PplWare Mobile

Canonical está a desafiar utilizadores do Windows 7 a migrarem para o Ubuntu


Fonte: Ubuntu

Autor: Pedro Simões


  1. Filipe Rafael says:

    “O conselho da Microsoft é um PC novo, o que poucos querem e podem comprar.”

    Um PC novo só por o windows 7 ter terminado as actualizações, completamente estúpido! Então e actualizar para o Windows 10?, é preferivel… está muito melhor que o windows 7!
    E é preciso mudar de Windows? Irá continuar a funcionar por muito tempo. Só se for por causa das actualizações que só enchem o disco.

    • Paulo Ribeiro says:

      Tenho um Pc com mais de 10 anos… tem o Windows 7 SP1 e nunca fiz uma atualização, continuo a trabalhar diariamente sem qualquer restrição e assim vou continuar…

      • Edexote says:

        Nunca actualizaste? Só falta dizer que vais a net todos os dias e acedes a contas bancárias xD
        Avisa-nos quando o ransomware te bater à porta.

        • Filipe Rafael says:

          Se tiver cuidado e passar antivirus/spybot e coisas do género não apanha nada. É como eu tenho o Windows 10 e no PC mais velhinho e nunca actualizei e não tenho “problemas” desses!

        • Miguel Costa says:

          99,999999% do ransonware é instalado pelo próprio utilizador aceder a sites “perigosos” ou andar a carregar em links que recebem pelas redes sociais.
          Mesmo assim a data do Paulo Ribeiro é falsa. O SP1 foi lançado em Fevereiro/Março 2011, a versão “definitiva” foi disponibilizada em Maio de 2012. Presumo que é a esta que ele se refere. Duvido é que não tenha feito nenhuma actualização, pois o framework obriga a ser actualizado, para poder continuar a usar os browsers mais recentes (Chrome 65 e o Firefox 70 exigem o update de Julho de 2019, sem ele não é possível actualizar o browser).

        • Daniel says:

          Não é por ter um PC actualizado que fica protegido contra maleitas… Aliás, ainda esta semana for descoberta outra falha de segurança, no Windows 10.
          Eu uso o 7 sem updates. Até a única vez que tive problemas, fui eu que os criou, quando usei um “exe” duvidoso… Se tivermos cuidado, tudo pode ser usado…

    • Urtencio says:

      AI JASUS! é o que ele vai dizer um dia….

    • Ruy Acquaviva says:

      O conselho da Microsoft é você gastar mais para aumentar o lucro deles, atendendo assim ao objetivo da obsolescência programada no qual se baseia o seu modelo de negócios.
      Muito bom para a Microsoft mas nem tanto para os utilizadores.

    • nomadewolf says:

      O Windows 10 está melhor que o Windows 7 em quê?
      -Não é mais rápido
      -Não tem Start Menu
      -Mostra publicidade na anedota no menu deles e tudo o que lhes apetece menos o que nós queremos ver.
      -Actualiza e reinicia sem ordem fazendo perder o trabalho

      Pro favor, arranja-me do que andas a fumar!…

  2. qwers says:

    As caixas multibanco ainda utilizam o Windows XP.

    • Filipe Rafael says:

      ya, pois é!

    • Miguel says:

      as caixas multibanco não estão ligadas à internet…

      • gist says:

        Podes responder a primeira pergunta que fiz ao Miguel Costa?

      • fak says:

        mas alguma coisa está… o teu dinheiro não desaparece magicamente da conta… há que fazer transferencia de dados entre o MB e o teu banco, mesmo que seja através de um intermediário.

        • gist says:

          E está. As caixas quase de certeza que estão ligadas pela net, mas configuradas de modo a usarem um único endereço (ou conjunto de endereços) e nada mais.
          Podes ter uma maquina até antiga e com software antigo a correr, e até pode estar “ligada” à internet, desde que ela tenha apenas uma ligação a um servidor confiável, num conjunto de portas pré definidas, até pode ser por cima de um protocolo proprietário. A partir dai, essa maquina, desde que bem configurada claro, é “transparente” na internet.
          Obviamente que essa maquina será sempre limitada a fazer apenas aquilo, ou seja, comunica com um servidor confiável e mais nada, e só corre o software próprio que ves quando usas as caixas multibanco.
          Aposto que consigo fazer algo semelhante do ponto de vista da comunicação entre maquina e servidor.

    • Miguel Costa says:

      E vão continuar a usar, pois mudar todo o sistema custaria mais de 13000 milhões de euros, só em hardware. 😀 Vantagem de usarem a intranet e de os updates terem de ser feitos localmente. Fica mais caro em manutenção mas, tem muito mais segurança.

      • gist says:

        Eu tenho uma pergunta e uma correcção a fazer-te.
        A duvida é, as caixas multibanco usam comunicações próprias?
        Ou seja, os cabos são deles (ou controlados por eles) desde a caixa multibanco até ao servidor da SIBS?
        A correcção é, fazer updates localmente não é mais seguro que fazer remotamente, e como são milhares de maquinas, é muito mais seguro fazer remotamente que localmente.

        • nomadewolf says:

          As caixas muito provavelmente usam VPNs

          • gist says:

            Eu tbm tenho quase a certeza que as comunicações são pelos cabos que o resto das pessoas usam.
            Tbm acho que as maquinas estão todas ligadas por VPN, o que chamar isso de intranet é um salto gigante.
            Intranet pressupõe isolamento da rede exterior. Uma rede encriptada e com validação à entrada não é uma intranet, senão o que não faltam são intranet’s planetárias 😀
            Portanto, mudar todo o sistema seria caro, mas não tão caro quanto o que diz o Miguel Costa, e o mais caro não seria trocar de hardware, porque se corre XP tbm corre Linux ou BSD. O mais caro será fazer novo software que corra em cima de Linux ou BSD e que seja transparente para o utilizador, e depois há a questão dos técnicos, que teriam de ser treinados a resolver problemas num sistema operativo que não conhecem.
            Isto só é viável se o ganho for mesmo considerável.

    • Asdrubal says:

      O sistema de activação dos mísseis nucleares intercontinentais dos States utilizam o Windows 3.1.

  3. Jota says:

    … ou seja, passar de cavalo para burro!

  4. Oliveira says:

    O EndlessOS baseado também em Linux está muuuito bom. É uma alternativa boa ao Ubunto. Vem já montado em portáteis Asus, o que é uma vantagem. Depois é só usar o LibreOffice e um bom navegador de Internet e está o baile armado. O suporte e as actualizações são muito boas através da comunidade eem directo.

  5. Joao Ptt says:

    Foi uma pena a Microsoft não se querer aproveitar da malta e cobrar tipo 50 euros por mais 5 anos de actualizações de segurança para todas as edições e fazia um dinheirão à custa dos papalvos apenas para corrigir erros que na sua maioria não deveria estar lá em primeiro lugar! E ao mesmo tempo continuaria a estar bem vista porque continua a ser uma das empresas comerciais de larga escala que mais tempo dá de suporte incluído para cada um das suas edições do sistema operativo [que eu saiba as alternativas Android e iOS nem de perto nem de longe se aproximam dos ~10 anos que a Microsoft em média costuma dar de suporte estendido (correcção de falhas de segurança e similares) a todos os utilizadores, sem falar depois de ainda estender para alguns em alguns casos por mais algum tempo por um custo extra, boa sorte para terem o mesmo com o Android e o iOS… o iOS parece que vai sendo actualizado nos dispositivos mas acho que em média mesmo assim os dispositivos ao fim de 5 anos deixam de receber actualizações, logo a Microsoft continua a superar].

  6. carlos says:

    quando TODOS os software para windows funcionarem BEM no linux, eu mudo do win 10 para linux… (uso photoshop e corel para trabalhar – os alternativos nao sao tão bons assim)…. gosto do linux, mas ainda preciso dos aplicativos do windows…

    • N'uno says:

      Os alternativos estão muito bons, mas compreendo que estejas agarrado a funcionalidades ou formas de utilização diferentes. Se investires nos alternativos da mesma forma que investiste nesses dois, verás que funcionam. Eu não sou designer, mas trabalhei toda a parte gráfica do meu negócio e montei todas as minhas telas com esses alternativos, sem problemas.

  7. Sardinha enlatada says:

    Ja tentaste po-los a funcionar via wine ? Nao e nenhum bixo papao e aposto que teras sucesso com isso

    • carlos says:

      funciona certinho uma Virtual Box no linux… para executar o win.. nem que seja o 7… só para rodar o photoshop?? Alguem faz isso??

      • N'uno says:

        Eu uso um win7 numa virtualbox desde sempre, ou seja, há anos. Funciona lindamente. Serve para aquelas formatações marcadas que só o office original consegue manter e para usar o IE nos sites como o é fatura, que não funcionam em nenhum browser moderno… Quando necessito arranco a VM em modo seamless, e assim tenho o melhor dos dois mundos de forma integrada e transparente. Recomendo!

  8. Daniel Magalhães says:

    Eu particularmente não gosto do Ubuntu 18.04 LTS. Acho lento, feio, pesado para máquinas antigas. Não é porque tem um suporte de 10 anos que vou bancar o puxa-saco da Canonical – que Gnome horrível! Talvez eu possa repensar seu uso a partir da versão 20.04 LTS. Por hora estou usando o Linux Mint 19.3 que funciona muito melhor, mesmo sendo baseado no Ubuntu 18.04 LTS.

    • N'uno says:

      Eu uso o 18.04, e tenho usado versões anteriores há alguns anos. Se a máquina não for minimamente capaz é melhor optar por um IDE mais leve, como o xfce. Não achava o Unity nada de mais, nem penso muito melhor do Gnome. No entanto, vejo tudo muito fluido e funcional, por isso estou minimamente satisfeito.
      Pessoalmente, experimentei o Manjaro com xfce para desenvolvimento e adorei. Poderá ser uma boa alternativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.