Quantcast
PplWare Mobile

44% dos leitores não tem, mas está a pensar comprar um carro elétrico

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Jota says:

    ….se os preços descerem muiiiiito!

  2. Ze Nandoooo says:

    A meu ver acabou por faltar uma opção que era simplesmente: não.
    Não tenho elétrico nem estou a pensar comprar, porque espero que o meu dure muitos anos… Quando precisar de trocar, pelo caminho que está a ser traçado, não existirá muita alternativa no futuro

  3. B@rão Vermelho says:

    O meu próximo carro vai ser um um Dacia Spring, acho que é um valor justo, a autonomia para o meu dia a dia é suficiente, vou continuar com o carro atual, Dacia Dokker dois lugares para quando tiver de fazer viagens mais longas.
    Para mim um Dacia Spring chega, não faço ferias em Portugal, a maioria das minhas voltas é casa trabalho compras visitar a família e vivemos todos por perto.
    Estou neste momento a construir casa e a garagem vai ficar, pronta para carregar o carro em casa.
    Comprar um carro elétrico de maior valor para mim não faz sentido, porque como acho um péssimo negocio a compra de um carro, mas é uma “mal” que é necessário, quando compro tenho o carro por largos anos e no caso dos elétricos com o desgaste da bateria acho que vai ser um carro descartável vai ser usar e “deitar” fora.

    • rSP says:

      Tenta vender em segunda mão. Acredito que compram logo, mesmo não sabendo o estado da bateria.

      Não há necessidade de deitar fora, basta vender em 2° mão e tá feito. Qual problemas e defeitos com a bateria qual quê o pessoal compra logo nem duvides.

      • RC says:

        Tenho 3 e nenhum foi novo, e já com alguns anos.

        É 100x mais fácil saber o estado da bateria que saber o estado de outras tecnologias, onde por vezes até metem óleos espessos para tapar barulhos e vender os carros.

        Basta fazer uma carga completa e ver quanto levou de energia, a esmagadora maioria dos veiculos mostra o estado de saude da bateria, que é fiável, identico aos que os iphones mostram, e ainda tem outra solução, pagar 50 euros para que empresas testem a bateria em situação controlada e emitam um certificado do estado da mesma.

  4. Fusion says:

    Enquanto não tiver um carregar a cada esquina não tenciono sequer equacionar a compra de elétrico. Para quem tem garagem é ótimo, mas não é a realidade de muitos de nós

  5. David Guerreiro says:

    Os elétricos são bons para quem tem casa com garagem e pode carregar aí. A maioria dos portugueses vive em apartamentos, muitos deles sem garagem, e a opção de carregamento seria num posto de carga público ou proprietário (no caso da Tesla), com constrangimentos, pois há poucos, o carro não carrega em poucos minutos, e se deixar o carro muito tempo é penalizado.
    Acredito que a poupança de custos ainda é considerável, mas implica muitos sacrifícios. Ainda no outro dia vi numa estação de serviço de auto-estrada um EV lá ligado a carregar, provavelmente para fazer aquele trajeto de auto-estrada não conseguia com uma única carga.

    • rSP says:

      Pois são! Então quando avariar melhor ainda o sistema elétrico e a bateria são muito baratos. Não custa mais de 100€ para arranjar.

      Bem bom, por acaso tenho que comprar um elétrico caso veja na fatura mais de 1500€ por toda a eletricidade e a bateria irei reclamar. Disso podem ter a certeza.

      Mas não se preocupem que não passa dos 100€ o arranjo. Fiquem descansados, bom bom é ter conta poupança em caso de necessidade.

    • RC says:

      Segundo o INE e o ACP a maioria tem local próprio de estacionamente/garagem.

    • JV says:

      E nessa estação de serviço não havia carros térmicos a abastecer? Ou só vale para os elétricos?

    • Grunho says:

      É fácil, basta atirar pela varanda a extensão para a rua (já vi fazer).

  6. Rui Marques says:

    Eu tenho garagem e não estou a equacionar a compra de um a não ser que seja obrigatório.

  7. rSP says:

    Eu não estou, aliás eu estou a pensar nem vir a comprar. Ceder a falsas causas ambientais e depois a bateria recicla-se como? Pois é bebê.

    Quando avariar a bateria e toda a parte eletrónica, a malta logo revira os olhos assim que ver a conta da fatura e/ou orçamento para arranjar.

    Peçam ajuda ao Governo!! Ele dá ajuda!!
    Para quem quiser saber mais como o governo ajuda: Error 404 Not Found

  8. ZeDasCabras says:

    A electricidade vai ser o novo petróleo, quero ver quando custar 4x mais quem é que vai ter um carro electrico.

    • Mr. Y says:

      Concordo com a primeira parte e discordo da segunda.
      Como a procura por mais electricidade vai subir isso também implicará a necessidade de se produzir mais.
      Acredito que irão existir muitos que serão sistemas autónomos com a produção directa e/ou armazenada em baterias que irão abastecer o carregamento. Outra hipótese seria a troca directa de baterias sem ser necessário esperar pelo carregamento.
      O petróleo no início também só era extraído em alguns locais do mundo e isso foi-se expandindo. O mesmo se irá passar com a produção de electricidade.

      • RC says:

        Eu desde que só tenho eléctricos passei a gastar apenas 10 a 20% de energia da rede, sim, porque tenho painéis solares, ok, não é possível em todas as casas, mas é possível em muitas.

        Antes gastava entre 90 a 120 euros de eletricidade + 200 em combustíveis, hoje gasto 12 a 30 euros de eletricidade + 0 em combustíveis.

        • Nuno says:

          deve ser verdade… Gastas 12 a 30 euros de eletricidade…Claro… For Sure…

          • RC says:

            Apostamos, quer aposta o quê? Um tesla ? Um Ferrari ?

          • Rui says:

            eu gasto 20 para carregar o carro todos os dias, se investires em paineis solares e baterias domesticas chegas facilmente a esses valores a questão é qual foi o investimento inicial em paineis e baterias domesticas

          • RC says:

            No meu caso foram 5000 euros em investimento, como estou a poupar cerca de 80 a 90 euros por mês, em 5 anos tenho o investimento recuperado.

        • B@rão Vermelho says:

          @RC, trabalha a partir de casa?
          Ou tem baterias para armazenar energia para carregar os 3 carros elétricos?
          Como estou no inicio da construção da minha casa ainda estou a tempo para poder fazer alterações

          • RC says:

            Só durante a pandemia, há mais de 5 meses que não trabalho em casa.

            Um dos veiculos passa muito tempo em casa, serve para as voltas da zona, outro é uma mota também carrega facilmente, o meu é uma carrinha e a carga que faço durante o fim de semana chega normalmente, caso não chegue dou uma carga na empresa, onde também têm paineis. E sim, também tenho bateria, de um veiculo velho que aproveitei.

            Sim, deixe já preparado para ter uma boa área de painéis, ao preço que estão compensam em pouco tempo.

      • Grunho says:

        Se metade ou 1/3 do petróleo actualmente usado para mover motores de combustão fosse usado para produzir electricidade para o mesmo número de veículos éramos altamente excedentários em energia. Basta comparar a eficiência energética do motor eléctrico e do motor de combustão.

    • Toni da Adega says:

      Existem muitas formas e locais para produção de electricidade, incluindo em casa.
      Petróleo somente um lobby pode produzir

    • RC says:

      Errado, porque eletricidade vem de muitas fontes, as alternativas são muitas.

      Se a eletricidade ficar mais cara, prepare-se para os aumentos nos combustíveis, já que dependem da mesma, a nissan até chegou a ter um anuncio que dizia que para ter eléctricidade para eléctricos bastava deixar de refinar combustivel.

      Mas tem aqui um video com isso tudo.

      https://www.youtube.com/watch?v=ZuXgMWDC_Ck

    • Rui says:

      pela conversa parece que a gasolina está a descer, enquanto der para fazer eletricidade atraves do sol ou do vento podem aumentar que eu ja tenho aqui uma ideia de negocio em vista compro para ai um terreno faço um pála só com paineis solares e vendo os carragemntos a metade da rede 95% lucro

  9. SM says:

    Esperemos que a parte desses 44% que não têm garagem ou parqueamento pessoal com tomada, utilizem alguns dos seus neurónios para reflectir onde vão carregar as pilhas, caso contrário acabam com uma extensão de 50 m ou mais pendurada da janela do 3º andar ou ficam sistematicamente empancados sem conseguir lugar nos parcos e caros postos públicos de carregamento.
    Se essa reflexão não acontecer na massa cinzenta de 1/4 desses tais 44%, o nível de caos na procura pelo carregamento começará a ser tão ridículo quanto preocupante.

    • Mr. Y says:

      E tu achas que quem compra não pensa nisso? Deves achar que é o mesmo que comprar o jornal do dia.
      Esse juízo moral é demais. Catalogar os outros de burros e de pensar que a oferta de agora vai estagnar é demasiado.

    • RC says:

      Esses 44% não são preconceituosos como você, têm a mente aberta e para resolver problemas arranja-se soluções e não se inventa como você fez, que não teve o mínimo de inteligência para saber que nos prédios os cabos não vêm das nuvens, acho que vêm do rés-do-chão, certo ? portanto é mais fácil passar do quadro que já existe para o carro. E sim, já existe leis e até ajudas para isso.

      • SM says:

        Que comentário arrogante e desconchavado. Então a solução é estender extensões a partir das caixas da entrada dos prédios? Essa é para rir, com a dificuldade em estacionar nas zonas urbanas, liga-se a extensão ao carro estacionado no quarteirão do lado, passa no meio da estrada e tudo.
        Os eléctricos são actualmente uma óptima solução para quem pode e tem condições. Não servem para a maioria da população, por muito que fanáticos e lobistas arenguem o contrário.

        • RC says:

          Sim, essa é a maneira correta e que a lei manda fazer.

          Arrogante não, de alguém que conhece como isso funciona, e não se baseia em desenhos que circulam pela internet.

          Sim, pode ser um problema o estacionamento, mas segundo o ACP e o INE a maioria das pessoas já não tem esse problema.

          • B@rão Vermelho says:

            Esse estudo deve ter sido feito na zona da Expo, ai acredito que a maioria dos prédios na Expo tenha garagem, aqui em Cascais é a minoria os que têm garagem.
            E por lei é proibido extensões nas prumadas dos prédios, ainda com a agravante de um iluminado qualquer querer carregar o tlf e desligar a extensão para lá ligar o carregador do tlf

          • RC says:

            Do INE foi o censos 2011, do ACP foi feito em várias cidades, consulte o mesmo:

            ACP – O condutor Português.

            Há zonas que não têm, mas naquela zona que é a maior área de Portugal duvido que encontre alguém que não tenha.

          • RC says:

            Por ser proibido é que existem soluções legais, onde até o estado dá incentivos.

  10. Luna says:

    Peço desculpa, mas a questão da sondagem não era “Tem, ou está a pensar comprar, algum veículo elétrico”?
    Esta questão não se dirigia exclusivamente a carros! Respondi sim porque tenho uma trotinete elétrica, não é um carro mas é um veículo elétrico na mesma!

    • lopes says:

      veiculo elétrico e não um brinquedo elétrico, não vais de trotineta fazer Lisboa -Porto pois não???

      • Luna says:

        ve·í·cu·lo
        (latim vehiculum, -i)
        nome masculino
        1. Qualquer meio de transporte.
        2. Viatura, carro, automóvel.
        3. Aquilo que conduz, auxilia ou promove.
        4. Meio de transmissão, de propagação ou de divulgação.
        5. [Farmácia] Excipiente líquido.

        “Veículo”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Ve%C3%ADculo [consultado em 20-04-2022].

  11. SM says:

    Ai sim? Então quem for atrás das modas ou atraído pela ecologia e se precipitar na compra de um carro eléctrico sem ter uma garagem ou um parqueamento para o carregar, você cataloga-lo-ia como?? Inteligente e ponderado?
    A questão é que enquanto o abastecimento dos eléctricos não for fácil e universalmente acessível, não é opção para a grande maioria da população, por muito que os lobbys insistam em empurrar a malta nessa direcção.

    • RC says:

      Não, de alguém que escolheu aquilo que lhe serve e resolveu os seus problemas sem se basear em preconceitos, foi você que chamou de carros a pilhas.

      É sim para a maioria da população, mas não serve para todos.

  12. traumatologiaeortopedia says:

    Eu já tenho uma moto elétrica

  13. says:

    Enquanto for opção haverá muitos a reclamar que não querem.
    Quando o petróleo acabar ou ficar exageradamente caro, quero ver onde vão fazer barulho.
    Sinceramente, não creio que os carros “com baterias” sejam o futuro. Por um lado, há algumas dificuldades na autonomia. Mas para o meu dia a dia (uns 98% da minha “vida de 4 rodas”) até o citroen ami chega. Os restantes… comboio, autocarro ou taxi para cima… Quando tiver de ser, é bem mais fácil de aceitar. O próximo carro será certamente de outra tecnologia que o atual (mas este ainda tem de durar uns anitos). Mas tenho dúvidas quanto à produção de baterias (e restantes componentes e acessórios). Já temos dificuldades agora em arranjar matéria prima e mão de obra, quanto mais se a procura aumentar exponencialmente. Estou mais inclinado a vermos daqui a uns (muitos?) anos carros que carregam do ar ou através do piso das estradas. Já Nikola Tesla dizia ter essa solução, mas como não dava para ter um contador e cobrar à malta (ele até queria de graça) foi esconjurado.
    Há mais de 100 anos os tipos que recolhiam a bosta dos cavalos para vender também reclamaram dos carros, por isso…

    • RC says:

      Será que há 100 anos recolhiam as toneladas de bosta que havia dentro das cidades, onde chegou a ser um problema de saúde publica ? Os carros nessa altura foram uma solução para isso.

      https ://super.abril.com.br/coluna/contaoutra/antes-do-carro-o-caos-das-grandes-cidades-era-o-cavalo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.