Quantcast
PplWare Mobile

ACEA alerta que transição elétrica poderá custar 275.000 postos de trabalho

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Ana Sofia Neto


  1. naodigo says:

    Em todas as “revoluções” há sempre a mesma historia!!
    Nunca existiu perda de postos de trabalho, uns desaparecem e aparecem outros diferentes, normalmente desaparecem os trabalhos menos qualificados e aparecem trabalhos mais qualificados.

    • João says:

      Se os novos postos necessitam de mais qualificação, não vão ser preenchidos pelas mesmas pessoas que tiveram os postos anteriores extinto. O grande problema aqui é que grande parte da mão de obra usada pela indústria automóvel vai ser alienada, e vai ser difícil de integrar noutros mercados. Não deves ter noção do impacto que isso vai ter em países em que esta indústria tem um peso enorme na economia nacional.

  2. Luis Costa says:

    Transição eletrica é bonita…até o principal problema surgir. Não temos recursos para essa grande transformação. Os carros tradicionais tem como elemento mais comum no motor o ferro e aluminiuo mas os eletricos pedem materiais menos acessíveis e mais limitados.
    Se diziam que o petroleo ira durar uns X anos o que será do litio e outros elementos raros usados nestes carros incluindo a parte eletronica? Os preços dos mesmos vão escalar e acabaram por fazer dos carros eletricos inacessiveis para 90% da população.
    Alguém também já pensou a quantidade de quimicos e a carga explosiva que são emitdos quando existir um incendio em massa? Ou muitos outros problemas.
    Eletricos tem vantagens mas devem coexistir com os tradicionais para equilibrar o uso de recursos.
    Que se invista mais em cidades mais verdes, uma arvore vale muito mais que um painel solar

      • ... says:

        Dois que não percebem nada.
        O lítio é extremamente abundante, estranho seria o contrário visto que é dos primeiros elementos da tabela periódica. O cobalto está já a deixar de ser usado em baterias, vide as LFP da Tesla.
        Eu costumo pensar é na carga explosiva de 50l de gasolina…
        Quando não se percebe do que se está a falar mais vale não dizer nada…
        Já agora, uma bateria de 65kWh tem em média 10kg de lítio… Um tanque de gasolina/gasóleo leva 50kg dos tido cujos, e uma vez usados não se recuperam, ao contrário do lítio.
        Cumps

        • Gabriel says:

          Deves ter muito no banco, trabalhas (se trabalhares) ao pé de casa, ou tens transportes públicos de jeito na tua terra.
          Boa sorte com os elétricos. Fico feliz por ti.
          Nao tenho a mesma sorte…

          • Test User says:

            Estão para ser lançados carros eléctricos com 1000 km .
            Deves fazer mais 1000 km e nunca paras.

            Se fores motorista de pesados ainda acredito que não seja alternativa.

        • Pedro L. says:

          Para quem não percebe nada o Hélio é o 2 elemento e relativamente raro no nosso planeta

          • adbu says:

            e é dos mais abundantes no universo.
            “helium is the second most abundant element in the known Universe, constituting 23% of its baryonic mass. Only hydrogen is more abundant”

    • Keyboardcat says:

      Uma árvore não vale mais que um painel.

      O lítio não é um elemento raro.

      Tal como o ferro usado nos carros, as baterias podem ser igualmente recicladas.

      Basicamente tudo referido no comentário acima é uma grande mentira.

    • Test User says:

      Muito bonito é saberes que tens 47 anos de reservas de petróleo e esta acabar.
      Deixas acabar petróleo e não fazes nada para mudar ?

      • Grunho says:

        Muito antes desses 47 anos já a Terra está irrespirável e com vagas de calor frequentes da ordem dos 50 e tal graus Celsius, a dizimar autenticamente as populações. Ninguém vai sobreviver até à última gota de petróleo ser bombeada.

    • Grunho says:

      Isso era se fosse para andarmos todos de Tesla model S ou pickup F-150 electrificada. Mas graças aos chineses já há pequenos quadriciclos para pouco mais de 3 mil euros e mini-carros citadinos abaixo dos 10 mil. Não chegaram foi à Europa, não é difícil perceber porquê. O problema da escassez do lítio desaparece quando surgirem as baterias de sódio, em que – adivinhem quem ! – os chineses estão muito avançados.

  3. Test User says:

    1- Se perderem mercado, ainda vão ser mais postos de trabalho. Fabricantes europeus perderam tempo com excepção da VW. Dieselgate para VW pode ter sido uma bênção. Possivelmente vamos assistir falências.
    Tesla já leva avanço e quando fábrica na alemanha começar a produzir. Os carros chineses estão chegar a Europa. Japoneses ainda não mostraram cartas totalmente.
    2- Hidrogénio verde e combustíveis sustentáveis ainda não são hipóteses viáveis.
    3- Híbridos tentativa para continuar produzir carros do mesmo modo

    “Quando os ventos da mudança sopram, algumas pessoas constroem muros; outras constroem moinhos de vento.”

  4. otacon says:

    É o fim do domínio da Alemanha na produção de carros. A complexidade da engenharia nos carros a combustão com 1 milhão de peças acabou…

  5. paulo says:

    e a nao transicao pode custar todas as vidas!

  6. Pedro Ferreira says:

    Vim aqui só pra ler os comentários dos especialistas. Já posso palestrar nas nações unidas sobre o tema. Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.