mudar o seu carro de um lugar para o outro.
      “Vocês são um cancro da democracia, sempre a lançar dúvida sobre tudo”

      • xpto says:

        “No caso das transferências da Esquadra de voo 101, de Sintra para a Base Aérea de Beja, e da Esquadra de Voo 552, de Beja para a Base Aérea de Sintra, o impacto atingirá «mais de duas centenas de militares e respetivas famílias», existindo já um plano para que «sejam garantidas as adequadas condições à operação destas esquadras nos locais definitivos»”

        Cerca de 200 transferências para 2 unidades, assim como todo o material de apoio, tal como corretamente referiram.

        Como disse estão 18 milhões a mais, e não o digo só por dizer, mas respeito que a vossa opinião seja o reflexo do desconhecimento que têm sobre estas matérias.

    • Rui says:

      Normalmente os leigos ficam alarmados quando leem algo que não compreendem, mas é natural.

      A Boing fabrica o F-15 desde os anos 70 e o avião continua a voar pelo mundo a fora, é porque não é mau!!!!!!!

      Em relação à mudança das esquadras é pura ignorãncia. Ainda não leu as notícias que dizem que o Governo quer à força fazer um apeadeiro no Montijo? Se não sabe, a FAP está no Montijo, existe lá uma base aérea que opera o C-295, o Merlin, o C-130, os Falcon.

      Ora, se vão saír do Montijo, têem de ir para algum lugar. E como é que faz? Deixa os aviãos ao relento? Não faz hangares de manutenção? E de instrução, etc? E vá lá não tomaram a infeliz ideia de mudar os F-16, que só a deslocalização desses, obriga a construir hangares que custam pelo menos 250.000€ para cada F-16……

      Para si, um aeroporto militar faz-se com tendas da Feira, sem iluminação e sinalética da pista, etc, etc. Já agora também sabe que é diferente uma pista receber aeronaves de 2 toneladas e passar a ter aviões de mais de 30 como o Hércules, não sabe?

  9. rui says:

    e quanto gasta aos 100? e as emissões do bicho?

  10. Nitrox says:

    Isto porque o F-35 tem problemas que não param de aparecer e tb os custos do programa, e o F-22 já não se produz, é o caça tampão.

    • Rui says:

      O F-16 quando surgiu, também tinha enormes problemas, e no entanto é um caça fantástico, mesmo que tenha surgido à quase 50 anos!!!!!!!

      Mais cedo ou mais tarde, também Portugal vai ter o F-35, para talvez 40 anos ou mais!

      Os americanos pensaram que o colapso da União Soviética deixava-os descansados por muitos anos…… enganaram-se!!!! Produziram muito poucos F-22 (esse sim um caça fora de série, mesmo hoje) e agora precisam de um caça novo e melhor que o F-22……. e o F-35 não é melhor que o F-35…… por esse motivo já estão em velocidade de cruzeiro a criarem o caça de 6ª geração!!!!!!!

      Para se perceber melhor, o F-22 não foi vendido nem nunca vai ser permitido vender a mais nenhum país (são menos de 190) e o F-35 é exportado a preços puxaditos…… e com software que pode ser bloqueado pelos americanos a qualquer momento!!!!!!!!!!!

      • Tiago S. says:

        Os amigos ingleses e israelitas podem pagar. Afinal de contas, com um custo total do projecto na casa dos $65 biliões, é preciso equilibrar o balanço

  11. M. Simões says:

    Estão (bloggers) muito preocupado não com as inovações tecnológicas mas um pouquinho com o valor do mesmo. O interesse deste auditório e dar porrada naquele que se enganou nas contas.
    Só uma coisa, é com ou sem IVA?

  12. Leandro says:

    Acho tão engraçado usar “mil milhões” em vez de “bilhões”… rs

  13. Xnelox says:

    É IP67?
    Com tanta tecnologia, a água é um inimigo

  14. Rui says:

    Aposto que é equipado com o novo chip da Apple! O A13 bionic, ou kkr coisa do género…

  15. lucas says:

    Um rebuçado para o sukoy 35,já para não falar dos custos de produção e operacionais que quando transformados em sucata fazem os idiotas acordarem para a realidade…

  16. Vitor Casanova says:

    Estou-me a divertir à brava com esta notícia e com os comentários!

  17. Ivo graça says:

    Dinheiro em tecnologia bélica… Sempre a mesma coisa… Se for como o sistema anti míssil patriot bem que o podem meter onde não brilha o sol…

  18. Manuel says:

    Não sendo, estritamente, para intervenções combinadas com as forças das nossas alianças, gostava de saber que outros argumentos “guerreiros” – corporações à parte – podem pôr-nos a pensar à Árabe (milhões), ou à americano (industrial da guerra)?

  19. mlopes says:

    se gastassem o dinheiro em alguma coisa com utilidade é que faziam bem!

    • Leonel matos says:

      talvez nós devessemos estar mais preocupados como se gasta o nosso e não como eles gastam o deles nós por infelicidade nem para nós defender mos gastamos o nosso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.