Quantcast
PplWare Mobile

Ubuntu 11.04 – Instale o ambiente gráfico KDE

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Pedro Ribeiro says:

    Felizmente não faltam ambientes gráficos. Sugiro um dos meus preferidos: Enlightenment: http://www.enlightenment.org/ 😉

  2. Hellvete says:

    Bom Dia,

    Gostaria de experimentar Linux numa máquina extra que tenho lá em casa.
    Qual será a melhor distribuição Linux para um principiante?
    Ubuntu? Fedora? Ou outra?

    Obrigado

    • Rui says:

      De principiante para principiante: escolhe o Ubuntu. Tens montes de ajuda, dicas e tutoriais da comunidade Ubuntu.
      Fica bem!

    • bruno says:

      linux mint (baseia-se em ubuntu) ou ubuntu.

      • Hellvete says:

        Obrigado!
        Vou experimentar o Mint, pelo que li parece ser mais ao meu gosto!

        • Pedro Pinto says:

          @Hellvete

          Espera uns dias, deve estar a sair a nova versão do Mint.

          Abraço

        • Alucard says:

          Também aconselho o Mint que baseia-se no Ubuntu,mas faz ainda um polimento adicional. Uma das coisas que vais adorar é o facto de este vir preparado para ler qualquer formato multimédia à face da terra,inclusive DVD’s e Flash, sem precisares de instalar nada. Depois, vais admirar-te como pode ser tão leve e consumir tão poucos recursos comparativamente ao Windows. Depois, vais descobrir os desktops virtuais e não vais querer outra coisa… et cetera e tal, o Windows vai ficar encostado a um canto por algum tempo!
          Já existe a release candidate da versão 11, que podes instalar já e fazer o upgrade para a final depois. Mas é uma RC,por isso se alguma coisa ainda não funcionar, não entres em pânico.A versão 10 que eu uso é bastante estável e as diferenças entre as duas não devem ser muitas. Tu é que sabes.

          • André Meireles says:

            Posso usar um Virtual Desktop no Ubuntu/Mint (para correr Windows) com a licença que veio no portátil? Claro que só a vou usar no portátil de origem, mas mesmo assim não tenho a certeza…

          • Pedro Pinto says:

            Recorres a virtualização, é mais facil…Vmware ou VirtualBox

  3. Allan Robs Rodrigues Emerick says:

    Ubuntu Maverick Gnome 32 bits
    Enlightenment, que Pedro Ribeiro falou realmente é muito legal e leve, e bem diferente.

  4. Rui says:

    Instalei o 11.04 [anteriormente tinha o 10.04 Netbook Remix] no Magalhães da minha filha com o Unity, não achou mau…achou que estava diferente, configurei-lhe o Empathy, descobriu onde se clicava para abrir os programas e…tá a andar! Estes miúdos adaptam-se mesmo rapidamente!!

  5. Raimundo says:

    Oue então quem não tiver medo instala-se o kubuntu.

    http://www.kubuntu.org/

  6. Miguel says:

    Como sou fã do KDE instalei o kubuntu. Eis algumas razões que me levam a gostar do KDE:

    – dolphin (explorador de ficheiros): permite várias abas, split view, filtro de ficheiros (ctrl + i), linha de comandos integrada (tecla F4)

    – kate (editor de texto): ctrl+d para comentar uma ou várias linhas do ficheiro quando o seu formato é reconhecido (ctrl+D retira o comentário); tb tem uma linha de comandos integrada; split view

    – yakuake: consola para a linha de comandos sempre disponível através da tecla F12

    – acho o KDE muito atractivo e funcional

  7. Alucard says:

    Muito bom artigo! À tempos tinha instalado o KDE no meu Linux Mint com Gnome só para experimentar mas não sabia da existência de vários pacotes e instalei o kde-full, ficando com imensa tralha que não preciso. Desta vez, instalo só o essencial.

  8. Lj. says:

    Comecei com Gnome (KDE nem vê-lo), achei-o intuitivo e simples de usar .
    Com o passar do tempo comecei a gostar do KDE e a última distro que instalei foi o kubuntu no meu jurássico laptop com Pentium 4 (e roda sem problemas)

  9. Ryan says:

    O tutorial esta muito bem mas o mais facil ainda e instalar o Kubuntu de raiz. Eu tenho-o numa maquina que esta a precisar de uso la em casa.

  10. Brso01 says:

    Utilizo o Ubuntu desde a 8.04 e de inicio foi confuso perceber o que era o gnome, kde, xfce.. mas com os live cd’s do ubuntu ( kubuntu, xubuntu ),foi facil tirar duvidas e optei pelo gnome apesar de achar o kde muito atractivo.. Acho que o maior problema de adaptação é esquecer o windows.. porque as funções estão lá e não são assim tão complicadas de aprender. Poder navegar na net sem ter de me preocupar com o antivirus..Enfim para mim o linux foi a melhor coisa que aconteceu ao meu velhinho portatil que subitamente ficou ligeiramente mais rápido, mais bonito (compiz) e com a duração da bateria a aumentar mais um bocadinho..

  11. lulwut says:

    Alguém conhece algo tipo o plasmoid que mostra o conteúdo de uma pasta mas para Windows?? Gostava de ter o desktop organizado com essas caixinhas.

  12. Cleomar says:

    Uso o Gnome pelo fato de ser um ambiente mais limpo do que o KDE(Cheio de firula)Essa interface Unity, é muito ridicula.
    O Gnome 3 virá com algo parecido, quê mer….Talvez eu migre para o KDE quando isso acontecer.

  13. Tiago Alves says:

    Experimentem o PinguyOS. É baseado no Ubuntu, mas com uma data de tweaks e extras.

  14. Jose says:

    Boas
    instalei o KDE mas quando arranca nao faz nada. Apenas consigo ver o rato e mais nada. E agora? Como voltar ao GNOME?
    Obrigado

  15. Marcos Santos says:

    Gosto do que vem com ele 😉

  16. phoenux says:

    Pessoalmente prefiro o KDE 4.X pois é um ambiente moderno, prático e bastante rápido e fluído. Neste momento os efeitos gráficos do kwin que utilizo estão em linha com os efeitos que utilizava no compiz, o que me permite ser bastante mais produtivo.

    De todos os ambientes gráficos que conheço (seja o utilizado no Windows, no OSX ou dos vários disponíveis em linux – com excepção do gnome 3 que ainda não tive oportunidade de experimentar) kde é, sem dúvida, o ambiente de eleição.

    Relativamente a distribuições, neste momento estou a dar uma oportunidade ao opensuse factory, para ter uma distribuição mais ao estilo de rolling release.

  17. Nuno José says:

    Gnome 2 e Gnome 3

  18. Diogo Santos says:

    Aqui Arch Linux 64 bits com Kde. A versão 4 ja está bastante madura, estável e rápida. Utiliza um pouco mais de recursos (Ram) que o gnome mas corre bem fluido até num netbook. Arch principalmente pelo chamado “bleeding edge rolling release”. Abraços

    • Lj. says:

      Diogo, estou contigo: “A versão 4 ja está bastante madura, estável e rápida. Utiliza um pouco mais de recursos (Ram) que o gnome mas corre bem fluido até num netbook”.

      Utilizo no meu eeepc sem problemas (sem desktops efects). ‘Consome’ cerca de 100mb mais que o Gnome2 (KDE4 menos de 300mb e Gnome2 menos de 200mb)

  19. R. Campachi says:

    Rapaz, eu gosto de um ambiente limpo e prático. Não acredito que um monte de efeitos bonitinhos e perfumarias mil venham aumentar a produtividade, na verdade acho até um ponto de distração. Lógico que esta é uma opinião pessoal minha.

    Hoje eu uso o Xubunto-11.04 no notebook pessoal (HP dv4-1130) e no trabalho uso o Ubuntu-10.04 LTS (Dell OptiPlex Desktop) com as firulas visuais no modo parcial.

  20. Luis says:

    Bom eu acabei de instalar o Caixa Magica 16, para tirar o ubuntu 11.04.
    O Unity ainda não está estável, tanto que a canonical espera ainda 2 anos ou 2 versões mais de desenvolvimento. o CM16 vem com a ultima versão do gnome 2, ou seja um unity sem os ditos efeitos que colocou o equipamento extremamente lento. Tambem adorava ter Enlightment.

  21. Jack says:

    Pois eu fiz exactamente como o Luis. Tirei o Ubtuntu 11.04 e passei para o Caixa Magica 16.

  22. Antunes Varela says:

    Limpo e intuitivo gosto do Gnome 2. Tenho experimentado todas versões.

  23. Fiz tudo certo, mas está em ingles ..
    tem como traduzir para PT-BR com algum comando ou sei lá ?

  24. vala says:

    So conheço o KDE e o gnome, e entre os 2 prefiro o KDE…

    Cumps
    Vala

  25. Alex says:

    Parece que ninguém usa o Unity?! Estou a usar o Unity e a “obrigar-me” a habituar. Gostei de algumas coisas parecidas ao Mac que ocupa menos espaço na tela, e há outra coisas que ainda não habituei ou não descobri como fazer…
    Mas descobri um wallpaper que nos ajuda aqui: http://www.nerdlivre.com/2011/05/wallpaper-atalhos-do-unity.html
    (Não sei se já tinham postado isso aqui)

  26. desconhecido123 says:

    Adoro e uso o Kubuntu 11.04 que está otimo 😀

  27. Orlando Xavier says:

    Usei GNOME de 2007 ao início de 2011. Após isso, fui surpreendido pelo Unity e GNOME Shell que, pra mim, não têm metade da “valentia” do GNOME 2.x.

    Vez ou outra, já me peguei usando KDE 3.x e KDE 4.x. Posso dizer que, ultimamente, minha maior vontade é migrar de vez para o KDE. Já está bem estável, é bonito e funcional.

    []s

  28. Daltro Augusto Campanher de Souza says:

    Pois bem, não consegui instalar o KDE pela Central de Programas, mas consegui perfeitamente pelo Gerenciador de Pacotes do Synaptic. Gosto bastante do KDE, acho o GNOME meio, digamos, incompleto. O Unity achei muito ruim, tentaram imitar a barra de tarefas do Windows 7, só que na lateral, o que ficou péssimo. No meu caso, tenho uma máquina rápida, então o KDE funciona perfeitamente, mesmo em máquina virtual. Já fiz dual-boot com o Ubuntu, mas o retirei. Agora, instalei o Ubuntu em máquina virtual, estou instalando o KDE nele. Minha conexão é só de 1mbps, o que deixa demorado baixar o Kubuntu, ou qualquer outra distribuição que use o KDE. Mesmo em máquina virtual, funciona tudo rápido e perfeitamente, dá pra até usar dois sistemas ao mesmo tempo. Por exemplo, agora estou no Windows 7 comentando, enquanto no Ubuntu ele está baixando as dependências necessárias para o KDE. É um Intel Core i3, 500gb de HD, 3gb de RAM, tela 14″ led, de fábrica do Windows 7 HP. Então, é isso.. Flw galera!!!

  29. Renato says:

    Dei todas as chances do mundo ao Unity mas ele realmente deixa muito a desejar…
    Embora funcional…
    enfim, o Ubuntu ao que parece vai perder MUITOS usuários por causa desta nova “interface”.

  30. Roberto SS says:

    Escolher um ambiente em Gnu/Linux não é uma questão apenas de gosto, tem que haver inteligência na escolha e censo lógico. Se for por beleza pode-se escolher uma versão de uindous qualquer. O ponto chave para uma escolha inteligente deve ser a praticidade e configuração, além do conjunto de aplicativos nativos. Se o usuário escolhe o GNOME e gosta de usar o K3B ou K9COPY ele vai ter que conviver com a possibilidade de problemas técnicos pois os 2 aplicativos são KDE e usam o QT e mesmo com com todas bibiliotecas carregadas o GNOME pode provocar um travamento qualquer, da mesma forma que o usuário escolhe um KDE e instala o BRASERO ou GNOMEBACKER, GNOMEPLAYER também tem a possibilidade de travamentos pois os aplicativos são nativos do GNOME e usam o GTK podem conflitar com o QT do KDE. Ou seja na realidade se o usuário escolhe um ambiente gráfico ele deve por uma questão de inteligência utilizar apenas os aplicativos nativos deste ambiente, pois a mistura de ambientes graficos é um dos pontos fracos de todos os sistemas Gnu/Linux, dévido as bibliotecas serem diferentes isso resulta em demora na execução e possiveis travamentos, além de uso de uma maior quantidade de memória RAM. Eu sempre preferi o GNOME, mais dévido ao caminho escolhido pelos desenvolvedores do GNOME, resolvi passer a usar o KDE e XFCE. Todos os forks do GHNOME tem o mesmos problemas lentidão de execução. O melhor sistema operacional do mundo ainda não existe, pois ele deveria ter uma unica biblioteca em comum e gerenciadores gráficos para todos os gostos, isto é praticamente impossivel de acontecer. A única alternativa viavel seria a escolha definitiva de um ambiente gŕafico padrão, porém a escolha gera muita polêmica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.